brunadonde Bruna Dondé

Ele abriu uma lata de cerveja e finalmente, depois de anos, sorriu de verdade.


Cuento No para niños menores de 13. © Todos os direitos reservados

#desamor #conto #flashfiction
Cuento corto
3
3.9mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Repúdio ao Desamor

Há tempos estava cansado daquela rotina. Acordava cedo enquanto ela ainda dormia, preparava um café forte e saía para trabalhar. No fim da tarde chegava em casa e não queria fazer nada. Apenas sentava no sofá e observava o teto. Ignorava tudo o que ela dizia ou queria dizer. Considerava vazia qualquer coisa que ela pudesse pensar, mas nunca admitia. Sabia que nunca foi amor, sempre foi comodidade. Existia em ambos, uma preguiça enorme de dar um fim naquilo, preguiça de precisar recomeçar.

Não havia um culpado específico nessa história. Apenas deixou de ser confortável viver fingindo um sentimento que, aparentemente, nunca existiu. Pensou por dias até decidir algo. Mais um dia longo de trabalho, mais uma vez chegando em casa no fim da tarde, dessa vez não ficaria em silêncio admirando o teto. Falou pra ela sobre todo o amor que nunca sentiu. Ela fingiu surpresa, mas sabia que não precisava fingir mais nada. Ela foi embora apenas com as roupas do corpo, carregando o gato na caixa de transporte. Ele abriu uma lata de cerveja e finalmente, depois de anos, sorriu de verdade. Era satisfatório não viver mais em uma mentira.

Precisava desse tempo para refletir e respirar sozinho no canto da sala, onde a luz do sol entrava e aquecia apenas seus pés, sentia o resto do corpo gelado. Não sabia dizer se o barulho constante do relógio era incômodo ou uma forma de perceber que ainda estava vivo. O tempo passava acompanhando os ponteiros. Levantou e saiu de casa sem saber pra onde ir, só foi, sem rumo definido. Gostava da sensação de sair sem precisar dizer pra onde, sem dar explicações, sem receber mensagens perguntando que hora voltaria. Agradava-lhe a liberdade de talvez nem voltar no mesmo dia.

28 de Junio de 2021 a las 19:45 8 Reporte Insertar Seguir historia
8
Fin

Conoce al autor

Bruna Dondé Bebedora de café, escritora de histórias incompletas, fotógrafa, gateira, leitora (aceito livros de presente, sempre).

Comenta algo

Publica!
Luana Borges Luana Borges
Texto muito lindo 😘 Parabéns!
July 31, 2021, 16:00

Daniel Trindade Daniel Trindade
Apesar de triste, é libertador. Estou encantado com a beleza de suas palavras. ❤
July 11, 2021, 12:10

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Em alguns momentos de tristeza percebemos o que precisamos fazer pra seguir em frente. Obrigada pelo comentário! :) July 11, 2021, 22:48
MS Marcia Santini
Como sempre um excelente texto.
June 29, 2021, 12:20

DR Douglas Rapkiewicz
A forma como tu escreve é, de longe, uma das coisas mais sutis e bonitas da vida. Parabéns!
June 28, 2021, 20:02

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Eita! Muito obrigada por esse comentário, me deixou bem feliz. 💚 June 28, 2021, 20:09
~