Royals Seguir historia

brightshade Jammes Messias

A terra foi divida em duas raças: Os puros e os impuros. As crianças impuras foram consideradas perigosas para a humanidade, sendo expulsas de suas casas por seus próprios pais, assim, sobrevivendo por conta própria, como animais selvagens. Os puros foram a geração nova criada pelos adultos, a geração que não teria pecados, que seria perfeita. Pelo menos era isso que o grande Randy Marsh dizia... Tweek - Though you die, La Resistance lives on!


Fanfiction No para niños menores de 13.

#Linguagem-imprópria #yuri #romance #Michetta #Trike #Shyman #style #Tyde #Twaig #Criticas #Creek #comédia #Bunny #Bendy #Kyle-Broflovski #Craig-Tucker #yaoi #Tweek-Tweak #South-Park
8
5.3mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

La Resistance

Um novo mundo foi criado, as crianças impuras foram totalmente exterminadas ao ver dos adultos do mundo, agora uma nova geração nasceria, uma nação pura;


- Sete anos atrás, South Park, Colorado -


Randy fazia mais um de seus discursos na praça da cidade, os pais sempre achavam os discursos dele algo idiota, mas ultimamente, eles faziam um sentido estranho.- Minha querida cidade montanhosa, hoje tento lhes convencer sobre as crianças que estamos criando, percebi que elas a cada dia ficam mais incontroláveis e pecadoras, e isso poderá ser um risco á humanidade. Quase fomos mortos milhares de vezes, nossos filhos sempre trazem coisas loucas para nossa pacata vida!Quantas vezes South Park já foi destruída ?Quantas vezes aliens ou coisas do genêro quase acabaram conosco ?É hora de dar um basta!Vamos criar uma raça pura, vamos acabar com todos os impuros! - o homem gritou, os cidadões que tinham parado para olhar, começaram a gritar "Sim!" ou qualquer grito em concordância, Randy Marsh sorriu, estava conseguindo o que queria.


- Cara, Stan...Seu pai é um bundão! - Cartman comentou, olhando para o palco onde o velho se encontrava.


- Porra gordão! - o judeu se meteu, porém, se surpreendeu ao ver que Stan balançou a cabeça, concordando. - Stan...?


- Ele está certo. Meu pai está estranho...Ele trata eu e minha irmã como lixo, minha mãe está normal mas...Ele está passando dos limites...


- Eu acho que nossos pais não irão o ouvir, todos sabem que seu pai está meio pirado... - Kyle disse, colocando a mão no ombro do amigo.


- É, tem razão...Está tarde, vamos para a casa. - Stan falou, seguindo seu caminho, Kenny, Cartman e Kyle também foram.


Os pobrezinhos mau sabiam que o discurso de Randy não parou ali...
Na manhã seguinte, as batidas na porta da casa dos Broflovski eram desesperadas, o menor judeu da casa atendeu, notando Kenny e a gangue de Craig.


- O que foi agora ? - o garoto ruivo coçou os olhos, ainda estava sonolento, mas pode notar a expressão desesperada no rosto de Tucker.


- Por favor, Kyle...Me diga, você viu o Tweek ? - o moreno perguntou, chacoalhando o judeu.


- Hey, calma, cara! - o ruivo o empurrou - Eu não vi o Tweek, não falo com ele a um bom tempo na verdade...


- Merda... - o garoto da touca peruana colocou a mão na cabeça.


- Ele deve estar na casa dele, já procurou lá ?Esperem! - o judeu fechou a porta, indo se trocar e depois voltando, Craig respirou fundo.

- Então...?


- A casa dele foi o primeiro lugar que eu fui...Mas não tinha ninguém em casa, o quarto dele estava totalmente revirado, suas roupas e brinquedos tinham sumido, era quase como se ele nunca tivesse morado lá... - o grupo seguiu a casa de Stan.


- Quem falou com ele por ultimo ? - o moreno perguntou, terminando de vestir as luvas.


- Foi o Craig. - Token disse apontando ao amigo. - Mas a ultima mensagem dele foi um tanto estranha...


- Qual foi a ultima mensagem dele... ? - o ruivo andava com as mãos nos bolsos, estranhando a situação.


- Mpph mph ngh...("Eles estão vindo") - o garotinho da jaqueta laranja falou, Stan e Kyle arregalaram os olhos, aquilo era como um filme de terror.


- No ínicio achei que era algo como gnomos das cuecas que ele tanto fala, mas...Quando eu vi o quarto dele, eu me preocupei... - o garoto falou baixo a ultima parte, todos ali sabiam que Craig não era de mostrar sentimentos, e mesmo estranhando toda aquela preocupação com o louro, ninguém comentaria, pelo menos não naquele momento.


- Galera, galera! - o gordo gritou, se aproximando do grupo, ele estava ofegante, provavelmente tinha corrido...Umas duas ruas. - Vocês não vão acreditar, é vaginal!


- O que, gordão ? - o ruivo perguntou. - Não é uma boa hora para bobagens, estamos atrás do...


- A Bebe, o Butters, o viadinho do Gregory e o Christophe sumiram! - o garoto falou, sem fazer pausas.


- Espera, o que ?Do nada ? - Craig levantou a cabeça, encarando Eric.


- Sim!Ouvi algumas crianças comentando que ouviram o choro do bebezão do Butters a noite. - o garoto enfiou a mão em seu pacote de biscoitos, despreocupado.


- Caras, isso não está me cheirando bem... - Stan disse encarando a todos, a rua estava estranhamente quieta, e isso assustava as crianças.


O grupo ouviu alguns gritos, assustados, foram ao fim da rua para ver do que se tratava.


- Que...


- Merda...? - Kyle completou a frase do super melhor amigo, observando enquanto os pais de algumas crianças queimavam suas roupas e brinquedos, os gritos eram das próprias crianças, em desespero, aos prantos.


- Tweek...Eu preciso falar com os pais dele! - Craig falou do nada, despertando a todos.


- Iremos com você! - o grupo se virou, seguindo a casa do viciado em cafeína. Aquilo estava muito estranho, o que os adultos estavam fazendo ?Craig bateu na porta da casa dos Tweak, uma, duas, três vezes, quando a mulher de cabelos marrons abriu a porta.


- Sra. Tweak!Você não viu o Tweek ?


- Desculpe...Quem ? - a mulher apertou os olhos - Oh, você está falando da pequena peste impura!


- Peste impura...? - Kyle questionou, confuso, Stan apertou os olhos, como se estivesse tentando lembrar de algo.


- Oh... - a mulher observou o grupo inteiro e fechou a porta na cara de todos, os garotos se entreolharam confusos.


- O que diabos acabou de acontecer ?! - Token perguntou olhando todos, confuso.


- Eu não sei...Mas, tem algo errado na cidade, algo muito errado...


- Meu pai... - Stan disse de repente, assustando os amigos - Era isso que ele dizia, que éramos pestes imundas...Que um dia chegaria a hora do "Recomeço".


- O que isso significa, Stanley ? - o ruivo o encarou, preocupado.


- Esse é o problema, eu não sei...

Na floresta um pouco longe da pequena cidade do Colorado, um pequeno louro andava, puxando o cabelo e a camisa nervosamente.

- GAH!Muita pressão!GAAH! - o garoto olhava para os lados, estava morrendo de medo, por que seus pais tinham o abandonado ali ?O que tinha acontecido com eles ?O garotinho já estava nervoso, tudo piorou ao ouvir o barulho de um galho quebrando. - Céus!GAH!Os gnomos!Ou...QUALQUER COISA QUE QUEIRA MEU SANGUE!NGH! - Tweek começou a correr, tropeçando em algumas coisas, arranhou o rosto em alguns galhos, e depois de um tempo correndo, caiu, torcendo o tornozelo. - GAH!


- Cara! - o outro garotinho se aproximou, ofegante - Você corre muito!Não precisava disso!


- Huh ? - Tweek ergueu a cabeça, observando o amigo que estava a sua frente - Christophe ?


- O fantasma da ópera, vamos, não podemos nos perder dos outros. - o moreno estendeu a mão para o menor, que hesitou. - O que foi ?


- Acho que torci o tornozelo quando caí...Ngh... - o louro desviou o olhar, enquanto ouviu um suspiro.


- Okay, vamos logo com isso... - Christophe se agaichou e pegou Tweek estilo noiva, começando a voltar o caminho.


- Espera, você disse de 'outros', quem...?GAH!


- Butters, Bebe e Gregory. - ele falou enquanto o carregava, eram do mesmo tamanho mas estava óbvio que o moreno era mais forte.


- Seus pais também...


- Nos jogaram na floresta só com a roupa do corpo ?Sim. Esses desgraçados, ratos... - o garoto tinha nojo na voz, raiva. - Segundo eles éramos 'impuros', e estavamos estragando o mundo.


- Isso é estranho...GAH!Foi do nada... - o louro colocou a mão na cabeça, tentando ao máximo evitar de arrancar mais seus fios louros.


- Eu já sei o que aconteceu, e vai piorar... - o garoto olhou para os lados. - Quando chegarmos eu te explico.


- Huh, okay...GAAH!E...Obrigado, Christ... - o louro afundou seu rosto no peito do amigo, que sussurrou um 'De nada'.

Stan suspirou observando o grupo com atenção, sentia que algo estava faltando...Eles tinham feito uma parada, os garotos compraram um lanche.

- Craig... - Clyde colocou a mão no ombro do amigo, tentando o acalmar. - Tweek deve estar bem...


- Espera, cadê o Kyle com o Token ?! - o moreno finalmente notou, arregalando os olhos.


- Mpph...Mpph, mph mph ngh! (Eles estavam até agora pouco...) - o garoto da jaqueta laranja disse olhando em volta, realmente, o judeu e o outro tinham sumido.


- Kenny! - o irmão mais velho do garoto apareceu ofegante, ele tinha Karen nos braços, com um semblante assustado. - Kenny precisamos dar o fora!


- Mpph mpph mph ? (O que aconteceu ?) - o garoto menor pegou a irmã no colo, a garota estava abraçada a sua boneca.


- Aqueles doentes!Eles tentaram nos matar! - o garoto colocou a mão no peito, respirando fundo. - Eu peguei ela e essa mochila ai fugi, eles estão totalmente doidos!


- Que merda hein, Kenny. Sua família é tão pobre que estão apelando para canibalismo. - Cartman falou rindo, e levou um soco no ombro de Stan, que lhe fitou zangado. Stan olhou mais uma vez para o grupo e se afastou, iria atrás de Kyle.


- O que vamos fazer, Ken ? - a garotinha o apertou, e o louro a fitou preocupado, pela primeira vez, ele não tinha uma resposta para sua irmã.

Kyle e Token olhavam para o grupo, confusos, os quatro louros e o moreno tinham acendido uma fogueira, e estranhamente, Tweek parecia calmo diante daquela situação.

- Espera, então nossos pais acham que somos... "Impuros" ? - o judeu virou a cabeça, confuso.


- Bem, sim. Segundo eles trazemos uma sujeira para a humanidade, algo que eles querem limpar. Randy Marsh disse que levaria isso ao mundo... - Gregory disse olhando sua pequena espada.


- Wow, wow, espera!Então tudo é culpa do discurso de louco do pai do Stan ?! - Token se levantou, cerrando os punhos. - Eu vou mata-lo!


- Ei, ei! - Kyle se levantou, o encarando. - Stan não tem culpa do que o pai idiota dele está fazendo, você não vai encostar um dedo nele!


