Amor misterioso! Seguir historia

megawinsone Megan W. Logan

Bra se envolveu com quem não devia. E agora o seu segredo está prestes a ser revelado. O que Vegeta fará quando souber? Será que a amizade entre as famílias continuará a mesma?


Fanfiction Anime/Manga Sólo para mayores de 18.

#Romance #Drama #Bra #Gohan #Dragon ball Z
5
7424 VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

O Problema de Bra

-


Era uma noite chuvosa de inverno e Bra dirigia rapidamente pelas ruas da capital do oeste sem cuidado nenhum, quem diria que uma motorista sempre prudente como ela estava deixando a desejar naquela noite. No interior do veículo o rosto de Bra transmitia preocupação e medo, após saber que o mau súbito que a incomodava insistentemente nesses últimos dias pela manhã não era apenas uma virose como tinha pensado. Suspirou ao lembrar do que o médico tinha lhe dito ao ver seu exame de sangue e depois ao realizar alguns exames adicionais por meio de um ultra-som. Bateu com as mãos abertas no volante para descarregar a raiva que sentia pela aquela situação em que se encontrava, precisava tomar uma decisão, precisava fazer algo, pois logo todos iriam perceber seu pequeno problema. Estacionou o carro na garagem que ficava na lateral da casa, olhou-se no espelho e retocou a maquiagem antes de entrar em casa, já era hora do jantar e provavelmente seus pais estavam a esperando na cozinha. Saiu do carro, fechou e o colocou dentro de uma cápsula, subiu correndo a escadaria que ficava atrás da casa, adentrou na sala e jogou a bolsa na mesa de qualquer jeito, e foi até a cozinha.

– Oi Bra! Venha comer a comida já está pronta – Gesticulou a mulher de cabelos azuis para a filha.

– Não estou com fome mãe, vou tomar somente um copo de suco e comer duas barrinhas de cereal – Explicou a garota se aproximando da geladeira.

– Está ainda mal do estômago? Você não foi ao médico? – Questionou preocupada.

– Eu fui, mas ele me mandou fazer vários exames, somente amanhã ou depois saberei o que tenho – Respondeu meio nervosa.

– Espero que você não esteja escondendo nada da gente – Murmurou o príncipe dos sayadins que até agora estava quieto observando a conversa.

– Papai eu nunca esconderia nada de vocês – Mentiu receosa e sentou-se de frente pra Trunks e ao lado de sua mãe.

– Não consigo acreditar, tem algo muito estranho acontecendo com você – Vegeta sussurrou e se levantou para logo sair do recinto.

– Bra, é bom mesmo que você não esteja escondendo nada, senão o papai vai ficar muito furioso se descobrir alguma coisa – Comentou o rapaz de cabelos roxos, enquanto encarava a irmã comendo as barras de cereal e bebendo o suco de laranja.

– Seu irmão tem razão Bra, é melhor você contar o que tem de errado, antes que seu pai descubra – Aconselhou Bulma colocando uma das mãos no ombro de sua filha, antes de encará-la.

– Eu já disse que não sei o que tenho, eu nunca esconderia nada de vocês. Eu preciso ir dormir, estou exausta – Levantou-se da mesa, se inclinou beijando a testa da mãe e foi para seu quarto..

No momento em que Bra entrou no quarto, trancou a porta e se jogou na cama e as lágrimas que até então estavam contidas começaram a deslizar pela sua face, molhando um pouco o travesseiro, chorava baixinho, pois tinha medo que alguém a ouvisse. Uma coisa tinha certeza, estava encrencada, nem queria imaginar o que fariam se descobrissem o segredo dela, mas teria que enfrentar as conseqüências de seus atos, que nenhuma vez se arrependeu, porém agora refletindo melhor achava-se uma destruidora de lares. O que sua família iria achar disso tudo? Teria que ter forças para agüentar a repreensão por parte de sua mãe e principalmente de seu pai.

