Meu erro Seguir historia

cris-helen Cris Helen

Toda a minha vida cometi erros, o maior deles foi ter deixado você sair por aquela porta


Fanfiction Todo público.

##SasuNaru
Cuento corto
8
6.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo único

Eu estava preso em meu próprio mundo, isolado dentro da minha própria mente, longe de tudo e todos.

Inalcançável.

Era o que eu pensava, o que eu acreditava. Era a minha escolha viver dessa forma, e foi assim desde o dia que vi meu irmão morrer na minha frente por um erro tão ridículo.

Não era pra ter sido desse jeito, não era pra ele ter se levantado as três da manhã, ter deixado a esposa dormindo sozinha, dirigir até a delegacia do distrito e me tirar da cadeia por que eu briguei em um maldito bar onde eu nem deveria estar por ainda ser menor de idade. Não era pra ele ter levantado da cama por que talvez assim ele não tivesse morrido naquela noite quando um bando de adolescente bêbados bateu o carro contra o nosso.

Itachi era meu elo com o mundo, era meu irmão, meu amigo, meu parceiro, era o que me mantinha em pé, ele não podia morrer mas mesmo assim ele se foi e eu me fechei, afogando lentamente na minha própria desgraça.

Eu viveria assim.

Talvez viver não seja a palavra certa mas ainda assim a ideia não muda. Seria desse jeito, eu me deterioraria lentamente com o passar dos anos, me afundando no mar de culpa ao qual eu me joguei. Até que te conheci.

Irritante.

Foi a primeira impressão que tive de você, sempre gritando e exibindo o sorriso idiota por qual todos caiam de amores. Seu gênio extrovertido e expressivo, com a irritante mania de expor tudo o que pensava com tanta determinação. Tão diferente de mim.

Você é como o sol, iluminando tudo por onde passa e deixando uma sensação quente e reconfortante. Eu sou como a noite, fria, incapaz de expor minhas emoções, solitário. Seus olhos tão azuis contrasta com os meus que são como eu, negros e sem vida. Uma existência deprimente. Mas ainda assim você veio até mim e exatamente como o sol quando chega e ilumina o céu revelando um azul tão lindo, você iluminou cada canto obscuro da minha alma, me aliviou do peso da culpa e me fez abrir os olhos para uma nova vida.

Dessa vez era uma vida de verdade.

Todos os dias seus sorrisos mais brilhantes eram direcionados para mim, sempre carregado com sentimentos que você nunca escondeu, muito pelo contrário, fazia questão de dizer em voz alta a cada oportunidade que tinha.

Quando terminamos a faculdade e decidimos nos casar foi um dos momentos mais felizes da minha vida apesar de nunca ter admitido abertamente mas acho que você sabia e isso pra mim bastava. Os primeiros meses foram os mais complicados mais ainda assim eu estava feliz.

Sua bagunça me tirava do sério, tinha a irritante mania de largar a toalha molhada em cima da cama, nunca organizava a sua parte do guarda roupa, apesar da sua comida ser muito boa você sempre deixava uma grande sujeira na cozinha e depois reclamava por que não queria limpar, sempre esquecia de fechar a tampa da pasta de dente, jogava a roupa suja de qualquer jeito no chão do quarto dizendo que mais tarde levaria para a lavanderia mas nunca levava e depois vinha com a desculpa de que tinha esquecido. Era irritante, muito irritante, mas eu ainda assim estava feliz.

Nos brigamos, e muito na verdade, brigamos por motivos pequenos e por grandes também, algumas poucas vezes partimos para a agressão, mas essa é a nossa maneira de nos resolvermos.

Teve momentos que eu quis ir embora porque achava que não suportaria a dor, a sensação de achar que eu não era bom o bastante para estar ao seu lado. Você sempre me dizia que eu era egocêntrico, mas a verdade é que eu sempre fui inseguro, eu tinha medo de te perder, de um dia você acordar e perceber que não queria mais estar com alguém como eu. E mesmo depois de quase 10 anos ainda tenho esse medo.

Você estava chateado comigo e eu não posso te culpar por isso, sei que exagerei e sinto muito. Não é sua culpa que outras pessoas vejam em você tudo aquilo que me fez me apaixonar. Eu sei que vocês apenas trabalhavam juntos, talvez ele não estivesse realmente com segundas intenções quando te chamou para ir a exposição de artes que você tanto queria, mas a simples ideia de que você pudesse se interessar por outra pessoa me assustava de tal forma que não pude me controlar.

Nos brigamos e você saiu.

Eu quis gritar pra você voltar, eu quis correr atrás de você, eu queria pegar o carro e seguir o seu até que parasse e pudéssemos conversar mas não fiz nada disso, apenas sentei na sua poltrona ridícula laranja fluorescente, apoiei o rosto entres as mão e respirei fundo para não chorar e então decidi que iria até a casa da sua mãe de manhã, quando você estivesse mais calmo e pediria desculpas apropriadamente. Eu sei que você me perdoaria, talvez fizesse um pouco de birra no começo apenas para que eu me oferecesse para preparar um delicioso lamen, depois você voltaria para nossa casa e passaríamos nossa tarde de domingo na cama. Eu te conheço melhor que qualquer pessoa.

Mas nada disso aconteceu.

Eram três da manhã quando sua mãe me ligou desesperada, eu não consegui ouvir despois do "acidente", senti como se cada fibra do meu corpor estivesse rasgando.

Muitas vezes você me disse que me amava sem hesitar, sempre com aquele sorriso aberto e um brilho nos olhos tão azul e minha resposta sempre fora a mesma "hn" mas você nunca demonstrou se incomodar, nunca me exigiu uma fala semelhante a sua. Acho que é porque no fundo você já sabia. Mas ainda assim, agora, eu queria ter dito, queria ter respondido todas as vezes, queria ter me expressado melhor. Você não precisou de palavras para entender mas ee ainda queria ter te dito tão claro como você sempre fez. Eu queria gritar que eu...

Mas agora eu não posso falar, não quando você não pode me ouvir, por isso Naruto, acorde, levante, abra seus olhos para que possa te responder da maneira que você merece, para que possa me desculpar por todas as minhas burradas, para que você faça essa dor tão crescente parar de me esmagar o peito como fez antes.

Acorde para que eu possa continuar vivendo.

Já faz dois meses que você está aí nessa cama, parecendo dormir tão serenamente, dois meses que eu espero para ver o azul dos seus olhos, seu sorriso que eu achava irritante, sua voz que tinha o poder de me acalmar e seus toques suaves.

Eu imploro Dobe, por favor, acorde, se não puder acordar então irei dormir com você e finalmente poderei te dizer tudo o que quero.

4 de Marzo de 2018 a las 16:59 1 Reporte Insertar 2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
Juuh Walker Juuh Walker
Oi flor! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags 😉 Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
4 de Marzo de 2018 a las 13:46
~