Vício pecaminoso - TwoShot SasuNaruSasu Seguir historia

luasama Luanna Haghatha

Por conta de sua posição Sasuke Uchiha não podia viver sua verdadeira sexualidade livremente, mas desde que podia se lembrar gostava do prazer proibido, e de três anos para cá sua delícia secreta tinha nome, sobrenome, lindos olhos azuis e um corpo que o incendiava. De secretário à amante, Naruto Uzumaki adora o jogo de prazer que tinha com o seu chefe, a excitação e o desejo movia suas vidas junto com o perigo de serem descobertos, mas era um jogo viciante enquanto nenhum dos dois quebrasse as três principais regras: 1) Discrição; 2) Nada de ciúme; 3) Nunca, definitivamente, nunca se apaixonar! Mas quanto sexo é possível se fazer sem criar o mínimo de sentimento ainda que carnal e extremamente pecaminoso? SasuNaruSasu – Yaoi – OneShot – [+18] {Imagens pegas na internet}


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#lgbtq+ #yaoi #lemon #sasunarusau
45
6.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Meu vício preferido

 Yo, Minna *-*

 Estou repostando a história como uma TwoShot, eu a atualizei e escrevi um capítulo a mais. Espero que gostem!

>,<


 Diante da vidraçaria mais alta do prédio mais alto de Manhattan estava um dos principais CEOs daquele estado, comandar todo o grupo Uchiha presente em território americano era uma imensa responsabilidade que recaíra sobre os ombros de Sasuke quando ele tinha apenas 26 anos, ainda se lembrava de quando o pai decidiu que estava pronto e por isso mandou o irmão mais velho para comandar as filiais da Europa colocando as nacionais nas mãos de Sasuke.

Sasuke já estava acostumado a ter a vida inteira controlada pelo pai, mesmo depois de sua aposentadoria Fugaku decidia tudo na vida dos filhos, ele decidiu quando Itachi devia se casar e até apontou a noiva, ele decidiu quando Itachi devia ter filhos e ficou ligeiramente decepcionado ao ter uma neta primeiro, e é claro que não seria diferente com Sasuke que quando completou 31 anos foi considerado apto pelo pai para se casar.

A maior característica de Fugaku Uchiha era a serenidade que tinha ao dar ordens fazendo com que parecessem apenas sugestões, era manipulador, mas Sasuke não sentia raiva dele por isso, sabia que era sua maneira de esperar o melhor para quem amava. Então como sugestão, há 8 meses atrás, ele disse que se Sasuke tivesse uma namorada ele lidaria melhor com a pressão do trabalho, há sete meses ele convidou o filho mais novo para um coquetel na casa de um dos seus amigos importantes onde o apresentou a uma jovem chama Ino e sugeriu que Sasuke a chamasse pra sair, e há um mês ele sugeriu que Sasuke a pedisse em casamento.

Ino Yamanaka era a única filha do melhor amigo de Fugaku, uma jovem de 24 anos muito bela, modelo profissional e dona de um corpo invejado por muitas mulheres, era engraçada embora fosse um tanto narcisista o que não era problema para um homem como Sasuke, inteligente, mas não muito e sabia o que fazer na cama. Então tecnicamente Sasuke seria um homem de sorte, seria se não houvesse um pequeno problema, seria um bom negócio se Sasuke não fosse gay.

Isso mesmo, gay.

Talvez não inteiramente, pois em algumas ocasiões conseguiu transar com sua noiva, mas só conseguia ter prazer verdadeiro com homens.

Demorou muito para conseguir assumir isso para si mesmo, mas teve suas primeiras experiências com homens ainda no ensino médio, tudo bem discreto é claro e permaneceu assim por muito tempo. Não podia correr o risco de alguém descobrir, a masculinidade dos Uchiha era algo que Fugaku prezava assim como todos os outros da família, não havia uma só notícia de um Uchiha gay, era algo quase impossível de se acontecer e por isso Sasuke sempre manteve tudo em segredo absoluto.

Manteve amantes escondidos uma boa parte de sua vida, tudo muito bem organizado para que sua vida dupla não fosse descoberta por ninguém e aprendeu a gostar disso, o perigo de ser descoberto o excitava ainda mais e poderia muito bem viver assim pelo resto da vida, mas tudo acabava quando alguns de seus amantes resolviam que queriam mais dele, então o Uchiha lhes dava dinheiro o suficiente pra sumir e continuava com seu segredo muito bem escondido.

Seu celular tocou despertando o moreno de seus pensamentos profundos, tirou-o do bolso lendo o nome e vendo a foto da noiva na tela, respirou fundo e atendeu.

- Estou trabalhando, Ino. – disse ele em tom grave.

- Eu sei, meu amor, não vou tomar muito do seu tempo. – disse Ino parecendo animada – Só quero saber a cor da gravata que vai usar hoje.

- Preta. – disse ele como se fosse óbvio.

- Nossa, Sasuke, você não pode mudar seu humor sombrio nem mesmo hoje? – ela pareceu quase ofendida.

- Qual o interesse na minha gravata? – quis saber o Uchiha já impaciente.

- É nossa festa de noivado, meu amor, podíamos pelo menos combinar meu vestido com a sua gravata. – disse ela como se fizesse algum sentido.

Aquilo era ridículo em tantos graus que o Uchiha não conseguiria explicar e ainda que tentasse a loira não entenderia, não tinha saco para uma briga imbecil como aquela.

- Tudo bem, Ino, escolha seu vestido e a minha gravata, eu só coloco. – disse Sasuke apertando o osso do nariz.

- É por isso que eu te amo, querido. – ela desligou sem esperar alguma resposta dele, talvez ela já estivesse acostumada, Sasuke podia ser o pior dos cafajestes, mas nunca disse que amava alguém sem amar realmente, e como nunca tinha amado ninguém, esse seleto grupo de pessoas era formado apenas por sua mãe.

Ouviu batidas na porta e se virou quando ele entrou, ali estava seu atual amante, vestido em seu estilo casual e elegante, calças pretas ajustadas ao corpo, camisa preta e sapatos Mocassim caríssimos que Sasuke lhe deu, tendo como o único ponto de cor sua gravata borboleta laranja, sua cor predileta. Sasuke se lembrava muito bem do dia em que se conheceram, foi há um pouco mais de três anos depois de despedir seu secretário incompetente, Naruto Uzumaki apareceu com um currículo impar e a bunda mais bonita que o Uchiha já tinha visto, o contratou na mesma hora.

Por semanas o olhou de forma sugestiva enquanto ele desempenhava um bom papel na empresa, desejando-o enquanto trabalhava e algumas vezes podia sentir certa malícia reciproca em suas ações, mas nada que desse certeza ao Uchiha. Até que um dia, quando apenas os dois restavam na cobertura do prédio Uchiha ele veio até Sasuke dizendo que já ia embora e perguntou se o moreno queria alguma coisa, Sasuke disse que “sim, queria”, puxou-o para seu colo e atacou-lhe os lábios e quando não houve recusa notou que o desejo era reciproco, naquela noite foderam sobre a mesa do escritório.

O mais excitante sobre Naruto era que ele adorava aquela relação pecaminosa, ele adorava o jogo secreto e sobretudo adorava sexo e ele por si só já era o suficiente para Sasuke que deixou todos os outros amantes e manteve apenas Naruto por três prazerosos anos.

- Atrapalho, senhor Uchiha? – perguntou ele segurando alguns papeis.

- Não, no que posso ajudar, senhor Uzumaki? – perguntou colocando o celular no bolso, Naruto caminhou lentamente até ele de forma despojada, mas ameaçadora, Sasuke deu um meio sorriso divertido, Naruto transpirava sexo.

- Preciso que assine essas promissórias, já enviei os formulários que pediu, chefinho. – ele sorriu largamente, sabia que chamar Sasuke assim era colocar-se em perigo. Sasuke pegou as promissórias e deu a volta no corpo do loiro.

- Bom trabalho, senhor Uzumaki, sempre... – aproximou os lábios do ouvido dele –... competente.

Foi até sua cadeira confortável e se sentou, assinou cada uma das promissórias rapidamente e aposentou a caneta sobre a mesa escura e cheia de papeis.