De repente as reflexões de Bra são interrompidas pelo toque de um celular que se encontrava na mesa da cabeceira ao lado esquerdo da cama. Temerosa se aproximou do aparelho pequeno que tocava insistentemente e o pegou para ver quem ligava àquela hora, sorriu ao constatar que era sua amiga, então atendeu.

– Oi! Maron - Cumprimentou tentando disfarçar sua tristeza.

– Oi Bra! O que você tem? Você está com a voz diferente, você andou chorando? – Inquiriu preocupada a loira.

– Eu estou encrencada – Confidenciou aflita.

– O que aconteceu? – A filha de Kuririn ficou apreensiva, já imaginando o pior.

– Tenho medo que os meus pais descubram tudo sobre meu namoro secreto, eles não vão reagir bem – A garota de cabelos azuis explicou apavorada.

– Mas vocês são cuidadosos, ninguém vai descobrir - Garantiu a loira, para tentar acalmar a amiga.

– Já faz seis meses que eu e ele nos encontramos as escondidas. Isso não está certo, nós estamos enganando muita gente – Confessou se levantando e indo até o banheiro.

– Eu sei que não deve ser fácil, imagine quando sua mãe souber! Ele é muito amigo da sua família e o detalhe é que seu irmão vai casar com a filha dele. Você estava muito feliz semana retrasada, nem pensava no que poderia acontecer e nas conseqüências, o que mudou nessa semana, o que está acontecendo com você? Qual é o problema? – Maron perguntou curiosa.

– O problema é que eu estou grávida! – Bra sussurrou sentando-se dentro da banheira vazia.

– Grávida! - Exclamou assustada a loira, que agora compreendia a preocupação e medo da amiga.

– Não sei como pude ser tão descuidada e ele também – Concluiu amargurada.

– É amiga você está encrencada – Concordou a garota de madeixas douradas.

– Eu tenho medo mesmo é da reação do meu pai – Murmurou fechando os olhos.

– Nessa hora eu não queria estar no seu lugar.

– O que eu faço? – Bra pediu insegura.

– Já contou para o seu “namorado” sobre a sua gravidez?

– Ainda não, estou com medo – Confessou temerosa.

– Não tenha medo, ele é o pai e vai ter que arcar com as conseqüências junto com você. Afinal de contas ele é um homem maduro e inteligente.

– Você tem razão, amanhã vou falar com ele - Declarou mais esperançosa.

– Boa sorte amiga.


E assim Bra desligou o celular e foi até seu quarto, pegou uma camisola verde com babados no armário e na gaveta um sutiã e uma calcinha da mesma cor e se dirigiu até o banheiro para tomar um banho relaxante. Derramou na banheira uma essência de rosas e começou a enchê-la, quando a água já estava na altura certa, se despiu e deitou-se na banheira de hidromassagem. Quando a água quente entrou em contato com seus músculos, eles começaram a relaxar. Então com a mente mais livre ela começou a lembrar do dia 23 de dezembro, data que a empresa todos os anos festejava junto com os funcionários e familiares deles a chegada do natal, seu romance teve inicio nesse dia.
-
Flash Back – 6 meses atrás.

A grande data comemorativa se aproximava e o sofisticado Shopping da capital do oeste estava lotado mais uma vez por causa das compras de natal, pessoas se aglomeravam nos elevadores e escadas rolantes, pelos corredores não era diferente. Para qualquer lugar que se olhava podia-se identificar a época do ano em que se encontravam, pois várias lojas estavam decoradas com símbolos natalinos, até um papai noel estava atendendo a criançada próximo a praça de alimentação, para dar maior ênfase para aquela data comemorativa.

No meio daquela multidão Bra e Maron caminhavam apressadas, já fazia uma hora que vasculhavam as lojas à procura de uma roupa de festa para a jovem de cabelos azuis, que era a atual vice-presidente da corporação cápsula e nada encontravam. Quando chegaram ao último andar do Shopping, imediatamente Bra enxergou uma loja de grife cara no corredor a esquerda da escada rolante, sendo esta filial de uma boutique bem conhecida na cidade, por produzir roupas exclusivas. Por sorte poucas pessoas estavam comprando na loja, por causa do alto preço que esta cobrava pelas roupas. Ao adentrarem na loja, uma atendente veio correndo ao reconhecer a vice-presidente da corporação cápsula, pois já tinha vendido roupas para ela em outro lugar.

– Senhorita Briefs, como posso ajudá-la? – A jovem de madeixas vermelhas e vestido rosa com um lenço de seda de flores no pescoço perguntou.

– Eu quero um vestido bonito, no qual eu possa usar na festa da empresa, quero algo jovem como eu, descontraído e ao mesmo tempo elegante e chique – Respondeu de forma calma, enquanto seguia a funcionária da boutique até os fundos da loja, onde eram guardados os vestidos mais caros.

– Aqui é muito caro, mas também vale cada centavo investido – Comentou a loira olhando para lados e admirando as roupas.

– Se você me ajudar a escolher o vestido, talvez você ganhe essa blusinha prata com detalhes dourados e babados nas mangas – Apontou para uma blusinha que estava pendurada atrás de sua amiga.

– Então está combinado vou te ajudar – Maron falou sorridente.

– Senhorita Bra, você prefere curto ou longo o vestido, com decote ou sem decote? – Inquiriu atenciosa a vendedora.

– Me traga todos os modelos que você tiver, mas que sejam todos curtos, eu não quero vestir-me como uma senhora – Esclareceu sorridente.

Após quase uma hora experimentando os vestidos que escolheu dentre muitos que a moça ruiva lhe mostrou no balcão, um em especial chamou a sua atenção ao se olhar no espelho, o vestido lhe caia bem no corpo, era esverdeado, possuía um decote avantajado e aberto no lado esquerdo, duas palmas acima do joelho. Ela adorou, pois mostrava bem o seu corpo, sem esconder nenhum de seus contornos.

De repente ouviu a voz de alguém conhecido discutindo com uma mulher, que ela também não estranhava a voz. Resolveu esperar um pouco para sair e mostrar o vestido para a amiga, porque queria ouvir o que o casal estava conversando, isso a interessava, parecia que a mulher estava no vestuário atrás do dela. Aliviada sorriu ao se lembrar que tinha escondido seu Ki ao entrar no shopping, pois não queria que Goten viesse atrás dela implorar para voltar de novo. Por ter ocultado o Ki conseguiu não ser percebida pelos dois conhecidos dela.

– Não sei por que tenho que comprar uma roupa nova para ir à festa da empresa que você trabalha – Ralhou contrariada a mãe de Pan.

– Você tem que usar uma roupa boa, entendeu? Na festa do ano passado você usou um vestido totalmente fora da moda – Gohan gesticulou exasperado.

– Você nunca reclamou antes do que eu usava ou deixava de usar, eu sempre usei o que queria. Eu acho que você está passando muito tempo com aquela filha da Bulma – Vociferou irritada.

– Videl, não meta ela na nossa discussão. Eu só estou fazendo isso para o seu bem e também porque já faz cinco anos que sou diretor administrativo e financeiro da corporação cápsula. E como meu cargo exige, minha mulher tem que andar e ir bem arrumada nas festas – Explicou calmamente.

– Gohan, você está tão mudado, nunca exigiu nada disso de mim – Confessou chateada.

– Apenas escolha o vestido para usar hoje a noite, depois em casa a gente conversa – Sentou-se no sofá ao lado do provador e suspirou.

– Mas fique sabendo, eu não vou escolher nenhum vestido curto ou provocante demais – Avisou provando os vestidos que tinha escolhido com a vendedora.

A filha de Vegeta arqueou um das sobrancelhas e encostou-se na parede do provador, fechou os olhos, estava nervosa e ansiosa, pois não esperava que fosse encontrar justamente Gohan com a esposa ali na mesma loja que ela. Gostava dele, o conhecia desde menina, mas após começar a trabalhar na corporação cápsula junto com ele, há cinco meses atrás algo mudou entre eles. Não sabia se Gohan sentia a mesma coisa que ela, a convivência com ele a estava deixando louca, pois todos os dias que ele não ia almoçar em casa, os dois almoçavam juntos.

Era Gohan que estava mostrando todos os negócios da família pra ela, a interando das coisas. Trabalharam na mesma sala durante seus primeiros três meses na empresa, após isso ela ganhou seu próprio escritório.

Gostava de impressioná-lo, não queria admitir, mas estava apaixonada por ele, aquele sentimento só lhe trazia sofrimento, porque sabia que ele era casado, tinha uma filha, que era namorada de seu irmão, suas famílias já se conheciam bem antes dela nascer, sabia que a diferença de idade entre eles estava entre vinte cinco a trinta anos, porém isso não importava. Para piorar a situação tinha terminado com Goten há dois meses, por não ter tempo para namorarem e também porque não o amava mais, além dele ser mulherengo.


Saiu do transe em que se encontrava quando ouviu a voz de sua amiga e uma pequena batida na porta do provador.


– Pode entrar, olha como ficou – Abriu a porta do provador e mostrou para Maron o vestido que tanto gostou.

– Você está muito bonita nesse vestido, acho que todos os homens vão babar! – Comentou a loira.

– Então vou levar, a propósito, como você me acompanhou nas compras e eu lhe prometi aquela blusinha, pode lá pegar vou te dar – Declarou a vice-presidente da corporação cápsula, enquanto fechava a porta do provador.

– Muito obrigada, amiga! – Agradeceu contente, e foi até o início da loja, onde tinha avistado as blusinhas.

Bra cuidadosamente tirou o vestido e vestiu sua calça jeans bem apertada e sua blusinha preta com flores destacadas na cor prata na frente, além desta também possuir um decote, que evidenciava bastante os seios e malha quase transparente nas costas. Pintou os olhos e retocou o baton, penteou o cabelo e saiu do provador.

Ao procurar sua amiga, a achou próxima às blusinhas, então aproveitou que esta estava tão concentrava escolhendo a cor da roupa, para ir até onde Gohan estava. Andou mais alguns passos e o encontrou de costas para ela. Sorriu de canto e lentamente se aproximou dele, abaixou-se devagar e com as mãos fechou os olhos do irmão de Goten.

– Adivinha quem é? – Perguntou Bra ao roçar os lábios no ouvido esquerdo do filho mais velho de Goku, notando que ele estremeceu com o contato.

– Bra! Sua voz e perfume são inconfundíveis – Murmurou rouco, antes de puxá-la para o seu colo, abraçando-a por trás ao verificar que ninguém estava presente naquele lugar, somente Videl, que nem viu nada por estar provando vestidos.

– O que você está fazendo? – Inquiriu surpresa pela atitude dele.

– Você me deixa louco, você tem sorte que esse lugar é público, senão eu não me controlaria. Lembre-se que eu não sou feito de ferro – Sussurrou no ouvido da filha de Vegeta, para em seguida morder seu lóbulo direito e largá-la.

– É bom saber! – Afirmou sedutoramente enquanto o encarava.

– Gohan, eu já escolhi o vestido – Anunciou Videl saindo do vestuário com o vestido na mão e notando a filha de Bulma em pé olhando para seu marido.

– Oi, Videl – Cumprimentou a garota de madeixas azuis.

– Oi, Bra! Você também está olhando vestido para comprar para ir à festa? – Indagou o óbvio.

– Sim, eu até já escolhi, só vou pegar ele no vestuário, encontro vocês no caixa – Proclamou ao sair de lá.

Após pegar seu vestido e achar uma feliz Maron com a blusinha escolhida nas mãos, Bra se dirigiu até o caixa e encontrou o casal esperando para pagar a compra.

– Bra me deixa ver o seu vestido? – Perguntou curiosa a mãe de Pan.

– Claro que sim – Sorriu e entregou o vestido para Videl.

– Ele é lindo, mas curto, eu acho que vai ficar bem provocante em você – Analisou o vestido minuciosamente e olhou pro marido que também analisava o vestido.

– A Bra tem que aproveitar, agora que está sem namorado – Segredou Maron.

– É mais como vice-presidente da corporação cápsula bem que podia ter escolhido um vestido bem menos provocante – Opinou Gohan enciumado, que levou de resposta um olhar mortal de Bra.

– Não liga não, ele de uns tempos pra cá está assim – Sussurrou Videl entregando o vestido de Bra.

Após saírem do shopping, as duas garotas foram para um restaurante italiano almoçar e logo depois Bra foi para sua casa, pois pretendia dormir um pouco para se preparar para a festa de logo à noite na sede da corporação que ficava em uma fazenda próxima a cidade.

O tempo passou rápido naquele dia, a noite chegou num piscar de olhos e faltava apenas uma hora para o inicio da festa.


Enquanto isso na mansão dos Briefs, todos estavam alvoroçados se arrumando, menos Vegeta que não iria à festa. Quando Bra terminou de se arrumar, olhou-se no espelho e sentiu falta de seus brincos, então abriu uma caixinha e de lá tirou um par de brincos e uma gargantilha com esmeraldas e sorriu ao analisar seu coque e dois cachos soltos nas laterais do rosto. Abriu a porta e se dirigiu até o quarto de sua mãe, que terminava de se arrumar.

– Nossa Bra! Você está linda! – Elogiou Bulma ao ver a filha arrumada.

– Obrigada mãe, eu tenho a quem puxar – Abraçou a mulher a sua frente, que sorriu.

– Bra, eu não acredito que você vai desse jeito – Resmungou Trunks ao avistar a irmã.

– Trunks, deixe a sua irmã em paz, a roupa dela está provocante sim, mas não está vulgar e nem venha com esse papo – Bulma defendeu a filha.

– Mas mãe! Ela é vice-presidente da corporação cápsula e não pode se vestir assim, o que o pessoal vai falar dela? – Explicou preocupado.

– Isso é uma festa Trunks, não é uma reunião. Se falarem dela estarão no olho da rua – Gesticulou a mulher mais velha.

– Concordo com a mamãe, e outra eu sei me cuidar – Acrescentou a jovem que até então estava quieta.

– Estão prontas? Podemos ir? – Questionou o rapaz encerrando a discussão.

– Pronto, já estou pronta – Bulma comunicou e pegou sua bolsa prateada, que combinava com seu vestido prateado que ia até o tornozelo e seguiu seus filhos.

Depois de quarenta minutos guiando pela estrada, Trunks virou a direita e entrou numa rua de chão e seguiu até avistar uma casa grande de dois andares, entrou na propriedade e estacionou o seu carro vermelho esportivo, do lado do carro azul de Gohan, pois praticamente quase todos os lugares já estavam ocupados com os carros dos funcionários.

Quando Bra adentrou pela porta do salão observou que todos pararam o que estavam fazendo para olhar para eles que acabavam de chegar. O que mais lhe chamou atenção foi a cara que Gohan fez quando a enxergou vestida daquele jeito, parecia que a admirava, mas seus olhos transmitiam luxúria, nunca lhe olhou daquele maneira antes.

A festa começou no horário combinado, a cerimônia de entrega de presentes aos funcionários foi feita por Bulma, que era a presidente de honra da corporação cápsula e pelo atual presidente da empresa Trunks. Logo depois da distribuição de presentes, foi realizado o jantar, onde Bulma convidou os amigos para se sentarem na mesma mesa que a família dela, já que Pan e Trunks namoravam e pretendiam noivar.

Bra não se incomodou com isso, até gostou do fato, pois era acostumada a almoçar com seu amigo freqüentemente, somente teria que controlar as certas liberdades que tinha com ele, senão sua mulher não iria gostar. Encheu o copo de vinho tinto suave e de relance olhou para o irmão de seu ex-namorado que estava de seu lado, sentiu a perna dele roçar na sua por debaixo da mesa, ele por algum motivo a provocava.

– Bra, você ficou ótima nesse vestido – Pan elogiou.

– Obrigada Pan, mas meu irmão detestou – Replicou a garota de olhos azuis e viu o irmão ficar vermelho.

– Apenas expressei minha opinião – Esclareceu o filho de Vegeta.

– Não sei se você reparou Bra, mas o nosso gerente de compras, não tira os olhos de você – Bulma comentou entusiasmada – Até que ele é bonitinho, deve ter uns vinte nove anos e é solteiríssimo – Acrescentou.

– Ele é asqueroso e nojento, um baita de um mulherengo, fique longe dele Bra – Gohan comentou pegando a garrafa de vinho e enchendo o copo também.

– O Gohan está certo, essa cara é um canalha com as mulheres, só está na empresa porque é competente e desenvolve bem o trabalho dele – Acrescentou o rapaz de cabelos roxos.

– Ele não faz o meu tipo – Murmurou a vice-presidente da corporação cápsula.

– Vocês dois são muito super protetores com ela – Videl ralhou e olhou pro marido e pra Trunks – Vocês não podem afastar os homens maus da vida dela para sempre, ela tem que fazer isso por si – Adicionou arrogante.

A conversa que estava acalorada foi interrompida pelos garçons que vieram servir as mesas com os pratos escolhidos por cada família. Conforme os pratos iam acabando os garçons traziam mais, e nesse ritmo o tempo passou rápido e finalmente todos os pratos foram recolhidos e as mesas colocadas nos cantos do salão, para deixar livre o meio para as pessoas dançarem no baile. Era uma hora da manhã quando os casais começaram a se aglomerar no meio do salão para dançarem, a primeira música que a banda cover contratada tocou foi uma balada romântica. Quando a quinta música foi tocada, Trunks e Pan se levantaram e foram dançar animados.

– Videl, que tal nós dançarmos também? – Convidou Gohan empolgado.

– Gohan, eu não estou com vontade, estou tão cansada! Eu gostaria de ir para casa, mas se você quiser ficar na festa tudo bem, apenas me dê a chave do carro e depois você pode ir voando para casa – Sugeriu a morena ao ver a cara de seu esposo se transformar numa carranca, quando disse que queria ir para casa.

– Você quem sabe, vai perder mais uma festa divertida – Suspirou desgostoso com a situação e pegou a chave do carro no bolso e entregou para a mulher.

– Videl, se você me der uma carona, eu vou com você, também estou cansada e o Vegeta já deve estar me esperando – Bulma comentou bocejando.

– Eu dou sim! E você Bra quer ir também? – Inquiriu a mãe de Pan.

– Não, eu vou ficar até o final da festa, irei com o Trunks mais tarde – Respondeu sorrindo e enchendo seu sexto cálice de vinho.

Bulma e Videl se despediram e saíram do grande salão, enquanto isso a vice-presidente e o diretor administrativo e financeiro da corporação cápsula ficaram sozinhos na mesa.

– E então meu bem, quer dançar comigo? – Sussurrou Gohan discretamente, para em seguida levar o cálice de vinho aos lábios e sorver todo o líquido.

– Mas claro! – Bra aceitou o convite e se levantou, sendo seguida pelo filho mais velho de Goku, que a segurou pela cintura e encostou o queixo em seu ombro.

– Como eu queria que minha esposa fosse igual a você – Desabafou num fio de voz.

Chegando ao meio do salão, a banda mudou a música agitada para uma balda romântica novamente, Bra e Gohan se olharam e resolveram dançar juntinhos, como todos faziam. Depois de dançarem mais duas músicas, a garota de madeixas azuis conduziu o filho de Chichi até o banheiro executivo que era exclusivo, tomando cuidado para que ninguém os visse, então subiram uma escada e adentram na primeira porta a direita, a vice-presidente acendeu as luzes e trancou a porta atrás dela.

– Bra, o que você está pretendendo? – Questionou a encarando, mas como resposta recebeu dela um beijo demorado na boca, que o fez estremecer. Então sem pudor a correspondeu deslizando a língua em sua boca, para em seguida envolver os braços envolta da cintura fina dela e a puxar contra o seu corpo.


A filha de Vegeta não esperava uma reação tão rápida de Gohan, sentiu seus lábios em seu pescoço e uma das mãos que até então estava a envolvendo pela cintura, deslizou até sua coxa e levantou seu vestido. Bra movida pelo desejo rapidamente se livrou do paletó dele, em seguida abriu os botões da camisa social, afrouxou a gravata, ele a ajudou tirando a camisa, ficando com o peitoral nu, a fazendo admirar aqueles músculos bem definidos.

– Tem certeza que é isso mesmo que você quer? Se lembre que sou casado, não posso me comprometer com você depois disso – Indagou levantando o queixo da filha de Bulma e encarando.

– Eu não me importo, quero você, estou louca por você, se depois você quiser que continuemos amigos pra mim tudo bem. Não vou te cobrar nada – Confessou sincera.

– Eu me importo com você, eu gosto de você, nunca pensei em minha vida que iria sentir desejo e atração por outra mulher que não fosse Videl – Revelou e se aproximou da garota e começou novamente a beijá-la e num impulso a ergueu depositando seu corpo frágil na bancada de mármore ao lado da pia.

Bra gemeu em antecipação imaginando o que estava por vir, como pensou não demorou muito para sentir as mãos ágeis de Gohan deslizando por debaixo de seu vestido e arrancando sua calcinha.

Final do Flash Back
-
Depois de uma hora de banho, a herdeira da corporação cápsula saiu do transe ao ouvir o barulho da janela do banheiro batendo com o vento, dessa maneira voltando a pensar na sua situação atual e não nas lembranças do passado. Desse modo Bra saiu da banheira, alcançou a toalha e começou a se enxugar devagar na medida em que se aproximava do espelho que dava de se ver de corpo inteiro. Aproximou-se mais do espelho e começou a alisar seu ventre, não aparecia ainda, pois somente estava grávida de um mês e meio.

Enquanto isso na casa da família Son, Videl e Chichi conversavam na cozinha a sós, sendo que Gohan tinha subido para tomar um banho e terminar de conferir seus emails no notebook, além de checar sua agenda do dia seguinte. Pan resolveu ir dormir cedo, pois suas aulas na faculdade iniciavam bem cedo, deixando asim sua avó e mãe conversando a vontade.

– Não diga isso, minha nora! – Exclamou preocupada a esposa de Goku.

– Ele deve estar me traindo com alguma mulher do trabalho dele, eu sinto isso – Confessou Videl tristemente.

– Meu Gohan te ama, ele nunca faria isso contigo – Garantiu convicta.

– Então a senhora acha normal ele me evitar na cama, há mais de uma semana? – Questionou a filha de mister Satan com lágrimas nos olhos.

– Oh! – Proferiu a mulher mais velha, antes de sentar na cadeira ao lado da esposa de seu filho.

– Estou numa seca desgraçada e nem sei o motivo dele não me tocar mais. Só pode ser outra mulher – Acrescentou.

– Você por acaso notou algo de diferente nele, além dele evitar você na cama? – Ponderou cuidadosa a mãe de Gohan.

– Sim, às vezes eu sinto um perfume diferente se misturando com o que ele usa – Sussurrou tristemente a mãe de Pan.

– Estranho, mas você somente desconfia de algo, mas prova concreta que é bom nada – Chichi afirmou.

– Gohan é muito inteligente, creio que se estivesse me traindo, ocultaria todas as provas de sua traição, a não ser que se apaixonasse pela pessoa, nem quero pensar nisso – Argumentou chorosa a filha de mister Satan.

– Nossa já é tarde, melhor irmos dormir. E não se preocupe Videl, acho que isso tudo não passa de coisas da sua cabeça aliada à insegurança.

– Talvez você esteja certa ou não, o melhor é irmos dormir – Concordou a mãe de Pan contrariada antes de apagar a luz da cozinha e seguir até seu quarto, onde encontrou seu marido dormindo, um sono pesado.

No dia seguinte Bra acordou cedo, levantou-se primeiro que sua mãe e se dirigiu até a cozinha, onde comeu dois sanduíches recheados com presunto, queijo e tomate, sendo que por último bebeu um copo de leite gelado, para então embarcar em seu carro e ir até a empresa, durante a trajetória diversos pensamentos pulavam em sua mente, dúvidas, medos, tudo misturado, ao enxergar o prédio de dez andares pertencente a corporação cápsula sentiu um estranha sensação de que a conversa com seu amante não seria fácil.

– Oi senhorita Briefs! Veio trabalhar cedo hoje! – Exclamou espantada a secretária ruiva de meia-idade, pois estava acostumada somente a ver sua patroa no escritório às dez da manhã e não às oito da manhã.

– Vim sim, tenho algumas pendências a resolver – Resmungou antes de entrar em seu escritório, acender a luz e fechar a porta atrás dela.

Aproximou-se da mesa de mogno e sentou-se em sua cadeira giratória cinza, inclinou-se para ligar o micro-computador, para em seguida reclinar a cadeira para trás, resolveu pensar no que iria falar para seu amado, mas antes precisava saber se ele tinha tomado alguma atitude em relação a sua esposa, teria que ser firme com ele. Iria aproveitar a ausência de seu irmão pela manhã na empresa para conversar com Gohan.

– É agora ou nunca – Murmurou pegando o telefone e começando a digitar o número do ramal que dava direto na sala dele, que ficava no quinto andar, diferente da dela que se localizava no oitavo andar.

Enquanto isso, Gohan digitava furiosamente no computador, compenetrado nos seus deveres de diretor, verificando todo o balanço financeiro do mês e fazendo planilhas e gráficos para apresentar no final do mês na reunião, que estava bem próxima, quando de repente sua concentração é interrompida pelo toque do telefone ao seu lado, hesitou em atender, mas como tocava insistentemente, atendeu.

– Alô – Falou frio sem nenhuma emoção, pois não sabia quem era.

– Gohan, eu preciso falar com você – Choramingou a garota de cabelos azuis.

– Oi amor!O que você está fazendo a essa hora da manhã na empresa? – Inquiriu preocupado.

– Lendo alguns relatórios e também estou com saudades de você, ontem tive que sair mais cedo e nem nos falamos – Respondeu cuidadosa.

– Já estou indo, não gosto de fazer a minha princesa esperar – Galanteou antes de colocar o telefone no gancho e ir até o escritório de sua amante.


-
Continua

-
2 de Marzo de 2018 a las 21:19 2 Reporte Insertar 4
Leer el siguiente capítulo A Revelação de Bra!

Comenta algo

Publica!
Dara Luny Dara Luny
Estou adorando essa fic, aguardo a continuação! Bjs!
3 de Marzo de 2018 a las 19:18

  • Megan W. Logan Megan W. Logan
    Muito obrigada! Fico muito feliz que você esteja gostando! Beijos! 3 de Marzo de 2018 a las 21:21
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 8 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión