Apenas Palavras Seguir historia

luhander Luh Hander

As palavras do outro o atingiram de uma forma e tanta. Queria que o outro aceitasse a oferta, só não sabia que iria de fato. Sorriu forçado e disse: -Fico feliz pela escolha. E quando voltar eu estarei aqui, como sempre. E Saiko também. -Disse me referindo ao gato que agora estava no colo de Naruto.


Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#romance #lgbt #Narusasu #SNS #Sasunaru #Yaoi #Sasuke #Naruto
75
8.5mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo 1

SOLIDÃO

      Substantivo Feminino

      1- Estado de quem se acha ou se sente desacompanhado ou só; isolamento

   2- Sensação ou situação de quem vive afastado do mundo ou isolado em meio a um grupo social.

      Era um início de setembro calmo e solitário em meu apartamento na quinta avenida. Eu sentia os dedos de meus pés congelarem assim como os das minhas mãos. Chocolate quente em cima do criado mudo. Mantinha minhas pernas retas, cobertas por grossas camadas de tecidos e o notebook em meu colo. Uma música calma tocava no plano de fundo, Yiruma-Chaconne, enquanto eu olhava pela janela. Um outono intenso estava por vir, e seria muito bem vindo.

      Eu julgava estar solitário, a ponto de uma depressão profunda não conseguindo pensar no que escreveria para meu próximo livro. Uma ficção? Uma aventura? Um romance?

      Meu editor me deu uma ideia de algo inovador, um romance impuro, um romance cheio de contratempos e preconceitos, algo que combinaria com minha escrita deveras dramática.       Tudo em minhas mãos passavam a se tornarem melancólicas ou até mesmo intensas para quem procurava uma leitura calma.

      Saiko, meu gato preto de olhos azuis, pulou em minha cama para me fazer companhia. Passei minhas mãos por seu pelo, para que logo depois, o felino se aconchegasse em meu lado.

        Suspirei pesadamente e disse ao bichano:

      -Sozinhos de novo, não é mesmo? - O gato nada disse: - Mas, melhor sozinho do que mal acompanhado. - Disse um ditado antigo, como um mantra, para que eu não precisasse me preocupar com companhias, mesmo me sentindo tão solitário. Repito essa frase apenas para me consolar.

      Olhei mais uma vez para tela do meu notebook, fechando os olhos logo em seguida.       Nenhuma palavra tinha sido digitada até então, já se passavam das sete horas e eu com certeza já tinha perdido o por do sol que tanto amo ver.

      Me levantei com Saiko em meus braços e fui até a cozinha o colocando em cima de um balcão. Pego dentro da geladeira uma garrafa de vinho branco e uma taça. Me sento em um banco alto e coloco meus cabelos negros para trás, os arrumando. Somente agora percebo o quão grande está e que logo terei que os cortar.

      Ouço batidas na porta que me tiram do silêncio, me levanto e vou atender. Quando abro a porta vejo um homem loiro a minha frente, Naruto sempre me fazia surpresas aparecendo do nada pra poder tirar meu tédio.

      Nos conhecemos desde o colegial e passamos a conversar as vezes. Ele me encara como um grande amigo e sempre vem para me fazer visitas, mesmo eu nunca indo o ver.

      Seu sorriso era casual, porém grande e radiante, em sua mão tinha uma sacola de comida japonesa, a levantou em um pedido mudo para entrar. Dei passagem e logo em seguida pude sentir o ótimo cheiro.

      -Já jantou? - Pergunto tirando o grosso sobretudo de cima de seu corpo e pendurando em um dos cabides perto da porta.

      -Ainda não, eu estava indo tomar um gole de vinho. Aceita? - Perguntei indo em direção a cozinha e colocando Saiko no chão.

      -Seria ótimo para acompanhar ao jantar. -Falou descontraído, enquanto caminhava logo atrás de mim.

      Enquanto eu pegava outra taça, Naruto tirava a comida de dentro da sacola e pegava alguns guardanapos. Nos sentamos e o servi com um pouco da bebida, sem muito exagero pois ainda era segunda feira.

        -E então, - Começou o loiro assim que abriu a embalagem com Yakisoba*. - Já escreveu algo?

      -Nada ainda. -Suspiro pesadamente antes do começar a comer. Quando termino de mastigar pergunto: - Como foi no trabalho hoje?

      -Cansativo, a delegacia estava muito movimentada hoje. - Disse simples enquanto comia. - As vezes fico espantado com as coisas que chegam até lá.

      Naruto era um exemplo de homem. Aos seus vinte e nove anos já tinha um emprego estável como diretor chefe de uma delegacia a dois quarteirões daqui. Só Deus sabe o que ele teve que passar para entrar nas forças armadas e conseguir uma licenciatura para trabalhar no ramo de policial. Eu o admirava por isso, ele tem uma coragem que eu nunca teria. Mas em compensação, eu tinha o dom da palavra, coisa que o maior não domina de forma alguma, acabando, por muitas vezes, falar coisas que realmente não deveria.

      Como aconteceu com sua ultima namorada, Hinata. Uma jovem muito bonita e inteligente que era apaixonada pelo loiro, com o decorrer do relacionamento Naruto foi se cansando dos ataques que a morena tinha em relação a seu trabalho. Dizia que era perigoso e que queria que ele parasse o que fazia para ficar em casa com ela, ou arrumar outro emprego, ignorando completamente o sonho do outro. Sem pensar duas vezes, Naruto falou tudo que pensava e em menos de duas horas, a outra já tinha as malas feitas e fora morar com o primo.

      Casualidades do destino, você não pode ter tudo o que quer, tem que escolher aquilo que mais o agrada e focar apenas naquilo.

Já eu, vivo preso dentro de um apartamento, ou até mesmo de bibliotecas, escrevendo livros que as pessoas costumam ler e que nunca vão procurar saber sobre mim ou até mesmo me conhecer.

      Eu estou fadado a monotonia e o cansaço sem esforço.

      -Eu... talvez vá me mudar. - O loiro diz assim que termina sua refeição. Eu não disse nada, apenas me mantive indiferente perante aquela frase. Mas na verdade aquilo me incomodava.

      Durando um ano, depois do término do loiro com a morena, Naruto passou a vir quase todos os dias ao meu apartamento para se distrair. Querendo ou não, eu também o considerava como um amigo e era inevitável não o ajudar, quando abri a porta e vi um Naruto derrotado. A partir daí o loiro passou a me visitar com frequência até que eu não conseguisse mais viver sem o ter me perturbando.

      Receber a notícia que ele iria se mudar, de certa forma, me deixou abalado.

      -Está me ouvindo? - Perguntou depois de um longo silêncio de minha parte.

      -Pra onde vai? - Perguntei direto.

      -Canadá. - Disse receoso e eu me engasguei com o pequeno gole que tinha dado no vinho, fazendo com que minha garganta queimasse e que eu demorasse um tempo tossindo.

      -Canadá? Pensei que seria para uma cidade vizinha. - Tentei me fazer de indiferente, falhando miseravelmente.

        -É, Canadá; -Disse cocando a nuca e rindo desconcertado.

      -Porque tão longe? Alguma promoção? - Perguntei pegando as duas caixinhas de comida e começando a arrumar as coisas. Preciso me manter um pouco ocupado nesse espaço de tempo.

      -Sim. Eu passaria a ser chefe de um setor inteiro lá, mas não sei se estou pronto ou qualificado pra fazer um trabalho tão grande como esse. -Disse inseguro me ajudando a levar as taças para a pia.

      -Não seja ridículo. -Cuspi as palavras. - Você trabalhou sua vida inteira nisso e está pensando em desistir em cima da hora? - Perguntei tentando, de alguma forma, o incentivar a seguir em frente.

      -Não diga isso, Sasuke. Aqui as coisas são complicadas, mas eu já sei como lidar com isso, lá não. É um outro país, outras regras, outras pessoas. Eu não conheço nada de lá. É como se eu fosse para um lugar, inseguro. Não quero isso. - disse enquanto me olhava lavar a louça. - Eu não quero ir embora. - Disse baixinho, mas eu consegui escutar.

      -E o que vai fazer? Recusar? Nunca se sabe quando uma chance dessas vai aparecer de novo.- Suspirei.- Quer um conselho? -Perguntei me virando e fitando seu olhos. - Aceite essa chance e tente coisas novas.

      Peguei Saiko que estava se enroscando em minhas pernas e fui para sala me sentando no sofá estofado de couro, que além de tudo, é muito macio. Naruto me seguiu e se sentou no outro que ficava na diagonal.

      -Eu esperava mais resistência de sua parte, talvez que me impedisse de ir. Você sabe ... é muito longe, não vamos mais nos ver. - Disse desapontado e isso ficou bem claro pelo jeito que falava e mexia em seus dedos.

      -Não sou a Hinata, Naruto. Não vou te impedir de fazer algo por capricho meu, ainda mais uma coisa que eu sei que irá gostar. - Disse mas o loiro parecia continuar cabisbaixo. - Eu irei sentir saudades, muita pra falar a verdade, mas não posso fazer nada.

      Naruto sorriu ainda olhando para baixo e seus dedos pararam com os movimentos frenéticos.

      -A proposta é passar um ano lá, por experiência, pra me adaptar. - Disse quebrando o silêncio do nada. - Caso eu não me acostume ou não goste, eu terei meu posto de volta. Acho que realmente não custa nada tentar.

      As palavras do outro o atingiram de uma forma e tanta. Queria que o outro aceitasse a oferta, só não sabia que iria de fato. Sorri forçado e disse:

      -Fico feliz pela escolha. E quando voltar eu estarei aqui, como sempre. E Saiko também. -Disse me referindo ao gato que agora estava no colo de Naruto.

      E assim foi feito. Depois de duas semanas o Loiro embarcou para o Canadá, para começar mais uma fase de sua vida, e eu permaneci em meu apartamento grande demais para uma pessoa só.

      Eu posso ser apenas um escritor, mas eu ganho muito, muito dinheiro com isso. Tenho livros online, livros físicos ou até mesmo alguns que eu não perdia meu tempo em vende-los. Sendo assim, eu realmente tinha uma conta gorda, tirando todos os mitos de que escritores ganham pouco.

      Não sou famoso aqui nos estados unidos, eu faço pequenas vendas em lugares remotos do mundo, então não chego a ser famoso.

      Depois da partida do loiro o primeiro mês foi normal, consegui conviver sem a sua presença, mas depois do terceiro eu já me sentia inquieto. Sem o loiro me fazendo companhia era como se meus dias não passassem e não valessem a pena serem vividos.

      Eu passava o dia inteiro dentro de um quarto olhando para as paredes procurando inspiração, nenhum contato com seres humanos de forma alguma, a não ser quando fazia compras. E sinceramente, até para uma pessoa como eu, isso é de enlouquecer.

      Eu conversava com Naruto pela internet e as vezes pelo celular, mas sua presença fazia muita falta. E sem perceber, acabei entrando em uma depressão profunda incapaz de sentir algo a mais do que a solidão.

      Meu apartamento não ficou sujo um dia sequer, o arrumava sempre que eu acordava, até quando não precisava. Saiko sempre tinha comida e eu passei a fazer as compras semanalmente, todas as quintas feiras. Uma rotina era tudo que eu não precisava, pra mim eu já tinha morrido. Ficava me questionando como eu fui parar naquele estado e quando percebi já tinha se passado 10 meses.

      -Sasuke! - Ouvi a voz do loiro no viva-voz do celular enquanto eu cortava alguns legumes para fazer uma sopa. Minha imunidade havia caído muito e agora eu estava doente. -Quanto tempo não nos falamos! - Sorri ao sentir a animação na voz do loiro.

      Enquanto a chamada estava ligada eu coloquei a música de Yiruma novamente para acalmar meu espírito e me concentrar do que fazia.

      -É verdade. -Sorri. - você parece um pouco ocupado.

      -Sim, sim, consegui uma folga hoje de noite e então decidi te ligar. - Sorri.

      -É mesmo? Que coisa boa. - Coloquei alguns legumes de molho enquanto terminava de cortar os outros.

      -Posso te ver agora? - Perguntou se referindo a vídeo conferência.

      -Estou cozinhando, mas pode sim. Vou pegar o notebook, a gente se fala daqui a pouco. -Desliguei a chamada e sequei minhas mãos em um pano que estava em cima da mesa.

      Fui até meu quarto, peguei o notebook, o liguei e voltei para a cozinha o colocando em cima da bancada. Desbloqueei e entrei no Skype*. Não demorou muito e aceitei o convite para começar a vídeo chamada.

      -Sasuke! - O rosto de Naruto apareceu na tela e seu sorriso alegre aqueceu seu coração. - Nossa como você está horrível! - Disse rindo ao ver meu estado.

      -Obrigada por suas palavras de carinho, vou guardar elas pra sempre em meu coração. - Fui irônico enquanto dei as costas pra continuar a cortar os legumes. - Você também não está lá muita coisa não. Parece que não dorme a anos.

      -E não durmo, aqui está uma loucura, eu sinto tanta falta de Nova York. - Disse cruzando as pernas para se acomodar na cama de solteiro.

      -Hum... você poderia fazer uma visita as vezes, não acha? Afinal, foi isso que combinamos. - Perguntei a ele e o outro não conseguiu conter uma risada.

      -Eu queria muito mesmo, mas eu não consigo parar quieto aqui por um segundo. Talvez eu tire férias e vá ai te visitar, o que acha? - Perguntou animado.

      -Bem, se você vier não vai ter como eu te expulsar mesmo, então claro, pode vir sim. - Disse fingindo indiferença e ouvindo um muxoxo do outro.

      -Você poderia ser um pouco mais legal as vezes. - Falou irritado. - O que está fazendo? - Perguntou mudando de assunto.

      -Sopa. - Disse curto.

      -Porque? É verão não é? Porque está tomando sopa? - Perguntou preocupado. Com certeza já sabia, mais queria um confirmação.

      -Estou doente, nada de mais. Depois de um tempo passa. -Falei indiferente novamente fazendo o outro ficar inquieto.

      -O que você tem? - coloquei o resto dos legumes de molho, pondo logo em seguida a água para ferver. Fui até a cadeira perto do balcão e pude, agora, olhar somente para o loiro que me olhava sério esperando uma resposta.

      -Deve ser alguma virose, não sei.

      -Você tem comido direito? - Me perguntou quase que milésimos depois de minha fala.

      -Tenho sim, não tem com o que se preocupar, Naruto. Não sou mais criança. - Revirei os olhos.

      -Ahm... mas e ai como está o livro? - Perguntou mudando de assunto mais uma vez.

      -Nenhuma palavra.

      -Nenhuma? - Se exaltou. - Sasuke, já se passaram dez meses! -Disse como se eu não soubesse. - Você tem que escrever algo, não vai se sustentar só com a venda dos outros livros. - Bronqueou.

      Suspirei fundo e passei minhas mãos pelos cabelos, visivelmente frustrado.

      -Eu não consegui escrever nada. Passo praticamente a semana toda dentro de casa não tendo muito o que fazer. Já tentei sair mas não há nada lá de fora me prenda, me cative, então eu não vejo o porque de ficar saindo de casa. - Naruto estava com raiva, muita raiva e indignado. Era só olhar pra ele e tirar suas próprias conclusões.

      -Depois fala que não é mais uma criança. Acha mesmo que ficar trancado em um lugar, sozinho, vai te fazer bem?

      -Olha, eu aceitei fazer a vídeo chamada porque estava com saudades sua e não para ouvir seus discursos sobre o quanto é ruim ficar sozinho em casa. E eu não estou sozinho em casa, eu tenho o Saiko. -Disse olhando em seus olhos, que não pareciam tão vivos quanto da vida real, e isso me irrita. Me irrita saber que ele está tão longe que não posso estapeá-lo da forma que quero nesse momento.

      Naruto suspira e diz por fim:

      -Tudo bem, me desculpe. Eu só fiquei preocupado, só isso. -Visivelmente magoado.

      Suspirei fundo, sorri e mudei de assunto.

      Depois desse dia, passamos a nos falar menos, apenas quando realmente precisávamos. Mas então a data estava muito perto. A data de Naruto resolver se voltava para Nova York ou se continuava no Canadá e foi em um dia desse que eu recebi uma ligação dele. Eu estava voltando do mercado, com várias sacolas nas mãos, me fazendo parar no meio da rua para pegar o celular.

      O outono tinha voltado e com isso o frio também. Peguei o aparelho e o atendi, não perdi o meu tempo vendo quem estava me lingando, coloquei o aparelho entre minha orelha e meu ombro e peguei de volta as sacolas que estavam no chão.

      -Alo? - Perguntei.

      -Sasuke! - Gritou me fazendo tomar um susto e quase derrubar as coisas. Meu corpo está fraco e magro, minha pele pálida e sem vida, meus olhos caiam e minhas olheiras estavam horríveis. Mesmo com pouca força eu ainda consegui sorrir ao ouvir a voz do outro.

      -Naruto! -Disse fraco e rouco, tossindo para ver se melhorava.

      -Está tudo bem? - Me questionou com sua preocupação de sempre.

      -Sim, sim. Porque a ligação tão repentina?

      -Está chegando a data de minha escolha final e já sei o que eu escolhi. - Sua alegria era evidente em sua fala me contagiando, não parava de sorrir.

      -É? E o que decidiu? - eu já andava sem pressa para chegar ao meu apartamento.

      -Vou passar dois meses de férias ai para logo depois voltar para o Canadá. Aqui é muito bom de se viver, você tem que conhecer. Pode vir me visitar também! - Disse sem parar e eu já não ouvia mais nada.

      Eu contava as horas, os dias, os meses para que Naruto desse uma resposta no final. O loiro faz muita falta pra mim e isso é inevitável. Depois da morte dos meus pais e a mudança de meu irmão para o outro lado do mundo, para que fosse viver com um cara, eu estava sozinho, completamente sozinho e tudo o que eu tinha era Naruto. Meu único amigo.

      Eu não acredito que esperei todo esse tempo para ter essa resposta. Me senti tonto e tudo ficou branco. Desmaiei caindo na rua e só pude ouvir a voz do Naruto pelo celular:

      -Sasuke? Está me ouvindo? Me responde caramba.

      Eu não morri, só parei na UTI por falta de proteínas, falta de exercícios físicos e depressão profunda.

         Realmente, tudo que eu precisava.

27 de Febrero de 2018 a las 14:08 13 Reporte Insertar 11
Leer el siguiente capítulo Capítulo 2

Comenta algo

Publica!
j d j d
Luh hander, bom dia. Apesar de ser um estrangeiro no universo Naruto, achei interessante como iniciou o texto: solidão e um livro para escrever. Nos meus livros, a solidão está sempre presente, principalmente no livro do Farol. Um abraço. H. Wolf
23 de Marzo de 2018 a las 07:56

  • Luh Hander Luh Hander
    Ah! Espero que esteja gostando desse universo! E da minha história também! Estou louca pra atualizar ela! Espero que goste do que vem por ai 30 de Marzo de 2018 a las 19:37
Alice Alamo Alice Alamo
Olá! Notei que sua história é uma fanfic e, portanto, está na categoria errada do site. Fanfics devem ser postadas na categoria Fanfiction e os gêneros como romance, poesia, lgbt, etc, devem ser postados nas tags ;) Para alterar, basta ir em Editar configurações da história, ok?
1 de Marzo de 2018 a las 10:04

  • Luh Hander Luh Hander
    ahh sim, muito obrigada 1 de Marzo de 2018 a las 10:33
Yamanaka  Sweet Yamanaka Sweet
Caramba... pra entrar em depressão profunda, o Sasu devia estar na pior mesmo... coitado do meu moreno!!! Eu amei o capítulo! Parabéns!! 😘
28 de Febrero de 2018 a las 07:38

  • Luh Hander Luh Hander
    Sim, nossa deve ser horrivel isso ... Mas vai dar tudo certo! Obrigada pelo carinho e espero que goste do que tem por vir <3 28 de Febrero de 2018 a las 08:00
=>Flor Danii=>=> =>Flor Danii=>=>
😍😍😍😍Incrível Amei
27 de Febrero de 2018 a las 13:55

  • Luh Hander Luh Hander
    Que bom que gostou!! Espero que goste da continuação! 27 de Febrero de 2018 a las 13:57
=>Flor Danii=>=> =>Flor Danii=>=>
😍😍😍😍Incrível
27 de Febrero de 2018 a las 13:54

YUNKA YUNKA
oh mds, que morte lenta será a minha ter que esperar até a próxima terça pela atualização :( NARUTO SEU INSENSÍVEL
27 de Febrero de 2018 a las 10:11

  • Luh Hander Luh Hander
    kkkkkkk está pertinho! O bom é que a fanfic já está completa, então não haverá atrasos! Espero que goste do que tem por vir. É uma das minhas favoritas. 27 de Febrero de 2018 a las 10:45
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 10 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión