stefs Queen The Vampire

Você assistia a luta de seu irmão mais velho desacreditada e ao mesmo tempo encantada, pouco entendia sobre as volunder, mas achava as fusões formidáveis principalmente agora que compreendia o qual forte e interessante um humano poderia ser e sem perceber já estava encantada com os olhos do imperador que foi capaz de superar o rei do Submundo. Fem!reader| +18 - Qin Shi Huang


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#romance #hot #mythology #fanfic #mitologia #pwp #shortfic #submundo #irmãos #zeus #poseidon #hades #imagine #brothers #imperador #recordofragnarok #shuumatsunovalkyrie #adamas #distorçãomitológica #qinshihuang #lightcomedy #aniki #elísios
2
203 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo

▫️A história utiliza o recurso onde a leitora/or dará o nome a personagem durante a leitura, tendo suas características principais e personalidade definida pela escritora. O intuito é apenas aproximar quem está lendo ainda mais da obra por meio do famigerado Sn (seu nome), mas fique a vontade para ler como desejar;

Lembrando que Sn = Seu nome/ nome de sua escolha.


▫️A personagem será a mãe da criação e ressurreição, nada morre em suas mãos, mas o curso da vida nunca deve ser mudado (o seu dom é parecido com o da personagem de Lust). E não permito adaptações.

Capítulo pré-revisado com mudança mínima para se enquadrar a história além de 'possível spoiler' do anime|mangá.


▫️ A fanfic apresenta menção de estupro, super proteção fraternal, relacionamento familiar tóxico, violência entre outros, não irei avisar nos capítulos lembrando que todo o conteúdo produzido para esta fanfic é + 18.

PRÓLOGO

Estrela Desmond


Você montava e desmontava algo ao seu Bel prazer, como uma deusa da criação e ressurreição vivia entediada devido aos seus irmãos super protetores, esse infelizmente era o preço a se pagar por ser irmã mais nova dos quatro pilares gregos. Enquanto Zeus era o rebelde que fazia suas vontades na encolha, Hades praticamente foi seu pai, Adamas fazia o papel de irmão chato que vivia lhe dando esporro e por fim Poseidon que fingia não se importar com você, mas bastava um olhar em sua direção para ter o tridente atravessado no estômago, inclusive isso foi um grande problema já que ao alcançar a maioridade você começou a chamar atenção afinal de contas o seu poder fazia qualquer um retornar a vida fora que poderia simplesmente criar o que quisesse inclusive mais vida, então quem não iria o querer? Talvez seja por isso que eles te protegem tanto e pense numa família disfuncional, incestuosa e barraqueira, então ela é toda sua. Agora por exemplo Poseidon havia acabado de matar Adamas e você suspirava vendo aquela bagunça no palácio marítimo, seus dedos tocando a face fria de seu irmão antes de encarar o loiro.


-- É sério isso Poseidon? Somos irmãos! Você não pode simplesmente matá-lo! -- Como esperado o loiro não lhe respondeu e você reviveu Adamas sem se importar.


-- Seu maldito! -- Sua mão foi no peito do esverdeado.


-- É sério Adamas? A culpa foi toda sua, se ele te matar de novo eu não vou te reviver! Quer saber vocês que se danem, já cansaram minha beleza, vou contar para Hades o que fizeram e...


-- Não precisa de tanto querida. -- A voz de Adamas ecoou e você sorriu.


-- Então que tal vazar daqui? Vai pra casa colocar essa cabeça no lugar e parar de ser louco, pois, se fosse Zeus aqui seria um soco e acabou e olhe lá se restaria algo para reviver. -- Massageou as têmporas. -- Que raios!

Adamas revirou os olhos e a contragosto saiu, você encarou Poseidon que se mantinha sério.


-- Ainda está aqui? -- Ele desdenhou.


-- Você é muito malvado, o pior dos irmãos! Agora eu preciso de um vestido novo, então que tal levantar essa bunda daí e levar a sua princesinha até uma loja? -- Bateu a ponta dos dedos.


-- Não é mais uma criança Sn, se vira. -- Ali estava o doce de pessoa que era o seu irmão, mas você sabia lidar com ele e assim sorriu ameno:


-- Tudo bem, outros deuses ficarão felizes em me ajudar. -- Ergueu o nariz e foi até a porta do salão notando um muro d'água subir lentamente com alguns enguias elétricas. -- Deixa de ser azedo Poseidon! Se não quer me ajudar também não adianta me punir, daqui a pouco vai fazer o quê, me jogar um Kraken? Sinceramente, eu só quero a atenção do meu irmão mais chato e insuportável, idiota, grosso, narcisista e b..


-- Continua e eu te mato. -- Revirou os olhos


-- Eu não posso morrer esqueceu? Francamente, não me deixam ter uma vida própria, um namorado, um bichinho e ficam enchendo o saco isso não é justo! -- Ele se levantou com o tridente em mãos, a muralha cedeu e ele passou em sua frente te olhando de cima.


-- Cento e dezoito anos e continua parecendo uma criança, anda logo pirralha e nem pense em escolher aqueles trajes curtos se não eu destruo a loja toda! -- Você bateu palminhas enquanto o seguia, quem conhecia o deus dos mares não conseguia ficar em sua presença e era no mínimo engraçado vê-lo todo emburrado sentado em uma poltrona segurando um monte de peças para você. No fim Poseidon tinha tanto zelo pela irmã que não gostava nem que outros sequer te olhassem, para o deus, ninguém é digno de você.


...



Você sentia a fúria no olhar de seus irmãos por ser a única a votar contra o fim da humanidade, Hades e Adamas eram os únicos que não ligavam por ter dado sua opinião.


-- Escute aqui pirralha ficará de castigo por mais mil anos! -- Poseidon reclamou.


-- Não, cento e dezoito mil anos me parece mais apropriado não acha irmão? -- A voz de Zeus ecoou enquanto lançava raios no ar esbravejando.


-- Não se meta Zeus! -- Nem mesmo para te punir eles concordavam e foi Hades a suspirar observando a situação, Adamas já estava sentado sobre a poltrona acolchoada degustando o que parecia ser pipoca com chocolate que você mesma preparou depois de ir ao mundo humano sem que seus irmãos soubessem.


-- Deixem-na, o ragnarok começa em uma semana. Creio que tenhamos mais o que fazer, Sn até lá ficará comigo. -- Você concordou, achava meio estúpido o fato de não te deixarem sozinha, mas ainda assim estava acostumada com a proteção de seus irmãos, o problema é que se continuassem a lhe importunar, uma hora seus pensamentos poderiam se fragmentar e ninguém nesse universo sabe do que a deusa da ressurreição é capaz, nem mesmo a deusa em questão.


-- Não. Ela ficará comigo, irmão não ouse tirar Sn do meu palácio. -- Hades sorriu com o descontentamento de Poseidon, pois, deixava claro que cuidaria de você como a princesa que é. Não que em algum vez na vida dele tenha feito diferente.


-- Pois bem então, já que os problemas estão resolvidos retornarei ao meu trabalho. -- E assim Hades sumiu, você mal via a hora do Ragnarok começar e agora teria que lidar com um Poseidon estressado exigindo sua presença em cada compromisso chato só para ficar de olho em você...


A semana passou rápido e assistir ao ragnarok lhe empolgava exceto quando seus irmãos começaram a ser derrotados, aos poucos as lutas foram acirrando e numa vitória sobre o imperador do submundo a humanidade passou a frente, no combate seguinte ficou empatado com Beelzebub e Tesla acabados no chão e você ficou encantada, não só pelo humano ter destroçado a maldição que habitava o corpo de Beel, mas por seu irmão mais velho ter 'morrido' e foi nesse momento que decidiu que conheceria os humanos um pouco mais, em específico um homem de olhos vendados que acabara de perder um braço.



Por Sn,


Eu vaguei por alguns corredores apaziguando minha curiosidade, olhava para ambos os lados vendo as trancas com digitais e alguns portões muito elaborados na minha opinião, meu objetivo porém era a enfermaria, não vou negar que estou realmente interessada no homem de olhos vendados ele parece ser tão fascinante, ocultei minha presença assim que ouvir vozes e encarei ao redor. Cada enfermaria era separada para participante e sua valquíria, já que a dos deuses é relativamente mais distante. Parei pelo ar observando o seu corpo enfaixado além dos curativos o imperador parecia não se incomodar com os ferimentos de batalha e isso me deixava ainda mais interessada. Aproveitei a distração da Valquíria que estava lhe pagando um esporro pela forma imprudente segundo ela de lutar nos momentos finais, para me materializar parando bem à frente:


-- Qin Shi Huang. -- pronunciei seu nome lentamente a sonoridade em meus lábios chegava a ser deleitosa e assim conseguir atrair seu olhar já vendado é claro.


-- Quem é você? -- O som de sua voz tão belo me chamou atenção.


-- Você realmente me encanta Qin -- andei ao seu redor -- Foi capaz de derrotar meu irmão e ainda se autoproclamou um verdadeiro rei. -- Me aproximei e a Valquiria que lhe serviu de arma entrou na frente. -- O que faz aqui Sn?


Tive de deixar um sorriso, ela é uma gracinha.


-- Relaxa Alvitr eu vim ajudar, afinal de contas ele lutou bem demais para ter só um braço e você também. -- A valquiria me encarou mais uma vez enquanto Brunhilde adentrava a ala médica.


-- Sn-sn, seus irmãos sabem que está aqui? -- Me olhou com malícia.


-- E como está Buda? -- As bochechas dela ganharam uma cor adorável. -- Será que podem dar uma trégua hein? Já falei que vim em paz.


Pode não parecer, mas, realmente me importo com elas e sei que os deuses não deveriam. Muitos me julgam diferente justamente por essa questão, sendo que não concordei com o Ragnarok independente do que eu diga ninguém acreditará que eu não represento ameaça diferente dos meus irmãos, que talvez, só talvez, por terem sido derrotados mudem de opinião a respeito da humanidade.


-- Esse é o problema, você pode até ter vindo em paz, mas seus irmãos não. -- Revirei meus olhos. Tá que Alvitr está com razão, mas infelizmente eu não tenho nada haver com isso, exceto pelo fato de que estou burlando as regras e salvando todo mundo que me dá na telha e foda-se a vontade dos deuses e esse torneio ridículo. Os humanos estão errados em destruir o planeta? Óbvio, mas ele não representam só isso. Há muitas pessoas de bem lá embaixo e muitas vidas que valem um milhão de vezes mais do que a de um único deus.


-- Então o que veio fazer aqui? -- Dessa vez foi Brunhilde a perguntar.


-- Eu vim ver esse humano que foi formidável em campo de batalha.


A valquíria se aproximou e sorriu.


-- Se controle seus olhos chegam a estar brilhando. -- Sussurrou evidenciando algo que ainda não consegui descobri, mas posso afirmar que me incomoda.


-- Brunhilde você é bem desagradável quando quer, vão me deixar ajudar ou não? -- A azulada me encarou antes de se afastar.


-- Faça como quiser.


Bati a ponta dos meus dedos antes de me aproximar de me abaixar diante deles, primeiro fui até a Alvitr e toquei seu ombro esperei que ela parasse de reclamar e fiz com que tudo retornasse ao lugar, Alvitr estava limpa e sem sequelas de batalha
Ao me aproximar do rei ele ergueu o braço restante.


-- Meus ferimentos de batalha não devem ser curados. -- Balancei minha cabeça negativamente.


-- Como desejar, mas posso ao menos restaurar seu braço? -- Ele concordou e me aproximei mais tocando seu ombro e fazendo com que o corte feito por meu irmão não tenha ocorrido, porém, não curei sua pele. -- Prontinho. -- Ele mexeu o braço e depois me olhou sorrindo.


-- Obrigado.


-- Não há de quê belo rei. -- Notei o rubor em seu rosto e me afastei, pois, havia uma presença forte e bem distante.


-- Bom eu vou indo antes que as coisas saiam da ordem... -- Mal terminei de falar quando os senti chegar:


-- SN! -- Tarde demais só tive tempo de ver a porta ser aberta com força e meus irmãos me esperando do lado de fora. -- SUA TRAPACEIRA DESGRAÇADA! -- Zeus reclamou, mas uma presença mais forte fez com que todos se calassem.


-- Se comportem irmãos, estão em uma ala médica. Sn minha princesa vamos conversar, sim? -- Engoli em seco enquanto Hades trajando um smoking branco impecável e limpo aparecia deixando a todos dentro do quarto inquietos, principalmente a mim, pelo tom sereno e o sufoxo pronunciado tão lentamente, era assim que ele agora quando ia me dar uma bronca quando eu era mais nova.


-- Mas como? -- Brunhilde sussurrou e olhei-a de lado.


-- Se quiser ver Hércules e todas as outras valquírias salvas mantenham isso em segredo. -- Pisquei antes de andar até meu irmão que estendia a mão e só por isso já sei que serei castigada...

Hades não falou nada, apenas me guiou até uma sala onde Poseidon e Adamas estavam, assim que entrei Zeus fechou o local e todos se sentaram.


-- Comece a falar. -- Poseidon exigiu.


-- Olha francamente se está vivo deveria me encher de jóias e me dar muitos abraços Poseidon! -- Reclamei e Hades apenas me olhou sério.


-- Pare de brincar!


-- Tudo bem pa-pai. -- Suspirei. -- Eu estava entediada, então pensei, por que não salvar aqueles que merecem? Ai fui lá e fiz.


-- Simples assim. Como se essa porra de torneio não fosse nada! -- Zeus reclamou.


-- Olhem a boca, Sn está presente! -- Hades reclamou.


-- Sinceramente irmão foda-se! Ela foi longe demais por isso fica sobre vigia por todo o tempo, na primeira saída olha o tamanho da merda! -- Poseidon.


-- Olha se parar para pensar esse evento todo é uma perda de tempo inútil... Deixem-na em paz, Sn não fez nada demais ela só estava se divertindo. -- Adamas falou surpreendendo a todos. -- A terra não nos pertence a muito tempo, não andamos entre eles então por que temos que lidar com isso? Vocês por acaso almejam voltar para lá.


-- Ta de brincadeira né caralho? Já viu o estado dos meus mares seu imprestável?


-- Poseidon...


-- Hades fica quieto só um minuto. Adamas você conquista então quanto mais destruição em meio as suas vitórias melhor, EU SOU O COMANDANTE DA PORRA DO MAR! Humanos tratam o meu reino feito lixo! A extinção deles será uma benção para as outras espécies! -- Nunca vi meu irmão tão irritado e eles começaram a discutir do nada então aproveitei para me esgueirar até a porta e ser pega pelo braço de Zeus.


-- Onde você pensa que vai mocinha? -- Sorri sem graça.


-- Eu só ia ver as lutas...


-- E o que fazia na sala de enfermaria? -- Hades questionou.


-- Eu fui curar a valquíria e o rei dos homens. -- Poseidon arqueou a sobrancelha.


-- Por acaso está interessado naquela espécie Sn? -- Esse loiro maldito é um bocudo tem horas!


-- Não. -- Menti.


-- Ela está mentindo, olha só como a boquinha dela fica repuxada quando mente. -- Zeus afirmou. -- Estão vendo, tanto que eu avisei que era pra um de vocês casar com ela, que nem eu fiz com Hera, mas não ninguém me escuta!


Minha cara de nojo e repulsa foi enorme e Hades bateu o cetro no chão:


-- CALEM A BOCA! Não vamos resolver nada assim!

-- Falou o casado com a sobrinha. -- Zeus respondeu recebendo um olhar mortal, tem horas que minha família é um inferno! -- Tá bom parei, o que faremos agora que Sn praticamente anulou o propósito do torneio?


-- É só manter, tirando aqueles três dentro da ala médica ninguém sabe o que ocorreu, todos os outros estão na sala de contenção e é só ficarem lá até o fim. -- Adamas se pronunciou e nunca o amei tanto quanto agora.


-- Por mim está feito e você Zeus? -- Hades perguntou.


-- Tá-tá, serei obrigado a concordar para satisfazer a vontade da princesa não é mesmo? -- O velhote cruzou os braços sorrindo e eu fui até Adamas o abraçando e deixando beijinhos em seu rosto, depois mostrei a língua para Poseidon que sorriu de forma maníaca, está puto comigo e eu moro com ele então, já sei que vai me castigar.



______________________

Fanfic sairá em breve, primeiro finalizarei A arrogância de um Deus

Novos capítulos

Em breve

3 de Diciembre de 2023 a las 16:53 0 Reporte Insertar Seguir historia
1
Leer el siguiente capítulo 1.Se é tão mimada, será punida!

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 11 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión

Querida Distorção Mitológica
Querida Distorção Mitológica

Não é preciso conhecer ROR para ler. Um universo criado com base nas mitologias e unido aos personagens de SNV, onde cada estória seguirá com o enredo original utilizando os personagens da obra. Em Lust acompanhamos a história da deusa que tudo pode e nada tem; Em Destiny compreendemos que mudar o destino daqueles que estão fadados a morrer pode acarretar em uma grande confusão; Em Citadel veremos que nem sempre podemos contar com aliados; Por fim em A arrogância de um Deus entendemos que não se deve mexer com o vazio. Leer más sobre Querida Distorção Mitológica.