kusshina Kushina Mota

Talvez seja estranho irmãos se relacionarem amorosamente? Talvez. Mas Lara não se importava. Tinha um amor (não platônico) por seu irmão, Dante. O amava com todas as suas forças e não deixaria nada, nem ninguém, mudar o que sentia.


Erótico Sólo para mayores de 18.

#exército #romance #violência #comédia #amorproibido #sexo #irmão&irmã #incesto
0
4.3mil VISITAS
En progreso - Nuevo capítulo Cada 30 días
tiempo de lectura
AA Compartir

Esse sentimento.. De novo?

Estou completando 17 anos e ainda moro com meu pai, mãe e irmão. Isso é ótimo! Não quero nem pensar ter que sair de casa algum dia, morar com eles é muito bom. Afinal de contas ainda sou muito nova e tô no segundo ano do Ensino médio, está cedo para tal coisa.

Hoje é uma segunda-feira de agosto, exato dia do meu aniversário. Estou mais animada do que o normal, não sei o porquê. Talvez chegar aos 17 esteja me parecendo uma bela.. conquista...? Bom, é melhor eu me apressar e terminar de me arrumar logo, acho que daqui a pouco já vão começar a cheg..

- Lara, o pai pediu.. - Esse é meu irmão mais velho, um ano mais velho, Dante. Nossa convivência é muito boa, às vezes ele gosta de falar bobagem, mas quando quer ser legal ele também consegue. Também gosta de fazer várias idiotices, como entrar no quarto de alguém.. espera, ele..

- Que que cê tá fazendo aqui seu idiota?! - Pegando rapidamente o cobertor que estava jogado sobre a cama, ela o colocou em sua frente pois acabou sendo pega só com as roupas íntimas.. quase todas elas.


- V-Você tá aqui faz mais de uma hora, achei que..


- Se bate na porta antes de entrar!


Ficaram um segundos se encarando, estáticos. Pareciam estar esperando alguém falar alguma coisa.


- Sai logo daqui Dante! - Gritou jogando um travesseiro na direção dele.

Antes que o travesseiro que voava pelo quarto o acertasse, Dante bateu a porta.

- É.. pelo visto nem no dia do aniversário ela fica mais calma.. - Pensou encostando as costas na porta do quarto de Lara e apoiando um pé na mesma - Ela mudou. Mudou bastante. Minha irmãzinha está virando gente grande! Bom.. já são 17 anos né. E parando pra pensar, eu nem reparei ela deixando de ser criança e virar adolescente.. e agora está quase adulta. Que idiota que eu sou. Lembro como se fosse ontem, quando éramos apenas crianças..



FLASHBACK

14 ANOS ATRÁS…


- Lara! Abaixa a televisão.

- Não! Tá chovendo e eu num quero ouvi os tovão. - Os dois pingos de gente estavam sentados no tapete que fica em frente a televisão, esperando a mãe terminar de preparar a comidinha deles.


- Mamãe, manda a Lara abaix-


- Eu nu vô abaixa! - Já gritando, a menininha puxou os cabelos pretos do irmão, com força.


- Au!


- Ei, ei, parem já vocês dois! - Sofia, a mãe dos pequenos, que neste momento preparava o café da manhã, se multiplicava em quantas fossem para conseguir cuidar da casa e de seus filhos. Mas ela tinha que admitir que a ajuda de seu marido era muito bem vinda. - Vocês estavam tão quietinhos, facilitem pra mim, por favor.


- Eu.. eu vou acordar o papai! Sua feia!


- Seu feio!


- Feia!


- Feio!!!

Era mais do que comum esses dois não se entenderem, coisa que Sofia deixava mais para Dantas, seu marido, resolver. Sofia sentiu-se decepcionada ou ver ele descendo as escadas, queria levar o café dele no quarto. Mas como não acordar com essas duas pestinhas guerreando na sala?


- Ora ora, o que tá acontecendo aqui? - Com uma cara de sono muito aparente, o pai dos pequenos briguentos descia as escadas coçando o couro cabeludo.


- Estão se desentendendo, de novo.. - Soltando um suspiro derrotado, Sofia se apoiou de costas na mesa onde já havia posto o café da manhã.


Dantas foi até sua esposa e lhe deu um beijo. - Bom dia Amor.


- Bom dia querido. - Respondeu-lhe com um sorriso.


- Me da esse controle Lara!


- Não! Solta!


O casal se encarou, transmitindo um olhar de quem já estava farto dessas brigas entre seus filhos.


O mais velho da casa agachou-se em frente aos seus pequeninos. - O que aconteceu, hum?


- Pai, a Lara deixa a televisão muito alta só porque tem medo de trovão. E ainda puxou meu cabelo.


- Bom, deixa eu abaixar isso daqui, que está um pouquinho alto mesmo, né filha? - Enquanto diminuía o volume, olhou para Lara, que fazia bico. - Por isso você estava gritando com ela?


- É..


- Hmm… Não é pra puxar o cabelo do seu irmão, Lara. Já te disse isso várias vezes.

- Mas..


- Não faça mais. Isso não é motivo para vocês discutirem, vocês são irmãos, tem que cuidar um do outro. Você principalmente, Dante. A Lara é sua irmã mais nova, tem que ser bom com ela. Vocês são espertos, sei que estão me entendendo. Não é? - *Um puta silêncio* - Hein?!


- Tô - Responderam em uníssono.


- Ótimo. Vamos, peça desculpas para ela.


- Por que eu?! - O pequeno Dante cruzou os bracinhos e virou a cara emburrado. Sofia olhava atentamente seu marido e seus filhos. Apesar de seu filho ser um pouquinho malcriado era tão fofo ao mesmo tempo.


- Vamos filho, o papai tá pedindo.

Ainda relutante, o pequeno não conseguia fitar sua irmã. - D-Desculpa Lalá. - Olhando de soslaio, conseguiu se desculpar.


- Vamo lá, Lara. Agora é sua vez.


- Desculpa Dandan.


- Muito bem.

O pai das crianças abriu um largo sorriso e passou a mão na cabeça de seus pequeninos bagunçado o cabelo de ambos. É muito melhor quando tudo termina bem e Dantas se sentia muito feliz em ver seus filhos também felizes.



FLASHBACK OFF

Lara jogou seu cobertor de volta na cama e soltou um suspiro de alívio quando seu irmão fechou a porta. - Moleque idiota! E se eu tivesse totalmente sem roupas? - Pensou enquanto trancava a porta. Deu uma olhada em seu corpo no grande espelho de seu quarto e… - O que será que meu irmão acharia? Será que ele… Nanananão, fazia tempo que você não pensava besteira, né Lara?


_______X_______

Depois de pronta, Lara deu uma última olhada em seu visual no espelho e mais uma borrifada de perfume e pronto! Deu uma voltinha e é isso, estava linda! Destrancou a porta e ao abrir, deu de cara com Dante.


- Cê ainda tá aqui? Você é um stalker ou algo do tipo?

O irmão mais velho começou a tossir e Lara o olhou confusa - Já disse pra você maneirar nesse perfume, pra que tanto?


- Para de ser chato.


- Só pode ser brincadeira. Mas aí.. vai vir algum macho aqui e eu não tô sabendo?


- Hãm?


- Cê tá bem bonita hoje.


- C-Cala boca idiota.


- Nem elogios você aceita. Você é difícil, hein?


- E você é muito sem graça. O que nosso pai queria?


- Não sei por que ele acha isso importante, e também não sei por que ele pediu pra eu te contar.. Enfim, ele disse que por você ser a aniversariante, quer saber se tu acha que é o suficiente a quantidade de refrigerantes. - Frisou a última palavra, destacando o quão nada a ver era.


- Pelo amor.. por que eu tenho que decidir isso?


- Pois é, não sei. Mas eu vim te contar, sabe como ele é, né.

Lara suspirou cansada, seu pai se preocupava demais com pouca coisa.

- Só ele mesmo.. Vamo lá ver isso.

Dante seguiu a sua frente enquanto andavam e ela pode observá-lo e perceber que o corpo dele estava um pouco mudado.


- Dante.


- Hum?


- Cê tá meio.. fortinho, né? Anda malhando?


- Aah então você percebeu. Tô malhando sim… mais ou menos. - Ele parou de andar e virou para trás.


- E nem me chama?


- Quem não te chamou? Te chamei e você não quis, preguiçosa da porra.


- Não me contradiz, hoje é o meu dia. E esses treininhos que você tá fazendo são muito chatos, se eu fosse fazer ia pra Academia de uma vez.


- Tendi.


- E que horas você vai que eu nunca vi?


- Sempre que você se tranca no quarto pra fazer suas lições. Por isso não vê.


- Hm


- Eu nunca faria Academia, eu acho que deixa o corpo muito cheio e exagerado. Prefiro malhar com o próprio peso do meu corpo. Só isso daqui já é o suficiente pra mim. - Esticou os braços para frente, mostrando-os rapidamente para sua irmã. - Bom, bora.


- É.. tá gostosinho mesmo. - Achou que tinha somente pensado, mas as palavras escapuliram bem baixinho.


- Que?


- Que o que?


- Você não falou alguma coisa?


- Nã-não.. nada. - Ela deu um sorriso sem graça e Dante deu de ombros e continuaram a andar para a cozinha.

O fato de seu irmão ter invadido seu quarto e tê-la pego naquele momento, fez com que alguns pensamentos em relação ao seu irmão que já haviam sido esquecidos tempos atrás, ressurgissem. - Aah que raiva! Por que esse idiota teve que entrar no meu quarto logo quando eu tava sem roupa? Cérebro do caralho, para de pensar nisso. Só falta eu estar..


- Então filha? - Seu pai a acorda de seus devaneios.


- O-Oi?


- O que você acha?

Ela não escutou nadinha do que seu pai tinha falado assim que ela chegou na cozinha, só restou arriscar que fosse sobre os refrigerantes.


- Não precisa se preocupar com isso não, pai. Tá bom assim. Não precisa de mais.


- Você tá meio avoada.. cê tá bem? - Perguntou seu irmão, que estava escorado na parede.


- Claro! Estou um pouquinho pensativa mesmo.. Não é todo dia que se faz 17 anos. - Sorrindo timidamente, Lara já nem sabia mais o que dizer.


- Hum.. não mesmo, é só uma vez. Você fala tanta besteira.


- Eu tô bem!


- Mm hmm

_________X__________

Algumas das pessoas que haviam sido convidadas já estavam começando a chegar, convidados esses que consistem em amigos e parentes próximos, bem pouca gente.


- A não, que que esse cara tá fazendo aqui? - Dante cutucou sua irmã com o cotovelo e apontou com a cabeça para onde ela deveria olhar.


- Ah para, Dante. Nosso vizinho é amigo do nosso pai desde quando ele veio morar aqui. Por que você implica tanto com ele?


- Eu só não gosto dele. Ele é um puta fofoqueiro, vive dando opinião em coisa que não é da conta dele. Nada aqui é da conta desse cara.


- Tá bom…


*Campainha tocando*


- Filha! Vá atender a porta, deve ser suas amigas. - Sofia gritava da cozinha, onde terminava de colocar as coisas no lugar com a ajuda de Dantas.

Eram elas mesmas, Lara as convidou para entrar e logo as amigas de Lara foram comprimentar as pessoas da casa.

Dante também passou um pouco pela cozinha para ajudar seus pais, e enquanto estava lá, as amigas de sua irmã o comprimentaram, uma por uma com um beijo no rosto e um abraço.


- Fora da Escola seu irmão é bem mais gostoso, Lara.


- Que isso, louca. - Lara já estava acostumada com os comentários nada discretos de suas amigas. Mas assim, dentro de sua casa, era meio constrangedor.


- Pois é, queria eu ter um homem desse debaixo do mesmo teto que eu. Só de pensar..


- Você não tem que levar a sério tudo que elas dizem, Lara. Mas uma coisa até cego tem que acreditar; seu irmão é um gato.


Lara já estava começando a ficar vermelha de vergonha, suas amigas eram de um jeito que ela nunca seria. Talvez nunca.


- Ele e meus pais estão no cômodo do lado, vocês não pensam que eles podem estar ouvindo não?


- A gente tá só brincando boba.

__________X___________

Quando chegava a hora de tirar as fotos Lara sempre se empolgava. Era uma coisa que ela adorava fazer, por guardar recordação e também porque ela tinha certeza que arrasava nas fotografias.


- Os filhos no meio e os pais ao lado, bora! - Quem ia bater a foto era um velho conhecido da família, Alex. O melhor amigo de Dante. - Isso, bem assim. Foto em família.. sempre bom não é?

Dante passou o braço por detrás do pescoço de Lara e abaixou-se um pouco ao seu lado, já que era um pouco mais alto. A garota que estava lutando contra seu cérebro incestuoso, não conseguiu ficar tranquila com esse ato, mesmo ele já tendo o feito várias vezes.


- O que foi? Olha para a foto, boboca. - Os apelidos entre eles eram tantos que não dava para contar. Mas era um bom costume que eles não conseguiam mais largar.

A irmã mais nova travou com o rosto de seu irmão tão próximo. Respirou fundo, mas ao fazê-lo pode sentir o cheiro do perfume dele, o que só a deixou mais nervosa.


- Ah, tá. Não é possível.. Aquilo aconteceu a muito tempo, ele age tão naturalmente que já deve ter esquecido, sua boba! Ele sempre diz que não devíamos ter feito aquilo, diz também que fo-


- Lara? Ei, psiu. - Alex estalava os dedos tentando atrair a atenção da garota. - Olha pra cá. - Tava em pé que nem um poste esperando a boa vontade de Lara para poder tirar a foto.


- Foi mal.


- Olha lá ô irmãzinha mais fotogênica do mundo.

Antes de se concentrar na foto Lara revirou os olhos por conta do comentário. - Meu Deus, mais palhaço impossível. - Quando a foto foi tirada, o irmão mais velho olhou para a mais nova e deu-lhe um sorriso. - Moscona. - Falou tirando seu braço dos ombros da jovem e saiu de seu lado. - Foda-se, deixa minha mente pensar o que ela quiser, meu irmão é um gato mesmo. São só pensamentos, se não passar disso tá ótimo. Ignora, Ignora! Não fode tudo entre vocês de novo.


__________X__________

A festa estava indo bem, o ambiente estava com um clima extremamente agradável. Tinham pessoas conversando no jardim, que era o caso de Lara e suas amigas. Outros estavam na sala assistindo televisão e mais alguns estavam juntos de Dante, em seu quarto. Aquele típico grupinho que se juntam na casa de um amigo para ficarem o dia inteiro mexendo em vários tipos diferentes de aparelhos eletrônicos.

Ao se reunirem novamente na cozinha, cantaram os parabéns e chegou a hora de Lara fazer o pedido.


- Dessa vez.. vai ser diferente. Tá decidido. - Quando soprou a vela, todos bateram palmas e Lara sorriu largamente.


- E o primeiro pedaço, vai pra quem? - Era o vizinho que Dante tanto odiava.

Dante não engolia esse cara, era ele abrir a boca que o garoto já fazia cara feia - Cara, o jeito dele me irrita. Algum dia ainda vou mandar ele ir tomar no cu.


- Vai pro meu irmãozinho!


- Que milagre é esse?


- Pega logo e cala boca, Bozo.


- Tsc.. Uau, esqueci de rir. Mas cê tá ligada que eu não sou muito chegado em bolo, né?


- Aah mas esse eu que fiz, certeza que você vai gostar.


- Filha


- Oi mãe


- Das outras vezes você demorava mais na hora do pedido. O que você pediu?


- É segredo.


___________X___________



24 de Noviembre de 2020 a las 19:08 0 Reporte Insertar Seguir historia
1
Leer el siguiente capítulo Lembra disso?

Comenta algo

Publica!
No hay comentarios aún. ¡Conviértete en el primero en decir algo!
~

¿Estás disfrutando la lectura?

¡Hey! Todavía hay 1 otros capítulos en esta historia.
Para seguir leyendo, por favor regístrate o inicia sesión. ¡Gratis!

Ingresa con Facebook Ingresa con Twitter

o usa la forma tradicional de iniciar sesión