Talvez! - As aventuras sexuais do casal Uchiha Seguir historia

vanychan734 Vany-chan 734

Sasuke nunca se arrependeu de nada quanto daquele simples “Talvez” dito a Sakura em um momento inapropriado. O que ele não esperava, porém, era que sua esposa usasse suas palavras contra si mesmo e com isso teria a pior noite de sua vida – não que a Uchiha concordasse, obviamente. [Two-shot]


Fanfiction Sólo para mayores de 21 (adultos).

#Universo Natural #UN #Hentai #KakaSakuSasu #SasuSakuKaka #SasuSaku #Naruto
Cuento corto
24
9.9mil VISITAS
En progreso
tiempo de lectura
AA Compartir

Talvez!

~ Capa editada pela Ana Paula Pereira (Nyah), créditos das artes aos artistas. 

------------------------------------X--------------------------------------
Ele não fazia ideia de como havia aceitado aquela proposta. Em um dia estava irado com a esposa, no outro estava submetido às suas loucuras e desejos, e durante frases soltas em uma noite de amor, ela o aliciou a prometer que concordaria com o plano.

Maldita.

- Não fique emburrado, Sasuke-kun! É só o Kakashi-sensei.

- Eu não o quero vê-lo pelado, Sakura, muito menos quero que você o veja e vice-versa.

- Você é muito possessivo, tem que aprender a dividir as coisas – deu um beijo na bochecha do marido e logo voltou a se sentar quieta no sofá.

Estavam à espera de Kakashi. Como um bom pervertido, ele aceitara a proposta com elegância e Sakura estava tão animada para conhecer as habilidades sexuais do sensei que nem se importava com a expressão zangada de Sasuke ao lado. No fundo, ela o amava com todo seu coração e por ele ter concordado com seu fetiche, deixando-a explorá-lo, seu amor pelo marido parecia ainda maior.

É claro que o antigo vingador era muito conservador para um ménage, mas lá estava ele, esperando junto a ela pela vinda do convidado especial.

- Será que ele vai se atrasar? – Sakura olhou para o relógio da sala.

- Por que está tão ansiosa para isso? – resmungou irritado.

- Ora, você não é curioso para ver o nosso sensei sem máscara?

O moreno ponderou por alguns instantes, lembrando-se das aventuras do time 7 ao tentarem retirar a máscara do Hatake. Ainda assim, não era estímulo suficiente ao se recordar que logo ele estaria dentro dela.

- Espero que ele não venha.

- Pare de ser rabugento!

- Ele vai se atrasar – purgou olhando para o relógio que quase viraria o minuto.

Mas quando o ponteiro marcou 20:30 exatamente o som da campainha soou. Sakura pulou do sofá e o olhou zombeteira.

- Ele não se atrasaria para isso!

Ela correu até a porta e ao abri-la se deparou com a figura pacífica do mais velho.

- Kakashi-sensei! – sorriu – Seja bem-vindo! – disse após dar-lhe espaço para entrar.

Ele o fez cauteloso, havia um Uchiha ciumento ali, afinal. Sasuke se levantou do sofá e caminhou até o tutor, olhando-o com ódio.

- Sasuke – o visitante cumprimentou, perscrutando a fisionomia do pupilo.

- Kakashi – resmungou mal intencionado.

- Vamos nos sentar – Sakura falou rapidamente, evitando que seu marido dissesse algo mais intimidador.

Eles caminharam até o sofá. Ela, saltitante por sua fantasia estar a um passo de ser realizada, Kakashi silencioso ao analisar a residência do casal, e Sasuke com sua expressão de ódio.

A rosada sentou-se no assento do meio e o Hatake se posicionou ao seu lado esquerdo, observando como a antiga aluna olhava pedinte para o marido, indicando a ele que se sentasse do outro lado dela. O mais velho não evitou sorrir torpe por perceber que seria exatamente assim que as coisas aconteceriam, afinal, Sakura estaria entre eles durante o resto da noite. O Uchiha, por sua vez, percebendo as intenções da mulher bastou rugir para que os ombros dela encolhessem em desânimo.

- Sasuke-kun... – ela suplicou, tentando fazê-lo aceitar melhor a presença do outro homem na sala.

Porém, o moreno nem a direcionava o olhar. Seu foco estava no antigo sensei e seu olhar transmitia todos os xingamentos que passavam por sua mente, porque aquela era a sua casa, sua sala, seu sofá, sua mulher e ele era só um intruso em tudo ali.

- Sasuke – o prateado começou cauteloso, observando-o semicerrar o olhar – Estou aqui a pedido de Sakura, mas não farei nada sem o seu consenso... achei que já tinham discutido isso – falou com um toque de deboche porque a moça o havia comunicado da possível reação do marido e, ainda assim, ele permanecia ali.

Afinal, aquele não era o tipo de convite que se recusava.

- Anata – a mulher chamou chorosa, ganhando a atenção do moreno – Você disse que sim.

- Eu disse talvez, Sakura. E que truque baixo me chamar assim – respondeu firme, mas a moça ainda estava muito motivada para parar somente com aquilo.

- Por mim... lembra? Você também vai ser recompensado.

- É uma ótima oferta, Sasuke – o sensei pontuou com seu sorriso zombeteiro, ganhando o olhar ferino do Uchiha e até mesmo da mulher, como se o mandasse ficar quieto naquele momento.

Sasuke segurou a ponta do nariz, uma mania que fazia quando precisava se acalmar, e respirou fundo. Estava sim arrependido por ter se deixado ludibriar pela mulher, mas agora estavam ali e ele sabia que seria “punido” caso expulsasse o sensei e destruísse a fantasia sexual da esposa. Além disso, um dos argumentos dela era válido, já que pelo menos o Hatake era alguém de confiança, isto é, eles sabiam que podiam confiar na descrição dele quanto à participação em uma noite deles; o que, por exemplo, Naruto estava eternamente proibido.

Soltou um suspiro derrotado, sabendo que o melhor a se fazer naquele momento era concordar. Olhou para as orbes esmeraldinas e viu o fogo de animação dela, o que fez sua dignidade doer um pouco.

Sasuke semicerrou o olhar para a esposa, estava completamente desgostoso com aquela proposta ridícula.

- Porfavorzinho, Sasuke-kun! – ela murmurou em sua orelha, fazendo um bico manhoso em seguida.

- Não.

- Sasuke! Não seja assim! – ralhou, rebolando em seu colo.

O Uchiha grunhiu, apertando a cintura dela contra si, roçando ainda mais os sexos. Sakura ressoou baixinho.

- Eu consigo satisfazer completamente minha esposa – sorriu sacana ao vê-la corar levemente – Você não precisa de mais ninguém.

- Sasuke-kun, pare de ser tão chato! Eu quero experimentar sensações novas, não dá pra fazer isso apenas com você! – ela tinha os olhos brilhando pela ideia absurda.

- Podemos usar clones – ele sugeriu já irritado com a incisão dela.

Sakura tinha uma capacidade extraordinária de irritá-lo. E o pior, é que no fundo gostava de tê-la ali, o irritando daquela maneira.

- Pff! – zombou, saindo de seu colo e parando no meio da sala – Eu já conheço o seu clone, quero conhecer o corpo de outro shinobi!

- Sakura – rosnou num aviso claro.

- Você prometeu! Prometeu que iria me fazer feliz e que nada me faltaria! – ela relembrou, profanando a essência do seu discurso de casamento.

- Não isso, Sakura! E você está sendo muito baixa – ele passou a mão nervosamente pelo cabelo.

E vendo o estado do marido, a kunoichi ardilosa como sempre se aproximou devagar, pegou a cabeça dele com as mãos e beijou seus lábios com doçura.

- É só sexo, querido. Ainda vou continuar amando você.

Ele ficou encabulado em como ela conseguia dizer aquilo com tanta amabilidade. Afastou-a de si, dando-lhe as costas e encerrando a discussão.

- Não, Sakura.

- Mas Sasuke-kun! – protestou novamente – Você também vai se beneficiar!

Ele a olhou por sobre o ombro e arqueou uma sobrancelha.

- Ah, é? Me diga, como vou me beneficiar com minha esposa transando com outro homem? – zombou.

- Ora, você vai ver a sua esposa muito feliz e agradecida! – ela sorriu largamente, ignorando sua chacota – Além disso, o trato é que depois outra mulher também participe... – ela tinha um sorriso malicioso que o deixava enervado.

Sasuke fez uma expressão de nojo. Para ele nenhuma mulher era atraente, salvo Sakura, então não conseguia se sentir bem ao imaginar mais alguém tocando-o de forma íntima. Sua esposa era uma bela tarada, pelo contrário.

- Não quero nenhuma outra mulher e você também não deveria querer – ele apontou o indicador para ela enquanto a bronqueava.

- Mas é a Ino, Sasuke-kun – ignorou novamente sua fala e contra argumentou – Ela é muito gostosa!

- Ela fala demais, isso sim – ele repreendeu com sua costumeira carranca.

- Não se estiver ocupada com a boca... – Sakura riu maliciosa mais uma vez, atraindo o olhar indignado do marido.

- Que coisas ela anda falando com você? – olhou-a acusatório.

- Bobagens – deu de ombros, fingindo não notar a veia pulsante na testa do marido – Sabe, ela é muito boa com a língua... – comentou passando por ele e indo em direção à cozinha.

Sasuke a seguiu com os olhos e rugiu uma pergunta mal feita.

- Como você sabe disso?

Ela parou de caminhar e olhou-o sobre o ombro de forma lasciva.

- Nós somos amigas, Sasuke-kun... enquanto você esteve fora, nós nos divertíamos.

Ele ficou chocado com a resposta e demorou longos segundos para que absorvesse tudo que aquela simples frase denunciava. Sua esposa já havia... sentiu-se tão traído que queria proibir a entrada da loira na sua residência enquanto não estivesse presente. Franziu o cenho, pronto para descarregar seus xingamentos quando tentou avaliar melhor aquela provocação, afinal, ele não conseguia imaginar Sakura chupando...oh, conseguia sim.

Mil vezes maldita.

- Não – ele deu a última resposta quando passou por ela a fim de descontar sua ira numa série de treinamentos no jardim da casa.

Sakura observou-o partir irritado com um sorriso falsamente inocente. Sabia que a semente da discórdia havia sido plantada e logo ele ressurgiria com esse tema, indignado e curioso. E não demorou para que o “Talvez” surgisse dias depois enquanto giravam nos lençóis da cama.

- Eu acho que seria melhor que vocês começassem... – os dois Uchihas olharam-no surpresos – Sabem, eu posso ser apenas um voyeur hoje... – sorriu dando de ombros enquanto Sasuke retorcia a boca e a ex-Haruno arregalava os olhos.

Antes que o moreno pudesse xingá-lo, Sakura se virou rapidamente para o marido e lhe roubou um beijo profundo. Ele quis se distanciar, mas era impossível com a língua dela já se enroscando na sua. Cedeu ao desejo dela como em todas as outras vezes e quase se esqueceu que eram observados quando ela subiu em seu colo.

Mas ele ainda sentia o chakra sereno de Kakashi bem ao lado deles.

Não que Sakura se importasse, pelo contrário, saber que estavam sendo observados parecia ser outra fantasia sexual da mulher, e mesmo que quisesse pará-la, a rosada era bem persuasiva quando lhe convinha. Por exemplo, naquele momento em que já estava sentada em seu colo e o beijava como se a própria vida dependesse daquilo.

- Sakura... – sussurrou quando ela separou-se, já descendo seus beijos para o pescoço dele.

O cheiro do shampoo dela o inebriava, além de poder ouvir sua respiração pesada e sentir o coração pulsante contra seu peito, fazendo com que seu desejo por ela só aumentasse. Por que, inferno, ela desejava mais alguém além dele próprio? Não soube encontrar uma resposta decente porque aquele rebolado em seu colo já estava deixando seu corpo quente.

Soltou um grunhido baixo quando ela mordeu o lóbulo de sua orelha e o puxou, fazendo-o estremecer completamente. Levou as mãos até o quadril dela e o movimentou, dizendo sutilmente que queria mais pressão ali, o que a esposa prontamente atendeu ao começar a se mover mais intensamente.

Não demorou para que a boca rosada voltasse a procurar os lábios dele, mas em meio a esse beijo ele sentiu o ofego surpreso dela. Franziu as sobrancelhas estranhando tal coisa e se distanciou minimamente para fitá-la, surpreendendo-se com o que via.

Diferentemente do que pensava, Sakura não o olhava, ao invés disso, fitava diretamente o ex-sensei com uma expressão corada, enquanto o homem mantinha as íris fixas nela. Kakashi tinha o Sharingan rodando, capturando cada segundo da cena que se mostrava à frente e a médica-nin estava encantada com a expressão deleitosa dele.

Sasuke arqueou uma sobrancelha para o mais velho, que sequer lhe lançou um olhar. Sakura, sem perceber o foco do marido, voltou-se para ele e encontrou-o fitando o Hokage. Sorriu quando as orbes negras fixaram-se em si e soube neste momento que seu desejo seria atendido. Beijou o moreno mais uma vez, com a mesma intensidade posta anteriormente, e assim que o fôlego acabou, arrastou seus lábios cheios para a orelha do homem sob si.

- Sasuke-kun... por favor...

O ex-vingador prendeu um gemido. Apertou Sakura contra si, fazendo-a sentir o quão duro já estava com apenas aquilo. Ela estremeceu, mas voltou a olhá-lo e depois rolou as orbes esmeraldinas para Kakashi que os observava, como o bom pervertido que era.

A maneira que Sasuke encontrou de autorizar a mulher, foi dar-lhe um tapa na bunda. A rosada olhou-o assustada, mas quando seus olhares cruzaram, um sorriso estupidamente satisfeito se fez presente. Ela selou seus lábios rapidamente, e com a mesma rapidez se afastou, engatinhando até o Hatake pelo sofá.

Kakashi continuava parado, sem apresentar qualquer sinal de que a cena presenciada tivesse mexido consigo. Mas obviamente que ver a ex-aluna rebolando sobre o colo de outro homem seria sim excitante, ainda mais quando ela beijou o marido lançando-lhe aquele olhar libidinoso... quase como se o dissesse que, na verdade, queria estar beijando-o.

A Uchiha engatinhou até ele, devagar, silenciosa e analítica, observando que ele fingia muito bem, mas que o olhar dele era como o de Sasuke. Expressava muitas coisas, e naquele momento era só desejo o que via.

- Kakashi-sensei – resmungou dócil, enquanto acariciava as coxas dele.

O homem vislumbrou Sasuke por sobre o ombro dela, mas ele não parecia prestes a esquartejá-lo, longe disso, o olhar dele estava focado em Sakura, mais precisamente, na bunda arrebitada dela.

As mãos pequenas foram subindo por suas coxas, produzindo sutis arrepios na base de sua nuca até os dedos dos pés. Sakura sentou-se sobre as próprias panturrilhas e elevou as mãos hábeis até a máscara do sensei, deslizando o tecido vagarosamente ao revelar sua fisionomia. O Uchiha também se aproximou, focava a visão em sua face, mas as mãos circundavam todas as curvas de Sakura, acariciando-a e apalpando.

Quando a máscara fora completamente retirada, ele viu as pupilas de Sakura dilatarem, assim como a expressão de Sasuke tornar-se surpresa. Kakashi sorriu, sabendo que ambos haviam-no achado bonito e que isso era muito promissor para si. A mulher soltou um suspiro exasperado e olhou para o marido, como se buscasse a autorização final, a qual lhe foi prontamente concedida com meneio da cabeça, mas antes que ela pudesse se virar e avançar, o prateado já a puxara para um beijo.

Ele ouviu um rosnado do Uchiha, mas nem se importou ao sentir o corpo pequeno colado ao seu, assim como as línguas quentes se tocando. Ela estava afoita, tocava-o em todas as partes que tinha acesso naquela posição, ao passo que ele mantinha o beijo intenso e apertava a coxa sobre seu quadril enquanto a segurava pela nuca.

Sakura se ajeitou melhor, ficando inclinada sobre o Hatake e parou de beijá-lo somente quando a falta de ar foi sentida, por fim o olhou enrubescida.

- Oh, Kami... – sussurrou.

- Sakura... – a voz rouca de Sasuke foi ouvida, mas não aparentava raiva, apenas... desejo.

Ambos olharam-no com curiosidade, embora Sasuke tentasse disfarçar o quão excitado estava rolando os olhos pela mobília da casa.

- Vamos para o quarto de hóspedes – ditou, já se levantando e seguindo pelo corredor.

A rosada soltou um risinho baixo e comunicou o convidado:

- Ele não nos quer fazendo isso no sofá e nem na nossa cama. Vamos! – com um salto ela já caminhava pelo corredor e acenava para ele.

- Ah, minhas crianças... – resmungou ao observar o próprio volume sob sua calça.

Respirou fundo e se levantou, fazendo o mesmo caminho que o casal Uchiha tinha feito. Ele viu a porta que presumia ser a do tal quarto aberta e Sakura escorada no batente com um sorriso sacana.

Era uma visão deveras interessante para o Hatake, mas antes que ele chegasse até ela, a mulher fora puxada com força para dentro do quarto soltando um gritinho surpreso que fez o prateado rir.

Quando finalmente entrou no cômodo viu o casal aos beijos. Sasuke já estava sem camisa e imprensava a mulher contra a parede oposta à cama, tendo uma das pernas de Sakura levantada e posicionada sobre seu flanco direito.

Kakashi apreciava a visão e aproveitou o momento para retirar o próprio colete e a blusa negra. Com o tronco desnudo, se aproximou devagar e começou a acariciar a rosada, a única no quarto que permanecia com todas as roupas. Esta, então, foi sua primeira tarefa da noite.

Enquanto a jovem mantinha beijos calorosos com o marido, e este simulava movimentos bastante claros de seu desejo, o prateado a beijava no pescoço e colo, arrastando a língua por toda superfície que lhe era acessível, enquanto as mãos apertavam os seios de Sakura e deslizavam por seu baixo ventre, abrindo os botões de sua blusa e calça.

Durante sua pequena tortura – porque era assim que médica-nin se sentia – ela afastou Sasuke de si, permitindo-se rodar no próprio eixo e ficar de frente para o sensei, enquanto o Uchiha roçava o membro ereto em sua bunda.

- Oh Kami... – gemeu ao sentir o Hatake arrastar a língua por sua garganta, ao passo que o marido invadia sua calcinha com a mão direita.

O toque em sua intimidade era lento, até terno, mas naquele momento ela clamava por mais e por isso começou a remexer o quadril, proclamando seu pedido mudo. Kakashi observava-a com os olhos semicerrados, nublada pelo desejo, e a ajudou com deleite na busca pelo prazer. Ele deslizou sua blusa vermelha característica pelos braços, acariciando a pele alva enquanto distribuía beijos por todo colo exposto e descendo conforme o corpo delicado era revelado.

Assim que o tecido atingiu o chão, seu foco foram as calças brancas. Empurrou o tecido para baixo junto com a calcinha, que para a infelicidade de Sakura era uma vermelha rendada que não teve sua beleza devidamente apreciada pelo mais velho, pois para ele, aquela calcinha era só mais um pano atrapalhando-o de seu destino.

O copy-nin sabia que a rosada não possuía nenhuma DST e nem Sasuke já que os check up’s trimestrais verificavam qualquer tipo de anomalia e portanto ambos estavam limpos, assim como ele, então nem se preocupou em usar uma proteção feminina no momento. Apenas se aproximou da intimidade exposta e a acariciou, notando o quão úmida já estava. Deslizou seu dedo médio por toda a extensão da genitália, observando Sakura abrir a boca em um perfeito “Ó” que muito satisfazia seu ego.

Sasuke indiretamente o ajudava. Assim que a blusa dela fora retirada, ele arrastou as mãos para o fecho do sutiã da esposa, retirando a peça rapidamente para enfim poder dar atenção aos seios medianos. A rosada tombou a cabeça para a direita, beijando-o enquanto sentia suas mãos calejadas apalparem os seios, brincando com os mamilos intumescidos ao passo que o sensei dava atenção à sua região baixa.

Para a Uchiha aquela situação era eletrizante, para se dizer no mínimo. A quantidade de estímulos certeiros que recebia faziam seu baixo ventre vibrar e cada vez mais sentir calor. Não soube quando sua respiração ficou pesada e seu beijo instável, mas ela simplesmente não conseguia se concentrar no marido por causa do sexo vibrante. Gemeu sem nem se dar conta quando o prateado elevou uma de suas pernas, a apoiando no ombro dele, e em seguida a lambeu.

Olhou imediatamente para baixo com as bochechas coradas pela visão. Kakashi arrastava a língua por toda a sua intimidade, focando-se principalmente em seu clitóris, enquanto a olhava daquele modo pervertido. Ofegou com todas as lambidas e arrepios proporcionados, tanto pelo mais velho quanto pelo Uchiha, que continuava roçando seu membro nela e a agora a penetrava com dois dedos.

Por mais impossível que parecesse num primeiro momento, Sasuke e Kakashi estavam sim trabalhando perfeitamente bem juntos. Enquanto a língua quente do copy-nin a fazia estremecer, os dedos hábeis do marido a faziam revirar os olhos de prazer.

É claro que ex-vingador não estava sendo ignorado no processo. Ao passo que a mão direita de Sakura impulsionava a cabeça do sensei para seu interior, a esquerda masturbava-o magnificamente. Na verdade, Sakura era uma exímia masturbadora. Ela segurava seu pênis de modo firme, mas sem machucá-lo, e movimentava a mão com rapidez, proporcionando-o prazer.

A rosada deixou de empurrar a cabeça do Hatake e levou o braço para o tronco de Sasuke a fim de ganhar alguma estabilidade, já que as investidas no seu sexo estavam começando a desestabilizá-la.

- Oh! Isso! – gemeu mais alto assim que as intensidades foram acentuadas.

O moreno reconhecia aquele gemido. Ele sabia que a esposa não era falante durante o sexo, os únicos sons e pedidos que emitia eram erógenos, e se alguém lhe perguntasse algo nesses momentos de prazer, ela com certeza responderia qualquer besteira, poderia até esquecer o próprio nome naquele momento. Ou seja, aquele tipo de gemido era um aviso de que ela estava perto de atingir seu ápice.

Kakashi, por sua vez, nunca havia estado com Sakura anteriormente, mas já havia dormido com diversas mulheres e também sabia reconhecer aquele pedido desavergonhado. Desse modo continuou a chupá-la com afinco e assim que ela começou a se remexer demais ele soube que ela gozaria em sua boca. Ele continuou a estimulá-la, tendo o auxílio de Sasuke que a beijava no pescoço e apertava os seios, e foi como esperava, em poucos segundos o gemido estridente dela fora ouvido ao mesmo tempo que suas pernas flexionaram-se ao perder a estabilidade.

Sasuke a amparou antes de cair, segurando-a pela cintura, enquanto o Hatake limpava os cantos da boca com as costas da mão. Naquele momento, apenas um terço do que tinha planejado estava concluído e certamente queria mais.

- Sa...Sasuke-kun... – ela sussurrou manhosa e com a respiração ofegante.

O moreno a rodou em seus braços e a silenciou com um beijo possessivo. Kakashi se levantava do chão com um sorriso torpe, sabendo que aquele ciúmes marital era até engraçado de ser presenciado na atual circunstância. Mas antes que fizesse qualquer comentário provocativo, Sakura desfez o beijo e direcionou seus lábios para o pescoço do homem e de lá para o tronco e genital.

Enquanto ela arrastava sua boca pelo corpo masculino, o sensei apalpava-lhe a bunda e quando ela finalmente se posicionou de quatro, ele viu um bom momento para se pronunciar.

- Onde estão as camisinhas?

Sasuke o olhou mortalmente, mas manteve-se quieto, iludido com a esperança de que Sakura subitamente desistisse da ideia. Ela, porém, estava cada vez mais ansiosa para ter os dois homens mais disputados da Vila consigo.

- Na gaveta do criado ao lado da cama, sensei – respondeu, dando um ênfase libidinoso no tratamento que anteriormente era apenas ingênuo.

O Uchiha grunhiu com aquela provocação da esposa, mas mal teve tempo de se revoltar, porque Sakura o chupava em seguida. A língua delicada o circundava na glande enquanto a mão o masturbava na base, proporcionando-o um estado semi-consciente da realidade.

- Hm – gemeu ao senti-la percorrer toda sua extensão, dando atenção até mesmo ao seu saco escrotal.

Concomitantemente, Kakashi já havia vestido sua proteção e estava completamente nu, assim, ele se posicionou na entrada da rosada. Entrou devagar, segurando a respiração ao senti-la tão disposta para recebê-lo, depois passou a estocar com força buscando o máximo de prazer, tanto dela quanto dele próprio.

A cada investida do mais velho, Sakura se remexia e aproveitava para descontar seu prazer no marido, o qual a segurava pelo cabelo e se movimentava também. O ritmo frenético dos dois continuou até que Sasuke não se sentisse satisfeito com o tratamento que recebia, porque apenas aquilo não era suficiente, ele queria tomá-la por inteira. Assim, puxou o cabelo rosado para cima, indicando que ela deveria se levantar e sair do enlace do Hatake.

Sakura o olhou com tanta expectativa em seus olhos grandes que quase duvidou ser capaz de sanar seus desejos, mas tão rápido que determinado pensamento veio, ele se foi. A puxou pela cintura e a jogou na cama em seguida, subindo por cima do corpo suado dela, vendo seu sorriso safado crescer cada vez mais.

- Sasuke-kun, não seja guloso, ainda temos o Kakashi-sensei – ela repreendeu com charme, sabendo que o prateado os assistia enquanto se masturbava.

O Uchiha, no entanto, pouco se importava com o tutor. Ele imprensou seu pênis na barriga da esposa a fim de mostrá-la o quão excitado estava com sua parceira, apenas por Sakura, e que ele era mais do que suficiente para satisfazê-la. Abaixou o tronco e posicionou seu membro, estocando com força na primeira vez ao passo que segurava os braços dela a cima de sua cabeça e continuava se movimentando.

A médica-nin amava o modo como o marido conseguia se movimentar com tanta destreza e também atingir o seu ponto certo de primeira, mas sua fantasia ainda não estava completa. E ela não se deixaria abalar pelo mal-húmor do homem, então, concentrou chakra nos braços e os livrou do agarre do esposo, girando seus corpos no processo.

Agora era ela quem estava por cima, sorrindo vitoriosa para o moreno enquanto o prendia pelos braços do mesmo modo que ele fizera consigo. Ela abaixou o próprio tronco quando começou a rebolar em cima dele e o lambeu nos lábios vagarosamente apenas para atormentá-lo e em seguida olhou para o Rokudaime.

- Você está atrasado, sensei.

A voz era quase um ronronar e Kakashi teve que se controlar muito para não roubá-la do pupilo naquele momento e desaparecer com seu Kamui. Aquela simples frase era o que a menina lhe dizia sempre que estava atrasado para suas missões em time, mas agora a conotação imposta tornava o sentido completamente diferente.

Caminhou rapidamente até o criado mudo e trocou o preservativo, jogando o anterior em algum canto do quarto, revestiu o pênis e se aproximou do casal, entretidos consigo mesmos. Sakura subia e descia velozmente no membro de Sasuke, sendo auxiliado por ele, e somente parou quando sentiu Kakashi beijar seu orifício anal a fim de lubrificá-lo.

Ela gemia baixinho com o contato de sua língua na pele sensível, principalmente porque Sasuke mordiscava seus mamilos. Assim que os rebolados dela recomeçaram, o prateado passou a introduzir um dedo, começou lento assim como os beijos dados na nuca dela, mas logo o ritmo se intensificou e o dedo foi substituído por seu pênis.

Sakura gemeu em desconforto até ter o membro completamente dentro de si, e naqueles instantes, Sasuke se manteve paciente com o próprio órgão pulsante dentro dela necessitando de atenção, porém, ele sabia que ela estava com dor e por isso apertou a boca em uma linha severa e esperou pela volta das cavalgadas.

Os pênis dos homens eram diferentes. O de Sasuke era um pouco maior, porém não tão grosso quanto o do Hatake, e para aquela situação, ela estava arrependida de tê-lo deixado por trás.

Oh, Kami.

Respirou fundo e começou a se mover, primeiramente devagar para se acostumar com os dois dentro de si, e dessa forma procurando pela posição mais confortável e incrivelmente fora se inclinando sobre o marido e deixando que o sensei se inclinasse por cima de si, apoiando os braços na cama enquanto ela apoiava os seus próprios no ombro do moreno.

Com paciência e determinação, características presentes nos três indivíduos do cômodo, eles intensificaram o ritmo até que o choque dos corpos e os gemidos fossem os únicos sons a serem ouvidos no quarto. Ainda que os provenientes de Sakura fossem os mais presentes, Sasuke e Kakashi rugiam de vez em quando, tentando assim manterem-se no controle dos próprios instintos e prolongarem o prazer dela.

Os suores, cheiros e sons se misturavam tanto que até mesmo o Uchiha foi obrigado a concordar que eram um ótimo trio naquele quesito. As estocadas furiosas continuaram de ambas as partes, hora ou outra regulando o movimento porque os dois homens conseguiam se sentir dentro dela, mas ainda mantendo o compasso.

Sakura chegou a ficar tão excitada que mal conseguia gemer. Ela simplesmente se movia no vai e vem dos parceiros e com isso prolongava o próprio prazer ao ter tantos estímulos de uma só vez. Em pouco tempo ela sentia o típico calor concentrar-se no baixo ventre e se acumular ali.

- Por favor! – gritou, inebriada.

Os homens trocaram um sutil olhar ao entenderem o recado: eles só precisavam aguentar até que ela atingisse o orgasmo. Respiraram fundo e mantiveram o ritmo veloz se atentando à respiração pesada da rosada que parecia prestes a explodir e logo foi o que aconteceu.

Dessa vez, Sakura tivera um orgasmo violento. A sensação fora tão prazerosa que ela sentiu um arrepio da cabeça aos pés enquanto seu corpo inteiro começou a ter espasmos e o calor característico se intensificou, por fim, ela desabou no peito do marido, sentido as paredes internas apertá-lo com força. O homem soltou um gemido gutural ao finalmente se libertar, ejaculando dentro da esposa, e incrivelmente fora acompanhado pelo tutor que preenchia a camisinha com seu sêmen.

Kakashi se livrou da camisinha e a jogou no chão do quarto, necessitando descansar. O casal, por sua vez, também precisava. A rosada simplesmente deslizou pela corpo do marido, atingindo o colchão com languidez, já o Uchiha colocou um braço por cima dos olhos e tentou regular a respiração errática.

Quando os três estavam mais lúcidos da situação, ainda deitados na cama, Sakura riu baixinho atraindo a atenção dos dois.

- Nós conseguimos! – comemorou com um brilho extasiado no olhar.

Sasuke retorceu a boca em desgosto, mas o sensei apenas concordou com um sorriso lascivo, passando o braço pela cintura da mulher e aproximando mais seus corpos. O moreno franziu o cenho ao ver tal cena e simplesmente retirou o braço do prateado dela, puxando-a para si.

- Hey, rapazes, tem Sakura pra todo mundo! – ela falou com deboche, ganhando uma carranca de Sasuke em seguida.

- Não, não tem. O trato era apenas sexo, dormir de conchinha não está incluso no pacote.

A mulher abriu a boca para rebater a grosseria dele, mas Kakashi se levantou da cama e começou a se vestir, atraindo o olhar da jovem.

- Kakashi-sensei...

- Sasuke tem razão, Sakura – ele respondeu taciturno, vestindo as próprias roupas – Quem sabe num próximo convite dormir juntos não esteja incluso? – piscou um olho, dando um sorriso provocativo para o moreno que grunhiu.

Ela se sentou na cama ao absorver o auto convite pervertido dele. Não evitou sorrir satisfeita ao analisar mais uma vez como o sensei era bonito sem a máscara e também sem camisa. Sua Inner-Sakura se auto glorificou por ter transado com ele e com Sasuke ao mesmo tempo!

A Uchiha olhou para o marido por sobre o ombro e acariciou sua face, transmitindo o quão agradecida estava por aquela experiência.

- Bem, estou indo – o Hatake falou, fazendo com que Sakura voltasse a olhá-lo e já o visse completamente vestido.

- Tudo bem.

- Já vai tarde – o moreno resmungou.

- Sasuke-kun!

- Até mais, crianças – o sensei disse com zombaria, segundos antes de pular a janela do quarto e sumir pelo distrito Uchiha.

- Não precisava ser tão grosso – ela repreendeu, apesar de manter um sorriso bobo nos lábios e se aninhar ao marido na cama.

- Eu deveria matá-lo, Sakura – respondeu, apertando-a contra si.

A médica-nin riu baixinho e começou a acariciar o peito dele, fazendo círculos invisíveis com o indicador.

- Se fizer isso não vamos poder repetir...

- Sakura.

- Ah, Sasuke-kun...

- Não.

- Sim!

- Hm. Talvez. 

28 de Febrero de 2018 a las 22:13 2 Reporte Insertar 4
Continuará…

Conoce al autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comenta algo

Publica!
Quézia Cristina Quézia Cristina
Uau!!!! PORRA SASUKE!!! Deixa de ser estraga prazeres hahahahah Caralho que hentaizão da poha hein? Notei que o Kakashi das suas histórias tem um tenso pela Sakura né? shippo horrores! Gostei da participação da Inner-Sakura tbm ali no finalzinho <3 Gente o Kakashi é um puta homão, Sasuke ta perdendo com essa ciumeira sem cabimento hehehehehe #AlertaDeFujoshi ~sons de sirene Nossa me deu até uns coiso aqui hahhahahah Posta mais que ta pouco. Vai ter mais threesome né? é two-shot MAL POSSO ESPERAR
28 de Febrero de 2018 a las 17:04

  • Vany-chan 734 Vany-chan 734
    HSUASHAUSH oi!! Sasukinho é um homem ciumento, mas orgulhoso, e acho que ele nunca esteve tão arrependido de ter deixado a Saki ludibriá-lo hahahaa Imagine, não deve ser fácil pra ele ver outro cara fud***o a sua mulher USAHSHAUSAH Ah, você acha? Eu confesso que gosto da relação do meu Kakashi com a Sakura, a verdade é que eu to acostumada a trabalhar com eles por causa da minha long deles, enfim, o ideal que eu imagino pra relação dele é um carinho, quase paternal, mas não chega a tanto. Kakashi seria tipo um "primo" mais velho pra ela hahahaha Acho que isso torna tudo mais interessante e crível tbm. A Sakura é o único pesonagem no cânon com "duas almas" porque nao explorar nossa Inner? É tipo uma consciencia muito sincera, safada e obscura UHASHUSUHASUHA E sim, terá mais um threesome, mas será com a Ino o próximo e sinceramente não penso em fazer mais, é meio complicado trabalhar com todos juntos UHASUSHAS Ah, depois de tudo, espero que tenha gostado e até o próximo! Beijocas <3 <3 28 de Febrero de 2018 a las 17:52
~