The Rain Seguir historia

thammirb

Sasuke não era o tipo de pessoa que hesitava em ir atrás dos seus objetivos, o que muitos julgavam como prepotência ele encarava como determinação.Nada o fazia recuar... Não seria aquela doença que ganharia dele. "Ou assim todos nós esperávamos..." ✦NaruSasuNaru✦ ✦Drama✦ ✦+18✦ STATUS[5/5]


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

##ShiIta ##UA ##Romance ##NarutoxSasuke ##SasuNaruSasu ##NaruSasuNaru ##Lemon ##Yaoi ##Naruto
26
7.6mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo 1 - The Sun

ATUALIZADO E REVISADO 21/04/2019


°°°

Abrir os olhos aquela manhã foi provavelmente a coisa mais difícil que ele teve que fazer na vida, okay isso era exagerado, mas naquele momento parecia ser uma tarefa impossível de se realizar. Abandonar a cama macia e quente parecia um sacrilégio com o próprio corpo, ainda mais quando tinha alguém confortavelmente aconchegado as suas costas.

- Acordou? - Uzumaki Naruto indagou ao sentir uma pequena movimentação.

- Sim - a voz soou rouca pela falta de uso. - Faz tempo que você está acordado?

- Um pouco - arrastou o nariz por toda extensão da nuca do parceiro. - Queria ficar um pouco aqui - respondeu suave.

Uchiha Sasuke virou de barriga para cima se desprendendo do leve aperto imposto sobre si. Ficou olhando para o teto sentindo uma preguiça inédita dominar cada célula do seu corpo. Talvez estivesse trabalhando demais.

- Fiquei até tarde escrevendo - comentou casualmente brigando para manter os olhos abertos. - Consegui terminar aquele trecho que comentei ontem à noite.

Naruto sorriu com a fala. Eles eram namorados desde os dezesseis anos e fazia três que moravam juntos, logo após ele ter completado vinte e um anos, somando tudo eles possuíam oito anos de compromisso, um relacionamento com altos e baixos como qualquer outro, mas tão intenso e profundo que um conhecia o outro com exatidão cientifica. Toda aquela calma de Sasuke era puro fingimento. Ele na verdade estava louco de ansiedade, só não queria demonstrar.

Seu companheiro era um renomado escritor que apesar da tenra idade estava concorrendo a um prêmio muito importante. O Prêmio Tanizaki era um dos prêmios literários mais prestigiados do Japão e Sasuke com apenas vinte e quatro anos era o candidato mais jovem a disputa-lo. Caso o Uchiha vencesse seria consagrado como escritor nacionalmente, era um honra, um merecimento que ele sabia que o moreno merecia. Ele nunca poupou esforços para alcançar aquilo e aquela determinação alavancou a sua própria.

- Tenho que levantar - o Uzumaki sentou. - Uma reunião com o chato do seu irmão me espera.

- Que emocionante senhor de diretor de criação e marketing - fez pequenos círculos nas costas bronzeadas. - Vai tomar banho que eu vou fazer o café.

Com movimentos automáticos os dois se sintonizaram rapidamente, anos de convivência deu a eles isso. O apartamento deles era um luxo que fora presente de Itachi, Minato e Kushina e era o verdadeiro xodó do casal. Confortável e grande, mas simples já que ambos não se encantavam por coisas luxuosas.

Minutos depois uma bela mesa de café estava posta e Naruto entrou na cozinha vestindo um terno cinza escuro com uma gravata laranja, Sasuke nem se deu ao trabalho de comentar aquela finalização singular.

- Itachi disse que faz questão da sua presença no baile e não vai aceitar nenhuma desculpa fajuta. - Serviu-se de suco.

- E você sabe exatamente aonde o Itachi pode enfiar essa festa - Sasuke respondeu aborrecido fazendo o loiro gargalhar.

- Eu vou amar dizer isso a ele - sorriu mordiscando um pedaço de fruta. - Mas falando sério, ele não é o único que quer a sua presença lá - olhou-o com intensidade.

- Naruto...

- Olha, eu sei que você não morre de amores pela Konoha, mas teme... Vão anunciar minha promoção oficialmente durante o evento e eu quero muito que você esteja lá - juntou as mãos como se fosse rezar.

Konoha era o nome da gigantesca multinacional fundada pelos clã Uchiha e Senju e que fora agregando novas famílias com o passar dos anos formando um empresa tão rica e poderosa que dominava praticamente todas as ares de mercado. Naruto tinha uma ligação distante com a família Senju e de algum jeito se tornará herdeiro de muitas ações, no entanto o loiro não nasceu com a genialidade para administração que era exigida e sempre foi muito pressionado pelos parentes, exceto seus pais, a desenvolver as habilidades necessárias para gerenciar seu legado.

No entanto o verdadeiro talento dele vinha da criação e produção e mesmo sabendo disso ele iria fazer o que a maioria disse para poder ser o co-presidênte da Konoha ao lado do irmão mais velho de Sasuke que assumira responsabilidades na empresa com apenas treze anos. O herdeiro mais velho do clã Uchiha era considerado um dos maiores gênios de todos os tempos. E mesmo infeliz, Naruto iria seguir o caminho que lhe parecia mais óbvio, foi quando Sasuke interviu. O moreno insistiu para que ele seguisse a carreira dos seus sonhos, começasse a trabalhar na empresa lá de baixo e subir degrau por degrau provando seu valor e só entrar para o conselho quando chegasse a diretor, assim ninguém poderia dizer que ele conquistara o posto por ser filho ou parente de alguém. Seria reconhecido pelos seus próprios esforços.

- Tudo bem... Eu vou - murmurou quase sem mexer os lábios, sabia que o pedido era justo. - Dobe.

Para o Uzumaki era o suficiente. Levantou da cadeira e colocou sua louça sobre o balcão, depois abaixou ao lado de Sasuke que ainda estava sentado. Antes que o moreno pudesse ter alguma reação ele roçou seus lábios de leve como uma pluma. As mãos do Uchiha foram para seus cabelos buscando aprofundar a caricia. Um gemido rasgou a garganta de Naruto com o sabor de café rico na boca do companheiro, era tão Sasuke que o fazia ansiar por mais. Os estalos e suspiros que ecoavam demonstravam a sutil perda de controle de ambas às partes.

- Hm... Naruto... Você não tinha uma reunião? - Sasuke perguntou em um tom levemente repreensivo, mas seus braços mantinham um aperto de ferro no corpo bronzeado.

- A única reunião que eu tenho em mente é eu você e essa mesa - mordiscou o pescoço pálido admirando a mancha vermelha.

- Não era com o meu irmão essa reunião? - Arqueou a sobrancelha.

A palavra "irmão" fez todo o fogo de Naruto apagar rapidamente. Uma das poucas pessoas do mundo que o assustavam era Uchiha Itachi irmão mais velho de Sasuke. Não que tivessem um relacionamento ruim muito pelo contrário eles eram grandes amigos. Contudo, Itachi possuía um senso de proteção para com seu irmãozinho que beirava a psicose. Por conta disso a última coisa que ele gostaria de ouvir era que se novo diretor se atrasara por estar cometendo ousadias sexuais com o moreno mais jovem em cima da mesa da cozinha.

- O Itachi devia se concentrar em comer o Shisui e deixar a nossa vida sexual em paz - resmungou ajeitando o terno que estava levemente desalinhado e pegou a bolsa indo para a porta.

Sasuke deu os ombros achando graça daquela birra, como se a vida sexual deles já não fosse ativa o suficiente. Levantou da mesa, arrumaria aquela bagunça, tomaria banho e terminaria de escrever seu livro ou tentaria pelo menos, duvidara muito que conseguiria fazer algo realmente produtivo enquanto não soubesse o resultado do prêmio.

-... Sasuke.

- Hn? - Virou para o loiro.

- Você vai ganhar, eu tenho certeza - piscou sorrindo.

- Vá lago trabalhar diretor-san, mal foi promovido e já vai chegando atrasado - desconversou apontando com o dedo para fora. - Naruto - esperou os azuis estarem fixos em si. - Se eu ganhar você vai ser o primeiro, a saber.

O Uzumaki riu e finalmente saiu do apartamento. O prédio que eles moravam tinha apenas dez andares e ficava em uma área menos urbanizada de Tóquio, já que ambos gostavam de espaços abertos. Ao chegar à garagem encontrou com seu segundo amor. Sua Ferrari Enzo McLaren P1 na cor laranja vulcano que fora presente do seu avô Jiraya quando ele completou 21 anos, sua mãe quase enfartou quando soube que o carro custava nada menos que 1,2 milhões do dólares, mas o ero-sanin fizera questão que ele aceitasse. Sasuke não gostava muito da cor berrante do veiculo, mas não implicava também e fracamente Naruto amava dirigir aquele carro.

Chegou à empresa com quinze minutos de antecedência, era muito bom entrar nela agora que já era seguro do que fazia. Cumprimentava todos que via com o mesmo calor e simpatia e se orgulhava de receber o respeito dos funcionários afinal ele herdaria boa parte da companhia e não queria ser um daqueles chefes bregas e idiotas. Decidiu ir direto para a sala de reunião, conhecendo Itachi ele já devia estar lá.

- Bom dia - entrou vendo o Uchiha afundado em papéis. - Madrugou aqui foi?

- Bom dia, cheguei mais cedo para trazer o meu pai que nesse momento deve estar enlouquecendo o setor financeiro - revirou os olhos.

O loiro crispou os lábios, não era o maior fã de Uchiha Fugaku, mas infelizmente volta e meia os dois se esbarravam pela Konoha. Porque mesmo que Itachi já tivesse assumido quase todas as funções o patriarca adorava ir até conferir o trabalho pessoalmente e infernizar a vida alheia.

- E o Sasuke? - Itachi bebeu um gole de café finalmente deixando os papeis de lado.

- Bem ansioso embora não queria demonstrar - respondeu voltando a sorrir. - Ele provavelmente vai ficar andando de um lado para o outro hoje.

O moreno sorriu carinhosamente, cheio de orgulho. A impetuosidade de Sasuke beirava a arrogância, entretanto ninguém poderia dizer que ele era covarde. Recusando qualquer tipo de ajuda, e batalhando incansavelmente pelos seus sonhos ele conseguiu se libertar da pressão, do clã e do pai deles de uma vez só.

- Ele vai ganhar, eu li aquele livro e é espetacular.

- Eu disse isso para ele hoje - uma expressa maliciosa fez o Uzumaki parecer mais jovem. - Na cama, sabe.

A testa de Itachi se franziu e um bico inconsciente se formou nos seus lábios. Mil e uma coisas vinham a sua mente sobre o que aqueles dois podiam estar fazendo na cama e ele não gostava de nenhuma nelas. Era um sentimento besta, mas pensar em Sasuke fazendo sexo era horripilante, sua parte imatura não conseguir lidar bem com o fato do seu irmãozinho, aquele que ele trocara as fraldas e ninara, já fazia aquelas coisas. Naruto estava praticamente se engasgando para segurar o riso, adorava provocar o cunhado daquela forma.

- Ele vem para a festa? - Mudou de assunto antes que esganasse o companheiro do irmão.

- Ele disse que sim - ficou repentinamente sério. - Por favor, mantenha o seu pai bem longe para que ele não fale nenhuma gracinha, Sasuke pode até negar mais ainda se ressente muito com Fugaku-san.

O Uchiha assentiu, não podia prometer nada mais faria o possível. Sasuke e Fugaku possuíam relações cortadas há oito anos e parecia que isso não mudaria tão cedo. O orgulhoso patriarca não aceitava a orientação sexual do filho mais jovem e nem a carreira profissional dele.

É, em muitos aspectos seu pai era um idiota.

~*~

Era uma manhã agradável de verão. Os adolescentes exaltavam a ideia de estarem sozinhos em um lugar como aquele, aquela maravilhosa ilha paradisíaca. Era o começo das férias de verão e eles tinham de dezesseis a dezessete anos, todos muito jovens para se preocupar com as responsabilidades do mundo adulto e até o mais distante sorria com aquela imagem de cartão postal da praia.

- Sasuke! Vamos mergulhar - Naruto sorria para o "amigo" que observava o mar e em sua mente já vinham mil e uma histórias que poderia usar nas suas futuras obras.

- Naruto, deixa o Sasuke-kun em paz! - Haruno Sakura repreendeu. - Nós vamos ficar por duas semanas inteiras vamos ter tempo de sobra para aproveitar a ilha.

O Uchiha revirou os olhos para eles, não estava preocupado com mergulhos e caminhadas na praia, apesar do lugar tê-lo conquistado. Ele foi ali para refletir as decisões que tomaria, estava cansado de ficar atrás da sombra do nome do seu clã e longe de tudo e de todos achava que poderia clarear as ideias. E também havia uma coisa questão muito importante.

Olhou de lado para Naruto que conversava animado com Gaara sobre os corais que poderiam ver ao fazer o mergulho. Eles estavam em uma relação pré-estabelecida há quase nove meses e ninguém sabia, ou melhor, olhou nos olhos verdes de Gaara que o encaravam astutos. Alguns suspeitavam, mas ninguém conseguia provar nada.

Não era um idiota, desde sempre a atração que sentiu pelo loiro o confundiu demais e nunca esperou ser correspondido com tamanho entusiasmo. Mas foi. Em uma festa onde havia muito álcool, Naruto o viu beijar outro rapaz cujo nome nem sequer lembrava por também estar em um nível alto de embriaguez. Primeiramente achou que ele ficaria zangado pelo tipo de atração que ele sentia e qual foi a sua surpresa ao notar que na verdade ele estava zangado por ele beijando outra pessoa além dele.

A coisa toda entre eles era totalmente subentendida, não houve pedidos e nem explosões de possessividade, contudo havia um ciúme latente um do outro que o fazia imaginar o quão fundo iam aqueles sentimentos. Ele particularmente estava disposto a ir até o fim com o loiro e diria isso a ele em breve. Quando ficassem sozinhos.

Seus amigos logo se acomodaram e foram aproveitar as maravilhas que aquele paraíso parecia oferecer. Tomaram banho de mar, mergulharam umas cem vezes por causa de Naruto que se apaixonara pelo hobbie, fizeram trilhas, viram animais selvagens em seu habitat natural e fizeram muitas festas a beira da praia. Foram dias maravilhosos, onde a felicidade, amizade e liberdade eram as únicas coisas que importavam. E sempre que saia, Sasuke levava seu bloco de anotações e nele escrevia tudo o que via e da forma que via. Discreto nunca deixava ninguém ver suas anotações, eram dele, parte dele que conseguia colocar no papel, as pessoas as leriam, muito em breve.

