brunadonde Bruna Dondé

Charles quer recuperar a liberdade, a paz e a felicidade que tinha na juventude. "Como sair de uma rotina cheia de dor e sem carinho?" é seu questionamento diário.


Romance No para niños menores de 13. © Todos os direitos reservados
Cuento corto
2
3.8mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Sintonia

Nasceram e cresceram em Porto Alegre. No auge da juventude, aos vinte e poucos anos casaram-se, não eram religiosos, mas fizeram questão de agradar aos familiares com uma linda cerimônia na igreja. Charles sempre foi apaixonado por Patrícia, apreciava seus cabelos dourados e brilhantes como o sol. Apesar do sorriso no rosto, os olhos dela refletiam tristeza. O desgaste da relação era evidente. Em suas caminhadas diárias no parque, ele aproveitava o passeio para refletir sobre o rumo que as coisas seguiriam a partir de suas decisões e ações. Até pouco tempo eram felizes, os olhos de Charles fechavam ao sorrir pelos beijos inesperados que recebia de sua esposa ao longo do dia. Patrícia dizia que a voz rouca dele era como uma canção que ela não cansava de ouvir, mesmo que fosse efeito do excesso de cigarro. Hoje ela reclama da fumaça que se espalha pela casa.

Fora de casa pareciam viver o relacionamento perfeito, aquele que supera contos de fadas e faz os amigos acreditarem no amor. Nunca revelavam seus problemas, nem os resolviam de maneira adequada. Charles aprendeu com sua mãe que por mais difícil e conturbado que seja conviver com outra pessoa, após casar, apenas a morte pode acabar com tudo sem que alguém saia magoado. Mesmo com bons argumentos para acabar com a infelicidade ao lado de Patrícia, ele não queria um término convencional. Desejava ser livre mais uma vez e concluiu que a liberdade poderia custar uma vida. Como sair de uma rotina cheia de dor e sem carinho? Foram dias e mais dias de planejamento. Ele não suportaria o peso de uma separação por falta de amor, não queria esbarrar com ela pela cidade e fingir interesse pela sua vida sem ele.

Mais um aniversário de casamento chegou. No que dependesse de Charles, tudo seria perfeito. Ele era extremamente desligado e desorganizado, mas naquela noite foi diferente. Ele preparou cada detalhe com um sorriso no rosto. Jantar especial, decoração romântica e luzes baixas, um ambiente agradável e aconchegante. Patrícia também estava sorridente. Jantaram sem falar muito, só estavam aproveitando o momento. Após todas declarações e agradecimentos por mais um ano juntos com muitas histórias, viagens, companheirismo e muito amor disfarçando o tédio daquela relação, brindaram ao som de “It Ain’t Me, Babe” na versão de Johnny Cash e June Carter.

Charles sabia que só poderia ser feliz novamente quando Patrícia partisse para outro plano, por isso havia colocado estricnina no copo dela. Eles eram muito parecidos e gostavam de praticidade. Patrícia aproveitou um instante de descuido e encheu o copo dele com arsênico. Ambos queriam o fim e conseguiram. Morreram juntos naquela noite, nem a morte os separaria.

12 de Abril de 2021 a las 12:44 2 Reporte Insertar Seguir historia
5
Fin

Conoce al autor

Bruna Dondé Bebedora de café, escritora de histórias incompletas, fotógrafa, gateira, leitora (aceito livros de presente, sempre).

Comenta algo

Publica!
Arnaldo Zampieri Arnaldo Zampieri
A trilha sonora perfeita para um término.
April 12, 2021, 19:40

~