Save Me Seguir historia

sugarybaby Sugary Baby

Quem diria que o amor que um dia lhe foi tão bom, pudesse destruir toda a felicidade e a vontade de estar vivo em um simples estalar de dedos. Ele já não tinha motivos para querer continuar ali, mesmo antes de tudo isso seus motivos eram muito pequenos e agora eram inexistentes. Talvez, ele só não merecesse estar vivo ou mesmo nunca deveria ter andado pelas ruas; talvez ele tivesse sido alguém tóxico em outra vida e tivesse retornado só para receber um castigo. Mas mesmo pensando tudo isso, ele ainda agradecia ao garoto que tinha quebrado seu coração pelos poucos momentos de alegria que teve. Agradecia pelo garoto de fios chocolates pelos sorrisos e por ter deixado ele ser ele mesmo, mesmo que no fim ele tenha se cansado do seu jeito. Agradecia por ter sido capaz de acreditar que fazia boas canções, por ter sido a inspiração de muitas delas. Pelos abraços e beijos carinhoso quando estava a beira do choro. Por ter o feito viver ao menos um pouco. Pena que tudo desmoronou de uma vez só.


Fanfiction Bandas/Cantantes No para niños menores de 13.

#yaoi #jungkook #sugakook #bts- #yoonkook- #sadfic #suga-
Cuento corto
1
5687 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Save Me


Eu quero respirar, eu odeio essa noite

Eu quero acordar, eu odeio esse sonho

Eu estou preso dentro de mim e estou morto

Não quero ficar sozinho

Só quero ser seu


A música tocava alta em seus ouvidos, poucas lágrimas escorriam por suas bochechas e sua mente viajava por entre as lembranças daquele que um dia lhe fez feliz.


Estava escuro, mal podia enxergar o que havia em sua volta, mesmo que a luz da lua se fizesse presente. Era agonizante estar ali sozinho, onde sempre fora o local preferido dos dois.


Estava sentado sobre a mureta do terraço, suas pernas penduradas para fora do prédio e seu corpo pendia para o chão.


Por que é tão escuro aqui sem você?

É perigoso o quão destruído eu estou

Me salve porque eu não consigo me controlar

Não consigo


Tomava mais um gole da bebida já quente. O líquido descia rasgando sua garganta, deixando um gosto amargo em sua boca.

A garrafa estava quase vazia, deu um último gole e a atirou para fora do prédio, vendo-a se destroçar no chão frio. Ela estava destruída assim como a sua alma.


Já não conseguia controlar seus pensamentos, sua cabeça estava confusa e doendo; ele já não mais sabia se conseguia controlar as lágrimas que caíam copiosamente.


Escute as batidas do meu coração

Ele está te chamando por vontade própria

Nessa escuridão

Você está brilhando tanto


O brilho do celular iluminava seu rosto enquanto admirava a bonita imagem dos dois em seu plano de fundo. Tinha tirado aquela foto no dia em que trocaram as alianças de compromisso. Yoongi estava com um sorriso radiante no rosto olhando para câmera, enquanto Jungkook lhe encarava docemente. O amor era tão grande que chegava a ser palpável.


– Neh, Kookie. – Yoongi chamou o namorado que repousava a cabeça em seu colo. – Nós vamos ficar juntos para sempre, não vamos?


– É claro, Hyung, para todo sempre."


Me dê a sua mão me salve, me salve

Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia

Me dê sua mão me salve, me salve

Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia


– Por que você me deixou, Kookie, por que me deixou mesmo tendo prometido ficar comigo para sempre? – Perguntou para o vento enquanto tentava enxugar as teimosas lágrimas que ainda lhe desciam a face.


Me dê sua mão me salve, me salve

Me salve, me, me

Me dê sua mão me salve, me salve

Me salve, me, me

Me salve, me salve

(Me salve, me, me)


– Tudo o que eu queria era o seu amor. Tudo o que eu queria era ser feliz ao seu lado. – Ele gritava para o nada como se aquilo fosse fechar a ferida aberta em seu peito.


Hoje, a lua está brilhando mais no espaço vazio na minha memória

Este lunático que me engoliu, por favor, me salve hoje à noite

(Por favor, me salve hoje à noite, por favor, me salve hoje à noite)

Nessa loucura infantil, você irá me salvar hoje á noite


As lágrimas agora já estavam mais controladas, seu peito ainda doía mas estava mais calmo. Encarava o bonito paraíso estrelado, encantado com a lua cheia e brilhante no céu.


A luz do astro lhe lembrava dos olhos cintilantes de Jungkook quando ele sorria, quando ele ria, quando ele lhe olhava.


Tudo lhe fazia lembrar de Kook.


– Kookie, do que está rindo? – Perguntava inocentemente vendo o outro rir mais ainda. Não entendia o motivo dos risos e por isso tinha as fofas bochechas infladas de irritação.


– Aqui, olhe no espelho que vai entender! – Disse em meio a risadas, lhe entregando um pequeno espelho.


O menor segurava atento o pequeno objeto, percebendo leves riscos em sua bochechas como bigodes de gato e dois círculos pretos em volta de seus olhos.


Suas faces automaticamente se tingiram de vermelho e inflaram em sinal de raiva. Aos olhos de Jungkook, aquilo só deixava o outro mais fofo e apertável. E foi exatamente isso que ele fez, apertou os braços de seu pequeno gatinho.


– Te amo, meu Hyung Gatinho!


Eu sabia que a sua salvação

Faz parte da minha vida e é a única ajuda que irá abraçar a minha dor

O melhor de mim, você é a única coisa que eu tenho

Por favor, aumente a sua voz para que eu possa rir novamente

Play On


A música, que ainda ressonava em seus fones de ouvido, teve sua continuação parada para dar início a um áudio salvo nas gravações de Yoongi. Uma voz melodiosa começava a surgir ao longo da faixa. Para ser mais exato, uma risada meiga era o que dava início àquela pequena linha.


Jungkook tinha gravado aquele áudio em seu telefone havia alguns meses, dizia que era para Yoongi ouvi-lo sempre que se sentisse para baixo ou estivesse com saudades de si, mesmo que se vissem todos os dias.


– Neh Hyung, estou gravando esse áudio para todos os momentos em que se sentir sozinho, triste, desanimado ou com saudades minhas. – Sua fala era cortada por uma risada meiga. – Você sabe que eu te amo muito, certo? Eu nunca vou te deixar, não depois de ter encontrado a verdadeira felicidade em seus braços. Eu não posso abandonar o meu gatinho sozinho, eu preciso estar sempre ao seu lado para cuidar e zelar por você. Eu te amo, Hyung!


O áudio finalizava e as lágrimas, que por segundos haviam parado, voltaram instantaneamente para escorrer pelo rosto de Yoongi. Ele sentia tanta falta de Jungkook que nem ao menos tinha percebido que precisava estar ao lado dele para poder ao menos respirar. Ah, por que Jeon tinha que ter lhe deixado depois de dizer tais palavras? Era muita crueldade para um ser humano tão fofo quanto o dano daquela voz.

Escute as batidas do meu coração

Ele está te chamando por vontade própria

Nessa escuridão

Você esta brilhando tanto


A música então voltava a tocar com todo o seu vigor em seus ouvidos, no volume em que se encontrava poderia facilmente ensurdecer Yoongi, que nem ao menos se preocupava com isso, tudo o que queria fazer era esquecer o mundo a sua volta e somente ouvir as várias repetições da mesma melodia.


Como se não bastasse todo o sofrimento que sentia ouvindo as antigas gravações, ele passeava por entre as fotos que possuía junto a Jungkook ou mesmo dele sozinho. Como era fotógrafo, uma das coisas que mais lhe trazia prazer no mundo era tirar fotos de seu amado dongsaeng de todas as formas possíveis.

Me dê a sua mão me salve, me salve

Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia

Me dê a sua mão me salve, me salve

Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia

Me dê a sua mão me salve, me salve

Me salve, me, me

Me dê a sua mão me salve, me salve

Me salve, me, me


Levantou-se lentamente da mureta, colocando celular no bolso e dando meia volta, entrando no prédio.


O local onde estava era um antigo hospital psiquiátrico que ele e Jungkook haviam encontrado em uma de suas visitas à floresta que ficava ao redor da casa de Yoongi. Desde então era o refúgio dos dois.


Um local engraçado para se chamar de refúgio, mas era onde eles encontravam o pouquinho de paz que precisavam de vez em quando, era onde encontravam o silêncio e o conforto.


Obrigado por me deixar ser eu mesmo

Por me deixar voar

Por me dar assas

Por me endireitar

Por me acordar quando eu estava sufocando


Ele passeava por entre os corredores, passando os pequenos dedos pelas paredes como se pudesse marcar sua presença naquele local, para que sua existência jamais fosse esquecida.


Cada sala lhe trazia uma lembrança diferente, que em outro momento lhe trariam alegria e agora só lhe traziam mais lágrimas.


Mas mesmo sofrendo, ele sabia que Jungkook tinha trazido para sua vida muito mais do que sofrimento, sabia que ele lhe tinha proporcionado as melhores recordações e sensações. Tinha muito que agradecer e muito que odiar sobre o ex-namorado.


A sala em que se encontrava possuía um significado maior do que as outras. Era naquela sala que tinha começado a escrever a letra da música que um dia seria deles.


Estavam sentados no chão de um dos quartos daquele antigo hospital. Jungkook estava com a cabeça apoiada sobre o ombro de Yoongi e esse rabiscava esboços de uma suposta letra de música em seu papel.


– Neh Hyung, quanto tempo até você acabar essa letra? – Jungkook perguntava com um biquinho adorável nos lábios, enquanto suspirava baixinho.


– Eu já acabei, só estava escrevendo um pequeno trecho que talvez um dia faça parte de outra música minha. Uma música sobre nós. – Dizia sorrindo e imaginando uma bela melodia e uma letra fofa para combinar com todos os belos momentos dos dois.


– Deixa eu ver, deixa eu ver! – Jungkook levantou-se rápido, sentando-se sobre seus joelhos e com uma cara adorável e curiosa implorava para dar, nem que fosse, uma pequena olhada no caderno preto.


– Não, ainda não está pronto. Mas se quiser, posso ler um pequeno trecho para você. – Disse escondendo o objeto em seu peito e recebendo logo em seguida um aceno positivo vindo de Jungkook. – Ok! Lá vai. "Obrigado por me deixar ser eu mesmo. Por me deixar voar. Por me dar asas. Por me endireitar. Por me acordar quando eu estava sufocando".


Jungkook o encarava maravilhado com o pequeno trecho como o sensível que sempre foi, já demonstrava que dali a alguns segundos lágrimas de felicidade cairiam de seus olhos.


-– Hyung, eu te amo! – Dito isso, abraçou fortemente Yoongi, lhe dando um beijo apaixonado nos lábios.


Por me acordar de um sonho que era tudo o que eu estava vivendo

Quando eu penso em você o sol aparece

Então eu jogo fora a minha tristeza

(Obrigado, por sermos nós)


Pela janela quebrada do quarto, podia ver que o sol estava a nascer. Era a hora que faria aquilo que havia planejado desde o início quando fora até aquele prédio.


Caminhou vagarosamente, retornando para o terraço do hospital. Todas as lembranças, memórias dos diálogos, das fotos, dos presentes, passaram por sua cabeça. Agora já não mais andava, mas sim se arrastava para o terraço.


Era o local que possuía a mais importante lembrança, fora onde Jungkook lhe dissera pela primeira vez que o amava. Fora lá que trocara a primeira carícia mais íntima com ele. Fora lá que se entregara de corpo e alma para o mais novo. Fora lá que tudo começou e era lá então que tudo acabaria.


Subia novamente na pequena mureta, com as pontas dos pés para fora do prédio, observando o bonito nascer do sol.


Pegou lentamente o celular do bolso, retirando os fones de ouvido, acabando com o som de sua voz cantando a música dos dois.'Save Me'.


Desbloqueou a tela de seu aparelho e buscou o número de seu ex-namorado na pequena lista de contatos, o encontrando sem muitas dificuldades.


Seus dedos tremiam enquanto efetuava a chamada, tentava com todas as força controlar suas lágrimas mordendo o lábio inferior com vontade, o fazendo sangrar levemente.


Sabia que seria impossível Jungkook lhe atender àquela hora, mas tudo que precisava fazer era deixar uma pequena mensagem na caixa de voz. Era só isso que precisava.


-... Deixe seu recado após o sinal ...-A voz irritante da mulher da caixa de recado falava, ouvindo-se logo em seguida o "sinal".


– Me dê a sua mão, me salve, me salve. Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia. Me dê a sua mão, me salve, me salve. Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia. – Cantava levemente e quando o último refrão da música dos dois acabou, ele desligou a chamada e soltou o celular no chão, o qual rachou a tela.


Olhou para baixo vendo a calçada fria aguardando seu corpo, que logo entraria em contato com ele.


Pendeu seu corpo para frente, sentindo logo seus pés perderem o contato com gélido concreto da mureta, indo de encontro com o sono eterno.


Um barulho alto ecoou pelo vazio hospital, sem nenhum ser vivo para ver os últimos minutos de Yoongi Min.


O terraço, onde há poucos minutos estava, ficou com as últimas lembranças do menino de pele albina e cabelos negros azulados. Um pequeno CD endereçado a Jeon Jungkook e o antigo celular, desbloqueado com a tela rachada, que exibia em seus últimos momentos de bateria, a foto de dois meninos abraçados sorrindo para câmera.


Me dê a sua mão me salve, me salve

Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia

Me dê a sua mão me salve, me salve

Eu preciso do seu amor antes que eu caia, caia

31 de Marzo de 2018 a las 21:48 0 Reporte Insertar 0
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~