Lá pelo décimo dia ele acordou bem cedo, todos ainda dormiam completamente exaustas da festa que tinham dado na noite anterior. Há vinte e cinco minutos do hotel que estavam havia uma pedra que lembrava o formato de uma maçã e só dava para chegar ali através de uma trilha pobre que ele descobriu. De lá poderia ver toda a imensidão do mar azul cristalino e o nascer do sol também. The Sun nasceu lá, seu primeiro livro e ele era todo dedicado há Naruto, porque se havia um corpo celeste que poderia ser comparado ao Uzumaki com certeza era a estrela que governava o sistema solar. Afinal quem mais poderia entrar na vida dos outros e fazer tamanhas mudanças.

Fechou os olhos recordando...

..."Um dia quando saíram da escola e decidiram ir passear até o parque que havia atrás da mesma, uma chuva torrencial haviam sido pegos de surpresa e como se a varinha do destino tivesse se agitado todos sumiram e eles estavam sozinhos. Pararam embaixo de uma enorme cerejeira, seus galhos impediam a água de passar então em volta dela toda estava seco. Sasuke tirou os sapatos e as meias molhadas e com os pés sentiu a grama ainda quente do sol que a poucos minutos clareava o céu.

- Essa chuvona estava prevista? - Ao seu lado Naruto tirou a camisa rapidamente e a torceu. - Não me lembro de ter visto nada disso no jornal.

- Eles podem errar, dobe. O homem gosta de pensar que tem a natureza sobre controle, mas isso nunca vai ser verdade - respondeu encostando-se ao tronco da árvore.

- Uh, teme você e seus momentos filosóficos me assustam sabia - gracejou passando as mãos nos fios e as gotículas escorriam por seu abdômen.

- Isso é porque você não tem nenhum momento filosófico, tamanha inteligente lhe foi negada ao nascimento - devolveu tirando a camisa também.

Naruto bufou e se recusou a responder a provocação. Logo os dois estavam sentados um do lado do outro observando o céu cinzento e nebuloso. Sasuke respirou fundo, amava olhar os espetáculos da mãe natureza e a chuva era o seu favorito.

- Não vou fazer administração - falou de repente fazendo Naruto o olhar surpreso. - Nem advocacia, nem ciências contáveis e nem nada que me obrigue a ficar dentro de um escritório. Não vou para Konoha.

- M-mas teme... Toda a sua família, até a minha trabalha lá, o Itachi começou mais novo que você - os orbes cerúleos estavam arregalados de espanto. Haviam tido uma reunião para começarem a pensar em suas carreiras e o Uchiha fora o único a ficar em completo silencio. Parecia que ele já tinha uma definição em mente.

- Eu não sou meu irmão - respondeu cansado da comparação. - Eu sou o Sasuke e eu tenho outro tipo de ambição para mim. Quero ser escritor.

- Escritor? - Naruto o olhou confuso e ficou quieto por alguns segundos antes de olhar para o céu que soltara um poderoso relâmpago em direção a Terra. - Faz sentido...

- Uh? - Sasuke franziu o cenho, completamente chocado com a resposta. Não esperava isso de ninguém, nem do pseudo namorado. Achava que todos ficariam estarrecidos com a sua opção de carreira, afinal ele era um Uchiha, vinha de um clã de grandes executivos e magnatas. - O que quer dizer com isso?

- Você - segurou a mão branca e macia. - Você é diferente de todos, tem uma forma única de ver o mundo, está certo. Você é o Sasuke e eu acredito... Que vai contribuir de alguma forma para o mundo. Mas vai ser do seu jeito, seu e de mais ninguém.

Não sabia e nem se importava como, mas depois daquela resposta que mostrara que apesar de seus esforços para esconder a sua alma, Naruto conseguiu enxerga-la. O beijou com vontade sendo plenamente correspondido.

Segundos depois estavam deitados em cima das suas camisas ainda úmidas pela chuva. Suas mãos ansiosas percorriam o corpo um do outro em caricias incontroláveis. Era a primeira vez que o contado intimo entre os dois ia a essa profundidade.

Ansioso, Naruto, que estava por cima desceu até os mamilos do parceiro e com a boca os estimulou com prazer reverente. Sasuke castigava o lábio inferior para não gemer muito alto e quando ergueu a cabeça e seu olhar cruzou com as íris azuis e só o que viu foi desejo.

A língua do loiro parecia não ter o suficiente e desceu ainda mais, explorando o tórax magro e definido e conforme o moreno contraia os músculos os pequenos "gominhos" apareciam no abdômen dele e Naruto ficou mais do que satisfeito em mordisca-los. Agora o Uchiha não conseguia segurar as lamúrias sensuais, toda a sua barriga parecia ser um ponto erógeno e a cada investida de dentes ele se arqueava mais para cima puxando os fios dourados.

- Naruto - chamou -, o que você...?

- Quero você - apoiou o queixo na altura do umbigo alheio apertando a ereção por cima da calça. - Quero você inteiro.

O coração de Sasuke acelerou a um ritmo anormal. A expressão do loiro era tão firme e determinada que uma parte de retraiu. Não era comum Naruto assumir o controle daquele jeito. Mais francamente, não importava. Estavam tomados de desejo, de tesão um pelo o outro e era tudo o que importava no momento.

Apoiou-se nos cotovelos para assisti-lo abrir a braguilha da sua calça sem desviar os olhos dos deles, com um puxão retirou a calça junto com cueca deixando o moreno completamente nu ao relento. Seu membro estaca inchado e pequenas gotas peroladas surgiam da ponta.

Sem hesitar, Naruto lambeu toda a extensão parecendo desfrutar bastante do gosto e logo colocou tudo o que podia na boca chupando lentamente, testando qual era o melhor jeito de fazer aquilo e causar ainda mais prazer.

Talvez devido aos hormônios e a química natural que havia entre eles, tudo parecia uma delícia para Sasuke. O loiro alternava entre lambidas e sucções mais profundas e volta e meia gemia em volta do seu órgão fazendo o som vibrar por todo seu corpo e violentos arrepios subirem pela sua coluna.

- Ah... Hmmm, Naruto - dobrou o dedo indicador e o mordeu com força para conter um som alto de prazer.

- Posso, Sasuke? - Perguntou masturbando-o com vigor.

- Isso não... É hora de perguntar... Ah! - Contraiu o rosto em uma careta de prazer. - Pode.

Subitamente nervoso o loiro levou os dedos a boca e sem tirar os olhos do moreno os umedeceu com a própria saliva, Sasuke acompanhava cada movimento respirando pesadamente. Com cuidado levou a mão a entrada que pulsava e penetrou com o indicador atento a qualquer indicio de dor. Colocou o segundo e parou ao ver o parceiro se contrair e tentar se afastar instintivamente.

O desconforto é passageiro, esse era o mantra que Sasuke mantinha em mente tentando relaxar. Puxou os fios dourados até que as bocas pudessem se encontrar novamente e beijou Naruto ansioso para se distrair da invasão. Funcionou, logo haviam três dedos o estocando firmemente e um deles raspou em um ponto que fez todo seu corpo trepidar.

- Oh, isso - murmurou dengosamente.

- Teme... Eu não aguento mais - excitado pela expressão de entrega do moreno, Naruto se ajoelhou tentando abrir a calça.

Sasuke reparou que o zíper parecia estar ganhando e resolveu ajudar, sentou-se e tirou às mãos do Uzumaki do caminho e olhando para ele tirou o botão da casa e desceu o zíper lentamente, admirando as pupilas dilatarem lentamente dentro dos olhos cerúleos. Desceu a calça e tateou por cima da boxer branca e dedilhou toda extensão do cós até colocar a ponto dos dedos e descer lentamente. Em resposta aos seus carinhos, Naruto acariciava com o polegar os seus lábios inchados e vermelhos com calma, mas sua expressão não negava que ele queria acelerar as coisas logo.

