(2018) Tudo o que eu quiser Seguir historia

alicealamo Alice Alamo

Apesar de Sasuke achar aquilo uma bobagem, não iria perder a chance de ganhar tudo o que quisesse de Naruto com uma simples disputa de queda de braço.


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18. © Todos os direitos reservados

#sasuke #sasunaru #pwp #naruto #naruto-sasuke #yaoi #lemon #ua
Cuento corto
46
7.4mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único


Os gritos das pessoas em volta faziam o ar vibrar! Sasuke olhou para Naruto, ainda incrédulo, mas não muito surpreso, afinal, era de Naruto que estava falando.

— Qual é, Sasuke? Vai amarelar? — Itachi, seu irmão mais velho, bateu nas suas costas, rindo antes de virar a garrafa de vodka contra os lábios.

As pessoas ao redor gritavam incentivos, e Naruto o encarava irritado, com os olhos azuis brilhando em desafio enquanto os colegas da faculdade o incitavam ainda mais.

Era tudo uma grande idiotice a opinião de Sasuke. Primeiro porque só havia ido àquela festa da faculdade porque Itachi o tinha enganado. O irmão tinha dito que iriam à uma festa de aniversário de um amigo deles e, como Sasuke nunca se lembrava de datas importantes, acreditou e seguiu Itachi. Para sua surpresa, haviam ido na confraternização dos veteranos, a festa dada em homenagem à turma de engenharia civil de Itachi, que iria se formar naquele semestre e de que, claro, Sasuke havia se esquecido completamente. Depois, como se isso não bastasse, havia se encontrado com Naruto...

Naruto era um caso complicado, era o ex namorado de sua melhor amiga, Hinata, e, assim, classificado como fruto proibido. Contudo, era também o cara mais gostoso da sua sala e, pelo que ouvira falar, Pain já havia conseguido alguns beijos do garoto nas festas da medicina, não havia nem chances de ele ser hétero! Além disso, ele era seu tipo, totalmente o seu tipo, bonito, inteligente, radiante, fácil de provocar, ainda mais bonito quando se irritava! A tatuagem de uma enorme raposa de nove caudas nas costas dava-lhe vontade de tocar a pele clara, os brincos nas orelhas pediam para serem presos entre seus dentes, e aquele corpo... Sasuke já tinha imaginado tanto o que poderia fazer com aquele corpo, seja acima ou abaixo do seu, não importava, adoraria ver a expressão de Naruto enquanto o cavalgava com força, mas não sabia se seria ainda melhor empinar-lhe o quadril e ouvir os gemidos descontrolas enquanto o colocava de quatro e se arremetia sem dó dentro dele.

Ah, Naruto era uma tentação sem igual... Hinata já até tinha percebido o fascínio que tinha por ele e liberado o campo, mas... quando ela deu o sinal verde, Sasuke estava ainda tentando se resolver com o ex namorado, o que levou longos dois meses até que ele e Neji percebessem que eram parecidos demais, não se completavam, apesar de serem bons amigos.

Enfim, a questão era que Naruto não era só o cara com quem tinha alguns sonhos eróticos à noite, era também o maldito filho da puta que rivalizava consigo em tudo! Notas, grupos na faculdade, vagas nos processos de iniciação científica, vagas para o time de basquete, tudo! Parecia que onde ia, Naruto aparecia para competir consigo, como se quisesse provar a todo momento que era melhor! E ali, naquela maldita festa, estava mais uma prova: Naruto queria uma queda de braço e, cientes da rivalidade que nutriam, todos começaram a fazer uma roda em volta deles, já tinham arranjado uma mesa qualquer e Itachi mesmo o puxava pelo ombro para o convencer de tal absurdo.

Naruto virou mais um dos drinks que colocavam em sua mão e retirou a camisa, os espectadores riam e gritavam, um coro se formava para que Sasuke aceitasse, e foi com um sorriso malicioso enquanto os olhos vagavam pelo tronco desnudo do outro que aceitou ao também retirar a camiseta e entregar para Itachi.

Mordeu o lábio inferior, feliz com a ideia que passava por sua mente. Sentou-se de frente para Naruto, apoiou os dois braços na mesa e se inclinou um pouco para frente quando o outro também se sentou.

— O que vamos apostar? — perguntou, sem disfarçar o olhar de cobiça que direcionava aos lábios de Naruto e sorrindo sacana.

Seu irmão riu alto enquanto os outros riam do vermelho que de repente cobriu as bochechas de Naruto. Percebeu os olhos azuis se fixarem em seu braço esquerdo onde uma enorme tatuagem colorida lhe cobria por completo a pele, e brincou com o piercing na língua quando Naruto voltou a encará-lo.

— Vai sair do grupo de pesquisa do professor Orochimaru se eu ganhar — Naruto falou sério e apoiou o cotovelo na mesa, oferecendo a mão.

— O quê? — Sasuke arqueou a sobrancelha, perdendo um pouco da diversão.

— Nem vem! Você sabe que ele só te aceitou porque quer te comer! A minha nota é maior que a sua na matéria dele, aquela vaga era minha! — Naruto gritou, e Sasuke balançou a cabeça, inconformado.

— Quer saber? — perguntou depois de estalar a língua no céu da boa e aceitar um gole da vodka que Itachi lhe oferecia. — Tudo bem. E se eu ganhar?

Naruto deu de ombros.

— Você não vai ganhar, Teme.

— Oh... — Sasuke debochou e deu o seu sorriso mais malicioso. — Então eu posso pedir qualquer coisa?

Naruto não se abalou, estendeu novamente a mão para Sasuke a despeito de alguns amigos que vinham lhe dizer que aquilo não era uma boa ideia.

— Vocês ouviram! — Sasuke elevou a voz e olhou ao redor. — Se eu ganhar, ele tem que topar: tudo o que eu quiser! — Apoiou o cotovelo na mesa e apertou a mão de Naruto, inclinou-se uma última vez e encarou bem os olhos azuis. — Não vai amarelar depois, Dobe.

— Veremos quem vai amarelar. — Naruto apertou sua mão e olhou para Itachi que se posicionava ao lado da mesa.

— No três, senhores. — Itachi sorriu, divertido. — Um, dois... três!

Sasuke arregalou os olhos quando sentiu o impacto da primeira tentativa de Naruto de tombar seu braço, sorriu, fez força contrária e segurou melhor a beirada da mesa com a outra mão. E não é que Naruto era forte? Encarou-o, sabia que Naruto era competitivo e se esforçava para ganhar qualquer pequeno desafio que tinha, então era melhor responder à altura ou perderia.

Com o tempo, os sinais de esforço ficavam visíveis, as pessoas gritavam ao redor, os rostos ficavam vermelho, ninguém cedia.

Naruto tomou fôlego, e Sasuke sorriu ao observá-lo.

— Tá olhando o que, Teme? — Naruto falou com dificuldade.

— Imaginando...

— O quê? — Naruto conseguiu uma pequena vantagem, empurrando o braço de Sasuke um pouco.

— Que se você tiver todo esse empenho na cama, eu fico de quatro para você.

Naruto arregalou os olhos e ergueu a cabeça de súbito para encarar Sasuke num misto de surpresa e vergonha. Sasuke piscou, divertido, e aproveitou a distração para bater de uma única vez a mão de Naruto contra a mesa.

Os olhos azuis saíram da surpresa para a indignação enquanto os amigos de Sasuke riam e comemoravam a vitória. Sasuke sorriu, ignorando as ofensas que Naruto dizia. Com agilidade, sentou-se na mesa apenas para atravessá-la, escorregou pela madeira e viu Naruto engolir em seco quando se sentou no colo dele.

Maldade, Sasuke sabia, mas era tão divertido provocar Naruto, ele ficava tão indefeso... Algumas pessoas gritavam exaltadas, gritinhos histéricos se fizeram presente, e Sasuke sorriu de canto com o rosto tão próximo ao de Naruto que podia sentir a respiração dele em sua pele. Os olhos azuis estavam confusos, indecisos, as mãos permaneceram ao lado do corpo, e Sasuke rebolou sensualmente no colo de Naruto enquanto acariciava os braços dele e direcionava-lhe as mãos para seu quadril. Lambeu os lábios e repetiu o movimento, sentindo bem o membro do outro entre as nádegas.

— Você disse qualquer coisa, Dobe — sussurrou, e Naruto engoliu em seco. — Vai amarelar?

Naruto pareceu despertar com o desafio, Sasuke notou e... sentiu. As mãos de Naruto apertaram pra valer das suas coxas até as costas, eliminando qualquer espaço que havia entre os troncos, e uma delas subiu até o cabelo negro, brincando com as pontas antes de puxar com certa força e trazer os lábios de Sasuke até os seus.

Sasuke suspirou em deleite, apertou os ombros de Naruto com possessividade e devolveu o puxão no cabelo. A boca de Naruto era quente, o gosto do álcool era marcante, mas o beijo... Naruto beijava como se precisasse daquilo para viver, ele simplesmente invadia sua boca e clamava por tudo que tinha direito! Odiou gemer deliciado porque sabia que sua pele se arrepiava as mãos percorrendo seu corpo e o fazendo se esfregar ainda mais no corpo alheio. Rebolou, a vibração em seus lábios indicava o gemido que o beijo omitira. Sentiu a mão de Naruto no cós de sua calça e segurou-lhe melhor a nuca, aprofundando o beijo do seu modo.

Felizmente, antes que aquilo saísse do controle ali diante de tanta gente olhando, sentiu algo gelado ser jogado entre ele e Naruto, fazendo-os se afastar de súbito.

Vodka.

Itachi tinha virado a bebida no cabelo deles e ria sem jeito.

— Acho que nós já entendemos muito bem o quanto vocês querem se comer.

Sasuke sorriu e passou a mão pelo cabelo, penteando-o para trás antes de se aproximar do ouvido de Naruto e sussurrar:

— Vem comigo.

Naruto ficou alguns segundos petrificado depois que Sasuke saiu de seu colo, viu Itachi lhe oferecer a garrafa e tomou um breve gole antes de se levantar e correr na direção por onde Sasuke havia saído, ignorando os amigos o chamando ou os olhares que recebia. Não demorou para o achar, Sasuke segurou sua mão e o arrastou para dentro da casa, mesmo que ao longe pudesse ouvir alguém gritar que era proibido entrar nos quartos. Abriu a primeira porta do primeiro cômodo destrancado e empurrou Naruto antes de fechar a porta.

— Sakura falou que era proibido, Sasuke — Naruto sussurrou assim que Sasuke o puxou pelos limites da calça, colocando os quadris e mordendo-lhe o queixo.

— Ela disse para não entrarmos nos quartos, isso aqui é um escritório, Dobe. — Sasuke sorriu cínico e chupou o lábio inferior de Naruto enquanto o fazia caminhar para trás até sentir a mesa. — Viu?

Naruto arfou e virou o pescoço para o lado quando Sasuke começou a descer os beijos por sua pele. Apertou o corpo dele contra o seu, gostava da temperatura quente da pele de Sasuke, de quando o peito dele se chocava com o seu! Fechou os olhos, era bom sentir as costas largas dele em suas mãos e não conseguia se conter, apertava-lhe a carne com a mesma vontade com que Sasuke o mordia e chupava, distribuindo marcas por onde podia!

Sasuke gemeu baixo com o contato das ereções, o desespero para aliviar aquele desejo os fazia se esfregar um no outro de forma indecente, os gemidos e suspiros atrapalhavam o beijo, e as bocas então partiam para o próximo alvo: rosto, pescoço, lábios, língua, qualquer coisa. Impaciente, desceu as mãos para o cós da calça de Naruto e abriu o botão com certa raiva, desceu o zíper e invadiu, agarrando-lhe a ereção escondida pelos tecidos e a trazendo para fora.

Naruto soltou um palavrão e apoiou um dos braços atrás do corpo, na mesa, quando Sasuke subitamente se ajoelhou à sua frente e engoliu sem membro sem hesitação. Os músculos de sua perna tremeram, Sasuke sentiu, esforçou-se para se manter de pé enquanto a língua percorria sua ereção e a boca o chupava com vontade. Os barulhos estalados o excitavam mais, o frio do metal do piercing de Sasuke causava um arrepio único, e poder puxar o cabelo de Sasuke e contemplar aquela cena era o suficiente para que ganhasse não só o dia, mas a semana toda! Afinal, não era todo dia que o arrogante Sasuke Uchiha se ajoelhava na sua frente para lhe oferecer um oral, não? E, por Deus, como ele chupava fodidamente bem!

Sasuke segurou as pernas de Naruto e não tirou os olhos da face corada dele. A boca semiaberta puxava o ar com força, os olhos azuis estavam tão perdidos em prazer que pareciam nublados, o suor escorria pelas têmporas; como iria conseguir se livrar dos seus sonhos eróticos agora que tinha visto aquilo? Permitiu que Naruto o empurrasse mais fundo, sentindo o membro ir além do que aguentava de vez em quando e o gosto salgado começar a ficar mais presente.

Afastou-se, contra sua vontade, e se ergueu. Naruto o puxou logo em seguida, roubando seus lábios e segurando sua nuca enquanto novamente parecia querer conhecer cada maldito canto de sua boa. Desceu as mãos pelo abdômen dele e puxou as calças para baixo antes de virá-lo de frente à mesa.

— Pega uma camisinha aí. — Jogou a carteira na mesa enquanto abria o cinto e a calça apenas o suficiente para poder colocar o membro para fora e tocar-se.

— Achei que eu fosse te comer. De quatro, lembra, Teme? — Naruto provocou ao rasgar o pacote com os dentes e então oferecer o preservativo ao outro.

Sasuke riu, abaixou-se para deitar o tronco de Naruto na mesa e beijou-lhe a nuca e as costas antes de sussurrar rouco:

— Na próxima, quem sabe?

Vestiu o preservativo com pressa e gemeu rouco quando notou as mãos de Naruto separando bem as nádegas.

— Assim você acaba com meu autocontrole, Dobe...

Naruto riu e deitou o rosto de lado, mordendo o lábio e arfando quando Sasuke começou a entrar lentamente em seu corpo. Sentiu o peso do corpo de Sasuke sobre o seu, o peito dele em suas costas e a risada cínica em seu pescoço.

— Você estava com lubrificante, Naruto? — Sasuke perguntou, descrente.

— Você é a prova de que as pessoas não trazem um para essas festas, não é? — Naruto lambeu os lábios e gemeu baixo pelo desconforto enquanto o corpo se acostumava com o novo volume em seu interior.

— Meu Deus, você é louco mesmo, puta que pariu...

Sasuke se afastou, ergueu o tronco e segurou firme no quadril do outro. As costas de Naruto estavam vermelhas, marcas de suas unhas e de seus chupões faziam um bom adorno à tatuagem, mas a melhor visão era a de seu membro entrando e saindo pela entrada apertada, insanamente apertada, de Naruto!

Começou devagar, mesmo que soubesse que seu grau de excitação pedia para que não perdesse tempo. Gostava de sentir, de aproveitar, de jogar a cabeça para trás e gemer com gosto toda vez que voltava ao corpo do outro. Naruto tremia, os gemidos acompanham os seus, as pernas foram se abrindo cada vez mais à medida que a velocidade aumentava, e o som do choque dos corpos os fazia arfar, ansiosos pelo ápice.

Sasuke abriu os olhos, a mão passou pela base da coluna até a nuca de Naruto, e outro empinou mais o quadril quando lhe puxou o cabelo loiro. Viu-o se apoiar nos cotovelos, depois nas mãos, erguendo o tronco, e se aproximou buscando os lábios já vermelhos e inchados. Sentiu a mão em seu cabelo, impedindo-o de se afastar, e soltou um som de desagrado quando Naruto o empurrou o suficiente para que saísse de dentro dele.

Naruto ficou de frente ao outro e se sentou sobre a mesa, puxou Sasuke pela nuca e segurou-lhe a ereção enquanto deitava e forçava Sasuke a ir consigo. Sasuke distribuiu beijos pelo seu pescoço e brincou com o brinco que usava antes de voltar a se enterrar em si. Segurou-lhe pelo cabelo e colou a boca ao ouvido dele.

— Mais forte...

Sasuke gemeu e fechou os olhos, passou a língua nos lábios e puxou o quadril de Naruto até posicioná-lo exatamente na beirada da mesa. Os rostos permaneceram próximos, as testas coladas enquanto as bocas se atacavam com sede e as estocadas ficavam intensas.

Sasuke mordeu o lábio, o clímax estava tão próximo... podia ver que o de Naruto também, os gemidos do outro estavam mais constantes, mais altos, mais gostosos de ouvir. Pensou em se afastar para poder, assim, permitir que ele se masturbasse, mas recebeu um longo e delicioso arranhão em suas costas quando tentou.

Naruto negou, gostava exatamente daquilo, da pressão que o corpo de Sasuke fazia ao seu, do peso, do calor, da intensidade! Sua ereção doía, pressionado entre os corpos, afagada apenas pelo deslizar deles um no outro. E, quando Sasuke acertava sua próstata, céus, quando ele acertava...

— Sasuke...

Naruto revirava os olhos, tremia com o corpo todo e gemia sem qualquer amarra, e dessa forma Sasuke sabia que tinha acertado o ponto mais sensível dele. Sorriu cafajeste e contornou com a língua os lábios de Naruto quando ele arqueou as costas e gemeu languidamente seu nome. Não parou de se mover, não deu trégua, sentia o gozo de Naruto em seu abdômen e a forma como ele lhe apertava, como segurava seus braços e respirava descompassado rente a sua boca...

Sentiu-o sorrir, tremeu com a forma como Naruto lhe beijava, torporoso com o pós orgasmo, e fechou os olhos quando o sentiu brincar com o piercing. Acelerou as investidas.

Naruto cruzou as pernas no quadril de Sasuke, manteve firme o aperto no cabelo a fim de contemplar a expressão de êxtase que se intensificava. Beijou Sasuke toda vez que ele abria a boca para gemer ou arfar, arranhou as costas e os braços quando ele tencionava se afastar e simplesmente adorou quando Sasuke abriu os olhos de repente em um longo gemido ao atingir o clímax dentro de seu corpo.

Permaneceu quieto, passou a mão pelo rosto de Sasuke a fim de tirar o cabelo úmido de frente da face e contemplar as feições relaxadas e satisfeitas dele. Com cuidado, empurrou a pélvis dele, e Sasuke entendeu, saindo devagar de seu corpo e retirando o preservativo. Depois, deixou-se cair sentado numa das cadeiras de frente à mesa e olhou para Naruto.

Riram, ainda embriagados pelas sensações.

— Sasuke... — Naruto encarou o teto.

— Que é?

— Eu moro há quinze minutos daqui.

— Hum...

— Não tem ninguém em casa.

— Isso é um convite? — Sasuke arqueou a sobrancelha e tombou a cabeça para o lado. Naruto se apoiou nos cotovelos e deu de ombros.

— Foi você que disse que ficaria de quatro para mim se eu fosse empenhado.

Sasuke riu, abaixou-se para pegar a cueca de Naruto no chão e a tacou no outro antes de se levantar e ajeitar a calça. Piscou um olho divertido e caminhou até a porta.

— Te espero no meu carro, Dobe, não demore.

3 de Marzo de 2018 a las 15:23 4 Reporte Insertar 19
Fin

Conoce al autor

Alice Alamo 23 anos, escritora de tudo aquilo em que puder me arriscar <3

Comenta algo

Publica!
Raylanny Alves Raylanny Alves
Já li tanto essa história que sei as falar decoradas jssonsksns
16 de Agosto de 2018 a las 21:02

  • Alice Alamo Alice Alamo
    Ta na hora de termos outra então hahahahaha muito obrigada pelo comentário <3 16 de Agosto de 2018 a las 22:29
Marcia Castro Marcia Castro
Muito bom... isto e que é queda de braço..
7 de Marzo de 2018 a las 19:39

  • Alice Alamo Alice Alamo
    Oii! Fico feliz que tenha gostado <3 Obrigada pelo comentário! Beijoss 12 de Marzo de 2018 a las 16:15
~