Destinados...? Seguir historia

mika-kamya1258 Mika Kamya

Yoon Bum é um estudante universitário, apaixonado pelo alpha mais cobiçado (e galinha) da universidade e um ômega extremamente controlado. Diferente da maioria, ele nunca perdeu o domínio de seus feromônios, mas, como tudo na vida há uma primeira vez...


Fanfiction Comics Sólo para mayores de 21 (adultos).

#MPREG #Romance #Sangwoo #Estupro #Bum #Violência #KS #Killing Stalking #Omegaverse
181
15560 VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 10 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Sem Controle


Bum corria desesperadamente, os corredores pareciam borrões, nunca sentira tanto desespero na vida. Como isso pode acontecer?


Ouvia os gritos ao redor, os passos estavam próximos, mas não o suficiente para pegá-lo. Anos correndo daqueles que queriam feri-lo ou roubá-lo lhe deram certa vantagem.


Fechou os olhos com força. Sem dúvida tomara os supressores, então, como? Sentia o ar começar a faltar, mas estava quase lá... Se chegasse à enfermaria ômega, com certeza... Com certeza tudo ficaria bem... Segurou a maçaneta e abriu.


A enfermeira o encarou, percebendo logo a situação e soltando um gritinho agudo.


- Ah não! Não agora! – ela parecia realmente apavorada, mas ao notar que o pequeno ômega era perseguido, o deixou entrar e trancou a porta, olhando logo em seguida em direção as camas e pegando uma cadeira próxima: - A injeção que você quer está naquela gaveta. – apontou, tremendo e segurando a cadeira, se posicionando entre o ômega e as camas: - ANDA LOGO!


Bum não entendeu por que ela parecia tão apavorada, pelo menos, não até ouvir o que pareceu um grunhido vindo daquela direção.


“Não... Não alphas são proibidos aqui...” – pensou indo direto em direção à gaveta. 


Não queria ver, não queria saber, só queria acabar com aquilo. Tomaria a injeção, rápido... Rápido... – seu corpo tremeu e perdeu as forças quando sentiu o cheiro do alpha, caindo de joelhos. 


Era o cheiro dele. O único alpha que o fazia perder parte de seu controle, o único que o fazia desejar aquilo.


“Não, eu não quero isso...”.


Bum fitava desolado a gaveta, que parecia mais e mais distante. Seu lado ômega gritava desejoso, queria seu alpha. Seus feromônios saíam totalmente do controle e sua visão começava a ficar nublada.


Ouviu um grande estrondo atrás de si. O alpha lutava para tê-lo e isso o estimulou ainda mais, deixando-o molhado. O líquido lubrificante sujava sua calça... Estava se preparando para recebê-lo. Começou a ofegar e virou-se encarando o animal a sua frente, ele cheirava a suor, excitação e sangue.


- Sangwoo...


3 horas antes


Bum acordou se sentindo muito bem. Tinha muita sorte, mesmo faltando apenas um dia para seu cio. 


“Sorte...?” – refletiu um pouco. Não... Não era sorte. Era treino.


Levantou e olhou o celular que se encontrava ao lado da cama. Estava adiantado – como sempre desde que se mudara para o dormitório ômega de sua universidade.


“Assim é melhor... Posso tomar banho tranquilo...” – pensava enquanto pegava as toalhas, o sabonete, o xampu, o condicionar, a escova de dente, a pasta de dente, a muda de roupa e saía.


O banheiro do dormitório era comunitário, mas naquele horário sempre estava vazio. Bum odiava companhia, sempre ficavam encarando, se não eram diretos o suficiente para perguntarem 'Você está doente?' ou 'Você está se alimentando corretamente?'. Já sabia que era muito magro, não precisava ser lembrado disso toda a manhã.


Sentiu a água cair sobre seu corpo, a sensação era tão agradável... Suspirou ao experimentar um leve arrepio. 


“Nem pensar.” colocou a água no gelado. 


Melhor. Muito melhor.


Bum tivera uma infância, no mínimo, complicada. Depois da morte de seus pais foi levado para morar com os avós, junto deles estava seu tio e a esposa dele. Sempre tinha que aguentar os assédios frequentes do tio. Por conta disso, naquela época notou que quanto menos feromônios ele sentisse, maior a chance de fugir e se esconder.


Foi então que começou a usar toda a sua força de vontade para mantê-los o mais controlado possível. Passava horas treinando... Além disso, também não gostava de como eles cheiravam.


Ômegas sempre tinham esse perfume doce – adorado pelos alphas – entretanto ele... Não era doce, era suave, contudo, diferente... Claro, cada ômega tinha um cheiro diferente, mas...


- De qualquer forma, não quero me envolver com eles. – murmurou.


Detestava alphas, nunca lhe fizeram nenhum bem, começando por seu tio e indo até o bullying constante que sofrera no ensino médio. Sem contar o líder da gangue que o assaltava o tempo todo... Enxaguou o cabelo.


Com exceção dele. – suspirou novamente. Não que ele parecesse muito diferente de todos os alphas que conhecera, mas, seu corpo reagia de forma diferente. Era estranho... - Bum saiu do box, secando os cabelos com uma toalha e enrolado em outra.


Lembrava-se do dia que a ficha caiu e percebeu que estava gostando dele. Chorou o dia inteiro, um alpha estava apaixonado por um alpha, e como se isso não fosse ruim o suficiente – pegou a escova de dente e a pasta, começando a escovação – ele era o alpha mais popular e galinha da universidade.


Certo, ele era lindo, e tinha um sorriso que parecia iluminar o local, e – seu corpo começou a ficar quente e o ômega sacudiu a cabeça tentando esquecer – mas ainda assim... – terminou sua higiene e se vestiu.


Saiu do banheiro e retornou ao quarto. Olhou meio resignado para a pequena pilha de roupas que se formava.


“Depois que voltar do serviço, tenho que lavar isso... Não tenho muitas para ficar formando pilhas...” - seu celular vibrou. Uma mensagem.


Lee Myung-Hee

Estou te esperando no refeitório. AGORA.

Tenho uma novidade in-crí-vel. *__*


Bum piscou várias vezes, nunca fora de fazer amigos – na verdade, gostava de estar sozinho, contudo, Myung-Hee era como um pequeno tufão, não sabia explicar.


Conheceram-se no primeiro ano da faculdade, e por alguma razão que Bum nunca irá entender, ela gostou dele. Não no sentido romântico. No início ela apenas gostava de ficar tagarelando ao lado dele e por ele não julgá-la, acabou se aproximando cada vez mais...


Hoje era assim, mandava mensagens e fazia exigências. Ela o ajudou a conseguir a vaga no dormitório e ele a ajudava a lidar melhor com seu lado ômega.


A ômega era o exato oposto dele, quando se tratava de feromônios. Ela sempre perdia o controle totalmente, podia acontecer a qualquer momento, em qualquer lugar e seu cheiro era particularmente doce, então, atraía muitos alphas. Por causa disso, sempre andava com uma coleira protetora, o que a fazia sofrer muito preconceito.


As coleiras foram originalmente criadas para proteger os ômegas de mordidas indesejadas, mas no fim, se popularizaram por serem muito utilizadas na prostituição. Mais de uma vez Bum viu Myung-Hee ser parada para perguntarem quanto custava o programa. Ele acabou aprendendo muitos palavrões dessa forma.


“Não quero ir comer agora...” – pensou o jovem ômega, mas se respondesse que não queria ir, ela provavelmente faria um discurso sobre desnutrição, a importância de um bom café-da-manhã e outras coisas... Preferiu pegar sua mochila, verificar se todos os livros e trabalhos estavam ali e depois ir para o refeitório.


Estava sem fila – bom, era cedo, provavelmente não teria a mesma sorte no almoço – então foi fácil ver a baixinha o esperando. Ela estava com um bonito vestido florido e tinha um largo sorriso.


