Sentimentos Seguir historia

aninhahebelde Ana Rajaram

"- Pois eu preferia nem ter te conhecido" "[...] O moreno,autor da frase,logo se arrependeu de tê-la dito no momento em que viu os olhos do outro se encherem de lágrimas" "Quis ir atrás dele imediatamente,mas o que ele podia dizer? Tinha feito merda"


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13.

#naruto #Akatsuki #Hidan #Kakuzu #KakuHida
Cuento corto
2
5.2mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Descoberta

— Pois eu preferia nem ter te conhecido!

O grito ecoou por todo o apartamento, seguida de um silêncio insuportável. O moreno,autor da frase,logo se arrependeu de tê-la dito no momento em que viu os olhos do outro se encherem de lágrimas.

Nenhuma palavra mais foi trocada. Kakuzu apenas assistiu enquanto Hidan se virava com pressa,pegando o resto das suas coisas espalhadas pelo lugar e saía,batendo a porta.

Quis ir atrás dele imediatamente, mas o que ele podia dizer? Tinha feito merda. O máximo que iria conseguir seria um soco na cara.

Sentou-se pesadamente no sofá,lugar que apenas algumas horas atrás estava se agarrando com o seu... bem,ele não sabia definir o que eram.

Kakuzu e Hidan eram primeiramente amigos,quase inseparáveis se não fosse pelas brigas constantes por qualquer coisa que não concordassem entre si. Eles acabaram se conhecendo na escola e fazendo parte de um mesmo grupo de amigos. Com o passar do tempo um novo sentimento surgiu entre os dois,a atração e tensão era impossível de não se notar e quando menos perceberam já estavam ficando uma vez ou outra.

Eles ficaram nessa situação por alguns anos,apenas se satisfazendo mutuamente,até um dia em que o menor se encontrou quieto e pensativo demais. Mais tarde veio a confissão.

“Acabei me apaixonando” “Desculpe,,eu tinha que te contar” “Eu acho...eu acho que eu te amo” foram frases ditas por Hidan naquele dia. O moreno nunca tinha visto o albino chorar por nada,mas foi o que aconteceu. Ele se assustou,se surpreendeu,e seu coração se aqueceu com aquele sentimento. Estaria apaixonado também? Não. Kakuzu nunca poderia admitir isso. Era impossível.

No fim ele apenas agarrou o albino e tudo acabou em uma noite de sexo. Ele não disse nada. Não foi capaz de retribuir o amor que lhe foi oferecido. No fundo,Taki no Kakuzu julgava-se incapaz de amar. E não é como se Hidan não tivesse notado a falta de resposta do maior,ele apenas queria acreditar que existia um pingo de amor nos gestos dele. Que em breve, também confessaria seus sentimentos.

Mas ele sabia que estava se enganando. Kakuzu nunca disse uma só palavra sobre os seus sentimentos em relação ao albino.

O moreno sempre foi uma pessoa muito solitária. Seus pais eram muito ricos e sempre ensinaram para ele a visão de que dinheiro era a coisa mais importante do mundo. Passou a infância sendo cuidado por babás,já que eles estavam sempre viajando a negócios. Começou a morar sozinho logo que ingressou no ensino médio,seus pais não se importavam em pagar tudo o que ele precisava. Claro que não,nunca se importavam com nada.

Por causa da ausência de amor e carinho em sua vida ele não sabia exatamente como amar alguém. Foi nisso que sempre acreditou. Que nunca se afeiçoaria a ninguém,nunca amaria e nem sentiria nada por ninguém. Até Hidan aparecer e deixar sua vida completamente confusa. Pela primeira vez teve alguém tão próximo e constante em sua vida.

Kakuzu deu uma risadinha triste ,enquanto uma lágrima escorria de um de seus olhos. Tocou-a com os dedos. Desde quando estava chorando? Em sua cabeça um filme de todos os momentos que viveu com o jashinista passava. Quando eles estavam juntos do grupo de amigos ,ou sozinhos. Num lugar público ou apenas no conforto do grande apartamento do maior. Os momentos de risadas,provocações e até as brigas. Por último lembrou-se dos olhos marejados a apenas alguns minutos,olhando em sua direção com a expressão de mágoa.

A voz de Sasori,um dos seus amigos mais próximos,surgiu na sua cabeça.

“Você deveria levar os sentimentos do Hidan mais a sério,Kakuzu. Ele realmente te ama. E quando se ama alguém ,você faz de tudo para ver aquela pessoa feliz. Você quer ser uma pessoa melhor por ela. E não importa o quanto vocês briguem,você sempre vai se arrepender de tudo de ruim que disser,e no final vai ser tudo da boca pra fora. Ela vai se tornar tão importante na sua vida,que você se perceber incapaz de viver sem ela”.

O Taki olhou para as próprias mãos,a visão embaçada pelas lágrimas. Por que estava chorando? Por que estava se sentindo tão destruído e culpado?

Fechou os olhos e tentou pensar no que sentia pelo companheiro. Hidan era muito irritante e sempre estava lhe testando a paciência,principalmente em relação a religião. Tirando isso ele gostava de estar ao lado dele,e de provocá-lo ao ponto de vê-lo com muita raiva ou muito envergonhado. Era estranho quando não podia tê-lo perto por algum motivo,e seu dia se torna muito mais entediante quando isso acontece. Hidan sempre reclamava do fato do moreno não demonstrar quase nenhuma emoção,e vinha trabalhando nisso por ele.

Por ele. Tudo sempre envolvia ele. Como tinha sido tão burro de deixar as coisas chegarem a esse ponto? Por que tinha demorado tanto para conseguir admitir?

Abriu os olhos e limpou as lágrimas com as costas das mãos . Com uma expressão mais determinada,pegou o celular na mesinha de centro e enviou uma mensagem para o número do menor.

“Você é realmente um idiota. Na verdade,acho que sou o idiota da história. Nunca pensei que amaria alguém um dia,muito menos um moleque como você.”

“Droga! Eu demorei pra perceber isso e deveria ter dado mais valor aos seus sentimentos”

As mensagens foram visualizadas,e o coração de Kakuzu falhou uma batida. Mas o tempo passou e ninguém respondeu.

"Me perdoa"

“Me diga onde você está,eu não vou descansar até encontrar você”

De novo,sem resposta.

“Quando eu te encontrar...hey,Hidan... Se você puder me perdoar,você seria meu namorado?”

O maior apenas pegou as chaves e saiu do apartamento,pronto para ir atrás do idiota da sua vida. Ao sair no corredor se surpreendeu ao ver uma figura agachada bem no fim do corredor. Ele estava com o celular em mãos e não parava de chorar.

Kakuzu se aproximou cauteloso e surpreso,esperando o outro notar sua presença. Quando menos esperava o albino se levantou rapidamente e veio em sua direção lhe apertando num abraço forte.

—Hidan...

—Não diga mais nada,seu puto. – o menor chorou,com o rosto contra seu peito- Eu te amo, seu velho desgraçado.

Retribuindo o abraço o moreno respondeu,sorrindo:

—Eu também te amo,moleque.

13 de Abril de 2018 a las 23:40 0 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~