- Tranque a porta, senhor Uzumaki. – Sasuke o olhou e viu quando ele mordeu o lábio de maneira provocante, andou até a grande porta de mogno e a trancou, virou-se lentamente pro Uchiha e deu um sorriso malicioso.

- Posso ajudá-lo em mais alguma coisa, senhor Uchiha? – perguntou voltando a se aproximar.

- Vem cá. – disse Sasuke em tom baixo, mas autoritário. O loiro deu a volta na mesa deslizando o dedo indicador sobre a madeira e parou ao lado de Sasuke que girou a cadeira pra ficar de frente pra ele – Você vai hoje?

- Como não iria, senhor Uchiha? – ela usou um tom falso, Sasuke simplesmente adorava quando ele fazia a cena de “secretária-vadia”, se excitava só com o tom que usava – Meu amado chefe me convidou pra festa de noivado dele, como um bom secretário tenho que ir. Até comprei uma roupa bem cara.

- Não precisava gastar seu dinheiro, senhor Uzumaki, tudo o que precisa eu posso te dar. – Sasuke se inclinou segurando as mãos do loiro e o puxando pra mais perto de si, Naruto entendeu e se sentou no colo de Sasuke deixando uma perna de cada lado.

- Ah, eu sei. – continuou com o tom fingido – Mas em alguns meses será um cara casado e tem que juntar suas posses pra lidar com os gastos da sua linda esposa, e se ela quiser um chapéu de pena de um ganso lá da Patagônia?

Sasuke riu nasalmente acariciando as coxas do loiro por cima da calça, sabia que ele achava Ino fútil e não podia descordar dele.

- Tenho dinheiro o suficiente pra comprar todos os gansos da Patagônia. – Sasuke soltou a gravata borboleta do pescoço do loiro, abriu os dois primeiros botões da camisa inclinando-se para beijar a pele revelada, adorava o cheiro de pinho que ele tinha.

- Eu sei, senhor Uchiha, mas eu quis comprar algo com o meu dinheiro. – ele empurrou o paletó azul-marinho de Sasuke que o ajudou a retirar a peça – Uma camisa vermelha.

Sasuke riu excitado, levou as mãos até a bunda do Uzumaki em seu colo e apertou com força arrancando um gemido abafado dele, um som muito doce aos ouvidos de Sasuke, Naruto sabia que vermelho era a cor preferida de Sasuke ainda mais quando ele usava. Depositava beijos sobre o pescoço do loiro, mordia a pele morena provando dela, subiu o rosto para a olhar do Uzumaki.

- Ouse aparecer lá de vermelho e juro que perco a cabeça, te fodo na frente de todo mundo. – ameaçou com voz grave sentindo o Uzumaki tremer, levou os dedos até os botões da camisa preta os soltando, abriu completamente a arrancando e jogando no chão, deixou as mãos acariciarem seu corpo perfeito.

- Seria um escândalo pro seu sogro, chefinho, afinal... ahn – ele gemeu quando Sasuke esfregou seu mamilo entre os dedos, era muito sensível ali – Seu sogro acha que tem um genro bonito, poderoso, rico e hétero.

- Seria difícil se eu fizesse isso, senhor Uzumaki, tem razão. – Sasuke mordeu o lábio inferior do secretário o puxando com força, Naruto gemeu de dor e isso excitou ainda mais Sasuke – Quebraria nossa primeira regra de sermos discreto e todos saberiam a puta que você é dando pro seu chefe noivo sem pudor nenhum...

Sasuke se inclinou lambendo um dos mamilos rosados do loiro que gemeu feito um gatinho manhoso, rebolou no colo de Sasuke o animando pelo atrito com as nádegas duras.

- Aahn chefinho, mas seria pior pra você. – Naruto puxou o rosto de Sasuke pra cima e aproximou seus lábios, roçou a boca sobre a de Sasuke instigando um beijo que negava – Seu papai saberia que o másculo filhinho dele adora foder caras, saberia que se obriga a transar com a loira antipática, mas que só consegue gozar mesmo quando me fode bem gostoso ou dá pra mim feito uma vadia.

- Safado. – Sasuke sorriu dando um selinho demorado no loiro, subiu a mão envolvendo o pescoço dele e colocando certa pressão, Naruto revirou os olhos de tesão, Sasuke conhecia todos os seus fetiches. – Tira o resto da roupa e fica de quatro em cima da mesa, empina bem esse rabo pra mim. Agora, senhor Uzumaki.

Naruto riu de forma safada e saiu do colo de Sasuke, pisou nos calcanhares para se livrar dos sapatos, abriu a calça social sem desviar o olhar do Uchiha, o moreno mais velho soltou a gravata que o apertada e abriu apenas os primeiros botões da blusa pelo calor que sentia, tudo piorou quando o Uzumaki se livrou da cueca cinza liberando sua ereção apetitosa já dura e pulsante.

- Gosta do que vê, senhor Uchiha? – o loiro segurou o próprio pau iniciando uma masturbação lenta, Sasuke salivou ao ver a cabeça molhada de pré-gozo.

- Acho que eu te dei uma ordem, Naruto. – soou frio e impaciente e pelo sorriso no rosto do Uzumaki ele tinha adorado, afastou os papeis na grande mesa de Sasuke e subiu em cima dela, abaixou-se empinando bem o quadril, Sasuke sentiu o pau latejar com aquela posição do loiro, sua entradinha bem exposta pela abertura das pernas era rosada e pulsante. Virou a cadeira ficando de frente para a bunda apetitosa de Naruto mordeu a nádega esquerda – Eu prefiro você assim, obediente e de quatro.

Separou mais as nádegas de Naruto e começou a chupar sua entrada, o loiro não se conteve e gemeu alto rebolando contra o rosto de Sasuke, o Uchiha penetrava a língua sabendo que isso o deixava louco, ia fodê-lo ali mesmo, mas antes precisava preparar o seu pequeno pecado.

- Assim, porra! – soltou ele enlouquecendo. Sasuke retirou a língua enfiando um dedo dentro do loiro que praticamente uivou.

- Cuidado senhor Uzumaki, alguém pode ouvi-lo. – manteve a voz baixa e ele riu.

- Não se preocupe, chefinho, já dispensei todo mundo dizendo que logo você já iria embora por causa da festa, só tem nós dois na cobertura. – disse ele em um tom manhoso, Sasuke riu nasalmente penetrando o segundo dedo assistindo enquanto o loiro apertava a borda da mesa, finalmente se levantou e teceu uma linha de beijos molhados pela linha da coluna do menor.

- Tsc, tsc, que feio senhor Uzumaki, já veio até minha sala com segundas intenções. – fingiu indignação enquanto movia os dedos dentro dele – O que eu faço com você, meu secretário safado?

- Me fode Sasuke, me fode com força! – ele praticamente implorou de tanto tesão, Sasuke riu tirando os dedos de dentro dele, abriu o cinto e a calça deixando que ela caísse até os joelhos, abaixou também a cueca preta soltando sua ereção pulsante ao ponto da dor – Sasuke!

- Calma, senhor Uzumaki, eu já vou dar o que você quer. – Sasuke posicionou o membro contra a entrada do loiro, forçou a entra sentindo a resistência dele se desfazer, Naruto gemeu alto fincando as unhas na madeira da mesa, Sasuke grunhiu ao se sentir esmagado pelo interior quente do loiro que era apertado como um virgem mesmo os dois transando com muita frequência, mal esperou que o loiro se acostumasse e começou seus movimentos, duro e fundo do jeito que os dois gostavam – Porra!

- S-Senhor Uchiha... – ele gemeu deliciosamente jogando a cabeça para trás, Sasuke fixou as mãos na cintura de Naruto o forçando sobre a mesa, metia com maior rapidez agora, mas sem perder a profundidade, Naruto gritou assim que teve a próstata espancada pelo moreno que soltava grunhidos de prazer – A-Ahn... mete assim!

- Você geme como uma putinha, Naruto! – soltou Sasuke estalando um tapa na bunda de Naruto que gemeu manhoso – Que rabo gostoso da porra!

Não importava com quantas mulheres transasse, era em Naruto que tinha prazer em se enterrar, Naruto o excitava e o satisfazia como nenhum outro homem ou mulher. Sasuke era bruto e Naruto adorava as coisas mais fortes, a mesa arrastava minimamente no chão pela força com a qual os corpos se chocavam, os testículos de Sasuke chocavam-se contra os de Naruto que já gemia sem pudor nenhum.

- Me fode porra! – soltou ele começando a tremer, Sasuke entendeu os recados de seu corpo e levou a mão até a ereção saltitante dele, começou a estimulá-lo no mesmo ritmo das estocadas violentas – Eu vou... vou gozar....

Sasuke apertou a ponta do membro de Naruto que choramingou, esse era um dos fetiches de Sasuke, sentir o corpo de Naruto implorar por alivio, continuou metendo fundo deliciando-se com o modo com que a cavidade se apertava em volta de seu pau.

- Por favor, chefinho... – ele implorava – Me deixa gozar!

- Mas é uma puta mesmo! – rosnou Sasuke soltando a cabeça do pau de Naruto – Goza, Naruto, goza gostoso pra mim!

Sentiu a porra quente de Naruto sujar sua mão e se permitiu explodir dentro dele, aquela gozada o relaxou violentamente, precisou soltar um gemido de alivio assim como o loiro, deixou seu interior se deleitando com a imagem de seu sêmen escorrendo da entrada dilatada do loiro, virou-o com cuidado fazendo-o se sentar na mesa, segurou-o pela nuca e o trouxe para um beijo de verdade.

- Só você pra me excitar assim. – disse findando um beijo com um selinho rápido.

- Eu amo quando pega pesado. – Naruto sorriu.

Não tinham tempo para carícias e nem faziam questão, vestiram-se rapidamente e enquanto Naruto terminava de abotoar sua camisa, Sasuke abriu a última gaveta de sua mesa pegando a caixa de lenços umedecidos, limpou a bagunça dos dois jogando os vestígios no lixo, arrumou seus papeis e deixou tudo na forma impecável que gostava. O Uzumaki deu o nó em sua gravata e sorriu para Sasuke.

- É melhor irmos, não é bom que chegue atrasado no seu próprio noivado. – provocou ele.

- Eu te vejo lá? – perguntou o moreno colocando o paletó e aprumando-se.

- Estarei lá na hora marcada. – ele deu uma piscadela e saiu

Sasuke sorriu sentindo o corpo relaxado e pronto para toda a palhaçada que estava por vir.

...

A noiva e a mãe de Sasuke estavam na área onde a festa aconteceria arrumando os últimos detalhes enquanto Sasuke fugia de tudo aquilo, já estava pronto com seu terno Armani e sua gravata lilás, isso mesmo, lilás. Sasuke odiava cores vívidas, odiava ter que vestir o que não queria, odiava festas e odiava aquela animação toda.

Refugiou-se no escritório da casa dos pais, serviu-se de uma dose de uísque puro e tomou toda em um gole, sabia que precisaria do álcool para levar aquela noite, detestava tudo aquilo, detestava ainda mais não estar acontecendo com alguém que realmente gostasse, alguém como Naruto.

Tentava pensar o mínimo possível em sentimentos, mas sempre que se permitia pensar, sua mente vagava até Naruto, era terrível, era a quebra da terceira e mais importante regra entre eles, mas não tinha controle sobre isso.

- Nossa, até parece um dia difícil. – Itachi adentrou o escritório, Sasuke olhou o irmão impecável como sempre em um terno preto com gravata vermelha, não o via há pelo menos dois anos, ambos sempre estavam correndo com as empresas – Não é essa a reação que esperamos de um noivo que vai se casar com a mulher que ama.

- Amo minha noiva tanto quanto ama sua esposa. – disparou Sasuke servindo uísque para o irmão e para si mesmo, Itachi riu alto e brindou com Sasuke – Acho que a pior parte é o desejo da mamãe de transformar tudo em um grande espetáculo.

- Ah, isso com certeza. – disse Itachi bebendo um gole de seu uísque – Espere até o casamento, isso sim será um acontecimento de parar o estado.

- Como andam as coisas com Konan? – Sasuke se sentou em um dos sofás pretos.

- Como você acha? – perguntou o mais velho rindo de forma triste – Cada vez mais decadente e frio, mas um casamento de aparência impecável. Se não fosse minha filha eu já teria me separado.

- E acha que Fugaku Uchiha aceitaria um Uchiha divorciado? – perguntou Sasuke e os dois riram.

- Com certeza, não. – admitiu o irmão – Parece que ele fica pior com a idade.

- Cada vez mais manipulador. – completou Sasuke bebendo todo o liquido de seu copo – Como a mamãe consegue suportá-lo?

- Ela gosta de dar festas. – explicou de maneira simplória e Sasuke riu nasalmente – Pelo menos meu acordo com Konan é satisfatório, pode tentar um com Ino.

- Ino nunca aceitaria um caso, mesmo ela podendo ter um também. – lamentou Sasuke colocando o copo sobre a mesinha de vidro – Você tem mais sorte que eu.

- Uma esposa que me despreza e transa com o motorista não é sorte, Sasuke. – corrigiu o mais velho – Sorte é ter uma noiva super gostosa que pode amar você.

“Ah, Itachi, se soubesse o que agrada...”, pensou Sasuke rindo de si mesmo.

- Ela vai me amar em grande quantidade, eu diria trinta e três bilhões de tamanho. – ironizou Sasuke e os dois riram.

A porta do escritório se abriu e Fugaku passou, os dois mais novos se levantaram como se o pai fosse o general e os dois os soldados rasos.

- Os convidados estão chegando, o lugar já está quase cheio. – disse ele com o mesmo tom frio de sempre – Talvez devesse descer, Sasuke.

E com isso ele quis dizer “Desça agora, Sasuke!”. O moreno assentiu e deixou o escritório a passos lentos, não estava com pressa para se juntar a todos aqueles abutres da alta sociedade de Manhattan.

A mansão Uchiha era imensa e dona Mikoto esvaziou os quatro maiores cômodos para dar a grandiosa festa, um exagero na opinião de Sasuke, mas o moreno não teve voz nenhuma depois que Ino disse “sim”. Sorriu de maneira falsa para os convidados que tinham chegado, eram muitas pessoas em apenas alguns minutos de festa.

- Sasuke! – saudou Inoichi Yamanaka, seu futuro sogro e melhor amigo de Fugaku, um homem de quem Sasuke particularmente não gostava, mas adora fingir que sim – O homem da noite.

- O homem de sorte da noite. – corrigiu Sasuke apertando-lhe a mão – Como vai, Inoichi?

- Tão feliz quanto qualquer pai no noivado da filha. – ele brincou e Sasuke se obrigou a rir.

- Falando de mim? – Ino se aproximou colocando a mão no braço de Sasuke, a loira estava linda com aquele vestido de gala lilás cheio de pedrarias chiques, Sasuke precisava admitir que qualquer homem naquela festa desejaria ter Ino ao lado, qualquer homem menos ele que há poucas horas estava fodendo secretário em cima da mesa – Papai!

- Minha princesa, você tá linda! – disse o loiro abraçando a filha, logo ela se desvencilhou do pai e grudou em Sasuke como ele não conseguia gostar.

- Você também tá lindo, meu amor. – ela selou os lábios de Sasuke que apenas sorriu levemente pra ela.

Com as horas passando o inferno se tornou ainda maior, muitas pessoas rindo e conversando, e Sasuke tinha que dar atenção a todas elas, abraçado em Ino fingindo estar apaixonado, mas sem ser muito meloso ele representava o papel perfeito, e quase podia sentir a alegria de Fugaku. Tudo estava indo bem até que o viu.

Naruto estava ao canto de uma das alas, a provocação já era perceptível na camisa vermelho-sangue que usava sob um blazer preto que parecia caro, usava calças pretas e sapatos de couro italiano, os cabelos dourados estavam menores, devia ter encontrado tempo para ir ao cabelereiro, estava mais bonito desse jeito. Ele segurava uma taça de champanhe e ao lado de Gaara – um dos executivos que trabalhavam para Sasuke – Kimimaro, - diretor de entregas e receptação – e outro cara. Era alto e tinha uma postura rígida, usava um terno grafite de grife que lhe caiu muito bem, tinha longos cabelos castanhos e lindos olhos perolados, Sasuke nunca o tinha visto antes.

Fixou o olhar na cena sem entender até que o perolado colocou a mão na cintura de Naruto e sussurrou algo em seu ouvido que foi capaz de fazer o loiro rir alto, Sasuke se sentiu incomodado mesmo sem entender o motivo, a maneira com a qual o Uzumaki ria para o desconhecido era íntima demais e algo nisso irritava o Uchiha. Quando os funcionários de Sasuke se afastaram os dois se distraíram em uma conversa pessoal enquanto bebiam o conteúdo das taças, falavam baixo e por isso sussurravam no ouvido um do outro, Naruto se afastou um pouco e sorriu pervertido, um sorriso lindo e carregado de malícia, um sorriso que ele dava para Sasuke.

Sasuke esperou que Naruto terminasse sua taça e que o perolado se afastasse, para dar uma volta em Ino e se aproximar de seu amante, assim que o viu se aproximar Naruto sorriu de maneira neutra, mas Sasuke sabia que era muito sugestivo.

- Gravata lilás, é sério? – desdenhou ele.

- Quem é esse cara? – soltou em tom frio e o loiro arqueou uma sobrancelha dourada.

- Meu namorado, Neji Hyuuga. – disse como se não fosse nada. Ele já tinha falado do Hyuuga para Sasuke, mas o Uchiha lembrava bem de ter vetado aquela possibilidade.

- E desde quando ele é seu namorado, Naruto? – estava de extremo mau-humor e piorou quando o loiro riu.

- E isso te interessa, Sasuke? – perguntou ele – Segunda regra: nada de ciúme. Se esqueceu?

- Isso vale pra você também, afinal está na cara que só trouxe esse cara pra cá porque estou ficando noivo hoje. – Sasuke enfiou as mãos nos bolsos, Naruto riu mais uma vez, mas agora de indignação.

- Eu fui chamado pra uma festa e como qualquer pessoa normal trouxe meu namorado. – ele usou o tom falso que sempre usava quando queria provocar o Uchiha – Inclusive, onde é o banheiro? Você sabe, caso eu queira dar uma rapidinha com ele.

“Ah, seu desgraçado!”, praguejou Sasuke tentando ficar calmo.

- Eu não estou nem ai pra com quem você fode, senhor Uzumaki, mas não quero seus machos na minha casa. – o tom que usou era ameaçador, mas o loiro não se abalou.

- Tecnicamente é a casa dos seus pais. – zombou ele.

- Naruto... – avisou Sasuke.

- Naru! – Ino surgiu do nada impedindo a bronca de Sasuke, a loira abraçou Naruto com força que retribuiu o abraço, como ele era falso! – Que bom que você veio!

- É claro que eu viria, senhorita Yamanaka. – ele sorriu da forma mais sínica que podia – Ah, tá linda nesse vestido.

- É claro que eu tô. – Ino riu – É um Prada!

Naruto fingiu achar graça, mas Sasuke sabia muito bem que não tinha achado, foi quando o perolado voltou e Sasuke pôde olhá-lo de perto, não era bem o maior deus grego que existia, um nível baixo para Naruto.

- Aqui, amor. – ele estendeu a taça pra Naruto, Sasuke quis revirar os olhos com o apelido carinhoso.

- Deixa eu apresentar pra vocês, esse é o Neji, meu namorado. – Naruto sorriu. “Filho da puta”, pensou Sasuke ardendo de raiva com aquele joguinho. – Neji, esse é meu chefe Sasuke Uchiha e sua linda noiva, Ino.

- É um prazer, senhor Uchiha. – Neji estendeu a mão para Sasuke.

- Hn. – Sasuke manteve as mãos nos bolsos, não apertaria a mão daquele cara nem fodendo. Ino não percebeu nada e simplesmente colocou a mão na mão do Hyuuga que para disfarçar o constrangimento beijou-lhe os dedos.

Regra número 1: Discrição.

O clima tenso naquela roda era quase palpável, Sasuke tinha rasurado a primeira das suas regras e não se importava, não ia ser cordial com aquele cara.

- Escolheu bem, Naru! – ela elogiou alheia a tudo. “Deus, essa mulher é burra assim mesmo ou tá se fazendo?”, Sasuke revirou os olhos.

- O senhor Uchiha também é um homem de sorte. – disse Neji cordial e Sasuke quis soca-lo.

- Vamos, Ino, temos fotos pra tirar. – disse Sasuke a puxando para longe. Ah, mas aquele loiro o pagava.

Enquanto posava para as fotos sempre que podia olhava para Naruto, o loiro também olhava para ele com um olhar debochado de divertimento e isso estava irritando o Uchiha, era pior quando ele simplesmente beijava Neji sabendo que Sasuke veria. Quando tinha ficado tão infantil?

...

Sasuke terminou sua sessão de fotos e pôde aproveitar a festa, mas assim que a noiva o deixou sozinho ele saiu de lá. Subiu as escadas sem que ninguém o visse e foi para um dos inúmeros quartos que existiam naquela mansão, o quarto que era seu durante a adolescência. Mikoto manteve muito dos elementos originais e tinha mudado alguns outros, era uma decoração brega e minimalista de um adolescente gay encubado, mas Sasuke tinha boas lembranças ali. Pegou o celular no bolso.

PARA: Naruto

Suba as escadas sem ser visto, segundo andar, corredor à esquerda, quinta porta à direita. Seja rápido, minha paciência com você está se esgotando.

Guardou o celular e esperou pelo loiro, Naruto só podia estar brincando com ele pois demorou mais que o necessário pra subir, quando a porta se abriu e o loiro passou, Sasuke bufou impaciente e quis esganá-lo quando ele riu baixinho. O Uzumaki fechou a porta e encostou as costas nela a trancando.

- Quer falar comigo, senhor Uchiha? – perguntou de maneira sínica.

- O que tá pensando se exibindo pra mim daquele jeito com aquele idiota? – perguntou Sasuke em tom seco – Se quer me dar o troco pelo noivado, está sendo ridículo.

- Não há troco para ser dado. – Naruto se aproximou de maneira despojada, Sasuke continuou encostado na escrivaninha enquanto o olhava – Se quer saber, você é bem melhor na cama que ele.

Sasuke sentiu o ego inflamar, mas preferiu não demonstrar nada, o loiro aproximou os lábios dos lábios de Sasuke.

- Você não vale nada. – disse Sasuke levando a mão até o belo rosto dele, o acariciou descendo a palma e envolvendo o pescoço dele o fazendo sorrir – Está sendo um menino muito mau.

- Não fala assim. – disse Naruto manhoso, inclinou-se beijando o queixo de Sasuke e voltando a roçar os lábios nos dele – Sabia que eu só fodo você? O Neji nunca provou do meu lado ativo, só em você eu meto gostoso e isso é bem mais do que você pode me oferecer, uma pontada de fidelidade.

Sasuke apertou um pouco mais o pescoço do Uzumaki o fazendo rir, soltou-o levando as mãos até o cinto, abriu-o retirando de seu corpo, Naruto sorriu perverso pois ele sabia muito bem o que iria acontecer e estava ansioso por isso.

- Se apoia na escrivaninha. – mandou Sasuke desencostando da mesma e se afastando um pouco do loiro, Naruto tirou o blazer e abriu a calça, abaixou a calça de alfaiataria e se encostou na escrivaninha cinza empinando-se de maneira quase obscena pra Sasuke que dobrou o cinto de couro o segurando pelas extremidades, formando assim um arco perfeito. Quando levantou o olhar encontrando Naruto com uma cueca vermelha quis esquecer aquela punição e simplesmente fodê-lo, mas controlou-se – A cueca também, senhor Uzumaki.

Naruto abaixo a cueca jazendo nu e bem exposto para Sasuke, o Uchiha maneou o braço acertando o cinto com força sobre a nádega bronzeada, Naruto grunhiu de dor, mas logo gemeu empinando-se mais, Sasuke sentiu o corpo responder, ele era um safado mesmo.

- Eu não quero esse cara no mesmo lugar que eu novamente, ouviu senhor Uzumaki? – perguntou acertando outro golpe fazendo Naruto gemer mais alto e apertar a lateral do móvel.

- Cuidado, Sasuke, posso pensar que tá com ciúme. – Naruto o olhou sobre o ombro da maneira mais erótica que pôde.

Regra número 2: Nada de ciúme.

Sasuke estava com raiva, sentiu-se mal e incomodado ao conhecer Neji, sua carne tremeu sob a pele ao vê-lo beijando Naruto, e talvez isso caracterizasse ciúme. Em uma única noite Sasuke tinha quebrado duas regras, regras que não quebrou por toda a sua vida. Não respondeu, apenas acertou outra cintada na bunda de Naruto que gemeu manhoso, jogou o cinto no chão e andou até ele.

Virou-o para si e o subiu sobre a escrivaninha, ele gemeu pelos vergões que Sasuke tinha deixado em sua pele, mas sorriu quando Sasuke segurou seu queixo e o obrigou a fixar os olhos nele.

- Eu não precisaria ter ciúme mesmo se conseguisse sentir isso. – disse Sasuke em tom forte e seco – Você não gosta dele, eu aposto que ele nem pode te fazer gozar, não como eu. Por acaso ele sabe a puta submissa e masoquista que você é?

- Não. – Naruto mordeu o lábio inferior de Sasuke, o Uchiha levou a mão até sua latente ereção exposta e pressionou levemente – Ele acha que eu sou um bom moço que gosta de sexo, mas ainda tem vergonha. Eu só perco a vergonha com você.

- Você é mesmo muito safado, olha como tá duro depois de ter apanhado... – Sasuke mordeu a boca do loiro de volta intensificando a punheta, envolveram-se em um beijo cheio de luxúria.

- Adoro te irritar, senhor Uchiha, adoro principalmente quando me pune tão... deliciosamente. – ele praticamente gemeu nos lábios de Sasuke. O moreno mais velho riu, aquele garoto de 25 anos era a perdição em pessoa, sem dizer mais nada apenas se ajoelhou e tomou todo o membro de Naruto na boca, o Uzumaki gemeu de forma manhosa e pousou as mãos no cabelo de Sasuke.

O sabor do pré-gozo indicava sua excitação, estava duro e quente na boca de Sasuke e isso o excitava, engolia completamente o membro pulsante, sentia-o tocando sua garganta, sentia os puxões de cabelo e sabia que ele estava gostando, por mais masoquista que fosse, seu querido secretário preferia um boquete lento e intenso, pois era ansioso e isso o torturava deliciosamente.

- Porra, Sasuke... Que boca maravilhosa... – gemeu baixinho puxando ainda mais o cabelo de Sasuke. Subiu a boca trabalhando apenas na cabeça, lambendo e chupando forte a glande úmida, gostava de ouvi-lo gemer e implorar por mais. Começou a acelerar quando o corpo dele passou a tremer e Naruto começou a choramingar, já movia a pelves de encontro a boca de Sasuke fodendo intensamente e enlouquecendo. Foi quando Sasuke sentiu os jatos quente preencherem sua boca e continuou chupando, o gosto era forte e marcante, era espeço e quente, o Uchiha adorava aquele sabor.

Sorriu vitorioso levantando-se e passando a língua pelos lábios, Naruto tinha um expressão pervertida, riu o puxando para o meio de suas pernas, as duas mãos pousaram sobre a bunda de Sasuke.

- Que safado, senhor Uchiha, me chupando com a boca que beijou sua noiva a noite inteira. – provocou ele abrindo a calça de Sasuke com certa afobação. Sasuke responderia, mas foi interrompido pelo som de seu celular, Naruto bufou pegando o aparelho no bolso de Sasuke e revirando os olhos ao ler o nome de Ino – Falando no diabo. Parece que nosso recreio acabou.

Sasuke bloqueou o celular sem atender, afastou-se enfiando o celular no bolso, procurou por seu cinto e começou a colocá-lo. Naruto arrumou a roupa alinhando-se bem, quando foi sair do quarto Sasuke o puxou e beijou sua boca com desejo como se quisesse dizer que não queria ir.

Naruto foi o primeiro a voltar, Sasuke esperou mais um tempo e desceu, Ino pareceu aliviada ao vê-lo e ele deu uma desculpa qualquer sobre o trabalho, ela voltou a arrastá-lo pelos convidados, era irritante o jeito como exibia Sasuke como um troféu para as amigas modelos que não tinham vergonha de se insinuarem pro Uchiha na frente de Ino.

Depois de algumas horas Naruto se aproximou dos dois, aquele perolado idiota o abraçava pela cintura e Sasuke já fechou a cara só de olhar pros dois unidos. A ideia de sentir ciúme era estranha e dolorosa, as regras que tinha estabelecido desde o começo de sua vida sexual eram o que o mantinha firme e de pé.

- Senhorita Yamanaka, a festa tá muito linda realmente, mas precisamos ir. – disse Neji com um sorriso imbecil no rosto.

- O Neji viaja amanhã bem cedo, então é melhor irmos. – completou Naruto olhando para Sasuke rapidamente.

- Mas eu fico muito feliz que tenha vindo Naru, você é muito engraçado! – Ino riu alto, um exagero da parte dela – Vamos combinar de sair, eu tenho certeza que seu chefe não vai ligar.

- Eu adoraria. – mentiu o loiro de forma convincente – Até segunda, Senhor Uchiha.

- Espero que chegue cedo, senhor Uzumaki, temos problemas com a Coréia pra resolver. – disse Sasuke em um tom frio.

- Estarei no meu posto quando chegar, senhor Uchiha. – ele deu um sorriso fraco.

- Sasuke. – Neji cumprimentou e Sasuke apenas assentiu.

...

Quando a festa acabou, Sasuke de despediu dos pais e do irmão, entrou em seu carro junto com Ino e ordenou ao motorista que seguisse para a cada da loira, assim que o carro parou Ino se aconchegou ainda mais no corpo de Sasuke que se sentia mal com o toque, ela tinha bebido champanhe demais e estava ainda mais grudenta.

- Podia entrar... – ela beijou seu pescoço e Sasuke se segurou para não vomitar – Ficamos noivos hoje, devíamos comemorar... hm...

Sasuke sabia que teria de transar com ela, mas não naquela noite.

- Sinto muito, Ino, estou cansado. – desculpou-se – O trabalho e a festa acabaram comigo, e também você tem fotos amanhã, precisa estar descansada e ainda mais bonita.

- Então passa a tarde comigo amanhã, você não trabalha no sábado e a sessão acaba ao meio dia. – sugeriu ela – Me leva pra almoçar.

- É claro. – Sasuke se obrigou a sorrir – Boa noite.

- Boa noite, meu bem. – Ino o beijou e desceu do carro.

Sasuke pediu pro motorista arrancar o mais rápido possível, permitiu-se respirar longe do perfume irritante, soltou a ridícula gravata lilás e a jogou pela janela do carro em movimento, mesmo sendo uma peça da Gucci, queria-a o mais longe possível.

Tinha se mudado para a Park Avenue há nove anos, simplesmente não tinha saco pra morar com os pais e comprou um dos apartamentos mais caros de três andares incluindo a cobertura, dispensou o motorista e ignorou o porteiro, não estava nem um pouco bem-humorado e pensar em Naruto não ajudava.

Considerou ligar pra ele e solicitar autoritariamente sua presença, mas provavelmente ele devia estar fodendo com Neji e Sasuke não tinha a mínima vontade de ser rejeitado em prol daquele esquisito, então resolveu apenas tomar um banho e dormir.

Passou pela sala com uma ampla vista que já não lhe encantava mais já retirando o paletó preto e o jogando sobre o sofá largo, deixou os sapatos lá também assim como as meias, abriu a camisa avançando pelo corredor, adorava sentir o piso de madeira sob os pés, era o pequeno prazer de cada dia.

Ao adentrar seu quarto quase caiu pra trás, Naruto estava lá, completamente à vontade sobre a cama ampla de Sasuke, aparentemente nu apenas com uma parte do lençol cinza cobrindo sua pelves e deixando uma das pernas de fora, Sasuke parou na porta e cruzou os braços.

- Você é maluco? E se eu estivesse com a Ino? É o dia do meu noivado, sabia? Eu podia querer fodê-la nessa cama. – tentou soar irritado, mas soou apenas frio e Naruto sorriu. Porra ele estava tão lindo! A luz que entrava pelo vidro da janela que tinha as cortinas afastadas era prateada pela lua, fazia a pele bronzeada de Naruto brilhar e o deixava ainda mais sexy.