- Ah é ?Quem vai me impedir ?VOCÊ ? - o garoto iria pular no ruivo quando alguém o segurou, era Butters.


- Parem com essa viadagem. Não temos tempo para brigas idiotas, a culpa não é do Stan, mas Kyle, deixe o Token, ele está apenas nervoso, agora sentem essas bundas nesse tronco e calem a boca. - o louro falou em alto e bom som, surpreendendo a todos, os garotos obedeceram, sussurrando um 'desculpa' um para o outro.


- Ok...O que vamos fazer ? - Tweek falou, olhando para o toupeira.


- Ei, não olhe pra mim!Eu não faço idéia...Estamos apenas com a roupa do corpo, e cada vez mais jogam mais gente nessa merda...Nem sei se poderemos sobreviver por muito tempo sem comida e água. - todos abaixaram a cabeça, até mesmo Gregory o que foi uma surpresa para todos, afinal, ele era o mais 'determinado' daquele grupo.


- Não... - após um tempo, a voz veio fraca e baixa, mas logo aumentou o tom, fazendo com que todos olhassem para o dono dela, arregalando os olhos. - NÃO!Vocês vão mesmo desistir ?Vamos morrer de fome por fraquejarmos ?Esses não são os garotos de South Park que conheci, os que sempre se metem em alguma aventura maluca, os garotos que criaram La resistance! - o garoto deu uma pausa, respirando fundo para não ter um de seus espasmos, e roubou a espada de Gregory a erguendo. - Though you die, La Resistance lives on!


- Wow, Tweek... - a garota do grupo falou em um suspiro, encantada. - Nunca tinha notado o quanto você é bonito quando está determinado...


- Concordo... - Kyle disse sorrindo, e todos o olharam confusos. - O que ?!É verdade!


- Okay, mas como faremos isso hein, loirinho ? - o garoto da pá perguntou, fundando a mesma no chão coberto de neve. Tweek o olhou e devolveu a espada a Gregory.


- Não sei ainda, mas iremos descobrir, GAH!

Tinha anoitecido, o grupo de garotos se separou, derrotado, Stan voltou para casa, o mesmo a Craig, no fim, nenhum deles havia achado os sumidos, Clyde ainda insistia em procurar Token, e não era como se o pai dele se importasse com a demora. O garoto olhava para os lados, quando tinha ficado tão escuro ?O garoto de oito anos ouviu um barulho, se virando assustado.

- T-Token ?Token não tem graça... - Clyde olhou em volta, erguendo o tom, e sentindo seus olhos lacrimejar, como sempre, um chorão.


- Meu filho... - ao sair das sombras, Clyde arregalou os olhos, vendo o adulto a sua frente. - P-Pai ?


- Clyde, vamos. Tenho que te levar a um lugar. - ele falou, frio, o garoto o olhou confuso.

- Huh ?Como ? - o homem pegou o menor pelo braço, apertando e o puxando. - Ei!Para com isso, está me m-machucando, pai!


- Cala a boca, peste. - ele falou grosseiramente, jogando o menininho no carro, Clyde rapidamente se encolheu, pegando seu ursinho que sempre deixava no banco de trás, sua mãe havia lhe dado, o abraçando, não iria questionar seu pai, ele lhe assustava quando estava zangado. Um pouco depois, Clyde notou que estavam se afastando da pequena cidade, no meio da estrada escura.


- Onde...Onde estamos indo ? - o garotinho finalmente teve coragem de perguntar, olhando para a janela.


- Você é impuro.


- Pai...?


- Impuros merecem morrer, precisamos limpar o mundo.

- P-Papai...?


- Impuro! - o carro parou imediatamente, fazendo Clyde bater a cabeça no banco do carro, o homem saiu do carro, abrindo a porta do carro ao lado de Clyde, o puxando com força e o jogando no chão coberto de neve.


- Aiê! - o moreno passou a mão na cabeça, que havia batido no carro. O homem nada disse, apenas jogou o ursinho ao moreno e entrou no carro, indo embora. Clyde ficou alguns minutos olhando para o nada, até sua ficha cair. - Pa...PAPAI! - o moreno se levantou, tentando voltar o caminho, mas sentiu sua visão ficar embassada, um pouco depois, o garoto caiu de joelhos, com uma dor de cabeça horrível. Clyde respirou fundo, abraçando seu ursinho, um tempo depois, desmaiou.


Algum tempo depois, Clyde acordou sobre algo macio, não era a neve gélida de antes, demorou um pouco para abrir os olhos, notando Token quase grudado ao seu rosto, rapidamente, o moreno se afastou, corado.


- Token ?!CARA! - o chorão se sentou, o encarando. - Onde estamos ?O que aconteceu ?Cadê meu pai ?


- Cara... - o garoto cerrou os punhos, e o encarou, abraçando o amigo. Clyde não respondeu, apenas retribuiu o abraço, tinha entendido o que o amigo queria dizer. O abraço acabou ao ouvirem a voz do louro surgir atrás de ambos, Tweek sorriu a Clyde.


- Estamos quase com toda a gangue...Ngh... - o louro se aproximou, ficando proximo ao amigo.


- Tweek! - Clyde o abraçou, com força. - Craig estava preocupado...


- Preocupado ?Hmpf, achei que ele não tinha sentimentos!GAH! - os garotos sorriram ao lembrar do outro, mal demonstrava sentir algo por sua família, imagine a amigos.


- Ok...Dá pra explicar agora ? - após umas conversas, Clyde teve coragem de perguntar, Token e Tweek se entreolharam, e após um suspiro de Tweek, ele encarou o moreno sério.


- Huh, bem...É o seguinte...


Uma semana se passou, mais e mais crianças desapareciam, aos poucos, Stan acordou ouvindo gritos, Shelly entrou no quarto dando um chute na porta.

- Stan, vamos dar o fora AGORA! - o moreno coçou os olhos, ainda sonolento.


- Huh ? Por quê ?


- Vamos, Turd! - a garota se aproximou, puxando Stan, o garoto ainda estava confuso, mas seguiu sua irmã mais velha. Enquanto corriam, Stan pode notar vários adultos colocando crianças em seus carros, choro, gritos, era puro caos!


- O que...QUE MERDA ?! - o moreno arregalou os olhos, quando viu que Kenny, seus irmãos, Craig e Cartman estavam no fim da rua, a mais velha olhou para todos, como se tivesse mandando todos correrem, Kevin pegou a irmã e saiu correndo, os outros apenas seguiram.


- Caras, a cidade pirou! - Cartman disse, com dificuldades.


- Eu percebi! - Stan gritou, ainda correndo, podia sentir que alguém os seguia, era algo estranho e sinistro ao pequeno. Um tempo depois correndo, o grupo se encontrava na floresta. O grupo parou, respirando fundo.
- Que merda...Que merda, que merda! - Craig falou alto, colocando a mão no chapéu. - O que raios deu neles ?


- Randy, aquele... - Shelly falou, com raiva, Stan a olhou confuso, como assim "Randy" ?Ela não deveria dizer "Papai" ou algo do tipo ?
- Filho da puta... - Kevin respondeu, apertando Karen que estava em seus braços.


- Ta, dá pra explicar ? - Cartman perguntou irritado, olhando a todos.


- Bem, é que... - a garota de aparelho foi interrompida por um barulho estranho nas árvores, o grupo olhou ao redor, com medo.


- Mas qu... - antes que Craig terminasse a frase, todos foram apagados, e levados para um outro lugar...

10 de Abril de 2018 a las 20:15 0 Reporte Insertar 2
Leer el siguiente capítulo Acampamento

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 2 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión