No dia do seu casamento Seguir historia

xhasashi Hasashi Rafaela

''No dia do seu casamento, na igreja eu vou entrar correndo...'' Songfic da música: Maiara e Maraisa - No dia do seu casamento


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#songfic #naruto #HashiMito
Cuento corto
8
7.0mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo único

Agonizante era o sentimento que assolava meu peito desde o dia que recebi o maldito convite, aliás, não havia compreendido a razão daquele pedaço de papel de merda ter chegado em minha casa. Eu só...não conseguia entender a razão que precisávamos passar por isso. Até aonde o seu orgulho havia ido? Por qual razão fazer isso conosco?

Mas o pior não era apenas o fato da mulher da minha vida estar se casando, por saber que ela me amava. Incondicionalmente.

Provavelmente sou um verdadeiro idiota por me preocupar em vê-la acabando com a própria vida em uma união por conflito de interesses. Só queria roubá-la para mim de uma vez, de qualquer jeito.

Sua família ainda não conseguia aceitar vê-la sem aquele infeliz, e por conta disso nós dois tivemos que ficar separados. E só de pensar em ele tocando no que era meu...


Passei a noite em claro, eu não consegui dormir...


Irônico relembrar que o refúgio daquela situação por meses estava sendo meus sonhos, Mito era minha. Era sempre a mesma coisa: Nossa cama, naquele mesmo quarto de sempre. A voz calma e melodiosa em meio a gemidos, jurando o quanto me amava e que não queria me deixar.

E eu conseguia sentir, em cada um dos meus poros suas palavras, os beijos e toques. Ao tocar em meus lábios lembrava do gosto de sua boca. Minhas costas pareciam ter se acostumado com as unhas grandes passando por elas.

Os puxões de cabelo, as besteiras sussurradas para mim ao pé do ouvido. Me instigando a continuar provando mais de você, do seu corpo, do sabor de sua pele e principalmente do amor que seus olhos verdes me confessavam.

Contudo, naquele dia eu tive insônia. Me revirava de um lado para o outro no colchão desejando que aquele pesadelo acabasse de uma vez.

Levantei vencido pelo cansaço e era ainda muito cedo. Tomei um banho longo tentando conter as lágrimas. Buscava na água quente o conforto que sempre achei no seu corpo, em suas curvas que eram facilmente delineadas por meus dedos. E obviamente falhei, nada era como você.

Fazia mais de oito meses que não nos víamos, que seu perfume já havia saído da minha casa e principalmente das minhas roupas. E eu me sentia um viciado em abstinência todo esse tempo, buscando algum resquício seu.

Não deveria doer tanto e eu sabia que isso poderia acontecer. Mas eu não estava preparado para te perder.

A minha vontade era de fato cometer uma loucura, mas fui covarde demais. Sempre fui. Talvez se tivesse sido mais corajoso você estaria comigo. Deveria ter pedido para ficar assim que tive chance.

Por que fazer isso conosco, Mito?

A cada segundo daquele dia eu olhava para o maldito convite tentando entender a razão de ter recebido. Uma parte de mim achava que isso era um sinal seu, um pedido de socorro para que não desistisse de nós.

E eu me agarrei nisso. Precisava ver por mim mesmo, tinha que tentar pela última vez.

Se um dia havia sido covarde, não agora. Chega.

Meu coração palpitava em antecipação, era uma grande loucura digna de filmes de romance, mas infelizmente isso podia estar fadado a ser pior do que penso. Eu devo estar ficando louco, porém não existe mais solução.

Pela última vez, irei lutar por ela.

Próximo a hora do casamento comecei a me arrumar lentamente, coloquei um terno preto que sabia que ela gostava. Prendi meus cabelos no mesmo rabo de cavalo que Mito adorava desmanchar.

A cada minuto que passava e se aproximava da cerimônia o meu coração batia cada vez mais, estava tão nervoso que sentia como se fosse meu próprio casamento. E deveria ser, com a mulher da minha vida.

Agora eu estava empenhado em recuperá-la, e iria fazer isso.

Quando terminei, me olhei no espelho e suspirei fundo. Passei a atenção para o relógio em minha parede e estava na hora. Tranquei a minha casa, entrei em meu carro tentando conter a agonia.

As palpitações em meu peito estavam cada vez mais fortes. O caminho era relativamente longe e eu temia por não chegar a tempo. Ensaiava as palavras que diria, prometia a mim mesmo que só sairia de lá com ela.


No dia do seu casamento,

na igreja vou entrar correndo.

Que se exploda os convidados,

essas flores, esses vasos,

essa sua mentira;

dane-se esse teatro....


Estacionei um pouco longe, fui caminhando até a igreja e percebi que aquele circo já havia começado. Tudo estava decorado com rosas brancas e acabei rindo, Mito gostava das vermelhas.

Mas provavelmente esse idiota não sabe disso.

Ouvia da porta o padre falar sobre amor, em uma das frestas ela estava parada no altar com aquele infeliz e tive vontade de chorar, tanto por não ser eu ali, como por vê-la com semblante tão triste.

Pensei em voltar e esquecer aquela loucura, cogitei que talvez já havia sido esquecido e deveria seguir com a minha vida...Mas não, como encontrar uma mulher que ela?

Porém, já estava ali.

Que seja e que Kami me perdoe.

Abri as portas bruscamente e as atenções foram para mim, Mito que até então parecia não chorar, desatou em lágrimas enquanto colocava as mãos no rosto.


Olha pro seu dedo agora, e jogue essa aliança fora.

Eu sei bem quem você ama, é a mim que você chama...


- Mito. - Comecei. - Você sabe o que vim fazer aqui. Por oito meses fui um grande covarde e me culpo por te deixar ir embora. Talvez seja tardio, mas eu precisava arriscar pela última vez. Eu te amo, e nós dois sabemos que a única pessoa que deve estar no altar com você sou eu.

Todos estavam atônitos demais, o noivo olhava para ela irritado, confuso e aparentemente preocupado. Os olhos verdes fitavam a aliança que estava na palma de sua mão como se estivesse pensando em algo ou tentando encontrar as palavras certas.

- Eu sinto muito. - Ela murmurou.

O meu coração bateu mais forte. Uma tristeza invadiu meu peito como se algo estivesse me destruindo por dentro. É, fui um idiota...e louco.

- Sou eu que sinto. - Virei as costas para ir embora, mas…

- Hashirama! - Mito me chamou e eu olhei em sua direção. - Espera.

Deixou a aliança em cima de uma mesa, junto com o buquê e olhou para mim sorrindo. Passou a correr em minha direção e foi inevitável não rir.

Que Deus me perdoe do meu pecado, mas foi impossível não beijá-la ali mesmo.

Mito chorava, porém parecia aliviada. Deixei um beijo em sua testa, peguei em sua mão e apertei com medo de vê-la desistindo da insanidade que estava cometendo.

Nós dois saímos rindo dali. E eu não sabia conter a felicidade que invadiu meu peito. A nossa atitude teria consequências bruscas, mas tinha certeza que conseguiria passar por qualquer coisa contando que ela estivesse ao meu lado.

Entramos quase desesperados em meu carro, e eu acelerei como nunca para nos tirar dali o mais rápido possível.

- Você tem consciência da loucura que fizemos, Hashirama? - Mito sorria para mim e foi inevitável não segurar em suas mãos.

- Eu não me importo, só nunca mais vou te deixar ir embora. - Respondi, ela fechou os olhos encostando a cabeça no banco ainda rindo.

Nós estávamos em silêncio, ainda era tomado pela adrenalina de toda a situação e não estava refletindo muito bem com o que havia feito...até chegar em minha casa. No momento que fechei a porta e olhei para ela, vestida de noiva e de um casamento que não era o nosso...entrei em desespero.

O que faríamos agora? O que seria de sua vida a partir de agora? Eu daria um jeito de qualquer forma, mas era a família da mulher que amo envolvida e um cara que foi abandonado no altar.

Por Kami-Sama, onde eu estava com a cabeça?

- Mito, o que nós fizemos foi loucura! - Andava de um lado para o outro preocupado demais. - Sua família, seus amigos...eles...vão te odiar! Irão te xingar por ter feito isso, julgamentos irão acontecer. Eu estraguei a sua vida. Não deveria ter…- Ia continuar, mas senti seus dedos em meus lábios.

- Hashirama, você acha que eu te enviei aquele convite esperando que fosse como meu convidado e assistisse a um casamento que não fosse o nosso? Sério, querido? - Ela abriu um sorriso bonito, e em seguida passou a rir. - Eu contava com essa atitude. Se você fosse apenas para ver a cerimônia, provavelmente teria te puxado para um canto no meio da festa e te arrastaria para outro lugar. - Olhei atentamente para seu rosto já me acalmando. - Se você não tivesse ido, eu mesma teria ido embora daquele circo todo e vindo até aqui te xingar por ter desistido de nós tão fácil. - Se aproximou, segurando em meu rosto. - Em todas as opções citadas, amor, nenhuma delas envolve você e eu separados. - Suas mãos passaram a deslizar por minha camisa, parando perto do colarinho. - Agora, querido...faça o favor de tirar esse vestido de mim e me permita arrancar essa gravata e todo o resto da sua roupa. Ah, e obviamente bagunçar o seu cabelo.

Eu provavelmente queria ter tido alguma resposta racional ou bonita, feito alguma declaração de amor qualquer para dizer o quanto a amo...Porém, estava desesperado para sentir o seu corpo contra o meu novamente.

Me limitei a sorrir, desfiz o coque de seu cabelo e joguei para um canto qualquer a tirava que ela usava. Fiquei atônito e deslumbrado ao ver os fios caindo sobre seu colo.

Linda.

A puxei para mais perto, e nós nos beijamos com intensidade. Ali existia a saudade, felicidade e principalmente a completude por finalmente estarmos juntos novamente. Minhas roupas foram arrancadas de mim na mesma velocidade que aquele maldito vestido de noiva saiu do corpo dela.

Nós fomos para o meu quarto ainda trocando beijos intensos como o anterior.

Ali desfrutei de cada pedaço daquela pele perfumada, quis ter cada parte em minha boca para não me esquecer nunca mais que Mito Uzumaki era minha. Aproveitei do que seu amor e prazer poderiam me oferecer e eu só queria retribuir dobrado. Vê-la se contorcendo e gemendo baixo meu nome novamente era a maior recompensa de toda aquela loucura.

E depois de longos oito meses, não era apenas um sonho: era real. Sabia que havíamos feito uma grande loucura, provavelmente nada seria fácil a partir de agora; mas eu não me importava. Enquanto nós estivéssemos entre meus lençóis, nos amando...tudo ficaria bem.


Na saúde, na tristeza,

na alegria e na cama. 

28 de Febrero de 2018 a las 04:24 4 Reporte Insertar 3
Fin

Conoce al autor

Hasashi Rafaela Faço estágio de Scorpion nas horas vagas, principalmente quando Plano Terreno precisa de salvação. Tenho sangue Uzumaki e dou aula de como lidar com Senju Cretino, interessados chamar no probleminha. Apaixonada por Mortal Kombat e a mama da igreja HashiMito.

Comenta algo

Publica!
Claudia  Santana Claudia Santana
In love com essa fic ❤.
28 de Febrero de 2018 a las 08:09

  • Hasashi Rafaela Hasashi Rafaela
    aaah miga, fico feliz que tenha gostado <3 28 de Febrero de 2018 a las 16:12
Tatu Albuquerque Tatu Albuquerque
Olha essa história, mano, olha que tiro! Hashirama finalmente teve coragem e no fim Mito sempre esperou isso. E a surtada dele? E ESSE FINAL? AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
28 de Febrero de 2018 a las 05:48

  • Hasashi Rafaela Hasashi Rafaela
    AAAAAAAAAAAH MIGA SUA LINDA. OBRIGADA <3 28 de Febrero de 2018 a las 16:12
~