- Também quero você usuratonkachi - sussurrou mordiscando a ponta do dedo dele.

Ao mesmo tempo segurou o sexo teso e o masturbou com firmeza, Naruto gemeu silenciosamente e chupou o ar entre os dentes cerrados. O Uchiha tinha que admitir aqueles sons eram como gasolina para sua excitação, explosivo.

- Não aguento mais, Sasuke - o azul das íris praticamente desaparecera e essa era uma visão que o moreno adorou ter.

Abriu as pernas em um convite mudo e rapidamente Naruto se acomodou entre elas. A cabeça bulbosa do seu membro instigou a entrada de Sasuke, mas sem de fato penetra-lo.

- Anda logo - murmurou gemendo de desejo e antecipação.

- Respire - mandou segurando o sexo com a mão para encaixa-lo. - E não lute contra mim.

Em um movimento lento mais firme penetrou-o totalmente em uma estocada, Sasuke apertou a grama embaixo de si para não gritar enquanto o suor culminava pelo corpo de Naruto que fazia um esforço sobre humano para não se mexer. Os dois ofegavam fortemente e só quando o moreno deu um pequeno indicio de estar sentindo menos dor foi que o Uzumaki passou a se investir lentamente.

Os dois se aproximaram para se beijar de novo e a urgência e paixão da caricia fez com que os movimentos acelerassem espontaneamente.

- Ah Deus, S-Sasuke - Naruto gaguejou quando seu pênis saiu toda, permanecendo apenas com a glande no interior apertado e enterrando-se completamente de uma só vez. - Você é tão apertado.

Sasuke não respondeu, não estava conseguindo pensar e só arranhou as costas suadas para conter aquele vortex sensual. Deleitava-se com o cheiro natural de Naruto misturado ao seu e os sons que seus corpos produziam ao se encontrarem com violência. De repente o membro teso roçou na sua próstata o fazendo sentir um pico de prazer inimaginável.

- AH! Naruto... Naruto - gemeu incapaz de se conter movimentando o próprio quadril com mais vontade, ansioso para sentir mais daquela sensação.

- Amo quando você geme meu nome - a voz do Uzumaki estava rouca. A voz excitada rente ao seu ouvido só fez o moreno se arrepiar e contrair o corpo aumentando o aperto, fazendo Naruto grunhir animalescamente. - Porra, Sasuke!

Os movimentos foram ficando cada vez mais desesperados, a chuva ainda caia fortemente e uma brisa gelada balançava as árvores, mas isso pouco era sentido por eles.

Naruto apertou a coxa branca abrindo-a para ter mais espaço e investindo fortemente. Estava sentindo o baixo ventre contrair e sabia que o ponto culminante de prazer se aproximava.

- Se masturba - mandou com uma voz irreconhecível. - Você vai gozar junto comigo.

Sasuke atendeu ao pedido rapidamente, ansioso pelo clímax. Bastaram alguns movimentos para o orgasmo mais forte que já tivera o atingir como um raio e logo sua essência sujava ambas as barrigas suadas e seu prazer só se estendeu ao sentir que Naruto também gozava dentro dele com um gemido estrangulado.

Cansado, o loiro deixou o peso cair e deitou sobre o peito do Uchiha que ainda subia e descia pela respiração descontrolada. Apoiou-se nos braços para poder olhar o rosto aristocrático que ainda exibia uma coloração avermelhada. Os dois ficaram se olhando por um tempo em silêncio, antes de se beijarem docilmente.

Por bom tempo eles ficaram lá, ouvindo o som da chuva, refletindo sobre o que acabara de acontecer e agradecendo aos céus por não ter ninguém para testemunhar aquilo. Os beijos escondidos que trocavam e até as caricias mais ousadas não eram nada comparado com o que haviam acabado de sentir."

- Achei você! - Sasuke sobressaltou-se ao ouvir a voz estridente do loiro que estava sem seus pensamentos bem atrás dele. - Fugiu do hotel por quê?

- Estava pensando - respondeu sem se virar.

- Em quê? - Indagou olhando-o de uma forma tão apaixonada que ainda conseguia chocar Sasuke.

- Na primeira vez que transamos - respondeu desviando o olhar e sentindo as bochechas esquentarem.

O Uzumaki piscou e depois gargalhou deitando na pedra. Era uma excelente lembrança aquela.

- É, você não sabe quantas vezes eu bati uma lembrado disso - falou bobamente.

- Arg, você é um idiota - Sasuke vociferou fechando a cara e cruzando os braços.

Naruto franziu a testa confuso, seu namorado estava mais sensível que o normal. Será que estava de TPM?

- Ei - colocou a mão no ombro dele. - Agora é serio... O que foi?

O Uchiha suspirou profundamente e se concentrou no sol que subia encoberto por algumas nuvens, mas isso não impedia de clarear tudo a sua volta.

- Vou abrir o jogo com a minha família - olhou para o loiro que ficou estarrecido. - Sobre tudo.

Naruto abriu e fechou a boca várias vezes tentando formular uma resposta, contudo o choque parecia ter neutralizado os seus neurônios.

- Isso é sério? - Conseguiu perguntar com a voz falha e o moreno assentiu firmemente. - A faculdade? O trabalho? Nós?

- Tudo Naruto - confirmou extremamente sério.

Aos poucos um sorriso genuíno e meio retardado surgiu na face do Uzumaki que não aguentou e se inclinou para beijar o namorado, agora não importava que alguém visse.

- Teme! Isso é demais! Eu vou contar para os meus pais também, se bem que eles já desconfiam há um tempo eu só vou precisar confirmar e depois... - A voz de Naruto morreu assim como a alegria. - Fugaku-san não vai lidar bem com isso, vai?

Naruto mordiscou o lábio para conter a surpresa ao ver os olhos do namorado brilhar com lágrimas contidas e o Uchiha torceu a expressão em um esforço para não deixar o pranto vir. Nunca havia visto Sasuke chorar antes, nem quando eles eram crianças.

- Meu pai... A verdade é que ele não me enxerga - sorriu melancólico. - Passei boa parte da minha vida tentando ser como o meu irmão para ele me visse, nem que fosse só um pouquinho. E mesmo assim não foi o suficiente, por causa disso eu nunca tive a chance de descobri a mim mesmo. Mas de um tempo para cá isso mudou eu tomei a decisão de fazer a minha própria história. - Sorriu de leve. - E eu não volto atrás com a minha palavra.

- Ei! Essa frase é minha! - Reclamou Naruto sentindo o peito apertar com uma mistura caótica de sentimentos. - Eu vou estar com você, em cada segundo e obstáculo. Eu prometo que vou estar com você.

Uma garoa de leve caiu sobre eles, umedecendo a terra e fazendo aquele cheirinho gostoso subir, mas logo ela passou e eles decidiram voltar para o hotel e encontrar os amigos de ressaca.

A primeira parte: contar aos seus companheiros de infância foi bastante fácil. Metade já suspeitava e a outra metade não se importou alguns disseram que eles só oficializaram o que já era nítido para todo mundo. Alguns "aleluia", "até que fim", "finalmente tomaram vergonha na cara" soaram pelo restante do dia e Ino se prontificou a organizar o casamento deles no futuro. Saber que não seriam julgados pelos amigos aliviou seus corações, tinham ciência que a maioria era cabeça aberta, mas jamais podiam esperar aquela aceitação total.

Foi Sakura que se prontificou a explicar.

"Todos aqui são amigos e se conheceram basicamente ao mesmo tempo. Mas vocês dois, tem alguma coisa diferente, especial. É como se um não pudesse existir sem o outro e sabíamos que isso aconteceria mais cedo ou mais tarde, só lamento perder o Sasuke-kun para você Naruto, mas acima de tudo quero que sejam felizes."

Foi como tirar chumbo das costas, por que todas as pessoas do mundo não podiam ser assim? Afinal você não escolhe quem vai amar, apenas ama.

A segunda parte, os pais de Naruto também foi relativamente fácil, embora levemente constrangedora. Os dois sentaram na sala da família e os quatro ficaram em silêncio por uns cinco minutos até Kushina levantar do sofá e gritar para quem quisesse ouvir que sabia que eles estavam juntos há muito tempo e que isso não era nenhum problema para ela. Minato também demonstrou apoio total aos rapazes e só disse que eles deviam estar prontos para as adversidades da sociedade.

Ambos eram muito jovens, mas estavam decididos. Naruto aproveitou a deixa para contar aos pais que faria publicidade e marketing e iria trabalhar na Konoha sim, mas de acordo com os seus talentos e chegaria ao posto de diretor e faria parte do conselho pelo seu próprio esforço.

Sasuke de certa forma admirava aquela confiança mutua e não pode deixar de sentir uma pontinha de inveja por aquele relacionamento feliz, mas ele rapidamente desfez aquele sentimento. Naruto não era o único que trilharia um caminho para a vitória.

E agora havia a pior e última parte, contar aos seus pais...

~*~

Em casa, Sasuke estava sentado na pequena varanda com o notebook aberto em cima das pernas. Estava tentando escrever, mas como previra nada produtivo estava saindo e ele se pegou pensando no passado. Tudo que passara para chegar aquele momento e como se sentiria se não conquistasse o prêmio.

Comunicar aos seus pais suas escolhas pessoais foi à coisa mais difícil que teve que fazer e infelizmente não teve Naruto ao seu lado para fazer aquilo. Seu pai o pegara de surpresa e mesmo sabendo que era o filho menos amado foi naquele dia que ficou explicito a falta de carinho dos seus progenitores. Ele tivera pouco menos de meia hora para pegar as coisas dele e sair daquela casa, à sensação de abandono nunca tinha sido tão grande e sua mãe embora se desfizesse em pranto não disse uma palavra ao seu favor.

Só conseguiu terminar a escola porque o diretor conhecia sua família de muito tempo e deixou-o fazer uma prova para conseguir uma bolsa de 100% já que seu pai foi bem claro ao dizer que não o sustentaria mais. Itachi que na época fazia um curso na Europa só veio saber daquilo meses depois, pois ninguém o avisara. Louco de raiva seu irmão mais velho se prontificou a ajuda-lo a cobrir todas as necessidades, mas Sasuke recusou terminantemente. O dinheiro de Itachi vinha de Konoha, logo pertencia ao pai deles também e ele não queria nada que fosse ligado a Fugaku.

Sabia que as reações podiam ser as piores possíveis e por isso tomou precauções, havia juntado um bom dinheiro da sua mesada e já tinha um emprego de meio período e lugar para ficar. Trabalharia em uma loja de livros no centro que pertencia a Iruka um antigo professor deles e dividiria um apartamento com Juugo um rapaz que conheceu quando praticava artes marciais.

Toda aquela loucura deixou seu tempo mínimo o que Naruto não conseguiu encarar muito bem, o loiro não entendia porque o namorado não vinha morar na casa dele e porque recusava a ajuda do irmão. Imaturamente o Uzumaki queria a atenção do Uchiha para si, o que era compreensível, já que o relacionamento deles estava no inicio. Entretanto Sasuke fora taxativo em dizer que tinha que fazer as coisas do seu jeito para poder olhar para trás sem arrependimentos. Em uma das crises que tiveram os dois trocaram insultos nada bonitos. Sasuke em um rompante de cansaço e raiva gritara que não tinha culpa por Naruto ter a vida perfeita e o futuro garantido e que não precisava esperar por ele. Ofendido, Naruto revidara dizendo que ele só estava fazendo aquilo para provar que não precisava de ninguém e que não era culpa dele pelo Itachi ser melhor em tudo.

Assim que aquela frase saiu da sua boca o loiro sentiu um arrependido tão grande que poderia esmaga-lo, a dor de ver toda aquela magoa e tristeza nítidas no rosto de Sasuke e fez se sentir a pior das criaturas. Havia ido diretamente ao ponto fraco do namorado e vitória baseada em fraqueza não era vitória. Era crueldade.

Foi naquele momento que Hatake Kakashi interviu, o grisalho era um editor muito conceituado no mundo da ficção e fora até lá para conhecer o jovem que segundo Iruka, seu antigo amigo de faculdade, era um diamante bruto a ser modelado para se tornar o maior escritor da sua geração. Esperando no escritório testemunhou a briga entre os rapazes desde o inicio e quando a discussão se tornou um silêncio sepulcral ele achou que era a hora de dar as caras. Ele informou que estava ali para conversar com Sasuke e Naruto desculpou-se indo para saída murmurando que ligaria para o namorado mais tarde. Esse nada respondeu ainda parado no mesmo lugar olhando fixamente o loiro, incapaz de aguentar aquele ambiente o Uzumaki saiu rapidamente.

Kakashi calmamente fez um café para eles e começou a conversar com o jovem Uchiha e explicou a razão de estar ali. Ao ler o manuscrito de The Sun deu total apoio a opinião de Iruka o rapaz tinha talento e com a orientação certa um futuro promissor. Experiente como ele era, não pode deixar que havia muito de Naruto naquele livro, já conhecia por alto a história dos garotos pelos comentários do colega e admirava a coragem deles.

O Hatake de certa forma foi o responsável pela reconciliação deles depois daquela briga, Sasuke era demasiado orgulhoso e recusou-se a atender todas as ligações de Naruto e a encontra-lo. Kakashi sentou com ele e enfiou na cabeça um fato, Naruto podia ser o sol, iluminava todos a sua volta, mas a "luz" era toda direcionada a Sasuke e sempre, sempre mesmo voltaria para ele.

- Acho que a definição de vocês dois seria o sol e a lua - comentara uma vez ao moreno que não respondeu e na mesma hora o celular tocou a música personalizada delatava quem era e o editor ficou encarando o rapaz que vencido atendeu a vigésima ligação do namorado.

Levou algumas semanas para os momentos entre eles perderem aquela "neblina" e ambos ficaram insuportáveis aquele tempo. Nunca contara a ninguém mais seu segundo livro "The Moon" só existira por causa daquela briga. Depois de uma noite bem fervorosa e alguns puxões de orelha de Kushina os dois se acertaram completamente e nunca mais tiveram uma discussão daquela magnitude.

O toque do celular tirou Sasuke de seus pensamentos e ele colocou o computador portátil de lado.

- Alô?

- Sasuke! - Era Kakashi, por coincidência.

- Kakashi, eu estava pensando em você - falou tranquilamente andando para a beirada.

- Pensando em mim? Deixa o Naruto ficar sabendo disso, sua raposinha é bem ciumenta.- O editor provocou e o moreno apenas grunhiu. - Você deve imaginar o porquê da minha ligação, correto?

- O resultado do prêmio - conseguiu conter a rouquidão da voz de nervosismo e pareceu quase desinteressado.

O homem do outro lado da linha riu daquilo, Sasuke deveria ter sido ator em outra encarnação, mas por conhecer bem o rapaz sabia exatamente o que ele estava sentindo. Decidiu acabar logo com o sofrimento dele.

- Meus parabéns Sasuke! - o escritor prendeu a respiração. - Por ser o mais jovem ganhador do prêmio Tanizaki

O restante da conversa ficou embaçada para o moreno que só voltou ao normal ao sentar no sofá. Kakashi falou algo sobre uma cerimônia, uma placa de ouro e um milhão de ienes, mas nada daquilo importava e teria que ligar para o editor de novo para saber os detalhes em um momento que estivesse mais calmo.

Ele havia conseguido! Havia ganho!

Abriu o aplicativo de mensagens e digitou rapidamente para seu primeiro contato na lista de favoritos.

"Conseguimos."

Era o suficiente.

Praticamente um minuto depois ele recebeu a resposta e não pode deixar de achar graça. Era uma foto de Naruto e Itachi com os polegares para cima e se não estivesse vendo coisas haviam lágrimas nos olhos do seu irmão. Em seguida veio uma segunda foto e Sasuke franziu a testa, agora seu irmão parecia furioso e Naruto não estava mais a vista, revirou os olhos para a legenda.

"Seu irmão parece chateado, será que e porque eu falei que nós vamos ter que fazer muito sexo para comemorar seu prêmio e a minha promoção?"

Sua vida não era perfeita, nem equilibrada e muito menos fácil. Mas sentia orgulho dela e de suas vitórias e das derrotas também. Podia não demonstrar sempre, mas era grato as pessoas que o apoiaram, pois sabia que sem elas, talvez ele não tivesse chegado onde estava.

~*~

A Konoha era uma das poucas empresas do mundo que tinha infraestrutura para dar uma festa como aquela. Algo em torno de dez mil pessoas abarrotava os salões da companhia. Muitos funcionários, sócios, familiares, imprensa e pessoas do meio artístico reunidos em um só local. Era o tradicional baile de aniversário da empresa que arrecada fundos para causas beneficentes, naquele ano completava três décadas de sucesso absoluto. Fazer parte daquele luxo e sofisticação era a ambição de vida de muitas pessoas.

Mas haviam as suas exceções...

Sasuke sentia uma irritação latente brotar ao ter tantas máquinas fotográficas voltadas para ele. Era de conhecimento geral que ele era a "ovelha negra" da família e por isso sempre tinha um ou dois paparazzi na sua cola. Claro que o fato dele ter ganho o prêmio Tanizaki tornava tudo mais excitante para os editores de jornais e revistas. Ao seu lado, Naruto exibia um comportamento incrivelmente maduro e ignorava os flashes elegantemente. Sua mão nas costas do Uchiha deixava implícito o tipo de relacionamento que eles tinham, embora nunca tenham confirmado nada de fato.

Ao entrarem no salão principal puderam ver que não foram poupados custos para fazer daquela a festa do ano. Muitos de seus amigos estavam lá e demoraram bons vinte minutos para chegar a mesa destinada a eles que graças a Deus era junto de Minato e Kushina bem longe do clã Uchiha.

- Que bom que você veio - Itachi surgiu lhe entregando uma taça de champanhe.

- Nii-san, você que foi o responsável pela organização? - Brindou com o mais velho antes de beber o líquido gasoso.

- Algumas coisas, Yamanaka Ino foi a responsável pele decoração - olhou no fundo dos olhos do irmão. - Parabéns pelo premio, otouto. Estou muito orgulhoso, você mereceu.

O mais jovem assentiu feliz com o reconhecimento e seu olhar caiu sobre a mesa que estavam seus pais. Fugaku conversava com alguém já Mikoto olhava diretamente para ele com uma expressão em mescla de determinação e impotência. Itachi seguiu seu olhar e suspirou.

-... Ela quer muito falar com você.

- Ela sabe onde eu estou e onde eu moro se quisesse mesmo já tinha falado há muito tempo - respondeu virando de costas.

Naruto que só ouvia a conversa suspirou mentalmente, estava começando a se arrepender de ter convencido Sasuke a vir. Mas queria tanto que ele estivesse lá quando fosse anunciado diretor que não pensou no que toda aquela exposição faria ao parceiro. Deixou a cabeça pender de leve.

- Pare já com isso! - A voz de Kushina foi baixa mais firme. - Erga essas costas, Sasuke esta aqui com você porque ele quer e depois de tudo que vocês passaram não serão fofoquinhas de gente hipócritas que vai abala-lo.

- Sua mãe esta certa - Minato bagunçou o cabelo do filho. - Vai lá cumprimentar os seus amigos.

O loiro sorriu aos pais e procurou a sua turma, estavam reunidos no bar personalizado, inclusive Sasuke que tinha se afastado com Itachi. Todos estavam rindo e se divertindo e ele achou melhor afastar a insegurança.

- Olha só quem chegou - Kiba apontou. - Nosso novo chefão de marketing.

- Quem diria que você conseguira chegar a esse posto com vinte e quatro anos - Sai comentou do jeito natural de sempre. - Para quem não conseguia fazer cálculos simples até a oitava série até que você se saiu bem.

- Ora seus...! - Entrou na pilha ao ser motivo de chacota. - Eu vou fazer todos vocês serem demitidos seus putos!

As gargalhadas não puderam ser evitadas e as horas passaram rapidamente entre drinks, música e conversa jogada fora. O clima atenuou e muita gente queria falar com Sasuke sobre o prêmio mais ele recusava e dizia que a noite era do idiota que conseguiu a promoção dos sonhos.

- Ain, vocês dois são o casal modelo, sabiam? - Tenten que já estava na cota de álcool murmurou. - Eu quero isso também.

Mais uma rodada de risos e o "casal modelo" tentava esconder o embaraço que sentiam pelo comentário da amiga e nem repararam um par de olhos negros e severos olhando friamente para Sasuke.

- Atenção, por favor - Senju Tobirama subiu ao palco. - Gostaríamos de fazer alguns anúncios e por isso peço para que todos se sentem.

Naqueles minutos parecia que Naruto iria explodir de felicidade e por baixo da mesa segurava fortemente a mão de Sasuke. Ao seu lado seus pais exibiam sorrisos gêmeos de puro orgulhoso dos feitos do filho.

- A Konoha foi esse ano a empresa mais ecologicamente responsável e teve um crescimento de 15,2% o que nos colocou como a maior multi nacional do país e a quinta maior do mundo - as pessoas bateram palmas. - É com orgulho que informo que nossa taxa de demissões foi a menor de todos os tempos - mais comemorações. - E agora me permitam anunciar nosso novo diretor de marketing, coordenador de produção e membro do conselho, Uzumaki Naruto.

Agora uma salva de palmas vigorosa preencheu o salão junto com alguns assovios de brincadeira enquanto o loiro ia em direção ao palco. Minato tinha o peito estufado e Kushina chorava discretamente até Uchiha Fugaku aplaudiu mesmo que relutantemente.

- Bem... Obrigado pela confiança acho que vocês são meio loucos, mas tudo bem - coçou a cabeça nervoso enquanto todos riam. - Não, agora é sério. Obrigado de verdade a todos que acreditaram em mim e que me deram essa oportunidade. - Os olhos azuis se prenderam aos negros do namorado/noivo/marido, quem ligava. - Sorte é a palavra que muita gente usa para descrever o sucesso de outras pessoas, mas só quem levanta todos os dias para lutar pelos seus sonhos sabe que isso na verdade se chama determinação, coragem e persistência. As batalhas diárias não são fáceis, não são simples. Felicidade, sucesso e reconhecimento não caem do céu é preciso lutar por elas e ser merecedor delas. Agradeço as pessoas que eu amo por me ajudarem a moldar o meu destino e espero ter ajudado elas a moldar o delas também. - Os olhares iam de Naruto a Sasuke entendo bem a mensagem que o recém-promovido estava dando. Eles dois não se importavam e nem por um milésimo de segundo desviaram a atenção um do outro. - Obrigado de novo e vamos curtir essa festa!

A expressão de Sasuke era leve, um murmúrio preenchia os salões com comentários, o discurso de Naruto daria as pessoas o que comentar por semanas. Graças a Deus eles já haviam superado isso e não se abalavam mais com fofocas. Um orgulho sem igual pulsava no peito ao ver o loiro ser cumprimentado pelos outros membros do conselho, inclusive aqueles que diziam que ele nunca conseguiria chegar aquele posto. Teria que recompensa-lo por aquela declaração em público, sorriu de leve. Felizmente ele era o único a ter o conhecimento de como o menino raposa era tarado.

Até que de repente a sua visão começou a desfocar...

Franziu a testa piscando fortemente, agora tudo estava girando, apertou a beira da mesa com a mão. Todo o senso de equilíbrio parecia ter fugido, era como se ele fosse cair a qualquer momento. Respirando fundo, tentou manter a calma para não alarmar ninguém, por sorte ele estava sozinho na mesa já que seus sogros foram até o filho. Levantou da cadeira precisando de ar.

A saída que ele escolhera dava para o saguão principal da empresa e por sorte estava vazio. A tontura estava melhor, mas agora um súbito cansaço parecia dominar cada célula do seu corpo. Toda a tensão dos últimos dias devia ter drenado suas energias. Talvez depois da premiação ele devesse dar uma pausa.

Olhou a volta e um enorme quadro chamou sua atenção. Na imagem que ocupava boa parte da parede estavam retratados Senju Hashirama e Uchiha Madara os fundadores originais de Konoha com seus vinte e poucos anos. Madara era seu tio, mas ele não tivera a chance de conhecê-lo, pois ele e o irmão Izuna morreram em um acidente de barco um pouco antes dele nascer. Lembrava que uma vez seu irmão comentara que o avô deles falecera de tristeza por perder os dois filhos de uma vez só, entretanto seu pai nunca comentava o assunto.

- Não estou dizendo que não há pessoas competentes aqui - ouviu passos e vozes se aproximando. - Mas será que é tão difícil assim você acompanhar a empresa um pouco mais de perto?

Eram os irmãos Senju, Hashirama parou de andar ao vê-lo e Tobirama que vinha reclamando de alguma coisa parou também confuso pela estagnar repentino do mais velho e seguiu o olhar dele.

Os três ficaram em silêncio e os olhares dos mais velhos iam do quadro ao rosto do rapaz que estava começando a se sentir apreensivo. O albino apertou os olhos com força e sem dizer uma única palavra deu as costas saindo do recinto rapidamente. Sasuke piscou abismado com aquela reação.

- Peço desculpas por isso - Hashirama limpou a garganta. - Sasuke, certo?

- Sim - afirmou vendo o castanho para ao seu lado olhando fixamente para o quadro.

- Meu querido irmão mais novo estava chamando a minha atenção porque eu não passo muito tempo aqui, mas ele não consegue olhar para você por mais de dez segundos, é bem irônico.

O Uchiha não disse nada, estava intrigado por aquele comportamento e não sabia exatamente o que o outro queria dizer com aquelas palavras.

- Por que ele não consegue olhar para mim?

- Porque você se parece com Izuna e ele não superou a morte dele ainda e nunca vai superar, afinal eles não tiveram tempo - olhou-o o rapaz que estava visivelmente surpreso. - Você não sabia? Eu e Madara, Tobirama e Izuna... Foi quase uma calamidade pública na época - riu saudoso.

- Vocês estavam juntos... Juntos, juntos? - Como nunca soube daquilo?

- Estávamos juntos desde crianças. Assumimos-nos com quinze anos sem medo e prontos para as consequências - lançou uma olhar sagaz ao jovem. - Parece familiar para você?

Sasuke arregalou os olhos, era uma história muito similar a sua com Naruto. Olhou para o rosto de tio se perguntando como a sua vida poderia ter sido diferente se tivesse alguém como ele ao seu lado para apoiar e orientar.

- Gostaria de tê-los conhecido, meu pai dizia que eu parecia mais filho do Izuna do que dele, mas eu nunca entendi o que isso significava - confessou com uma pontada de tristeza, sentindo a fraqueza retornar e sentando em degrauzinho que havia ali.

- Izuna era uma pessoa incrível também, meu irmão o amava profundamente, mas sempre foi muito teimoso e orgulhoso para viver isso plenamente e quando ele finalmente conseguiu, pouco depois veio o acidente - sentou ao lado do rapaz. - É aquela velha lição de se aproveitar enquanto tem tempo... Você está bem?

A palidez do moreno ficou bastante destacável na tez normalmente branca ao ponto dos lábios perderem a coloração normal.

- Eu estou bem - respondeu com dificuldade. - É só cansaço.

Hashirama observou a cor retornar ao rosto do rapaz lentamente, mas ele não parecia estar melhorando para levantar, pelos mexericos sabia que ele não se dava bem com a família então não devia ser a coisa mais fácil do mundo vê-los tão de perto.

- Ah, parabéns pelo prêmio jovem autor, seus tios teriam muito orgulhoso de você - cumprimentou ao perceber que ele já estava mais recomposto.

Antes que Sasuke pudesse responder um barulho chamou a atenção deles. Era Uchiha Fugaku que caminhava elegantemente com o filho mais velho ao seu lado, o patriarca ficou visivelmente desgostoso ao vê-los e passou reto sem de dar ao trabalho de cumprimenta-los.

- Quando tempo Fugaku - Hashirama soou mais energético que o normal. - Como vai?

- Eu vou muito bem - respondeu virando-se para o Senju ainda sem olhar para o filho mais jovem. Não podia deixar de falar com aquele homem, afinal ele o co-fundador da Konoha. - E você?

- Bem também, estava aqui cumprimentando seu filho pelo livro esplêndido que ele escreveu e pelo prêmio que ele ganhou em prol disso. Você devia fazer o mesmo.

Um silêncio sepulcral tomou conta do ambiente, até as vozes que vinham do salão pareciam ficar mais distantes. Hashirama estava incisivo, Itachi apreensivo, Sasuke pesaroso e Fugaku afrontado.

- Você andou escrevendo algum livro? - O Uchiha mais velho voltou-se para Itachi que fechou a expressão imediatamente.

- Pai, por favor, não faça isso - grunhiu irritado.

- Eu estava falando do seu outro filho - O Senju continuou agora de pé. - Sasuke.

- Não sei quem é esse - respondeu prontamente. - E eu só tenho um filho.

Não era a primeira vez que ouvia aquilo, mas não doía menos. Sasuke engoliu o nó que surgiu na garganta e sentiu a cabeça pulsar deixando sua visão duplicada novamente e implorou para aquilo terminar logo, não queria aquele embate.

- Imagino o que o seu irmão acharia disso - Hashirama parecia furioso. - Não acho que ele estaria muito satisfeito com essa sua atitude, ou acaso esqueceu que deve a vida a ele?

Itachi e Sasuke arregalaram os olhos e Fugaku pareceu lívido de indignação.

- Como ousa?! - Os dois destilavam fúria pelos olhos e por um momento, Fugaku olhou diretamente para Sasuke que o encarou de volta neutro. O patriarca bufou e deu as costas a todos se dirigindo a saída. - Avise a sua mãe para me encontrar no carro.

Itachi olhou para o irmão consternado e seguiu o pai no intuito de acalma-lo. Sasuke suspirou ruidosamente, tudo o que queria era ir para casa.

- Me desculpe - o castanho também respirou fundo. - Me meti em um problema de família, não foi? Sinto muito, rapaz.

- Não se preocupe com isso - levantou alongando as pernas que estavam formigando. - Eu tenho que ir... O que você... - Desviou os olhos para o retrato do tio. - O que quis dizer quando falou que meu pai devia a vida à Madara?

Hashirama também olhou para a foto, sentindo a mesma de dor cruzar seu peito. Faziam quase vinte e cinco anos e ainda machucava como se tivesse sido ontem. Havia se casado, estava estabelecido e chegou onde todos os homens queriam chegar e mesmo assim não era o suficiente.

- Essa é uma história para outro dia e talvez não seja eu que deva conta-la a você.

- Sasuke! - Naruto gritou avistando-o. - Caramba eu estou te procurando a um tempão - aproximou-se selando os lábios com os do moreno que corou de leve com a ação espontânea. - Hashirama-ojichan, quanto tempo.

O castanho que desviara os olhos ao perceber o constrangimento do Uchiha sorriu a rapaz loiro que parecia completamente à vontade em abraçar o namorado.

- Olá, Naruto. Parabéns pela promoção - apertou a mão dele. - Tenho certeza de que você fará um excelente trabalho.

- Eu pretendo mesmo... Você conhecia o Sasuke?

- Nós conversamos um pouquinho - piscou o olho ao moreno que maneou a cabeça. - Eu tenho que ir e achar o Tobirama, vejo vocês a qualquer hora.

Os dois sibilaram despedidas e o mais velho se afastou voltando pelo caminho feito pelo Uzumaki que dava ao salão principal.

- Tá tudo bem? - Naruto indagou ao perceber a expressão de paisagem de Sasuke.

- Não é nada... Eu só encontrei com o meu pai - ajeitou a franja que caia na testa. - Podemos ir ou tem mais alguma coisa que você tem que participar?

- Não, já acabou. Eu estava te procurando justamente para isso, to louco para ir para casa também - circulou a cintura magra do Uchiha que apoiou a cabeça no seu ombro. - Tem certeza de que está tudo bem?

Sasuke esfregou a ponta do nariz no pescoço bronzeado, estava tão cansado. Afastou o rosto e beijou o loiro que retribui com carinho. Foi lento e calmo, podiam sentir o gosto de champanhe nas línguas um do outro e demoraram uns bons minutos para se afastarem.

- Tá sim, só quero ir para casa.

- Okay.

Eles iriam de despedir dos amigos e dos pais de Naruto e usariam uma das centenas de carros alugados pela empresa para levar os convidados de volta as suas casas. Antes de ir, Sasuke lançou um último olhar para o retrato do tio sentindo um sentimento indescritível no peito. Essa dificuldade com relação a sua família o estava matando por dentro e ele desejou por momento ter os tios que nunca conheceu ao seu lado. Ia ser bom para variar um pouco.

- Está orgulhoso do seu irmão Fugaku? - Perguntou baixinho a imagem como se ela pudesse responde-lo. - Não sou do tipo piegas, mas porque ele faz isso?

Talvez fosse a resposta que nunca conseguiria ter.

4 de Marzo de 2018 a las 01:57 1 Reporte Insertar 10
Leer el siguiente capítulo Capítulo 2 - The Moon

Comenta algo

Publica!
Donna Dan Donna Dan
Olá, Thammi ! Sou da equipe de Verificação do Inkspired. Vi que sua obra ainda não estava verificada e como já havia prometido ler, estou aproveitando <3 Verificar suas histórias serve para que os leitores as encontrem entre as melhores histórias no quesito ortografia e gramática. A verificação não é necessária ou obrigatória, apenas ajuda a dar destaque dentro do site. Portanto, se não tiver interesse em modificá-la, fique à vontade. Caso queira verificar outras histórias de sua autoria, basta contratar o serviço na aba “Serviços de Autopublicação”. Seu texto foi colocado em revisão pelos seguintes pontos: 1. Pontuação. Faltam vírgulas em algumas situações como para listar coisas e eventos ("eu você e essa mesa" em ve de "eu, você e essa mesa") e em alguns vocativos ("Uchiha Itachi irmão mais velho de Sasuke" em vez de 'Uchiha Itachi, irmão mais velho de Sasuke" e "Vá logo trabalhar diretor-san, mal foi promovido" em vez de "Vá logo trabalhar, diretor-san, mal foi promovido"). Há frases com sentido completo que deveriam ser separadas por vírgulas também, como "se orgulahda de receber o repeito dos funcionários afinal ele herdaria" em vez de "se orgulahda de receber o repeito dos funcionários, afinal ele herdaria". Há também vírgula separando um trecho que não deveria, como "você vai ser o primeiro, a saber" em vez de "você vai ser o primeiro a saber". 2. Acentuação: "intimo" em vez de "íntimo" e "mutua" em vez de "mútua". Faltam acentos em alguns verbos contraídos com o pronome, como "encaixa-lo" em vez de "encaixá-lo" e "enxerga-la" em ver de "exergá-la". 3. Digitação: "ares" em vez de "áreas" e "de retraiu" em vez de "se retraiu". Trecho confuso: "uma chuva torrencial haviam sido pegos" 4. Verbo: "tornará" (futuro) em vez de "tornara" (passado, que é o tempo da narrativa). No lugar de "subir degrau" usar "subisse degrau" e no lugar de "entrar para o conselho" usar "entrasse para o conselho"- para manter o tempo verbal da narrativa. "duvidara muito que conseguiria" em vez de "duvidava muito que conseguiria" - pois ele ainda duvidava no tempo da narrativa. "todo dedicado há Naruto" em vez de "todo dedicado a Naruto" - aqui não é o verbo "haver" e sim a preposição "a". 5. Concordância. Gênero: "exaustas" em vez de "exaustos" - pois todos incluiam também personagens masculinos, e "em volta dela toda estava seco" em vez de "em volta dela tudo estava seco" Observação: Estes são alguns exemplos, mas existem outros que precisam de atenção. Ter alguém que leia seus textos e ajude na revisão é muito positivo. Caso não tenha uma pessoa para isso, você pode contar com o trabalho de nossos “Betas Readers”; também presente na parte de “Serviços de Autopublicação”. O Inkspired também conta com blogs como “O esquadrão da revisão” e “Tecendo histórias” que ajudam na revisão, dicas de português e construção de narrativas. Se tiver interesse em continuar a verificação, responda este comentário quando fizer as modificações em sua história e farei uma nova verificação. Após a conclusão da verificação, ou caso não tenha interesse em verificar, este comentário será apagado. P.s.: O quanto eu vou chorar com essa história? Pessoal no facebook me colocou muito medo e eu sou chorona xD Nos vemos pelos comentários! <3
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 4 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión