Masmorra de Luxo Seguir historia

crytter Crytter

O Lord das Trevas sabia que Harry Potter havia se tornado acidentalmente sua horcrux. Então quando o garoto foi enfrentá-lo na Floresta Proibida ele não foi morto, ele foi capturado. Com isto Voldemort conseguiu vencer a guerra. Para o mundo mágico Harry Potter havia morrido, ou talvez fugido, já que o corpo do jovem nunca foi encontrado. Mas a verdade, provavelmente nenhuma teoria chegaria perto dela.


Fanfiction Libros Sólo para mayores de 18. © Os personagens pertencem a J. K. Rowling.

#lemon #magia #Harry-Tom #yaoi #bl #slash #harrypotter #DarkHarry #tomarry #voldemort #TomRiddle #harrymort #Tom-Harry #drama #ficção #ficçãoadolescente #romance #ua #UAHarryPotter
55
7.7mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Um.


   Diferente do que Harry Potter imaginou o Lord Voldemort não o matou quando eles se encontraram na floresta. Por algum motivo que até mesmo os comensais desconhecem. O jovem bruxo foi capturado pelo Lord das Trevas.

   O próprio Voldemort lançou um feitiço no jovem Potter, um feitiço que impediria qualquer comensal da morte de tentar matar o garoto. Qualquer feitiço lançado com a intenção de ferir Harry Potter retornaria com mais força ao bruxo que a lançou.

   A varinha de Harry foi retirada pelo Lord, e o jovem foi desacordado.

   Hagrid acreditava que o jovem havia morrido quando teve que carregar o corpo do moreno para a frente do castelo. Todos acreditavam que Harry Potter estava morto. Com isso não foi difícil para o Lord das Trevas vencer aquela guerra e dominar o mundo mágico.

   Alguns se surpreenderam com o rumo que o Ministério da Magia tomou, era diferente de quando o Lord não era o ministro da magia diretamente. O mundo mágico havia criado uma barreira maior com o mundo trouxa.

   Ninguém que fosse trouxa poderia adentrar ao mundo mágico, essa era uma das primeiras leis impostas pelo Lord.

   O primeiro ministro trouxa do Reino Unido teve que implementar um novo sistema para evitar conflitos com o mundo bruxo. Todas as crianças ao nascer teriam uma amostra de sangue recolhida e enviada ao Ministério da Magia para uma análise.

   Todos os nascidos trouxas seriam obrigado a frequentar aulas em colégios bruxos criados no Reino Unido trouxa, com o intuito de instruir as crianças sobre o mundo que elas pertenciam. As crianças mestiças poderiam frequentar os colégios bruxos, assim como os sangue-puros, mas para estes não havia obrigatoriedade.

   As artes das trevas deixaram de ser algo proibido, e todos aqueles presos por praticar esta arte foram libertados de Azkaban.

   Hogwarts teve uma mudança em sua grade curricular. Estudos Trouxas ainda existia, mas era uma matéria opcional. Artes das Trevas foi incluída no currículo a partir do terceiro ano como matéria obrigatória. E Defesa Contra as Artes das Trevas teve seu nome alterado para Defesa Mágica, onde ensinava a defesa de todo tipo de magia, da luz ou das trevas.

   Diferente do que muitos acreditavam no caso do Lord das Trevas vencer, o mundo bruxo não havia sido dizimado. Na realidade, com a vitória de Voldemort o mundo bruxo estava muito melhor do que antes.

   Desinformação por parte dos nascidos trouxas seria resolvido em poucos anos. Assim como a segurança do mundo mágico estava melhor, já que trouxas não poderiam adentrar o universo deles.

   Tudo estava melhorando para muitas pessoas, mas havia uma pessoa que as coisas não estavam tão bem assim, Harry Potter. O menino que todos acreditavam não ter sobrevivido. Mas não tinham certeza, já que o corpo do garoto nunca foi encontrado.


*


   - Por que está com essa cara, Harry? - Perguntou o homem alto de cabelos castanhos perfeitamente arrumados, e olhos vermelhos rubis.

   - Por que será, Voldemort?! - Harry estava deitado no sofá da sala interna da Mansão Riddle, apenas observando o fogo da lareira.

   - Eu não matei nenhum trouxa, e nenhum nascido trouxa sofreu desde que eu subi ao poder, não entendo porque está com essa cara. - O homem se sentou na poltrona ao lado do sofá que Harry estava.

   - Eu to pouco me fodendo para o que você faz na porra do Ministério! - Harry disse ainda encarando o fogo. - Você pretende me manter com isso até quando?! Já tem mais de um mês!

   Harry finalmente olhou para o Lord, e apontava para a gargantilha chokers preta em seu pescoço. A gargantilha impedia que Harry usasse qualquer magia ofensiva ou destrutiva, o jovem apenas usava magia para situações usuais. Mas, mesmo assim, seu poder mágico era muito limitado.

   - Não posso tirar isso de você, você poderia se matar, e eu não posso te deixar morrer. - O Lord deixou de dar atenção ao menino e começou a ler as notícias do Profeta Diário, que para sua felicidade, apenas elogiavam seu governo.

   - Eu realmente adoraria me matar. - Harry se irritava mais ainda por estar na presença do Lord, ele não aguentava aquele homem. Principalmente por saber que o único motivo que estava ainda vivo era por ser uma horcrux.

   O Lord não tentou impedir que Harry saísse para o andar de cima, no fim o garoto não poderia sair da mansão mesmo que quisesse. As proteções mágicas que impediam pessoas não autorizadas de entrar no lugar, impediam Harry de sair.


*


   Fazia quase um mês e meio que o jovem Potter estava preso na mansão do Lord. O moreno havia lido livros todos os dias, e estava começando a enlouquecer. Ele não conversava com ninguém, raramente conversava com o Lord, geralmente a conversa se baseava em Harry reclamando ou Tom perguntando como o garoto estava. E geralmente a resposta era: “Qualquer lugar é melhor que essa masmorra de luxo.”

   Harry estava indo procurar o Lord, o homem geralmente estava em casa, apenas quando sua presença era completamente necessária no Ministério era que o mesmo não se encontrava.

   E por sorte ou azar do destino o homem não estava em seu escritório. Mas ele voltaria em algum momento, Harry sabia disso. Então simplesmente se sentou na cadeira imponente que o homem tinha, e ficou sentado esperando.

   Harry não soube em que momento ele acabou dormindo apoiado na mesa, mas por algum motivo estranho dormir naquele lugar estava sendo extremamente confortável.

   - Harry? - Chamou o Lord balançando um pouco o mais novo que dormia.

   - Eu ainda estou vivo? - Harry murmurou sem querer realmente se levantar.

   - Sim esta, o que você quer? Você nunca vem ao meu escritório. - O Lord estava ainda de pé ao lado da cadeira, calmo.

   - Eu já entendi que você não vai me deixar sair daqui, mas alguém pode vir me fazer companhia? - O menor se levantou da mesa, mas ainda ficou sentado na cadeira, ele estava visivelmente abatido.

   - Depende de quem. - Ponderou o Lord.

   - Hermione Granger! - Os olhos do moreno brilhavam, poder ver sua amiga, dizer a ela que estava bem, seria maravilhoso.

   - Seria perigoso deixá-la vir, apenas o círculo interno sabe que você ainda está vivo, e eu prefiro que fique assim. - Concluiu o Lord.

   - Claro, se souberem que estou vivo provavelmente iriam começar uma revolução tentando te tirar do poder. - Harry deitou a cabeça no encosto, tentando pensar em outras opções.

   - Talvez você não tenha lido nenhum jornal desde que chegou aqui, mesmo eu tendo deixado todos na sala para que você pudesse ler. - O Lord cutucou o menor com suas palavras. - Mas não está tendo nenhuma revolta com a forma com que estou liderando o Ministério, na verdade muitas pessoas que antes não me apoiavam agora me apoiam.

   - Claro que o jornal não iria publicar nada contra você. - Harry bufou revirando os olhos.

   - Eu não sou um monstro ditador, eu dei liberdade total a imprensa. - O Lord cruzou os braços um pouco irritado. - Se eu tivesse censurado eles não teria quase dez Profetas questionando se você ainda está vivo ou não.

   - Eles questionam se eu estou vivo? - Harry ficou surpreso e confuso com a notícia.

   - Você não leu mesmo nenhum jornal desde chegou aqui. - O Lord não estava com muita vontade de explicar porque realmente Harry não podia sair da mansão. - Evle! - Chamou o Lord, e rapidamente uma elfa apareceu.

   - Como Evle pode servi-lo milord? - A elfa fez um pequeno cumprimento depois de aparecer.

   - Leve todos os Profetas Diários para o quarto do senhor Potter, e coloque-os em ordem, os mais antigos primeiro.

   - Algo mais, milord? - Perguntou a elfa.

   - No momento apenas isso Evle, pode ir. - Com a permissão do Lord a elfa desapareceu no ar. - Leia todos os Profetas e depois venha conversar comigo.

   Harry nunca havia visto aquele olhar de decepção do Lord sobre ele. Havia visto muitos olhares de irritado, e outros de indiferença, mas decepção era a primeira vez, e o moreno não gostou nenhum pouco.


*


   O moreno levou quase três dias para ler todos os profetas diários e se atualizar de tudo o que aconteceu no mundo mágico depois da guerra.

   O Lord havia falado a verdade, nem todos estavam felizes com as novas leis. Nascidos trouxas e mestiços ficaram insatisfeitos por suas famílias não poderem compartilhar de seu mundo.

   Mas o Lord nunca proibiu nascidos trouxas de adentrarem o mundo mágico, ou que puro sangues e mestiços se envolvessem com trouxas. Todos podiam fazer o que bem entendessem da vida, desde que não infringissem as leis.

  Muitas pessoas estavam satisfeitas com a forma que o Lord comandava o Ministério. Principalmente pelas políticas adotadas para que desde o nascimento as crianças que estavam foram do mundo mágico conhecessem corretamente seu mundo.

   Dentre as muitas coisas boas que aconteceram no mundo mágico, algumas pessoas ainda conseguiram tempo para questionar o que aconteceu com Harry Potter.

   Alguns acreditavam que o menino viu que não poderia lutar contra o Lord e fugiu. Outros acreditavam que o Lord havia destruído completamente o corpo do menino, por isso não encontraram. Outras pessoas diziam ter visto o garoto no mundo mágico. Haviam vários rumores sobre o paradeiro de Harry, mas nenhum chegava perto da verdade.

   Haviam muitas pessoas que diziam que se o garoto fosse encontrado, deveria ser enviado para Azkaban por ter traído a luz e fugido. Já que para as pessoas que criavam as teorias de que Harry Potter estava vivo, a única forma do menino estar vivo era se tivesse fugido.

   Algumas pessoas acreditavam que se Harry fosse encontrado, o Lord deveria fazer do jovem um exemplo para que ninguém se rebelasse contra o Ministério.

   Agora Harry entendia melhor porque exatamente o Lord não o deixava sair da casa. Não era por medo do garoto tentar algo, muito menos de uma rebelião contra o Ministério. Nada do que Harry acreditava.

   Era apenas pela proteção dele, nada além disso.


*


   Harry bateu a porta do escritório do Lord, e não demorou para receber uma resposta positiva e poder adentrar o escritório. O Lord estava sentado com uma pilha de papéis sobre a mesa, e fez sinal para que o menor se sentasse na cadeira, o que o jovem não demorou a fazer.

   - E então? - Lord tirou os olhos de todos os papéis para observar o moreno.

   - Eu gostaria de me desculpar pelo meu comportamento infantil desde que estou aqui. - O moreno não conseguia manter o olhar fixo ao do homem.

   Harry se sentia realmente envergonhado por suas atitudes. Mas ele não era um adolescente influenciável como era antes, ele tinha seus próprios pensamentos agora.

   O Lord não disse nada, apenas observava o que o menor queria falar. Principalmente por ser a primeira vez que eles tinham uma conversa decente.

   - Mas você ainda está me mantendo como prisioneiro aqui. - O menor estava chateado com toda a situação. - Você me impediu de provavelmente ser morto pelo mundo bruxo, mas mesmo assim. Esse lugar é uma masmorra de luxo, só isso.

   - Harry… - O Lord queria defender seus motivos mas o moreno não permitiu.

   - Eu sei porque estou aqui, eu não sou burro. - Harry se ajeitou melhor na cadeira. - Eu sei que sou uma horcrux sua, por isso você está me protegendo tanto! Se eu morrer você perde sua última horcrux. Você perde sua imortalidade. - A voz do moreno era cheia de ódio. Viver com o homem que destruiu sua vida não era nem de longe algo desejável.

   - Eu poderia estar te mantendo nas masmorras e te alimentando com qualquer coisa, mas não, estou sendo muito bom e te dando um quarto, roupas e comida. - O Lord cruzou os dedos e apoiou a cabeça sobre os mesmos, enquanto os cotovelos se apoiavam na mesa. - Se esta achando ruim a forma com que é tratado agora, posso mudar para algo mais como um cárcere privado.

   - Você acha que eu ligo?! - O moreno já estava cansado e irritado de tudo, não apenas de estar preso com o Lord, mas tudo o que vivera com os Dursley. - Eu passei onze anos da minha vida sendo tratado quase como um elfo doméstico! Não. Um elfo doméstico foi tratado melhor do que eu! Viver numa masmorra e receber sobras de comida ainda vai ser melhor do que a infância que eu tive!

   O Lord estava atônito ouvindo aquelas revelações. O homem acreditava que o garoto teria crescido em um ambiente bom, mas por conta da ligação entre os dois nunca pode invadir a mente do garoto para saber nada daquilo.

   - Me jogue na porra da masmorras! Ou me torture! Eu. Não. Ligo.

   Harry estava gritando, irritado e exausto. Ele não esperou que o Lord falasse nada, apenas saiu do escritório do homem e foi para o próprio quarto. Não permitiria que aquele homem o visse tão fraco.

   O moreno não demorou a chegar no quarto e se jogar na cama. Com o feitiço mais forte que podia lançar o jovem trancou a porta do quarto e fez vários feitiços de privacidade para não ser ouvido.

   Suas lágrimas já eram presentes em seu rosto. O que vivia naquela casa era basicamente a mesma coisa que vivia com os Dursley. Ele não apanhava ou era chamado de aberração, mas ele estava preso, não podia fugir, não poderia pedir ajuda a ninguém. Porque ninguém viria ajudá-lo.

   Harry não sabia se seus amigos o procuravam, ou se acreditavam que ele estava vivo. Mas nada disso realmente importava, porque enquanto o Lord quisesse, ele ficaria preso àquela casa. Teria seus poderes limitados. Teria sua vida controla.

1 de Marzo de 2018 a las 14:13 0 Reporte Insertar 4
Leer el siguiente capítulo Dois.

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 13 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión