Remédio Seguir historia

taimatsu_kinjou Taimatsu Kinjou

Suzuno esta doente, mas ele detesta tomar remédio. O que Nagumo fará agora? (escrito em 2014)


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13. © Tenya Yabuno

#oneshot #Nagumo Haruya #Suzuno Fuusuke #suzunagu #fluffy #romance #yaoi #inazuma11 #inazuma eleven
Cuento corto
3
6.9mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Oneshot

Suzuno fungava e choramingava baixinho encolhido em sua cama de baixo das cobertas grossas; sua cabeça latejava a cada movimento que fazia, sua garganta estava seca, coloria e inchada, o suor escorria por sua pele, o corpo parecia estar pegando fogo e seu humor estava pior do que de costume.

– Eu vou matar o Hiroto. - resmungou baixinho tremendo e se amaldiçoou internamente por ter pegado aquele maldito resfriado. Era tudo culpa do Hiroto! Se o idiota não o tivesse irritado ele não teria tentando dar um susto nele tentando afoga-lo na fonte do pátio, o diretor não os chamaria para sua sala e ele não ficaria exposto ao ar-condicionado quando ainda estava encharcado ate os ossos.

Rosnou entre dentes, mas isso só irritou mais ainda sua garganta dando início a outra crise de tosse. Gemeu novamente assim que parou, suas costas já estavam doloridas por conta do esforço, e respirou profundamente sentindo o nariz congestionado, era só que lhe faltava!

Seus pensamentos, e planos para fazer picadinho de certo ruivo assim que melhorasse, foram interrompidos pelo som da porta sendo aberta seguido de passos ruidosos - Vá embora, Hiroto! Não estou com paciência para aturar suas idiotices hoje! - resmungou tentando não soar tão rouco e se encolheu.

– Eu não sou o Hiroto. - o dono da voz respondeu com certa irritação na voz fazendo Suzuno dar um pulo surpreso e descobrir a cabeça apenas o suficiente para poder ter certeza daquilo. Quase soltou um gemido desanimado ao constatar que aquele realmente era Nagumo parado ao lado da sua cama com os braços cruzados e uma carranca no rosto.

– O que esta fazendo aqui? - perguntou ríspido deixando bem claro para o ruivo que não estava de bom humor.

O outro suspirou como se não conseguisse acreditar naquela pergunta - Bem, o meu companheiro de quarto idiota não apareceu no treino hoje e me mandaram ver o que aconteceu com ele. - respondeu com um toque de sarcasmo erguendo uma sobrancelha para o albino estranhando o fato dele estar coberto ate a cabeça. Afinal, Suzuno costuma se sentir bem em épocas frias.

– Não é nada, só não estou com vontade de sair daqui. Vá embora. - tentou o seu melhor tom de: estou de saco cheio desse lugar; o que não convenceu o ruivo.

Franzindo a testa pela voz estranha e abafada do outro Nagumo se aproximou mais tentando ver o que ele escondia por baixo das cobertas, se sentia estranhamente curioso, mas o albino se moveu o impedindo de ver qualquer coisa. Bufou irritado e antes que Suzuno tivesse a chance de processar algo ou mandar o ruivo ir procurar o que fazer e deixa-lo em paz, ele o surpreendeu afastando as cobertas de uma vez só ate os pés dele revelando o corpo tremulo e o rosto extremamente vermelho.

Fuusuke lançou um olhar atravessado para o outro, mas foi ignorado com sucesso, tentou recuar quando ele se inclinou sobre si, mas logo sentiu a parede fria contra suas costas o impedindo de fugir. Gemeu baixinho com a sensação da mão fria pressionada contra sua testa quente e quase desejou que o ruivo mantivesse a mão ali, mas logo afastou esses pensamentos.

– Você esta com febre. - Haruya murmurou franzindo a testa com um pouco de preocupação, nunca havia visto Suzuno doente em todo o tempo que o conheceu. Fez uma careta, mesmo estando há uma boa distância do outro podia sentir o calor que emanava dele. Aqui não era nada bom.

Suzuno por outro lado bufou, puxou as cobertas sobre si novamente e cruzou os braços olhando feio para o seu companheiro de quarto tentando não dar uma resposta sarcástica para a observação óbvia, mas não sentia que estava bem o suficiente para discutir com Nagumo no momento. Piscou algumas vezes confuso quando o viu ir ate o banheiro, olhou fixamente para a porta aberta com um estreitar de olhos ouvindo o som de armários sendo abertos e sem seguida a torneira. Franziu a testa curioso, mas não pôde perguntar nada por culpa de outra crise de tosse que o fez se encolher.

Quando Nagumo voltou do banheiro o albino estava apoiado a cabeceira da cama respirando pesadamente e gemendo de dor, tanto na garganta quando no corpo. Sem uma palavra estendeu um copo de água para ele e um comprimido branco. Gemendo Fuusuke olhou das mãos estendidas para o rosto serio do ruivo e depois de volta para as mãos, em especifico para o remédio. Franziu o nariz desgostoso e cruzou os braços virando a cabeça para o lado da parede com um ruído irritado no fundo da garganta, que começou a coçar.

– Não vou tomar isso. - informou categórico.

– E eu não vou passar a noite inteira com você tossindo, Fuusuke.

– Eu já disse, não vou tomar.

– Fuusuke. - o mais esquentado grunhiu entre dentes como um aviso, mas o outro apenas o ignorou.

– Não! - exclamou infantilmente inflando as bochechas.

– Vou ter que fazer do jeito difícil então. - Nagumo murmurou, mas o albino apenas o olhou de canto de forma curiosa querendo saber o que aquilo significava.

Com um suspiro Haruya jogou o remédio na boca fazendo uma pequena careta pelo gosto, se inclinou sobre o outro e antes que ele protestasse pressionou os lábios contra os dele. Claro que Suzuno arregalou os olhos azuis em choque sem nenhuma reação e quase não fez nada para impedir a língua úmida do outro de entrar em sua boca. Mas assim que sentiu o gosto amargo do remédio fez uma careta, agarrou os ombros do ruivo tentando afasta-lo para cuspir o comprimido, mas quando se deu conta sentiu algo passar rasgando por sua garganta. Já era tarde demais.

– O que diabo você pensa que esta fazendo, idiota? - perguntou exasperado assim que se afastaram, grunhiu limpando a boca numa tentativa de tirar aquele gosto horrível e lançou um olhar fulminante para o outro.

Nagumo parecia imperturbável com a reação dele, cruzou os braços e ergueu uma sobrancelha - Estou certo que isso se chame: dar remédio a alguém, Fuusuke.

Os olhos escuros se estreitaram - Não. Não é! Você me obrigou!

– Para o seu próprio bem. Leve apenas como um beijo um pouco amargo. - respondeu sorrindo maldosamente vendo o outro ficar sem palavras para argumentar.

Bufando Suzuno se deitou de costas para ele e se cobriu ate a cabeça novamente sentindo o rosto ficar mais vermelho ainda, mas não pela febre alta. O ouviu suspirar e sentiu a mudança no colchão por causa do peso à mais dele, não se incomodou em manda-lo ir embora ou se sentar na própria cama, fechou os olhos tentando ignorar a presença dele e esquecer do ocorrido. Logo ele caiu no sono.

Mais tarde quando Fuusuke acordou ele já sentia sua garganta não incomodar tanto e o corpo menos dolorido, gemendo se virou na cama buscando uma posição confortável e deu de cara com Nagumo adormecido ao seu lado. Quase havia se esquecido dele. Pela posição ele adivinhou que o idiota estava sentado no chão e debruçado sobre sua cama.

O observou por alguns instantes silenciosamente, fez uma careta já imaginando o idiota querendo obriga-lo a agradecer. Sentiu o rosto ficar vermelho novamente se lembrando do modo que acabou tomando o remédio e desejou que a terra se abrisse e o engolisse, nunca admitiria que havia, de certa forma, gostado daquilo, principalmente para Nagumo.

Com um encolher de ombros estendeu o braço hesitante e o sacudindo suavemente - Ei, Haruya, acorde. Eu quero o meu remédio.

27 de Febrero de 2018 a las 04:29 0 Reporte Insertar 1
Fin

Conoce al autor

Taimatsu Kinjou Fanfics também no Nyah!; Spirit; fanfiction.net; ao3 e Wattpad

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~