Como Destruir Um Destruidor de Corações Seguir historia

hoseok Г hyunnie ¬ (hyu)

Pegue seu caderno. Anote e faça tudo o que eu disser correta e minuciosamente. No final, seu destruidor de corações será destruído, só não lhe garanto que o mesmo não ocorra com você. • YOONSEOK (?) • JIHOPE (?) • HOPEKOOK (?) • NAMJIN • VKOOK (?)



Fanfiction Sólo para mayores de 18.

#universitaria #lgbt+ #comedia #sobi #sope #yoonseok #bts
23
7.1mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Prólogo: Tese Hoseok.



   Tenho algo para mim, uma coisa que chamo de “Tese Hoseok”.

   As leis consistem nas coisas erradas da minha vida, então sempre vai ter mais uma lei; é uma tese eternamente inacabada.


   Lei número 1 da Tese Hoseok, Theoria Vitae (nome em latim para tudo parecer mais intelectual e me fazer pensar que tudo isso não é uma completa babaquice): "A vida sempre vai achar uma forma de foder com você e, na maioria das vezes, será na forma ruim da palavra."

   Fato que comprova: as palavras contidas no quadro à minha frente.



"Trabalho de relações humanas.
Valor: 70% da nota final.
Método: Estudar o modo de agir e ser para, em seguida, se tornar um semelhante."



   Encarava a lousa enquanto esperava ansiosamente a explicação de como o trabalho ocorreria. Tinha receio do que estava por vir e certo medo. Um trabalho valendo 70% da nota final? Céus, o professor só poderia estar louco.

   Minhas pernas balançavam freneticamente abaixo da mesa, o coração batia um tanto quanto acelerado ao mesmo tempo em que eu já me via reprovado em Psicologia, logo no último ano da faculdade.

   O professor finalmente se levantou da cadeira, andando até a frente do quadro e encarando a sala de cara fechada, como sempre fazia. Sempre me perguntava se o homem vivia a chupar limões constantemente, se havia tido alguma espécie de paralisia no rosto justo quando estava zangado com alguém, ou se aquela carranca era obra de falta de sexo. Apostava na última opção, já que para mim, em sã consciência, nenhuma mulher (ou homem) transaria com o prepotente com cara de sapo —corpo também—, a não ser que estivesse muito necessitada, ou cega.

   Não é que costumava ligar muito para a aparência, longe disso. Só que a do professor combinava perfeitamente com a personalidade asquerosa do mesmo.

   Ainda inquieto, afastei os pensamentos inúteis, focando no homem, que finalmente explicaria o trabalho.

   — Como devem ter lido o último trabalho será sobre relações humanas. Vocês escolherão qualquer pessoa do campus, a estudarão, verão uma característica ou fato marcante desse indivíduo e, aprenderão através desse fato/característica a ser como ela neste campo. — Um sorriso maldoso surgiu em seu rosto. Ele parecia um depenador e nós os frangos que logo iriam para o abate.

   Em certo momento, até me imaginei cacarejando e tentando fugir do abatedouro, mas seria pego e como consequência seria o primeiro a perder as penas e o pescoço, então fiquei sentado mesmo, voltando a enxergar meus colegas de classe como pessoas, e não galinhas.

   — Tudo deve ser documentado, seja por texto, imagem ou vídeo. Deverão dividir o trabalho por etapas e o resultado final deve ser apresentado a classe. O prazo de entrega e apresentação é de 4 meses. Os critérios avaliados serão: criatividade, planejamento, organização, comprometimento, atuação e resultado final. — o sinal para o intervalo tocou, fazendo o professor respirar fundo, controlando a raiva por ser interrompido. — Espero que tenham ótimas idéias, caso contrário, terei imenso prazer em fazer a pior recuperação da vida de vocês. — Quase pude ouvir a classe inteira engolir seco com as últimas palavras ditas. Todos cochichavam enquanto se retiravam da sala, estavam claramente nervosos, com uma enorme razão.

   O Sr. JunSoo era perfeccionista, não aceitaria nada que não fosse o melhor de cada um ali, ou até mais que isso. Em outras palavras: estávamos todos ferrados.




(...)





   Já parou pensar em como a vida é capaz de te ferrar de todas as maneiras possíveis e até mesmo impossíveis? Quando você menos espera e quando você mais espera?


   Lei número 2 da Tese Hoseok, a Fudidus Vitae (infelizmente, os antigos romanos não falavam "foder” “fodido" ou “foda” na época deles( foda viu(pode parênteses dentro de parênteses?)) então acrescentei um "dus" no final da palavra e ficou super latino): "Não importa o quão fodido você esteja, a vida pode te foder ainda mais."

   Fato que comprova: como se não bastasse o trabalho de relações humanas, agora sou obrigado a aturar e consolar Jimin, que está se lamentando por ser mais um na lista de corações partidos de Min Yoongi.


      Park é extremamente sensível e bipolar, ou seja, uma hora está chorando rios e molhando minha camiseta de uniforme e em outra está tendo crises de raiva, projetando Yoongi em algum objeto inanimado e surrando o mesmo enquanto xinga todos os palavrões conhecidos e até alguns que eu desconhecia até saírem da boca dele.

   O problema principal é que Jimin fica totalmente irritante quando tem alguma decepção amorosa. Já aconteceu duas vezes antes dessa e, te garanto uma coisa: você não ia querer ficar perto dele na fase de lamentação.

   É exatamente o que estava acontecendo naquele momento, eu estava tentando “não ficar perto dele”, mas o mesmo me seguia pelos corredores lançando palavras de ódio aos sete ventos.

   — Quem aquele filho da puta pensa que é? Eu não sou um objeto que ele pode usar e jogar fora, eu não sou como os outros garotos que ele pega por ai. Eu não sou qualquer um, Hobi e ele…

   — Dá pra você calar essa boca, Park? — Gritei, não aguentando mais aquilo. Jimin estava à duas aulas oscilando seu humor entre raiva e tristeza e aquilo estava me deixando louco. Me virei para ele e vi o mesmo de olhos um tanto quanto arregalados. — Você está insuportável, Jimin. Achou o quê? Que o todo poderoso Min Yoongi, o pegador, galinha, cafajeste e outros quinhentos adjetivos do tipo dados a ele, ia mudar de um dia para o outro e do nada se tornar um bobo apaixonado? Você sabia como ele era desde o início, eu ainda te alertei mil vezes sobre isso. Você me ouviu? Não. — Fiz uma expressão sarcástica enquanto prolongava a última palavra. — Então meu amigo, aconteceu o inevitável: ele fodeu você, creio que do jeito bom, mas da forma ruim também. Eu posso estar sendo um péssimo amigo, me desculpe se estou, mas não vou aguentar seus lamentos e hates mais uma vez. Esse idiota não merece o sofrimento de ninguém. Ele te usou, supera. E me perdoe, mas eu vou usar aquela famosa frase que você não quer ouvir: eu te avisei. — Respirei fundo, me sentindo mais leve. Jimin ainda me encarava boquiaberto, sem dizer nada por um tempo. Recapitulei o discurso mentalmente vendo se havia o ofendido em algum momento do surto e me senti aliviado ao ver que não.

   — Uau! Eu estava mesmo precisando ouvir isso. — Park sorriu de lado, me fazendo soltar o ar que eu nem sabia que havia prendido. — Obrigado Hobi, é que eu to ficando meio louco com isso, não é nem tanto raiva dele, é mais raiva de mim mesmo por ser um trouxa e achar que comigo seria diferente. — Suspirou.

Ele estava mesmo mal: tinha olheiras enormes, seus olhos estavam avermelhados, sua postura demonstrava seu desânimo e denunciava sua péssima noite de sono.

   — Ser trouxa você sempre é. É algo que você faz tantas vezes que já se tornou involuntário. — Brinquei enquanto empurrei seu ombro com o meu, fazendo-o dar a primeira risada que eu havia presenciado no dia.

   — Mas também, como não ser trouxa? Queria ver se ele conhecesse alguém como ele, o tipo perfeito de garoto-problema…

   —Jimin...

   —…sempre o centro das atenções, todos o querem. Sua presença exala destruição e….

   —Jimin...

   —….você acaba querendo ser destruído. Ele também é maravilhoso e….

   —Jimin, caralho!

   — Desculpa, eu fiz de novo, não é? — O alaranjado perguntou com certa culpa na voz e eu quis abraçá-lo e dizer que estava tudo bem, na verdade, estava tudo ótimo.

   — Você é um gênio. É isso Jimin, é isso! — Não contive a empolgação e pulei enquanto praticamente o enforcava em um abraço.

   — Hobi, você ‘tá me deixando sem ar. — O garoto murmurou e eu o soltei, me recompondo enquanto ele fazia uma de suas atuações dramáticas de morte por asfixia. — Obrigado, por um momento achei que ia empacotar.

   — Eu dançaria A$AP Rocky no seu túmulo. — Uma de suas mãos foi colocada em seu peito, fingindo indignação.

   — Se não for Big Bang, eu não aceito. — Gargalhamos enquanto íamos em direção à fila do lanche. — E então, por qual motivo sou um gênio? — Jimin perguntou interessado.

   — Você acabou de me dar a ideia que me dará 70% da nota final de psicologia e, de brinde — olhei para Yoongi que conversava com seu grupinho na típica e clichê “mesa dos populares” fazendo Park voltar seu olhar para o mesmo local — você terá sua vingança. — Troquei um sorriso cúmplice com o alaranjado.

   — E sobre o que será o seu trabalho? — Vi Min piscar para um garoto, indicando um local com a cabeça e o outro sorrir abertamente para ele, se levantando da cadeira e indo para o corredor indicado.

   — Como destruir um destruidor de corações. — Respondi seguindo meu mais novo alvo com o olhar enquanto Jimin tinha um sorriso vingativo ao meu lado.

26 de Febrero de 2018 a las 18:30 5 Reporte Insertar 4
Leer el siguiente capítulo O início ; lista de como destruir um destruidor de corações.

Comenta algo

Publica!
Rosada LoconaDeToddy Rosada LoconaDeToddy
Pera so um segundo... O shipp é Yonseok com quem ativo??
February 27, 2018, 00:53
Rosada LoconaDeToddy Rosada LoconaDeToddy
Pera so um segundo... O shipp é Yonseok com quem ativo??
February 27, 2018, 00:52

Kim BTS Kim BTS
Eita, vai da merda
February 26, 2018, 20:23

~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 5 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión