vitoriatrindade Isabelly Trindade

O medo ele é o inimigo de muitas pessoas e não seria diferente com Jeon Jungkook, o medo o acompanhava desde pequeno com a falta de aceitação de seu pai, medo de não entrar em uma boa faculdade, medo de não conseguir ser bom o suficiente para seu primeiro amor e ironicamente anos mais tarde se tornando seu primeiro namorado, Park Jimin, o ser mais lindo que ele teve o prazer de conhecer. O medo que Jungkook sentia sempre se transformava em arrependimento quando se tratava do mais velho. E seu arrependimento nunca fora tão amargo quanto no dia em que recebeu o convite de casamento de Jimin, aquele delicado papel com tons azulados e detalhes em dourado com uma bela letra cursiva dando destaque no nome de seu amado e de seu noivo. Noivo este que infelizmente não seria ele. Continuação de Morangos Mofados


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only. © Todos os direitos reservados

#talvez-um-leve-lemon #vitoriatrindade #termino #superação #romance #parkjimin #originais #minyoongi #kimtaehyung #kimseokjin #kimnamjoon #junghoseok #JiminFodão #JiminCasado #JiminandJungkook #jeongguk #jeonjungkook #JeonHetero #JeonCasado #JeonArrependido #casamento #bad #jikook #kookmin #jimin-flex #jimin-top #jungkook-bottom #jungkook-flex
1
3.6k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Le regret

Aquele pedaço de papel estava o provocando, ele sentia isso.

Jeon sabia que este dia chegaria, mas ele sempre fugia dos pensamentos que perturbavam e tiravam várias noites do seu sono, ele queria sumir, fingir que nunca recebeu aquele convite com tons leves de azuis e detalhes em dourados, fingir que o cara que ele ama não iria se casar com outro, Jeon até pensou em rasgar aquele maldito papel mas seria com ele que entraria na cerimônia isso se fosse nela, ele só não queria que aquelas letras que davam um belo contraste no papel azulado mostrasse o nome de outro homem ao lado do de seu amado queria que fosse o seu ali. daria tudo para voltar ao passado.


- Jeon precisamos conversar sobre um evento importante que deverá ter sua presença e.... Vejo que já recebeu a bela notícia. – Taehyung esbanja um belo sorriso de escarnio para o moreno enquanto entrava em sua sala.


- Bela notícia? Você chama isso de belo? – Jeon pega o convite enquanto se levanta de sua cadeira de couro e joga em cima do vidro de sua mesa. Ele só queria ver aquele maldito papel virar cinzas.


- Sim, será um casamento incrível, ah eu mesmo o levei para provar os ternos e meu deus ele consegue ficar mais belo com um terno branco e... - O azulado é interrompido por um grunhido do outro lado da sala.


- Eu sei o quão belo ele é não precisa me lembrar.


- Claro que não preciso o nome dele não saia do histórico de pesquisa das suas redes sociais. – Seu sorriso quadrado era arteiro. - Ou você ainda pesquisa sobre a vida dele?


- Você estava mexendo nas minhas coisas? Como pode? Você sabe que invadiu minha privacidade. – sua incredulidade estava estampada na voz.


- Ah isso já faz tempo, ainda era na época que éramos amigos. Até descobrir a merda que você fez.


- Eu fiz uma escolha Kim.


- Sim, a pior escolha que podia fazer.


- Então decidiu que não seria mais meu melhor amigo por conta disso? Por causa dele?


- Não, você sabe que eu era contra esse casamento antes mesmo de conhece-lo mas saber o que você fez o garoto passar, o quanto ele lutou por aquilo e você nem sequer mexeu um palito para mudar algo só me deu mais certeza de que lado eu deveria estar.


- Você tomou essa decisão através de uma escolha que só cabia a mim toma-la e você diz que há um lado certo.


- Estou do lado dos corajosos Jeon, não foi sua escolha que causou o nosso fim de amizade e sim a sua covardia de aceitar.


- Aceitar? do que está se referindo.


- Estou me referindo de aceitar que você é uma pessoa totalmente diferente do seu pai. Você não é a sombra dele Jeon. Aceitar que estava amando sim um homem. O que houve com você Jeon, nunca deu para traz para dizer que era bissexual, mas tinha medo de falar publicamente que estava namorando um homem?


- Eu não quero voltar ao passado isso não lhe diz respeito. O que queria me dizer? – claramente o moreno queria fugir de seu passado, fugir de seus fantasmas.


- Sobre isso.


- Eu estou falando sério Kim Taehyung!


- Está vendo eu rir? - o mais velho claramente não estava brincando. – Só vim avisar que minha irmã já confirmou a presença de vocês.


- Eu não vou.


- Pare de ser criança você terá que ir. O senhor Park convidou todos os investidores e até os acionistas para o casamento, uma atitude incrível tomada da parte dele.


- Ele convidou os – parou no meio da frase, o moreno precisou procurar coragem para tocar no nome daquela família, sabia que o ex-amigo namorava um dos familiares.


- Sim, só queria ver a cara dos Jung's quando recebessem o convite, eles são a família mais preconceituosa que faz parte da empresa. Lembro até hoje do episódio do Hoseok assumindo nosso namoro, velhos idiotas.- As lembranças da noite que o Jung mais velho apareceu na porta de sua casa com os olhos vermelhos e soluçando mais do que formando palavras coerentes, o assombrou no momento, nunca mais deixou o namorado ficar mais do que cinco minutos perto deles, ou manter uma conversa que não fosse restritamente profissional.


"Idiotas" Kim pensou.


- Mas eu não sou nenhum dos dois, então por que recebi o convite? – Jeon sabia a resposta, mas faria de tudo para não ir. – Eu não vou, avise que não terão minha presença. Cancele-a.


- Primeiro não sou seu secretario para cancelar ou não sua presença nos lugares e segundo caso você tenha esquecido, o que aparentemente é o que aconteceu, minha família é um dos investidores Jeon e além do mais você é casado com minha irmã ou devo te lembra o dia que disse sim no altar? - ironia a frase exalava ironia.


"Por pouco tempo" era isso que Jeon queria dizer, mas apenas se limitou em um simples.


- Tudo bem. Eu vou! – Derrotado e cansado psicologicamente era assim que Jeon se sentia.


- Que bom, bem agora que tudo está confirmado. - o azulado caminhava até a porta mas antes de passar totalmente por ela olhou para Jeon- Nos vemos no casamento cunhado- aquela frase caiu como uma enorme bigorna em cima do moreno e Taehyung sabia disso.


A porta se fechou, o silencio adentrou o local sem ao menos pedir licença, Jeon até queria voltar a assinar e ler seus respectivos documentos, mas ainda estava atordoado. Era pedir demais que a vida não desse rasteiras nele. O som estridente de sua cadeira sendo arrastada para traz se fez presente no local.

Talvez um café o ajudasse a pensar. Não estava preparado psicologicamente, ainda não, ver Park Jimin vestido de terno branco com sua beleza irreal o machucaria, quantas vezes fantasiou com esse dia, sentia vergonha, vergonha por todas as vezes que a lua recebeu suas juras de amor enquanto pensava no loiro. Vergonha de todas as vezes que escutou sua mulher reclamar com o irmão que novamente o moreno se declarava enquanto dormia para o garoto que na época era dono de belos fios ruivos.



A cerimônia estava incrivelmente linda, Jimin sempre teve bom gosto para essas coisas, o moreno estaria mentindo dizendo que seu estômago não embrulhou quando entrou no local, estava tão lindo, tudo tinha um contraste leve, mas tão único.


- Jeon achei você. Estava te procurando desde o momento que vi sua esposa aqui. – Esposa incrível como uma palavra que devia encher o peito de orgulho o causava desconforto. Mas apenas ignorou e mostrou ou melhor tentou o seu melhor sorriso.


- Senhor Park, como o senhor está? Muita correria nas papeladas? Fiquei sabendo de um novo investidor com uma proposta incrível para sua empresa, sabe como as noticias correm né? – tentava deixar o Park mais velho confortável com sua presença ou seria o contrário?


- Que isso garoto, sem formalidades, além do mais você sabe que as papeladas não são um problema, e por favor sem assunto sobre trabalho, prometi para meu filho isso- o sorriso de alegria estava estampado em seu rosto, eufórico era assim que o pai de Park estava se sentindo.


- Estou apenas aproveitando que meu garoto vai realizar seu sonho. Nem sei se seu esposo irá querer comandar a empresa. Mas se não quiser não há problema não é. – o senhor mais velho deu o seu mais belo sorriso para o jovem, o Park mais velho sabia da história que ocorreu com seu filho mais novo, na época claro foi difícil de aceitar e ficou ainda mais brabo quando ocorreu os problemas com o Jeon


Ok que estava meio confuso com tudo aquilo seu filho mais novo se assumindo era realmente algo para se digerir devagar, mas ninguém fosse homem ou mulher arrancaria lágrimas de seu garoto de ouro. Na época nem queria direcionar o olhar para o herdeiro dos Jeon mas o tempo passou e as cicatrizes são curadas. Ainda não compreende muita coisa da história, mas tenta tratar o mais novo da forma mais cativante possível.


O mais velho não estava procurando o Jeon, ele mentira sabia cada passo que o mais novo deu desde que chegou, mas não podia chegar do nada perguntando se o garoto queria tomar um ar ou até mesmo se ele estava pronto para ver as cenas que seguiram. Era nesse momentos que ele via a insegurança e o arrependimento no olhar do garoto, se lembrava em como sua mulher ficava animada comentando sobre o casal, como naquele tempo ainda estava aceitando o fato de seu filho não ser, hm como posso dizer, hétero não prestava atenção na esposa, quero dizer não queria, mas agora desejava ter escutado melhor, pois nos tempos atuais via um verdadeiro arrependimento nos olhos de jabuticaba, via isso nas reuniões que tiveram com ele e seu filho, nas poucas que Jimin tinha vontade de participar a mágoa que o Park mais velho tinha sobre Jeongguk pode ter até passado mas as cicatrizes que seu filho carregava sabia que não curariam tão rápido, mas o olhar apaixonado não morrerá ele olhava para seu pequeno como se olhasse para a joia mais preciosa já encontrada, não havia malícia e sim um olhar protetor e extremamente apaixonado da parte do moreno.


O arrependimento estampado nas íris castanhas, mas este não se sobressaia em cima do carinho e paixão pelo seu Hyung, se ainda podia chama-lo assim.


Com seu filho não era diferente, por mais que estava apaixonado pelo seu noivo, o mais velho sabia que o coração do seu pequeno tesouro nunca diminuiu as batidas por Jeon pelo contrário apenas acelerava. Ah porque eram tão complicados. Orgulhosos.


- Se sente confortável? – o olhar incrédulo do Jeon era impagável o mais velho se permitiu sorrir.


- Perdão senhor?


- Sabe muito bem o que estou me referindo garoto. Ele irá se casar. – o Park escutou um sim murmurado. – Quero saber como se sente.


- Estou.... - não havia motivo para mentir ali havia? - Estou me sentido bem a medida do possível. - um sorriso melancólico pousou em seus lábios.


- Ele está se preparando, se não me engano ainda está na sala se remoendo de nervosismo.


- Eu... O senhor acha que devo ir?


- Não sou eu que decido isso, mas sabe o Wang não se importaria. Conheço ele bem. -deu uma piscadela ao jovem. – Bem eu vou dar mais uma volta pelo salão tenho que cumprimentar outros convidados, qualquer coisa me chame.


Eu devia?

Claro, esta é a nossa chance, quero dizer a sua chance de contar para ele, Jeon vamos.


Dizer que não deu passadas largas fingindo estar totalmente calmo enquanto por dentro estava uma pilha de nervos seria um eufemismo da parte dele. Sua mão foi de encontro com a maçaneta e girou uma vez só. Era agora ou nunca, com o pouco de coragem que lhe restava deu um passo para dentro.


- Amor eu já te disse que dá azar ver o noivo antes. – Park disse com tons leves de diversão na voz seguidos daquela maravilhosa risada que Jeon sentia falta, mas ignorando aquilo tudo e apenas focando na frase dita pelo loiro. Fez ele travar aquilo doeu, preferia apanhar até perder a consciência do que ouvir tais palavras direcionadas a outra pessoa que não fosse ele. Aquilo o travou por completo como reagir? Estava estático os olhos não desgrudaram do Park como conseguia ficar mais lindo?


E depois de segundos sem resposta ou sem nenhum beijo em seu pescoço Park finalmente virou para ver o que houve com seu noivo, sabia que estava bonito, mas não esperava deixá-lo sem palavras, mas a surpresa que o acometeu quando virou foi maior, ele estava lindo, aquele desgraçado era como vinho, quanto mais velho mais gostoso ficava, mas não Park, não devia pensar aquilo estava prestes a entrar no altar. Mas o que fazer? A sua frente estava a razão dos seus devaneios, das suas lágrimas, da sua saudade e do seu amor.

Jeon não sabia o que responder aqueles olhos, aquele rosto tudo ali se encaixava de uma maneira perfeita, a única coisa que não o agradava era aquele bendito anel na mão do seu amor, eram tantos sentimentos, ele não conseguia descrever, no fim Park Jimin sempre seria a razão pela qual ficaria sem palavras. E finalmente um dos dois tomou coragem para se pronunciar.


- Jeon?


E foi aquele momento que o moreno se sentiu prestes a explodir. Desabaria a qualquer momento e ninguém poderia o socorrê-lo.



"Eu vou te amar mesmo se você não casar comigo. Eu vou te amar mesmo que você case com outra pessoa... E eu vou te amar se você tiver um filho, e eu vou te amar mesmo que você tiver dois filhos, ou três, ou ainda mais. E eu vou te amar se você nunca se casar também, ou nunca tiver filhos, e passar seus anos desejando que tivesse se casado comigo, e eu preciso dizer que a noite, em dias frios, eu prefiro muito mais esse cenário do que qualquer outro que já mencionei
-Lemony Snicket"
March 17, 2020, 4:32 p.m. 0 Report Embed Follow story
1
Read next chapter L'amour

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!