- Eu sei muito bem que não gosta de trazer aquela praga falante aqui e sei também que você não ‘quer’ foder com ela. – ele deu um sorriso perverso – Nós dois sabemos quem você quer nessa cama, Sa-su-ke.

O pau de Sasuke pulsou e ele deu um meio sorriso, aproximou-se lentamente parando na frente da cama, retirou a camisa branca a jogando no chão e sentiu o olhar do loiro queimar sobre seu corpo.

- E onde está seu namorado simpático, senhor Uzumaki? – quis saber em tom penetrante – Achei que fosse se despedir dele antes da viagem.

- Infelizmente eu tive uma dor de cabeça e precisei ir pra casa sozinho. – soou irônico, Sasuke subiu na cama começando a engatinhar sobre o corpo do Uzumaki, beijou a coxa exposta dando uma mordida forte que fez o loiro gemer, adorava marca-lo, rodeou o umbigo com a língua e subiu beijando mais aquele corpo que tanto desejava, Naruto o puxou para um beijo finalmente, sem pudor nenhum Sasuke enfiou a língua na boca do loiro que gemeu em aprovação, quebrou o beijo pra sorrir maliciosamente – Eu queria comer alguma coisa, mas o Neji não serve.

Naruto tombou Sasuke para o lado e subiu em cima dele sem se incomodar com a nudez, mergulhou em um beijo mais profundo ainda deixando as mãos percorrerem o corpo de Sasuke, seu toque era sempre quente e estava ainda mais intenso, atacou o pescoço de Sasuke trabalhando por lá, era cuidadoso para não deixar marcas onde era visível, mas largou esse cuidado quando alcançou o peitoral do Uchiha, chupava e mordia a pele pálida esquentando ainda mais Sasuke que gemeu ao ter um mamilo sugado pelos lábios quentes de Naruto.

- Oh, Naruto... – gemeu baixinho apoiando-se nos cotovelos para olhá-lo, o loiro trocou de mamilo sem parar de estimular o outro, sua mão livre desceu até o meio das pernas de Sasuke, pressionou sua ereção que pulsava sob a calça, o moreno gemeu ainda mais. Naruto voltou aos lábios de Sasuke explorando cada canto de sua boca, alcançou a orelha do mais velho mordendo e lambendo o lugar.

- Dá pra mim, Sasuke... – sussurro com a deliciosa voz rouca que fez o Uchiha tremer – Deixa eu te comer gostoso e te relaxar bem... Deixa...

- Deixo. – respondeu ele de forma safada – Me foda, senhor Uzumaki e é bom fazer direito.

Ele não conseguia deixar de ser mandão nem naquela hora e Naruto pareceu adorar isso, mordeu o lábio de forma sensual e se ajoelhou entre as pernas de Sasuke, abriu a calça social a arrancando com pressa e fez o mesmo com a cueca boxer preta, arfou excitado enquanto olhava o Uchiha nu.

Puxou-a para seu colo e se sentou, Sasuke não se importou com a truculência e o beijou mais uma vez, Naruto era mais que seu amante casual, era seu vício predileto, era seu vício mais doce. Quebrou o beijo quando o Uzumaki juntou as duas ereções começando uma masturbação dupla, lenta e prazerosa, Sasuke choramingou com a onda forte de prazer, era maior que Naruto, mas o loiro por sua vez era mais grosso e causava em Sasuke sensações indescritíveis. Sentiu quando Naruto colocou dois dedos em sua boca.

- Chupa. – ordenou e Sasuke sentiu um toque de dor em seu ego, mas não se importou, a excitação o dominava àquela altura, chupou os dedos de Naruto como se fossem seu pau, não quebrou o contato visual pois via os olhos safados do Uzumaki arderem de excitação, tratou de molhar bem os dedos com sua saliva até que ele decidiu que era o suficiente e levou a mão até a bunda de Sasuke, massageou sua entrada arrancando gemidos excitados do moreno e o levou ao delírio quando penetrou os dois de uma vez – Tão apertadinho, senhor Uchiha, até parece que nunca deu essa bunda gostosa.

- Talvez... eu seja virgem. – brincou Sasuke e Naruto riu voltando a beijá-lo, forçava cada vez mais dos dedos dentro do mais velho dilatando-o e lhe dando prazer, gemia alto até que o Uzumaki parou de masturba-lo – Não para!

- Eu só quero gozar dentro de você, agora deita e abre bem as pernas. – disse o loiro e Sasuke obedeceu mesmo sem querer ser um submisso, sob toda aquela excitação Sasuke não se importava em estar totalmente exposto a Naruto, só queria ser dele. O loiro esticou-se alcançando o criado mudo, pegou o tubo de lubrificante na primeira gaveta e sorriu ao despejar o liquido azulado nas pontas dos dedos, tratou de leva-los à entradinha de Sasuke penetrando dois dedos melados e brincando dentro do moreno que de contorcia gemendo de forma manhosa.

- Naruto, vem logo! – pediu o moreno enlouquecendo.

- Calma, chefinho... – ele soou malicioso retirando os dedos de dentro de Sasuke, espalhou mais lubrificando em seu mastro erguido e voltou a se deitar sobre o mais velho – Eu já vou te dar tudinho...

Começou a forçar sua entrada no corpo de Sasuke lentamente, cuidadoso e atencioso, era sempre assim quando Sasuke se submetia a ser o passivo. Eram diferentes nessa hora, Sasuke gostava que o inicio da transa fosse calmo, já Naruto gostava de ser possuído com força e brutalidade, mas dos dois modos os dois faziam valer a pena.

Doía, mas era uma dor gostosa e que remetia ao prazer quase imediato para Sasuke, ter o loiro dentro de si o fazia se sentir errado e deliciosamente excitado, abriu ainda mais as pernas perdendo toda a postura e o pudor que ainda possuía e Naruto entendeu isso como um sinal verde, enterrou-se completamente dentro do Uchiha.

Sasuke gritou de dor e prazer, com Naruto tinha aprendido que os dois eram a mesma coisa na maioria das vezes, agarrou os ombros do Uzumaki o puxando pra perto quando ele começou a se mover, saia até a metade e voltava, bombeava três ou quatro vezes e saia, provocando uma dor deliciosa ao voltar a penetrar o corpo de Sasuke.

- Caralho, Sasuke, você é tão gostoso! – soltou antes de tomar os lábios do moreno em um beijo necessitado, era forte e intenso, mas não bruto, Sasuke se sentia diferente daquela vez, sentia-se mais vulnerável que o normal, sentia-se desprotegido ao pior dos terrores: O sentimento.

Os gemidos roucos do loiro eram viciantes, as palavras sujas que dizia apenas acendia o fogo de Sasuke que arranhava as costas do outro. Desceu as mãos até a bunda do loiro e a apertou trazendo seu corpo pra ainda mais perto, sentiu dor, ele estava fundo demais, mas logo a onda violenta de prazer tomou os dois que gemiam juntos.

- Porra, assim! Mais Naruto! – praticamente implorou. Já tinha sido o passivo algumas vezes, muitas vezes pra falar a verdade, mas não queria nada como naquelas vezes, queria forte, queria duro, queria se sentir como Naruto se sentia quando estava em seu lugar.

O loiro pareceu entender e intensificou as estocadas, a próstata de Sasuke era espancada e isso lhe causava delírios de prazer e intensidade, gritou ao ter seu ponto mágico golpeado de novo e o sádico dentro de si riu.

- Aqui, Sasuke? Encontrei seu botãozinho magico, hein? – perguntou já ofegante, mas sem perder a cadência, o secretário de Sasuke era um demônio sexual assumido, escondeu o rosto na curva do pescoço de Sasuke gemendo de maneira rouca – Eu devia te foder gostoso mais vezes, você geme feito uma vadia, não tem moral nenhuma pra falar de mim.

- Vai se foder, Naruto! – rosnou Sasuke ainda se lembrando se seu orgulho.

- Eu vou foder você! – corrigiu o loiro se sentando em um movimento brusco e trazendo o mais velho pro seu colo, Sasuke soltou uma lufada de ar ao sentar-se completamente no pau pulsante do loiro – Agora rebola gostoso, vai!

E ele rebolou perdendo o resto de dignidade Uchiha que tinha, o pai teria um infarto se o visse sentando em Naruto como a pior das vadias e de repente Sasuke notou que pensar em tal coisa o excitava ainda mais, estava se comportando feito Naruto, feito uma puta assim como o loiro quando era fodido e não se importava, só queria sentir mais daquilo, queria dispensar a tensão acumulada no baixo ventre, queria gozar como se não houvesse amanhã.

- Deus! – soltou usando os joelhos pra subir e descer no membro do loiro, Naruto grunhiu de prazer fincando as unhas na bunda de Sasuke e os dentes em volta de seu mamilo.

- Onde tá toda aquela sua marra agora, chefinho? – provocou Naruto subindo uma mão para agarrar os cabelos de Sasuke e puxar sua cabeça para trás – O que tem a dizer agora que está agindo feito uma puta?

“Que sou seu”, Sasuke pensou, mas não falou, não falou porque não podia e não queria estragar aquele momento de prazer intenso com seus sentimentos há muito reprimidos e que gritavam dentro dele.

Mais uma regra perdida, a mais importante delas foi quebrada por um Sasuke excitado e promiscuo, bem diferente do Uchiha dominador e sério que comandava todo um império, aquele que fazia tudo o que o pai queria e que fodia secretários escondido, um Sasuke livre dos preconceitos que enfrentava de si próprio, um homem gay e irremediavelmente apaixonado.

Regra número 3: Nunca, definitivamente, nunca se apaixonar!

Ele sentiu os olhos queimarem de puro prazer, sentia o corpo próximo de um dos orgasmos mais violentos da vida e o coração próximo do rompante mais doloroso para seu orgulho, intensificou os movimentos sentindo a porra quente explodir dentro de si lhe levando ao ápice de um êxtase sexual, gozou tão forte que o lato atingiu o queixo de Naruto que pareceu maravilhado com aquilo.

Desmontou-o caindo destruído na cama, os dois estavam cansado, tinha sido intenso e cansativo, Sasuke estava pleno embora seu peito gritasse, Naruto colou o corpo suado no do maior e sorriu olhando em seus olhos.

- Nossa, Sasuke, você tá simplesmente delicioso hoje. – roubou-lhe um beijo – Eu vou tomar um banho, tenta me esperar acordado, eu também quero me divertir.

Levantou-se sem se importar com o corpo exposto e andou até o banheiro de Sasuke onde entrou, poucos instantes depois o chuveiro barulhento foi ligado e Sasuke respirou fundo, o cheiro do sexo dos dois estava impregnado no quarto, era delicioso estar naquela atmosfera. Resolveu mudar um pouco as coisas, levantou-se e caminhou até o banheiro mesmo estando parcialmente dolorido.

Naruto só percebeu sua presença quando o moreno fechou a porta do espaçoso box de vidro, o olhou sem entender e até mesmo confuso.

- O que tá fazendo? – perguntou o loiro.

- Tomando banho. – disse Sasuke como se fosse obvio.

- Você nunca toma banho comigo. – disse ainda estranhando.

- Eu não posso? – Sasuke entrou debaixo da água deixando que ela relaxasse seu corpo.

- O banheiro é seu. – ele enfim sorriu meio sem jeito e voltou a se lavar, começaram a se tocar de modo casual até que começaram a ajudar um ao outro a se lavar, trocavam sorrisos e era perceptível que tal comportamento do moreno era estranho aos olhos de Naruto.

Sasuke beijou a testa do loiro como nunca tinha festo antes, o loiro recebeu como quem recebe um tapa, enrijeceu-se, mas calou-se e continuou seu banho, de repente Sasuke sentiu uma imensa necessidade de beijá-lo, virou-o para si o puxando para um beijo diferente de todos aqueles que já tinham dado, calmo, delicado e íntimo, como se fossem amados e não amantes, Naruto correspondeu ao beijo deixando claro sua confusão, mas Sasuke não se impostou, abraçou-lhe a cintura trazendo-o mais pra perto, foi quando o mais novo parou o beijo.

- Para. – sussurrou e Sasuke abriu os olhos, ele estava corado como nunca ficava e continuava com a expressão confusa – O que tá fazendo?

- Te beijando. – respondeu o moreno.

- Tá diferente, calmo e... carinhoso. – ele disse como se fosse errado – Que porra tá acontecendo, Sasuke?

Sasuke mordeu o lábio decidindo que escutaria seu coração uma vez na vida.

- Alguma vez já pensou em como seria se não precisássemos nos esconder? – perguntou em tom baixo – Se eu fosse livre, acha que poderia se apaixonar por mim?

Naruto colocou as mãos no peito do maior e o afastou de si, Sasuke tentou entender a expressão chocada do Uzumaki.

- Por que tá pensando nessas coisas idiotas, Sasuke? – ele parecia tremer – Você tem regras!

- Desculpa. – soou grave, mas baixo – Acho que eu as quebrei.

Naruto simplesmente saiu andando deixando o box, Sasuke desligou a água e pegou uma toalha qualquer pra se cobrir, o loiro voltou pro quarto começando a colocar as roupas espalhadas rapidamente.

- Vai falar comigo? – perguntou o Uchiha enrolando a toalha na cintura.

- Você bebeu demais na festa, é isso. – ele falou mais para si que para Sasuke.

- Eu digo que posso estar apaixonado por você e você me acusa de estar bêbado? – Sasuke se indignou, Naruto soltou o ar em tom de deboche ao fechar as calças, começou a colocar os sapatos – Naruto!

- Por que mais diria uma coisa dessas? – ele evitava olhar para Sasuke.

- Porque eu tô apaixonado! – Sasuke gritou.

- Vai se foder, Sasuke! – o loiro soltou procurando por sua camisa vermelha e a encontrando ao lado da cama.

- Naruto? Tá me ouvindo? Eu disse que amo você! – repetiu.

- Cala a boca! – Naruto o olhou finalmente.

- Eu não vou calar até você entender que não to mentindo! – Sasuke colocou as mãos na cintura.

- Pensa nas regras, caralho! – Naruto fechava os botões da camisa.

- Pro inferno com as regras, eu amo você! – afirmou Sasuke, Naruto avançou contra ele o empurrando, Sasuke precisou das dois passos pra trás.

- CALA A BOCA PORRA! – berrou o loiro parecendo chorar.

- Não calo não! – disse o Uchiha em tom forte – Não até você admitir também.

- Você estragou tudo, seu filho da puta! – Naruto saiu do quarto sem olhar pra trás e Sasuke sentiu o coração doer.

- Naruto, volta aqui! – berrou, mas as esperanças de uma volta findaram quando ouviu a porta principal bater.

...

Naruto desapareceu, não respondia as mensagens ou atendia o telefone, passou o final de semana completamente desconectado e isso não agradou Sasuke. Chegou mais tarde na segunda pois fora dormir tarde na noite anterior, pensou o caminho inteiro no que falaria para o loiro quando o encontrasse no escritório.

Assim que o elevador se abriu ele deu de cara com Shion que era a secretária de Gaara, ela se levantou da mesa que pertencia a Naruto e sorriu.

- Bom dia, senhor Uchiha. – ela sorriu.

- O que tá fazendo aqui? – perguntou se aproximando.

- O RH me mandou pra cá pra ajuda-lo enquanto encontram outro secretário pro senhor. – informou ela.

- Que história é essa? Cadê o Naruto? – perguntou sem entender.

- Não sabe? – ela pareceu confusa – Naruto pediu demissão hoje cedo, ele até já tirou as coisas dele daqui.

- Ah não! – Sasuke voltou pro elevador ardendo em fúria.

Tinha dado dois dias para que aquele idiota se acalmasse, não ia aceitar uma atitude infantil como aquela! Se ele não amava Sasuke era só dizer, o Uchiha não era nenhum garotinho, sabia lidar quando alguém não o queria embora isso fosse algo muito raro.

Deu o endereço do apartamento de Naruto para o motorista e foram para lá, era uma lugar mediano, já tinha se oferecido pra comprar um flete para Naruto, mas ele recusara, preferia morar naquele apartamento minúsculo com seis cômodos e apenas dois quartos, quartos onde já tinha transado com Sasuke. Subiu as escadas pois o lugar não tinha elevador, era o terceiro andar, a porta do meio.

Tocou a campainha impaciente, não ouviu barulho nenhum e se irritou ainda mais, tocou mais algumas vezes irritando-se com a demora, começou a bater com força.

- Naruto! Abra essa porta! – continuava esmurrando a porta – Porra Naruto! Agora! NARUTO!

A porta do lado de abriu e um homem com cara de idiota olhou Sasuke assustado com a gritaria, tinha duas marcas vermelhas na cara, mas isso não era importante.

- Pega leve, irmão. – disse ele.

- Seu vizinho, onde está? – perguntou o ignorando.

- O Naruto? Cara é estranho e sempre alegre, mas hoje estava transtornado. – disse o vizinho – Ele pegou as coisas dele e se mandou.

- O que? Como assim se mandou? – perguntou Sasuke sem acreditar.

- Foi embora cara, deixou a chave e o contrato de aluguel comigo, pegou as coisas dele e foi. – disse como se fosse comum.

Sasuke sentiu o coração partir no peito, deixou o vizinho falando sozinho ao lhe dar as costas, andava lentamente praguejando contra si mesmo, é claro que ele estava bravo, Sasuke sempre tão rígido com suas regras tinha quebrado as três numa mesma noite. Naruto não o amava e agora tinha raiva dele. Sasuke tinha estragado tudo.

*-*-*

4 meses depois...

*-*-*

Sasuke se tornou ainda mais fechado, optou por ficar com Shion como secretária, a loira era boa, mas nunca seria o seu antecessor. Naruto tinha desaparecido do mapa, a verdade é que Sasuke nunca soube muito dele mesmo, apenas que era da Flórida e nada mais, não tinha como procura-lo e nem quis se esforçar muito, se ele tinha ido embora era porque não suportava estar ao lado do Uchiha. Sasuke tornou-se ainda mais frio e rabugento, já não sorria pra ninguém e nem se importava com mais nada.

Aquele smoking o apertava e fazia sua pele coçar, estar no centro das atenções o irritava infinitamente mais naquele odioso dia de primavera, a enorme festa armada no jardim da propriedade dos Uchiha no campo era imensa e muito bem armada, seria uma boa festa de não fosse a festa de seu casamento.

Era um homem casado há 3 horas, 14 minutos e 7 segundos e já estava cansado, não conhecia nem metade das 900 pessoas naquele lugar, não acreditava em seus sorrisos e nem em suas felicitações, estava enojado com tudo, até com sua jovem esposa.

Ino era uma decepção, Sasuke a tratou com rispidez os quatro meses que antecederam o casamento e ela se fazia de cega para tudo, todos se faziam. Era seu quinto copo de uísque e ele o virou sem dó nem piedade, queria ficar bêbado, queria dar vexame, queria acabar com aquele circo.

- Hey. – Fugaku tomou o copo cheio que Sasuke tinha acabado de receber nas mãos – Já bebeu demais. Por Deus, recomponha-se Sasuke! É seu casamento! Quer mesmo ficar bebado?

- Quero. – respondeu Sasuke no mesmo tom baixo que Fugaku usava – Quem sabe assim que consiga foder a minha esposa na nossa noite de núpcias.

- Eu sei que casamento não é a maior alegria de um homem, mas está exagerando. – o tom passivo-agressivo irritava Sasuke profundamente – Quando for mais velho vai entender que o casamento melhora um homem.

- Nem que passem mil anos, pai. – Sasuke sorriu de forma triste – Porque eu sou gay.

O queixo de Fugaku caiu, parecia ter escutado a maior das blasfêmias.

- O... O que? – ele sussurrou atônito.

- Gay, pai. Viado, bicha, o que quiser chamar, daquele que dá e que come, que ama um pau. – disse Sasuke sem pudor nenhum, Fugaku olhou em volta notando que ninguém escutava, parecia à beira de um sincope.

- Cala a boca, garoto estupido! Não sabe o que tá dizendo! – ele parecia possesso.

- Mas não se preocupe, pai. – Sasuke pegou sua bebida de volta – Ninguém nunca vai saber das minhas preferências, porque eu perdi o homem que eu amo por ser a porra de um enrustido medroso por tempo demais. Então serei o machinho que espera que eu seja.

Saiu andando sentindo um peso imenso sair de suas costas, mas pousar em seu coração. Saiu da festa pouco se importando se alguém veria, adentrou a casa da propriedade, passara boas tardes da infância lá. Adentrou a sala de música, uma de suas preferidas, bebeu toda a sua dose de uísque de uma só vez e colocou o copo sobre o piano.

Sentou-se abrindo-o e deslizado as mãos pelas teclas, era realmente horrível naquilo.

- Você é péssimo. – a voz dele soou em suas costas.

Saltou virando-se para trás, o loiro fechou a porta encostando-se nela, Sasuke pensou que a bebida o estivesse enganando, mas reconheceria Naruto em qualquer lugar, lindo como o céu vestido de maneira elegante como se tivesse vindo ao casamento, os cabelos estavam maiores de novo, do jeito que estavam quando se conheceram há quase três anos e meio.

- Naruto. – sussurrou o maior, seu corpo se moveu sozinho e ele começou a avançar, mas Naruto levantou uma mão o fazendo parar – Naruto, eu...

- Cala a boca, Sasuke, isso não se trata só de você. – ele mordeu o lábio e se aproximou minimamente – Eu tentei, eu fugi de você e tentei desesperadamente te esquecer por quatro meses, mas todas as vezes que eu fecho os olhos eu te vejo, eu te sinto... Eu não me importo que tenha quebrado as regras, eu as quebrei muito tempo antes, só não tive coragem de dizer.

- Naruto... – Sasuke queria falar, mas mais uma vez foi calado por um gesto do Uzumaki.

- Eu não me importo que nunca me assuma, não me importo em passar horas com você pela tarde e depois você voltar pra Ino e pros filhos que vão ter, não me importo em ser só o tio Naruto enquanto ela for a mãe. – sua voz vacilou um pouco – Não me importo em ter apenas uma parte de você porque se esses quatro meses me ensinaram algo é que não ter nada de você é muito mais doloroso. Eu quero tudo de volta, quero ser seu secretário, amante e agora amado, quero foder com você na sua festa de casamento enquanto sua esposa te espera, aqui e agora. Então se seus sentimentos eram infundados e não existem mais me manda embora, mas se ainda estiverem ai, arrancas a minhas roupas e me faz seu de novo, esse vai ser nosso maior vício, nosso pecado mais prazeroso.

Sasuke não disse nada apenas puxou o loiro pra si atacando seus lábios, enlaçou sua cintura o subindo no piano e começando a tirar suas roupas, seu corpo implorava por aquilo, reconhecia a luxuria, sentia o gosto da depravação nos lábios do loiro que de repente quebrou o beijo sorrindo de forma perversa.

- E eu também amo você. – sussurrou.

E quem poderia julgá-los? Todos têm seus vícios, todos sem seus pecados. E Naruto Uzumaki, secretário, amante e agora amado, era o vício pecaminoso predileto de Sasuke, CEO, gay e agora adúltero.

22 de Mayo de 2018 a las 22:51 2 Reporte Insertar 12
Leer el siguiente capítulo Pecado e virtude

Comenta algo

Publica!
AS Amanda Santos
MANO QUE FANFIC É ESSA??? SIMPLISMENTE PERFEITA EU ME ARREPIEI DA CABEÇA AOS PÉS COM ESSE DISCURSO FINAL DE NARUTO, EU AMEIIIIIII😭❤️❤️❤️😭❤️😭❤️😭❤️😭❤️😭❤️😭😭 QUERIA Q TIVESSE MAIS, MUITO MAIS DOS MEUS BBS, MEU CASAL FAVORITO NO QUAL SOU OBCECADA E NAO CONSIGO VÊ-LOS COMO APENAS AMIGOS QUANDO ASSISTO NARUTO, simplismente não dá pra fingir não vê o amor deles um pelo outro naquela banana de série que infelizmente não pôde colocá-los como um casal apesar de quê o próprio criador e a maioria do público shippar muito esse casal ❤️
September 20, 2019, 02:18
Karina Mello Karina Mello
Adoreiii !!! amo um clichê e o Naruto tá muito puto então ameii mais ainda
January 09, 2019, 01:17
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión

Historias relacionadas