Countdown to The Authors' Cup 2020. Sign up now for chance to win prizes!. Read more.
tkbiased taekooked by taekook

Jungkook deixou para trás tudo o que tinha por medo, agora, ele está de volta querendo recuperar tudo. Taekook mpreg abo!Au


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#filhos #yoonmin #bangtanboys #bts #mpreg #beta #ômega #alfa #abo #kookv #vkook #taekook
3
3.7k VIEWS
In progress - New chapter Every Sunday
reading time
AA Share

Eu ainda te amo.

1.Eu ainda te amo

Pensando bem, talvez ele fosse paciente. Ele realmente deveria ser, vendo que tinha um filho de seis anos hiperativo correndo em torno de suas pernas junto a menina mais velha que gritava que ele devolvesse sua boneca.

Vendo que seria impossível de fazer o café da manhã para as duas crianças barulhentas desse jeito, largou os pratos na mesa e suspirou

— Certo, Seun, devolva a boneca da Irene, querido. — Taehyung se abaixou parando os movimentos das duas crianças. Seun fez beicinho e o olhou com olhos negros profundos, tentando parecer inocente de suas travessuras.

— Mas, papai. Eu estou brincando com ela! — Seun rapidamente se defendeu, balançando a boneca pelos cabelos loiros e sorrindo, um sorriso de coelho brilhante.

— Você está machucando a senhorita Amélia. Tio Taehyung, faça-o devolvê-la para mim. — A menina implorou agarrando as calças de pijama de Taehyung tentando chamar mais sua atenção longe do sorriso encantador de seu filho.

— Seun irá devolvê-la a você Irene, não se preocupe. — Taehyung murmurou levantando em sua altura normal e levantando uma sobrancelha interrogativa para seu filho que lentamente levantou o braço direito que segurava a boneca e a entregou para a menina.

— Obrigado, Seun! — Irene gritou, agarrou sua boneca e olhou o menino, tímida.

— Obrigado, Seun. — Taehyung agradeceu seu filho bagunçando os cabelos claros fazendo o menino sorrir novamente. — Agora deixem o papai fazer o café para vocês e vão brincar na sala.

— Sim! — Ambas as crianças falaram juntas e correram para fora da cozinha em direção a sala.

Taehyung sorriu e voltou a preparar torradas e sucos para as crianças. Não era difícil cuidar de duas crianças, mas ele estava aliviado que era apenas por algumas horas.

Quando as torradas ficaram prontas, Taehyung chamou as crianças e as ajudou a sentarem nas cadeiras ao redor da mesa e enquanto cuidava ambas desfrutando dos alimentos tomava seu café amargo, seu estômago revirou inesperadamente o fazendo engasgar um pouco com o café e largar a xícara na pia.

Seu coração acelerou quando a campainha tocou, mas sem saber o por que, Taehyung ficou congelado em seu lugar respirando com força.

— Papai!!! — Irene gritou pulando da cadeira com um pedaço de torrada nas mãos e correu até a porta.

Taehyung saiu de seu transe e piscou, antes de ir atrás da menina de 8 anos, com seu filho o seguindo logo atrás.

— Abra, abra, tio Taehyung! — A menina gritava entusiasmada enquanto o olhava esperançosa.

— Acalme-se Irene, estou indo. — O sorriso de Taehyung começou a diminuir à medida que ele se aproximava da porta, algo estava o dizendo que não era Jimin quem ele iria encontrar atrás daquela porta.

Seun continuava atrás de Taehyung se escondendo atrás de suas pernas enquanto esperava por seu pai a abrir a porta.

— Papai! — Irene gritou assim que a fechadura girou e quando a porta se abriu por completo ela parou antes que pudesse saltar nos braços do homem ali parado, que realmente não era seu pai.

A menina fez beicinho e se agarrou as pernas de Taehyung, talvez assustada com a imagem que se deparou.

Cabelos negros e olhos profundos foram tudo o que inauguraram a bela vista no corredor, Taehyung realmente tentou impedir que seu coração pulasse para fora de seus lábios entre abertos.

— Jungkook? —Taehyung tentou falar, seus olhos estavam doendo, ele realmente queria chorar.

O homem continuou parado o olhando, as mãos enfiadas profundamente nos bolsos da calça negra.

— Eu posso entrar? — Foi tudo o que ele falou. E então seus olhos desceram até a menina que se encolhia contra as pernas de Taehyung. Ele sorriu e a menina apenas ficou olhando-o.

Taehyung saiu de seu estupor e limpou a garganta. — Irene, leve Seun e brinquem no quarto, sim querida? —

A menina balançou a cabeça e caminhou para trás agarrando o braço do menino que se escondia e o puxou junto com ela. Mas o menino se soltou do aperto fraco e ficou olhando para o homem na porta, ele gostou dos olhos do homem mais velho e sorriu de volta quando o homem sorriu para ele com um sorriso encantador. E então Seun voltou a correr até seu quarto.

Taehyung apertou as mãos fechadas em punhos enquanto apreciava a interação de pai e filho antes de respirar fundo e encarar Jungkook profundamente.

— Por que você voltou?

— Eu precisava ver ele. — Jungkook respondeu ainda parado no lado de fora da porta, sendo que não havia recebido uma resposta para entrar no apartamento. — E você.

— Não precisamos de você. — Taehyung resmungou apertando os lábios. Eu senti sua falta. — Você deve ir agora, você já nos viu. — Agarrando a porta Taehyung tentou fechá-la mas foi impedido pelas mãos que a seguraram.

— Taehyung, por favor.

— Já fazem seis anos, Jungkook.

— E eu ainda te amo.


April 24, 2020, 1:01 a.m. 0 Report Embed Follow story
0
Read next chapter Cheiro Irresistível

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 11 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

More stories

Promiscuous Promiscuous
Lunaria River Lunaria River