- Eu consegui! – começou, enquanto Bum se aproximava e ambos entravam para se servirem e irem sentar para comer: - Consegui dormir com ele!


Bum quase tropeçou com sua bandeja.


“Espera a ‘novidade incrível’ era que ela tinha dormido com alguém?”. 


O ômega suspirou, resignado, sentando.


- E nossa Bum, ele é enorme, e forte e ahhhhh – ela deu um gritinho entusiasmado enquanto o rapaz a observava: - Queria repetir, mas ele é do tipo que se prova apenas uma vez... Uma pena... 


Bum começou a comer o pequeno pastel que se servira, depois comeria a maçã que Myung-Hee havia empurrado para sua bandeja.


Ela o fitava curiosa: - Por que você não tenta?


Bum engasgou: - O quê?


- Dormir com ele! Vamos, ele já dormiu com vários ômegas, por que não dormiria com você?


O ômega percebeu de quem ela falava, e riscou Myung-Hee de sua listinha mental. Pelos seus cálculos, ele havia dormido com quase todos os ômegas populares da universidade. Myung-Hee não era exatamente popular, mas era muito bonita, isso era inegável - se tirasse os marcados ou comprometidos, faltavam poucos para ele terminar com todos, os populares, claro.


Será que fazia de propósito? Não duvidava de nada. Ele era um alpha no fim das contas... Mas parte dele estava decepcionada, não por ele dormir com Myung-Hee, mas por ele ser assim...


- Sangwoo é forte, mas ao mesmo tempo gentil e... – ela continuou.


Querendo ou não, aquilo era uma forma de mostrar domínio, eram raros os alphas que conseguiam dormir com um ômega sem marcá-lo, imagina dormir com vários e se manter controlado?


Claro, isso o instigava também, era um ômega no fim das contas e um grande “e se...”, surgia em sua mente, mas ao mesmo tempo, era tão típico de um alpha...


“Provavelmente ele tem uma lista por escrito...”.


- Ei, está me ouvindo? Bum! – ele olhou para Myung-Hee que cutucou sua mão: - Não me diz que é ele? Você ficou tão pensativo... Ele é o seu crush misterioso Bum?


Ela questionou em um misto de curiosidade e preocupação. Bum não sabia exatamente qual expressão fez, mas a garota arregalou um pouco os olhos e pareceu um tanto chocada: - Ah não... Desculpa Bum, eu não sabia... Eu jurava que era o professor Yang Seungbae.


Foi a vez de Bum se chocar: - O professor Seungbae? Por que você pensou isso?


- Ele é bonito, simpático, luta pelos ômegas, odeia injustiça... Achei que caso você se apaixonasse por um alpha, seria alguém como ele e não como o Sangwoo...


- Não é como se nós pudéssemos escolher por quem nos apaixonar. – Bum se arrependeu no momento que terminou a frase. 


“Droga.”


- Então é o Sangwoo mesmo! Não acredito! – o ômega suspirou profundamente, enquanto ela continuava animada: - O que você está fazendo? Por que está perdendo tempo? Por que não dorme com ele?


- Olha... Primeiro, não acho que ele aceitaria dormir comigo...


A ômega bufou.


- De novo isso Bum? Eu já te disse, nem todo alpha gosta de cheiro doce! Seu cheiro é ótimo e extremamente agradável, quando você o deixa sair. – enfatizou cada palavra final: - Garanto que você pode ter o alpha que quiser. – ela sorriu: - Você é muito bonito Bum. Claro, devia se vestir melhor e comer um pouco mais – colocou uma banana em sua bandeja, ele protestou com o semblante e foi dignamente ignorado: - Mas tirando isso, você é incrível, não tem por que o Sangwoo não querer você.


Bum observou a banana com relutância antes de resolver comê-la. Não estava completamente sem fome no fim das contas, mesmo depois da maçã, talvez fosse a proximidade do cio: - Hm... Não é isso... – murmurou.


- Acho que não sou exatamente... De qualquer forma, não quero isso... – ele falava tão baixo, que a garota teve que se aproximar para ouvi-lo.


Myung-Hee ficou pensativa enquanto observava Bum: - Entendi. – disse enfim: - Você tem medo, porque seria só mais um... Não é isso?


O rapaz desviou o olhar, já havia terminado de comer a banana, iria beber o suco, aproveitando para tomar seu supressor e ir embora.


- Bum, você devia entrar no modo foda-se, sabe? Talvez não se tornasse o parceiro dele, mas pelo menos, teria uma excelente lembrança... E seria bom pra você. Ter só lembranças ruins de alphas é uma péssima ideia, eles não são todos iguais sabe...


- Eu sei disso... Mas, preferia gostar de um beta ou outro ômega. – ele suspirou: - É só que... Não consigo evitar... – o rapaz olhou para o horizonte, como se pensasse em uma lembrança antiga: - Desde que o vi pela primeira vez... O cheiro dele é como um pequeno choque. Não consigo evitar, não consigo controlar, me sinto mal, meu coração dispara, meu corpo fica quente, detesto tudo isso... Na verdade só queria que isso parasse e eu pudesse viver minha vida em paz. – voltou a olhar a garota a sua frente, ela estava boquiaberta.

  

- Do jeito que você fala... Será que...


O ômega a interrompeu com o olhar: - Isso é lenda Myung-Hee, deve ser só porque ele é muito forte... – disse já abrindo a mochila, tirando o supressor e tomando-o com o final do suco.


- Eu não sinto isso, e sou muito mais sensível a cheiros alphas que você! Então não me venha com essa, ele tem um cheiro incrível, verdade, e durante o sexo faz qualquer um perder o controle. – ela terminava sua refeição.


Bum a fitava calmamente, mas ela realmente pensava que poderia ser o destinado de Sangwoo? Parecia absurdo. A garota o olhou, continuando seu discurso.


- Mas, no dia-a-dia, o cheiro dele é normal. Não para provocar ômegas. Os da manada dele cheiram bem mais forte e provocativamente que ele, tanto que só dá para perceber que ele é o líder pelas atitudes e não pelo cheiro. Aliás, a forma mais inteligente que eu já vi de liderança... Os inimigos só percebem quem é o verdadeiro líder quando já é tarde demais... – ela parou pensativa. - Imagina se você for o predestinado dele? – sorriu largamente: - Que sorte!


- Seria a piada mais infame do planeta... – murmurou Bum.


Myung-Hee revirou os olhos enquanto eles se levantavam, jogavam as sobras no lixo e colocavam as bandejas na pilha para lavagem: - Você é muito exagerado. – ela foi pagar a conta, roubando a comanda do rapaz: - Forcei você a vir, então eu pago. – disse sem aceitar nenhum protesto.


Bum sorriu de leve enquanto a observava. Nunca precisou contar a ela sua situação financeira, mas ela sempre o ajudava sem pedir nada em troca. Não que fosse rica, mas, sua situação era melhor que a dele.


O rapaz olhou o celular e se aproximou: - Se continuarmos nesse ritmo vamos nos atrasar.


- Sim, sim, senhor certinho. – retrucou a garota rindo: - É sexta você deveria relaxar, nem que fosse só um pouquinho.


- Eu estou relaxado. Só não quero me atrasar.


Ela o encarou: - Viu? Mais um motivo que me fez pensar que você estava gostando do professor Seungbae.


Ele desistiu de entendê-la por aquele dia e juntos seguiram para a primeira aula.


Estava tudo indo bem durante as aulas, Myung-Hee tagarelava sobre a real utilidade de aprenderem aquilo, que na prática não usariam quase nada que a teoria ensinava, o professor se esforçava para fazê-los entender, até que Bum sentiu um leve tremor e um perfume, sua visão ficou meio turva e só voltou a si quando ouviu o grito de Myung-Hee.


- CORRE! BUM! O que está fazendo? CORRE!


Ele olhou em volta, todos o encaravam, os ômegas pareciam chocados, enquanto os betas tapavam o nariz e os alphas, esses pareciam prestes a devorá-lo vivo.


- Quê...? – demorou alguns segundos para Bum notar que seus feromônios estavam totalmente expostos, mais que isso, altamente concentrados e sem controle algum.


O garoto levantou. Primeiro tentou diminuir a intensidade dos feromônios, mas a urgência nos olhos de Myung-Hee era um grande alerta.


 “Não tenho tempo pra isso.”.


Ele correu.


De volta ao presente


Sangwoo estava com os punhos fechados e o encarava. Tinha sangue no rosto e parecia tentar se controlar. Ele se aproximou de Bum, colocando os braços em torno de sua cintura.


- Sangwoo... – gemeu Bum com o leve toque do alpha, desejoso enquanto era erguido e jogado na cama. Primeiro teve as calças puxadas, juntamente com sua roupa íntima. Depois o alpha colocou a mão por dentro de sua camisa, apertando seu mamilo e o fazendo arfar.


Sangwoo mordeu o lábio inferior, parecia irritado e excitado ao mesmo tempo.


Uma parte do ômega queria lutar, mas, essa parte estava sendo miseravelmente derrotada pela parte que aproveitava a loucura que seus feromônios estavam causando em Sangwoo.


Ele era o alpha mais controlado de toda a universidade, deixá-lo daquele jeito fazia seu ômega interior implorar... Implorar para ser totalmente libertado, para ver até onde conseguia faze-lo perder o controle...


Será que ele sentiria o mesmo? A eletricidade, a falta de ar... Aquela vontade...? Não, era impossível. Ele era Sangwoo... E mesmo assim... – passou a língua pelos próprios lábios.


“Quero fazê-lo perder todo o controle que ainda tem... O quero pra mim...”.


- Alpha... – gemeu, deixando seus instintos guiá-lo.


Sangwoo respirava com dificuldade. Por que não conseguia se controlar? O que aquele ômega tinha? Aquilo era loucura, e mesmo assim não parecia importar.


O importante era o pequeno corpo deitado a sua frente, de pernas abertas e naturalmente lubrificado esperando-o. Abriu a calça, tinha que penetrá-lo, acabar logo com aquilo e sair dali, enquanto algo de sua consciência ainda funcionava.


Quando, de repente, sentiu a mão do menor em seu rosto, olhou em seus olhos e o ouviu gemer enquanto o perfume embriagante se intensificava.


“Ele estava se controlando...?”.


Sangwoo caiu sobre o corpo menor, o ar deixando seus pulmões, ofegante. 


“Não é possível...” - os lábios úmidos do ômega roçaram levemente nos seus. 


Ele conseguia sentir as respirações sincronizarem, o ar quente que se formava entre eles, colou seus lábios nos dele, e então, enquanto sentia seu coração disparar e seu sangue queimar nas veias, penetrou a língua, explorando cada milímetro daquela boca...


“Ele é delicioso... Não... Eu tenho que parar...”.


Mas não conseguia, não conseguia se afastar, aquele ômega o puxava como um ímã. Estava perdido em seus próprios sentidos e o pouco de consciência que lhe restava dissipou.


Sangwoo se posicionou, sentindo a entrada molhada do ômega, gemeu e o penetrou com força, ele era apertado e os músculos de sua bunda se contraíam apertando-o ainda mais, era uma mistura de dor e prazer que não conseguia explicar, não conseguia mais pensar... Só o desejava com todas as forças. Tentou afastar-se um pouco para respirar, entretanto o ômega não permitiu, mordendo seus lábios e o puxando de volta para ele


Bum nunca havia se sentido dessa forma. Colocou os braços ao redor do pescoço do alpha, o puxando para mais perto de si, queria diminuir ainda mais a distância entre eles.


Continuava beijando-o enquanto sentia o pênis forçar sua entrada, era doloroso, mas o prazer compensava, o ar continuava a faltar, mas não conseguia parar. O ritmo das estocadas começou a acelerar. A força que o alpha tinha era impressionante e Bum não conseguia parar de desejá-lo, mais e mais, parecia tão certo.


Queria ser devorado, quebrado, dilacerado, queria que ele o levasse a insanidade. Já não controlava ou se importava com mais nada. Era seu alpha e ia levá-lo a loucura tanto quanto ele o estava levando.


Sangwoo tirou os braços que estavam em seu pescoço, respirou fundo, sentindo aquele perfume que era como uma droga alucinógena e o prendeu contra a cama.


Sem pensar duas vezes, o mordeu, experimentando o gosto do sangue agridoce e marcando-o para sempre. Percebeu o menor tremer, gozar e perder as forças. Continuou os movimentos brutais até chegar dentro do ômega.


Aquilo... – encarou os olhos nebulosos do moreno – Não estava nem no começo. Esperou alguns minutos até já estar excitado novamente. Era um alpha e iria gozar naquela bunda até ficar satisfeito, até preenchê-lo, até não restar nada daquele cheiro que não fosse seu, se necessário, por dias, anos, décadas, não importava. O animal dentro de si exigia isso e não tinha forças para contrariá-lo.


Algum tempo depois, uma pancada fez Sangwoo cair sobre Bum.


- Vou ser demitida por isso... – murmurou a enfermeira, totalmente bagunçada. Acabara de acordar da pancada que levara ao tentar parar Sangwoo.


Ela tentou pará-lo batendo a cadeira nele, mas... Ela e nada era o mesmo. Não tinha ideia de quanto tempo passara, contudo – olhou para o ômega ofegante, com uma óbvia mordida no pescoço – havia sido o suficiente para dar merda.



Notas Finais


Sobre feromônios (detalhes iniciais, haverá mais informação sobre isso durante a fic, foi feito especialmente para quem não conhece omegaverse):


Ômegas:


Os ômegas possuem feromônios (cheiro ou perfume) de atração.

Na fic todos detêm certo controle sobre eles - em maior ou menor proporção, e exalam eles o tempo todo.

O que acontece é que eles podem perder o controle sobre os feromônios, e isso ocorre de duas formas:

- Se excitando através de um alpha que os estimule (isso não acontece com todos os ômegas, apenas com alguns mais sensíveis ou pares extremamente compatíveis).

- Entrando no cio. 

- O cio dura em média três dias - sendo o segundo o mais forte. Todos os ômegas perdem o controle durante esse período, atraindo alphas involuntariamente. O Bum da minha fic é uma exceção, ele consegue se controlar no primeiro e terceiro dia (o que é muito).


Alphas:


Os alphas possuem feromônios de estímulo. Esses feromônios funcionam de formas diferentes com os ômegas, outros alphas e betas (quando apenas usados de forma natural, sem que o alpha se foque nisso).

Nos ômegas os excita. Se o alpha amplificar o efeito que causa, pode estimular um ômega que não se encontra no cio, a ficar (adiantar o cio).

Nos alphas os amedronta. Se o alpha amplificar o efeito, estimula outro alpha a obedecer ou a se impor (caso o outro alpha seja mais forte).

Nenhuma reação é causada 'naturalmente' nos betas. O alpha tem de se concentrar no efeito que quer causar e então amplifica-los de forma a atingir o beta.

Contudo alphas podem controla-los ao ponto de fazerem efeitos diferenciados dependendo da pessoa que querem atingir, então, é possível um alpha amedrontar um ômega apenas com o uso de feromônios, assim como também é possível um alpha excitar outro alpha com o uso deles. Só que isso exige que o alpha queira fazer isso, não é algo natural.



Betas:


Na minha fic eles também emitem feromônios. Mas é tão pouco, que se torna imperceptível.

Eles podem ser afetados por ambos (ômegas e alphas), mas não é tão simples, pois os betas não "captam" os feromônios tão facilmente quanto os outros dois. Ou seja, tem que ser muito forte para afetá-los.


------


Sobre a mordida.


- Ela os muda fisicamente, adaptando seus parceiros, pois há uma troca de informação biológica.

- Essa mudança demora o prazo de sete dias para se concluir. Chamo esse período na fic de "Transição".

- Durante a transição, as mudanças não estão completas. Ou seja, o ômega continua emanando normalmente seus feromônios, apenas com menos intensidade.

- Durante a transição um ômega pode ser mordido por outro alpha e se adaptar a ele também.

- Se mordido por mais de um alpha, pode ocorrer duas coisas a um ômega:

* Se foi por até três alphas, ele sobrevive, passando a pertencer a estes três alphas - ou seja, ele pode dormir com os três sem sentir os efeitos colaterais, pode engravidar dos três, etc.

* Se ele foi mordido por mais de três, há um excesso de informação biológica que o mata.

- Após passada a fase de transição, o alpha e o ômega possuem um vínculo. Algo realmente muito forte.

- Por causa do vínculo, um ômega passa a "pertencer" ao alpha, ou seja, ele consegue apenas transar com aquele alpha - se ele tenta dormir com outro tem efeitos colaterais, como enjoo, náuseas, etc (dependendo do ômega ele também pode sentir esses sintomas durante o período de transição). Seu corpo também se adapta a poder gerar filhos desse alpha com maior segurança e seus feromônios apenas atraem aquele alpha em questão, ou seja, se ele dormir com outro, não é por causa dos feromônios.

- Não há muitas mudanças no alpha (mundo injusto, eu sei), mas, é inegável que após a mordida, o ômega em questão se torna ainda mais atraente ao alpha que o mordeu.


----

Supressores:


- Os supressores existem apenas para os ômegas. Eles os auxiliam a controlar seus feromônios e evitam gravidez indesejada quando os ômegas não estão no cio.

- Se o ômega não quer engravidar durante o cio, ele deve beber uma pílula antes e depois do mesmo, pois as chances de gravidez durante um cio são absurdamente altas.

- O supressor injetável é o mais eficiente e tem efeito imediato, contudo não é aconselhável senão em casos extremos, pois possui efeitos colaterais muito fortes. Também não são comercializados livremente.

- Ômegas com par que não desejam engravidar (ou sair enlouquecendo seu parceiro) são recomendados a continuar tomando seus supressores.

- Também é recomendado o uso de supressores mais potentes a todos os ômegas que não possuem um ciclo preciso de cio. 


Obrigada por ler!




26 de Febrero de 2018 a las 07:36 5 Reporte Insertar 25
Leer el siguiente capítulo Teto Não Familiar

Comenta algo

Publica!
simd chi simd chi
ainda aprendendo a usar essas outras plataformas mas um stalkiller faz de tudo pra seguir suas autoras <3
4 de Marzo de 2018 a las 20:03
Thana Silva Thana Silva
EU DISSE QUE IA TE SEGUIR PRA TUDO QUE É CANTO KKKKKK
28 de Febrero de 2018 a las 05:25

  • Thana Silva Thana Silva
    Tou tentando me adaptar aqui, mas tá difícil viu. Não dá pra apagar não? Publiquei duas vezes, aff. #ThanaS 28 de Febrero de 2018 a las 05:25
es eliz sang
Só vi aqui para te desejar sorte!!
27 de Febrero de 2018 a las 08:44
Ally Sityá Ally Sityá
EU TO AQUIIIII!!!! POSSO EATAR DEMORANDO DE MAIS PARA VOLTAR A ACOMPANHAR, MAS EU TO AQUIIIIIII!!!!!! YEYYYYY!!!! Boa sorte Mika!!! Saiba que eu serei o seu stalker mais empenhando em te stalkear e comentar ksjsjsjsnsnsmkendnd
26 de Febrero de 2018 a las 13:04
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 39 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión

Historias relacionadas