Garota Má Seguir historia

cereijinha Cereijinha

Ela era uma diaba da pior espécie. Eu não a suportava mas topei aquela ideia estupida que ela me propôs, era pra ser algo casual, o plano era apenas tirar sua virgindade mas foi a coisa mais estupida que já aceitei fazer em toda minha vida, eu me entreguei a garota má e parece que a vida estava jogando comigo ao me fazer ver aquela diaba com outros olhos. — O que você tem Sasuke? — Eu não sei, eu não como, eu não durmo, eu nem tomo banho eu só consigo pensar naquela garota má.


Fanfiction Romance adulto joven Sólo para mayores de 18.

#Cereijinha #naruto #sasuke #sakura #sasusaku #fanfic
0
4.7mil VISITAS
En progreso
tiempo de lectura
AA Compartir

O Plano

  


Eu gosto de muitas coisas, gosto de estudar, ler mangás, ajudar gatos a descerem de árvores e comer meus amados tomates que eu amo de paixão. Gosto de dormir também, mas desde que a casa vizinha foi alugada há dois meses atrás eu não consigo ter uma noite de sono decente.

Tsunade Senju passava a noite inteira gemendo e gritando, todas as noites ela leva um cara diferente para casa dela onde rola a maior putaria. Eu não estava discriminado minha vizinha bem longe disso, eu só não conseguia mais ouvir a frase "Que pau grande e gostoso".

Eu acho que a vizinhança não precisava saber o tamanho do companheiro do cara, mas só acho mesmo já que minha opinião não vale de nada nessa droga. Já tentei de tudo para ver se aquela mulher caia na real, até aluguei um carro de som colocando músicas brochantes na sua janela mas parece que não surtiu efeito.

Mas além de ser uma putona escandalosa Tsunade também tinha uma sobrinha, Sakura Haruno o nome da criatura. Outra coisa que eu não gostava, a garota era detestável, eu não costumo implicar com as pessoas por que eu não me importo com elas, mas aquela garota conseguiu meu total desprezo no primeiro dia em quem pisou na minha sala de aula.

Eu a detesto mais do que detesto jujubas, e olha que eu odeio aquela coisa mole. Sakura não era uma garota normal, ela era uma diaba, a encarnação do capeta. Ela deixava claro que não ia com a minha cara e seu passatempo preferido era me provocar.

A gente tinha aquela coisa de ódio a primeira vista, ela era uma bruxa má e começou a me infernizar quando sem querer eu deixei meu lanche cair na roupa dela, eu pedi um milhão de desculpas mas a garota derramou espaguete na minha cabeça em frente todo o refeitório.

Aquela foi uma das poucas humilhações públicas que já passei na vida, tenho pesadelos com aquele dia até hoje.

Depois daquilo a gente vive tentando se matar, ela já me jogou na frente de um trem e eu coloquei veneno de rato na comida dela fora isso nada sério. Sou contra qualquer tipo de maldade então Sakura não têm muito o que se preocupar comigo.

Sou um cara super gente boa.

— SASUKE MEU BEBÊ, LEVANTA ESTA NA HORA DA ESCOLA. — minha mãe gritou acordando o quarteirão inteiro.

— Tô indo mãe.

Me levantei meio grogue cambaleando para fora do quarto e tentei correr para o banheiro antes do meu irmão folgado, mas o infeliz abriu a porta do quarto na hora em que eu estava passando acertando minha cara e eu caiu só o bolo no chão ouvindo o idiota ri da minha cara.

— O bebê da mamãe caiu igual uma jaca podre, perdeu playboy o banheiro é meu. — zombou indo dançando para o banheiro e só faltou passar por cima de mim.

Odeio esse cara também, eu tento não guardar rancor pois isso gera vingança e a vingança nunca é plena, mata a alma e envenena. É eu aprendi muito assistindo chavez mesmo mamãe dizendo que a televisão me deixaria burro.

Me levantei resmungando ouvindo aquele mané cantar sertanejo debaixo do chuveiro. Itachi e suas músicas de corno. Fiquei esperando por longos minutos batendo na porta, se aquele imbecil acabar com a água quente ele vai se ver comigo.

— Que banho gostoso, ah a água quente acabou irmãozinho tolo. — ele saiu do banheiro na maior cara limpa.

Pequei meu chinelo tacando na cabeça daquele infeliz e rosnei batendo a porta do banheiro ao entrar.

Filho de uma boa mãe.

— VÊ SE NÃO DEMORA BEBÊ EU NÃO QUERO ME ATRASAR E APROVEITA O BANHO FRIO PARA SE MASTURBA.

— VAI TOMAR NO CU.

— NÃO ME FAÇAM SUBIR AI EM CIMA E ENFIAR MEU SALTO NA GARGANTA DOS DOIS. — ouvi o grito da Dona Mikoto e resmunguei entrando debaixo da água fria.

Itachi me paga.

Tomei um banho rapidamente e voltei para meu quarto vestindo o uniforme da escola que era uma calça e blazer azul marinho, uma camisa social branca e uma gravata vermelha. Eu estudava em um dos melhores colégios de Konoha e era um aluno exemplar.

Precisava de um futuro já que meu irmão não estava nem ai para nada, ele terminou a faculdade de direito a dois anos e esta trabalhando na minha escola como professor de educação física, trabalhando é uma palavra forte, ele ta é catando as novinhas da escola tudo.

Era um galinha idiota.

— Ei viadinho sai da frente desse espelho e vamos logo. — Itachi bateu em minha porta e eu dei o dedo pro vento.

Terminei de colocar o último fio do meu cabelo no lugar arrumando meu topete charmoso e peguei minha mochila a jogando nas costas.

— Tchau robin. — acenei para meu peixinho dourado que soltou duas bolhas em respostas.

Robin é o meu melhor amigo que eu confio, conto todos os meus segredos a ele e o mesmo sempre me da os mais sábios conselhos. Eu não podia ter conseguido um amigo melhor.

— Bom dia crianças. — mamãe nos encheu de beijos assim que chegamos na cozinha.

— Mãe não somos mais crianças faz tempo. — Itachi protestou se sentando na mesa cheia de comida.

— Não importa, sempre serão meus bebês.

— Cadê o papai? — perguntei me entupindo com pão.

— Já foi trabalhar. — ela respondeu me servindo meu suco favorito.

— Hn.

— Vamos viadinho ou vamos nos atrasar. — Itachi se levantou com as mãos cheias de biscoito.

— Itachi não chame seu irmão assim. — minha mãe brigou e eu revirei os olhos.

— Ele gosta mãe. — o idiota zombou.

— Menino mal criado.

— Tchau mãe. — lhe dei um beijo rápido terminando de tomar meu suco de tomates.

— Tchau bebê tenha um bom dia na escola.

Assenti e segui Itachi para fora de casa que ria me chamando de bebezão.

— Ei irmãozinho fiquei sabendo que têm umas gatinhas querendo te pega. — ele disse entrando em seu carro e eu o acompanhei.

— Pegar não é uma palavra legal.

— Depois quando eu falo que tu é viado acha ruim.

— Cala a boca e dirigi seu cagão.

— Bebezão, virgem do pau pequeno. — ele cantarolou ligando o radio.

Bufei desviando o olhar para a paisagem não dando bola para aquela criança ridícula ao meu lado. Itachi só têm tamanho mas a mentalidade é de alguém de 5 anos.

Ele ficou cantando o caminho inteiro estourando meus ouvidos com sua voz infernal e assim que estacionou em frente a escola eu pulei para fora do carro sendo atropelado por um bando de garotas loucas pelo Itachi.

— OII PROFESSOR.

— VOCÊ ESTA LINDO HOJE ITACHI.

— NÓS TE AMAMOS.

Deixei o idiota se achando e entrei na escola entediado, faltavam 10 minutos para as aulas começarem e os alunos estavam espalhados pelo patio.

— Uchiha Baka. — ouvi a voz do demônio assim que me escorei em uma pilastra na tentativa de dormir em pé.

— Que é Diaba? — resmunguei vendo Sakura parada a minha frente.

Ela levou a mão a cintura estourando uma bolha de chiclete na boca, vestia o uniforme da escola e a saia ficava bem justa e curta em suas pernas bem torneadas. Os cabelos curtos e rosas estavam soltos e bagunçados fazendo contraste com seu rostinho de boneca, que só pra deixar claro de boneca não tinha nada. Só se for a annabelle.

Ela era uma bruxa bem bonita e gostosa mas não fazia o meu tipo. Como se eu tivesse um tipo, mas mesmo se tivesse um Sakura não faria parte dele.

— Preciso da sua ajuda. — disse séria cruzando os braços.

Acordei rapidamente, eu ouvi direito?

— Como? espera repete de novo por que eu acho que meu ouvido ta entupido. — cocei o ouvido olhando a cera verde do dedo e ela revirou os olhos.

— Preciso da sua ajuda. — repetiu entre dentes.

A bruxa ta zangada? novidade.

— Eu não tô ouvindo isso, VOCÊS OUVIRAM PESSOAL? A BRUXA MÁ QUER MINHA AJUDA, VOCÊS ESTÃO DE TESTEMUNHA. — apontei para as pessoas em volta que riam e outras nem davam bola.

— Cala a boca imbecil, não me faça arrepender de ter vindo aqui. — Sakura me deu um tapa estralado no braço.

A diaba tinha uma força descomunal.

— E em que eu posso ajuda-la diaba?

Ela passou a língua nos lábios olhando de relance para o portão onde meu irmão era abraçado pelas suas seguidoras loucas.

— Eu gosto do seu irmão e acho que ele também ta na minha, eu quero transar com ele mas todos falam que a primeira vez é uma droga e eu quero que com ele seja prazeroso sem merda de dor. Mas primeiro eu preciso que alguém tire minha virgindade entendeu? — disse tudo rapidamente tropeçando nas palavras.

Eu sabia que ela não batia bem das ideias mas não sabia que ela era tão pirada assim.

— E eu com isso? — cruzei os braços revirando os olhos.

Ela soltou um suspiro e me olhou decidida.

— Eu quero que você tire minha virgindade, eu não gosto de você mesmo então não faz diferença. — disse com indiferença dando de ombros.

A olhei com cara de pastel estralando a língua no céu da boca.

— Você esqueceu de tomar seus remédios hoje foi? — zombei a vendo bufar.

— Estou falando sério idiota.

Sakura pirou de vez.

— E se eu aceitasse essa ideia absurda o que aconteceria depois que transarmos? — perguntei coçando o queixo.

— Ai eu perco o lacre e vou me divertir com seu irmão gostosão. — respondeu com um sorrisinho maligno.

Engraçada essa garota.

— Que bom e como eu fico nessa linda história de amor? — ironizei a vendo arquear uma de suas finas sobrancelhas cor de rosa.

— Você fica sendo o mesmo idiota de sempre, e que amor o que babaca? é só diversão.

O coração dessa garota é feito de pedra contornado por uma casca de aço com cobertura de iceberg.

Assenti da sua ideia "maravilhosa" e lhe dei um sorriso super agradável.

— Vem cá diabinha, por acaso você acha que eu tenho cara de prostituto de uma noite só?

— Na verdade não porque eu não vou pagar então não seria prostituição. — ela deu de ombos.

As vezes eu me impressiono com a sinceridade dessa bruxa má.

— Entendi vai ser de graça mesmo, mas eu ainda não saquei o que eu vou ganhar com isso.

— Oras eu vou me entregar a você já não é o bastante? vocês homens fazem qualquer coisa por uma foda casual. — ela resmungou revirando os olhos.

Odeio quando me colocam no meio de um todo, eu sou diferente, sou lindo e sou mais eu.

— É mas eu não faço esse tipo, na verdade você não faz o meu tipo então já sabe minha resposta. — me virei para sair dali rapidamente.

Essa não era totalmente a verdade, o caso era que eu nunca estive com uma garota, é eu era virgem mas ninguém precisava saber pois já bastava Itachi me chamando de virjão do pau pequeno.

Como se ele já tivesse visto o tamanho do meu parceiro.

— Espera baka, eu achei que você fosse homem o suficiente para saber usar esse treco que tem entre as pernas. — ela disse auto bastante para que as poucas pessoas que passavam por ali rissem da minha cara.

Agora ela ofendeu, a coisa ficou pessoal, ela chamou o jerry de treco e isso não vai ficar barato.

— Acontece que esse "treco" aqui não é pra qualquer uma. — me virei lhe dando meu melhor sorriso.

Ouvi um coro de risadas a nossa volta e o rosto da diaba ficou vermelho e ela me olhou com uma expressão diabólica.

— Ta legal vamos fazer de uma forma diferente, o que eu posso fazer pra você aceitar a ideia? — rosnou me dando um sorriso falso.

Aquela cena era cômica e bastante estranha, a bruxa má estava implorando para eu tirar sua virgindade? meus olhos estão vendo isso mesmo produção?

— Vou pensar no seu caso.

Eu estava me achando o rei da cocada preta, no meu caso a cocada é branca.

— Têm até o intervalo para me dar a resposta. — ela grunhiu passando por mim e fez questão de me empurrar indo embora rebolando.

Bruxa do 71.

Puxei o celular do bolso rapidamente ouvindo o sinal tocar e entrei no Google digitando rapidamente.

" Como se tira a virgindade de uma garota? "

Quero vê Itachi me chamar de virjão agora, eu vou desvirginar aquela garota má e de quebra me desvirgino também.

É um bom negócio e todos saem ganhando.

3 de Mayo de 2018 a las 13:59 0 Reporte Insertar 0
Continuará…

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~