teffychan Lilith Uchiha

Os alunos da Academia Nija receberam um teste prático depois de muito tempo apenas em sala de aula. E estariam felizes se isso não tivesse acontecido no Dia das Bruxas. Podiam até ser alunos da Academia Ninja, mas ainda eram crianças afinal, e como toda criança, queriam estar correndo pela vila pedindo guloseimas e gritando "doces ou travessuras". Mas não era pela Vila que Naruto e Sasuke iriam correr naquela noite e nem doces que iriam encontrar. Ao se perderem na floresta e se depararem com indvíduos no mínimo peculiares, descobriram que as "travessuras" cometidas no dia das bruxas eram mais perigosas do que imaginavam.


Fanfiction Anime/Manga No para niños menores de 13. © Todos os direitos reservados

#oneshot #naruto #sasuke #halloween #diadasbruxas #terror #suspense #drama
Cuento corto
3
2.5mil VISITAS
Completado
tiempo de lectura
AA Compartir

Capítulo Único – Não é só Uma Travessura

Os alunos da Academia Ninja receberam um teste prático depois de muito tempo realizando apenas lições teóricas na sala de aula. E estariam muito felizes com isso se não tivesse acontecido justamente no Dia das Bruxas.

Podiam até ser alunos da Academia Ninja, mas ainda eram crianças afinal, e como toda criança, queriam estar correndo pela vila pedindo doces. Iruka prometeu que, assim que terminassem o teste estariam liberados e que daria tempo de pedirem doces, mas não foi o que aconteceu. Pelo menos não com dois alunos em questão.

— Não acredito que já anoiteceu. Eu deveria estar pedindo doces a essa hora, mas ao invés disso estou aqui, preso nessa porcaria de floresta junto com você ainda por cima! — Naruto resmungava sem parar enquanto procurava o caminho de volta.

— Pare de reclamar. Foi você quem quis vir por esse caminho — Sasuke lembrou, caminhando atrás do menino. Eram pequenos o suficiente para que não precisassem afastar os galhos para poderem caminhar, o que permitia que andassem mais depressa, embora não soubessem qual direção seguir.

— É, e você não fez nada para impedir.

— Agora a culpa é minha? — Sasuke exclamou indignado — Não tenho culpa se você não tem senso de direção!

— Mas você sempre é contra tudo o que eu faço — Naruto lembrou — Não sei como concordou dessa vez.

— Porque você não parava de reclamar no meu ouvido, então… — ele calou-se por um momento — Naruto, você ouviu isso? — perguntou em voz baixa.

— O que, agora vai tentar me assustar?

— É sério! — o menino sussurrou — Eu ouvi um barulho.

Naruto calou-se e escutou também. O som de passos e os galhos baixos de árvores próximas se mexendo.

— Acha que pode ser algum animal selvagem? — Sasuke perguntou.

— Não sei e nem quero ficar para descobrir — Naruto respondeu — Anda, vamos dar o fora daqui.

Os dois se afastaram o mais depressa e silenciosamente possível, mas foi em vão. Logo sentiram seus pés deixarem o chão ao serem erguidos pelas golas das camisas como se fossem filhotes de gato.

— Olha só o que temos aqui! — um homem trajando uma capa preta com estampas de nuvens exclamou — E não é que o pirralho da Kyuubi estava aqui mesmo?

— Hein? Do que está falando? O que é Kyuubi? — Naruto exclamou confuso.

— Esquece isso, Naruto. Ele é louco. A gente tem que fugir — Sasuke balançava as pernas curtas no ar, em uma tentativa inútil de se soltar.

— Olha só, parece que o pirralho da Kyuubi tem um amiguinho — o homem riu em deboche — Ué… é o menino Uchiha? — perguntou mais para si mesmo — Ei pirralho, você é aquele garoto que o Itachi poupou quando matou geral do clã, não é?

— Como sabe disso? Você conhece meu irmão? — Sasuke perguntou alarmado.

— É, conheço sim — o homem riu da expressão dele — Bom, tenho que levar o pirralho da Kyuubi comigo, mas não pensei que iria te encontrar passeando pela floresta. Uma criança tão pura… será uma ótima oferenda ao Deus Jashin.

— O que? Oferenda? — Sasuke elevou a voz algumas oitavas — Eu sabia que você era louco!

— Hidan — outra voz se fez presente e os três se calaram. Do chão, literalmente brotou um ser cuja aparência lembrava muito a de um ser humano, exceto que possuía algo que lembrava muito uma planta carnívora ao redor do rosto, que era metade preto e metade branco.

— Você não pode sacrificar o menino, Hidan — o ser desconhecido falou — Itachi o deixou sobreviver por um motivo, lembra?

— Mas ele não precisa ficar sabendo…

— Nós só precisamos do menino da Kyuubi — ele insistiu.

— Você é tão chato, Zetsu — Hidan revirou os olhos.

— Uma planta! Uma planta falante! — Naruto gritou de repente enquanto apontava para o recém-chegado.

— Planta falante? Ele é um homem-serrote! — Sasuke discordou — Não está vendo essa coisa que parece dentes de serrote ao redor da cabeça dele?

— Homem-serrote uma ova! Ele literalmente brotou do chão, é um homem-planta! — Naruto insistiu.

— Crianças têm uma imaginação muito fértil — Zetsu comentou.

— E são escandalosas. Eu não tenho paciência para isso — Hidan resmungou. Os dois mais novos sentiram um tapa atrás do pescoço e logo tudo escureceu.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




Quando Naruto e Sasuke acordaram estavam em uma espécie de caverna iluminada por várias tochas e com uma enorme e assustadora escultura na parede.

— Onde estamos? — Naruto indagou.

— Não sei, mas acho melhor darmos o fora antes que o maluco das oferendas e o homem-serrote apareçam de novo — Sasuke colocou-se de pé.

— Já falei que ele é um homem-planta — Naruto levantou-se também e o seguiu.

— Tanto faz. Temos que dar o fora… daqui… — Sasuke parou de falar e caminhar ao ver que havia uma pessoa bloqueando a saída. Um homem idoso com barba branca e comprida que sorria para eles.

— Finalmente acordaram, crianças. Fico feliz que estejam bem.

— Sim, estamos… quem é o senhor? — Naruto indagou.

— Eu encontrei vocês dois desmaiados na floresta enquanto colhia ervas. Não podia deixa-los lá, sozinhos ao relento, então os trouxe para minha casa — o homem respondeu.

— O senhor mora nessa caverna? — Naruto o seguiu enquanto o homem caminhava para longe da saída.

— Sim. Eu sei que não parece confortável, mas é bastante seguro aqui.

— Ei, Naruto — Sasuke chamou em voz baixa — Você não acha isso estranho?

— O que é estranho?

— Bem, uma hora nós estamos na floresta com aqueles dois esquisitões e de repente acordamos aqui. Esse cara diz que nos salvou, mas não parece ser forte o bastante para derrotar aqueles dois — ele explicou — E não quis nos dizer o nome dele.

— Algum problema, meu menino? — o homem perguntou.

— Ah, não é nada, senhor… qual é o seu nome mesmo? — Sasuke perguntou.

— Eu esqueci de dizer meu nome? Deve ser a idade, sabe, a gente esquece das coisas — ele riu — Também já esqueci os nomes de vocês.

— Eu sou Uzumaki Naruto. Esse é o Uchiha Sasuke — Naruto respondeu, fazendo com que o outro menino o xingasse mentalmente.

— É um prazer conhecê-los — o sorriso do homem se alargou — Ah, é mesmo! Quase esqueci… tem alguém aqui ansioso para ver vocês — ele caminhou até um túnel que até então os meninos não tinham notado que estava lá — Eu encontrei os meninos. Estão sãos e salvos.

Do túnel saiu a última pessoa que os meninos esperavam ver. Bom, pelo menos um deles.

— Irmão…? — Sasuke o encarou boquiaberto por vários segundos. O que Itachi estava fazendo ali? Como tinha a audácia de aparecer na frente dele depois de tudo que tinha feito com aquela expressão tão calma, como se estivesse fazendo uma visita? — O que está fazendo aqui?

— Olá Sasuke. Há quanto tempo — Itachi cumprimentou. Exibia o mesmo sorriso gentil que ele costumava ver antes de seu clã ser assassinado.

— Você tem muita cara de pau de aparecer aqui como se não tivesse acontecido nada… como se não tivesse matado nosso clã! — Sem pensar no que fazia, Sasuke sacou uma kunai e atacou Itachi. Sabia que não era páreo para o irmão, mas não podia evitar. A raiva e mágoa que sentia eram fortes demais.

— Acalme-se, Sasuke — Itachi pediu após desviar de alguns golpes até finalmente segurar ambos os braços do mais novo — Foi justamente por isso que pedi para te trazer aqui também.

— Ah, é? Por acaso desistiu da ideia de me poupar e vai me matar também?

— Pelo contrário. Chegou a hora de te contar o que realmente aconteceu naquela noite — Itachi o soltou — A verdade é que ninguém morreu. Foi tudo uma encenação. Veja — ele apontou para o túnel de onde tinha saído e dele surgiram seu pai e sua mãe.

— Olá Sasuke — sua mãe sorriu para ele e estendeu os braços. Até seu pai sorriu.

— Mãe… pai… — Sasuke correu até a mãe e a abraçou, sem conseguir conter as lágrimas de felicidade. Não podia acreditar que seus pais estavam mesmo ali. Era bom demais para ser verdade. Bom até demais…

— Irmão, isso é outra ilusão? — ele soltou-se do abraço da mãe e voltou-se para Itachi — Naruto, você está vendo eles também? — perguntou, olhando para o menino.

— Estou vendo um casal, mas não sei quem são — Naruto respondeu.

— São meus pais — Sasuke voltou-se para eles de novo — Por que vocês me deixaram? Onde estavam todo esse tempo?

— Lamento por te deixar sozinho tanto tempo, querido, mas foi necessário — sua mãe afagou os cabelos dele.

— A vila pretendia atacar nosso clã naquela noite, por isso Itachi fingiu ter matado todos nós — seu pai explicou — Os outros estão vivos e seguros, escondidos em lugares diferentes.

— Decidimos te trazer para cá antes que te fizessem algum mal — Itachi explicou — E você também, Naruto — voltou-se para o outro menino — Você estava correndo perigo, não é?

— Sim… agora a pouco na floresta, dois caras estranhos apareceram e atacaram a gente — Naruto contou — Eles ficavam falando sobre fazer oferendas e pegar uma tal de Kyuubi.

— Céus, vocês correram um grande perigo — a mulher levou as mãos à boca.

— O que é Kyuubi? — Naruto perguntou.

— Não precisa se preocupar com isso. Nenhum dos dois precisa se preocupar… estão seguros agora — o idoso que os acolheu falou gentilmente — Aqui, bebam. Devem estar com sede, não é? — estendeu dois copos para os meninos.

— O que é isso? — Naruto indagou.

— É um chá revigorante. Vai ajuda-los a recuperar as energias e aquecer os dois. Está uma noite bem gelada — respondeu. Os meninos se entreolharam e deram de ombros, bebendo o chá.

— Eu estou cansado — Naruto falou quando devolveu o copo vazio.

— Durmam um pouco. Vocês passaram por maus bocados naquela floresta — ele falou gentilmente enquanto os dois se deitavam.

— Ei — Sasuke chamou — O senhor ainda não disse… o seu nome — ele lembrou, mas adormeceu antes de saber se o homem respondeu ou não à pergunta.




~~~~~X~~~~~X~~~~~




Sasuke sentia alguém sacudindo seu ombro, mas não queria acordar. Estava tendo um sonho tão bom. Seus pais estavam vivos e seu irmão não era um assassino… gostaria de continuar sonhando, mas o sacolejo em seu ombro se tornou mais forte e ele abriu os olhos, relutante.

— Sasuke. Ei Sasuke, acorde! — a voz de Naruto chamou em um sussurro.

— Hm… já é de manhã?

— Não, não é de manhã. E se continuarmos aqui não viveremos para ver o sol nascer.

— Como assim? — Sasuke sentou-se, desperto.

— Olha — Naruto apontou na direção que levava até a saída da caverna.

A alguns metros de distância estava Itachi, que conversava com Hidan, Zetsu e o idoso cujo nome desconheciam. Falavam baixo, mas, se ficassem em silêncio, podiam ouvir o que os mais velhos estavam dizendo.

— Francamente, ainda não entendo porque o líder me mandou usar uma marionete com essa aparência horrível. Ela é completamente inútil — o idoso reclamava.

— Pare de resmungar, Sasori. Se você aparecesse na frente deles com a marionete que está habituado a usar assustaria os dois com a sua aparência e os meninos sairiam correndo de medo — Zetsu observou — Bela encenação a sua, aliás.

— Lidar com pirralhos é uma chatice — Sasori respondeu apenas — Bom, o importante é que finalmente pegamos o pirralho da Kyuubi. Precisamos avisar os outros para nos reunirmos.

— E o que vamos fazer com o outro menino? — Hidan indagou.

— Depois a gente pensa nisso. O chá que eu dei a eles deve deixá-los inconscientes por um bom tempo — Sasori deu de ombros.

Continuaram discutindo sobre onde seus companheiros deveriam estar, sem saber que estavam sendo observados.

— Esses são os caras que estavam tentando capturar a gente — Naruto lembrou — Seu irmão é amigo deles, Sasuke.

— Não… não pode ser… — sussurrou, sentindo um aperto no peito — Por que ele faria uma coisa dessas?

— Você disse antes que ele tinha matado seu clã, não foi? — Naruto recordou — Talvez ele tenha mentido sobre aquela história de ter poupado todo mundo…

— É mentira! — Sasuke rebateu — Meus pais estão vivos, você viu!

— Sim, mas…

— Ora, ora, o que temos aqui — Zetsu aproximou-se deles — Parece que o chá que o Sasori deu a vocês não era tão forte afinal.

— É o homem-planta! — Naruto recuou um passo. Não que os outros não parecessem perigosos também, mas aquele era de longe o mais assustador.

— “Homem-planta”? — Sasori ergueu uma sobrancelha.

— Crianças são criativas — Zetsu comentou apenas — Bem, chega de enrolação. Fique quietinho, menino…

— Está brincando? Acha que vou ficar quieto enquanto vocês me transformam em oferenda? — ele se escondeu atrás de Sasuke.

— Irmão, por que está com essas pessoas? Foram eles que tentaram matar a gente na floresta — Sasuke indagou — Você… é mesmo um assassino, não é? — perguntou, já imaginando a resposta.

— Vocês entenderam errado. Isso é apenas uma travessura do Dia das Bruxas — Itachi sorriu embora não soasse nada convincente — Na verdade eu ia dar doces para os dois, mas vocês acordaram antes do que eu imaginei…

— Pare de mentir! — Sasuke exclamou — Você mentiu para mim a vida inteira… acha mesmo que vou acreditar que isso é apenas uma travessura do Dia das Bruxas?

— Mas é a verdade — Itachi insistiu.

— Onde estão o papai e a mamãe? — Sasuke indagou — Você havia dito que apenas fingiu ter matado todo o clã. Onde eles estão?

— Estão dormindo — Itachi respondeu mais sério. Tinha perdido a paciência para responder tantas perguntas — E você deveria fazer o mesmo… vocês dois. Já passou da hora de crianças dormirem.

— Naruto, fuja — Sasuke sussurrou.

— O que?

— Eles querem você. O maluco das oferendas disse lá na floresta que encontrou o “pirralho da Kyuubi” e o “menino Uchiha”. O único Uchiha sou eu então você deve ter alguma coisa a ver com essa Kyuubi que eles querem. Eles vão te fazer de oferenda.

— Mas e você? — Naruto indagou.

— Eu me viro. Anda, corre! — Sasuke mandou e Naruto deu meia-volta, correndo o mais depressa que conseguia. Ia tentar segui-lo quando sentiu Itachi segurá-lo pela camisa.

— Tentando ajudar seu amiguinho a ir embora, Sasuke? — Itachi indagou. Sasuke podia ouvir os outros rindo e não sabia se era dele ou da tentativa desesperada de Naruto de fugir — É uma pena. Agora ele não vai ganhar doces.

— Pare de insistir nessa história ridícula. Eu nem gosto de doces e você sabe disso — Sasuke tentou enfrentá-lo.

— Ah, é verdade. Talvez você prefira uma travessura então — Itachi sorriu novamente, mas seu sorriso não era nada gentil dessa vez.

— Onde estão o papai e a mamãe? Não me importa se estão dormindo, se o que você disse antes é verdade então eu quero vê-los — Sasuke pediu embora lá no fundo soubesse que aquele era um pedido impossível. Seus pais não estavam mais naquela caverna e ele já não sabia se alguma vez já tinham estado. Não sabia mais o que era real — Isso… é uma ilusão?

— Claro que não, irmãozinho. Eu jamais usaria Genjutsu em você… de novo.





Naruto correu pelo que pareceram horas. Passou por vários túneis que pareciam todos iguais e quando estava começando a pensar em fazer uma pausa para descansar, encontrou a saída. Ainda estava de noite e o lugar estava cercado por árvores. Naruto não tinha ideia de onde estava, mas pelo menos estava longe daqueles loucos.

Mas Sasuke não.

Estava seriamente em dúvida se tentava voltar para a Vila e pedir ajuda ou se voltava para dentro da caverna e tentava ele mesmo salvar o menino quando ouviu uma voz perto dali.

— Naruto! — Sasuke gritou a alguns metros a frente dele — O que está fazendo aí parado? Precisamos nos afastar dessa caverna o quanto antes!

— Sasuke! — Naruto abriu um largo sorriso. Nunca ficou tão feliz em ver o menino — Cara, que susto! Cheguei a pensar que você podia ter morrido…

— Claro que não. Eu fugi pelos túneis até que encontrei a saída — ele respondeu — Não acredito que cheguei aqui antes de você.

— Não fique se exibindo — Naruto resmungou — Anda vamos embora… ué… — Naruto caminhou alguns passos, mas começou a se sentir sonolento de repente.

— O que foi agora?

— Acho que o chá que aquele cara me deu ainda não perdeu completamente o efeito… eu estou com sono… — Naruto coçou os olhos com as costas da mão, lutando para permanecer acordado.

— Céus, você não tem jeito. Deixa que eu te ajudo — Sasuke caminhou até ele para ajuda-lo a andar. Agora que via Sasuke de perto e que tinha conhecido Itachi, Naruto podia notar como ele se parecia com o irmão… o rosto do menino pareceu mudar por um instante para o de Itachi, mas quando Naruto piscou estava vendo Sasuke novamente. Devia ser o sono. A vista de Naruto logo escureceu e ele desabou bem a tempo do garoto segurá-lo. Sasuke riria muito dele quando acordasse.



______________________


Notas Finais:


Essa história também foi postada no Spirit e no Nyah! Fanfiction.



31 de Octubre de 2020 a las 03:04 0 Reporte Insertar Seguir historia
2
Fin

Conoce al autor

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~