monachopsis Amanda Figueiredo

Jungkook estava em uma crise no casamento quando conheceu Jimin. O que era para ser um relacionamento casual e sem compromisso, acabou se tornando uma gravidez inesperada que trouxe encontros e desencontros para ambos. Jikook | Mpreg | Drama


Fanfiction Bands/Singers For over 21 (adults) only.
Short tale
0
3.7k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Capítulo Único



Jimin observava os traços bonitos e sérios de Jungkook enquanto ele entrava no café e se aproximava da mesa em que estava. O resultado do exame pesava no bolso do seu casaco e não pode deixar de se angustiar novamente pelo seu futuro – na verdade, pelo futuro de ambos. Ainda era automático analisar bem a figura alta e com vestes escuras e elegantes, contrastando com as suas claras e confortáveis. Ainda era difícil acreditar que tinham saído algumas vezes e tido alguma química, sendo que pareciam tão opostos.

O Jeon sorriu para si, parecendo um pouco nervoso, e se sentou à sua frente. As mãos pequenas de Jimin se retorciam debaixo da mesa, um pouco suadas.

- Oi Jimin. – ele cumprimentou-o, educado.

- Jeon. – o loiro devolveu e percebeu que ambos estavam nervosos. – Quer um café? Eu pedi um com açúcar e creme faz poucos minutos.

- Tudo bem, estou em uma pausa rápida do trabalho. – ele ficou em silêncio por alguns segundos, analisando seu rosto e Jimin gostava de seu olhar sobre si. – Você disse que tinha algo a dizer no telefone, bem, confesso que também tenho algo.

Jimin soltou a respiração com cuidado, querendo deixar para dizer aquilo no último momento – talvez nunca. Talvez se ele esquecesse, como se não existisse, talvez sumisse. Mas ele sentia verdadeiramente o peso do exame em seu bolso e sabia que ele tornava tudo real. Havia pegado-o hoje mesmo, de manhã, e ficara em um misto de receio e esperança. Ele apenas queria que aquilo desse certo, torcia os dedos.

- Pode dizer primeiro, não é tão importante. – pegou o copo de isopor com seu café, tomando-o e sendo agraciado pelo gosto forte e doce ao mesmo tempo. Ele não precisava saber que era absurdamente importante, e de qualquer forma ficou curioso com o que Jungkook tinha para lhe dizer também.

O último encontro dos dois havia sido há quase uma semana, em que haviam saído para beber, jantar e acabaram no apartamento de Jimin. Felizmente ele passara mal mais tarde naquela manhã, quando Jungkook já havia ido embora, e fora aí que suas suspeitas recaíram.

- Bem... – Jungkook hesitou, os dedos longos brincando com um sache de açúcar que havia na cestinha no centro da mesa. – Yoona e eu decidimos tentar retomar o casamento.

Com certeza Jimin não estava esperando aquilo. Sorte que já tinha engolido o café e deixado o copo novamente na mesa porque duvidou do seu equilíbrio naquele momento.

Ele sabia bem no que estava se metendo quando conheceu Jungkook em um pub casual, várias noites atrás. O moreno dissera estar com o casamento em crise e prestes a assinar os papéis de divorcio, que duvidava que o relacionamento durasse mais que aquilo. Ele fora casado por quase 8 anos e agora tudo chegara a um fim. O Jeon era atraente, um pouco melancólico, mas uma boa companhia, Jimin gostara de conversar consigo. Vinha pulando de relacionamento em relacionamento fazia anos, nunca tendo encontrado alguém que lhe fizesse querer firmar de verdade. Taehyung brincava que ele era um cigano dissimulado, quebrando corações por aí. Mas Jungkook também não queria nada sério, estava saindo de um longo e estável relacionamento e não lhe cobrava nada. Foram quatro ou cinco encontros num curto prazo de um mês e meio, Jeon lhe divertia e distraía e estava tranquilo com o que tinham. Isso até começar a passar mal e sua realidade mudar completamente com apenas alguns exames de farmácia e, por fim, um de laboratório.

Não gastou muito tempo se xingando de burro e desleixado, mas ele nunca fora o cara mais em dia com seu anticoncepcional. E ambos estavam sem doenças e livres, foi quase natural fazerem sem algumas vezes. E ele era adulto o suficiente para assumir suas responsabilidades – ou falta delas.

Planejara chegar ali com o exame em mãos, contar para Jungkook e ambos discutirem para ver como lidariam com aquele fato. Ele realmente não contara com Jungkook lhe dizendo que estava voltando para sua esposa.

Ficou alguns segundos piscando, um pouco em choque.

- Me desculpe, foi realmente inesperado, na verdade Yoona me ligou ontem à noite e conversamos por horas... – Jungkook iniciou uma longa ladainha, tentando se explicar e deixar o ambiente menos esquisito e desconfortável. Mas Jimin só conseguia pensar que aquilo mudava tudo.

Ele realmente não poderia contar sobre o exame para ele. Pelo menos não naquele momento.

- Tudo bem, Jungkook. Não tínhamos algo sério. – algo entalou em sua garganta, mas pigarreou para limpá-la, interrompendo o moreno. – Juro, está tudo bem. Estávamos apenas curtindo. – talvez se ele repetisse aquilo mais vezes poderia acreditar na frase.

Toda a esperança que construíra fora enterrada a sete palmos de forma dolorosa.

- Fico feliz por vocês. – um sorriso torto e que durou dois segundos, foi o máximo que conseguiu dar.

- Obrigado, Jimin, de verdade. – Jungkook piscou algumas vezes, parecendo que queria dizer algo a mais, mas não continuou. – Mas você disse que tinha algo a dizer também. – lembrou-se, desviando do assunto rapidamente.

- Ahn, consegui uma... promoção no trabalho. Eu disse que era algo bobo. – disfarçou.

- Meus parabéns, Minnie. – o apelido saiu automático, pois logo Jungkook pareceu acordar e se policiar. Aquilo, “estamos voltando”, mudara tudo entre eles.

Mas, infelizmente, não mudava o resultado positivo do teste de gravidez que estava no casaco de Jimin.


***


Jimin fechou a boca do plástico com força. Ia levar o lixo para fora e era uma atividade que vinha ficando cansativa nos últimos meses. De acordo com os exames, ele estava com 18 semanas de gravidez, ou simplesmente quatro meses e meio de gestação, e já engordara alguns quilinhos. A barriguinha surgira e vinha estufando calmamente por entre suas roupas, fazendo com que suas calças não servissem mais e agora fosse adepto de moletons o tempo todo. Ele não gostava de fazer drama, mas arrumar o apartamento, abaixar e agachar muitas vezes vinham consumindo todas suas energias. Tentando ver pelo lado positivo, ele se tornaria um grávido fitness arrumando a bagunça de seu cachorro e arrumando o quarto do bebê.

Seu apartamento era simples e pequeno, sendo mais um quarto e meio do que dois quartos, mas o meio cômodo serviria temporariamente como quarto do serzinho que crescia dentro de si, pelo menos. Esperava conseguir um dinheiro melhor para que pudessem se mudar no futuro, antes do bebê começar a andar e precisar de espaço para desenvolver. Pelo menos sua chefe fora legal e ele poderia tirar licença maternidade logo, logo, não correndo o risco de possivelmente perder seu emprego na livraria. Era praticamente braço direito da dona do lugar, era merecido algumas promessas e abonos.

Fazia quase três semanas que não conversava com Jungkook. O contato entre eles se tornara cada vez mais raro, se resumindo a mensagens pelo celular, até aquele momento, em que Jimin considerava findado. Não teve coragem de dizer sobre a gravidez para ele, toda vez que pensava em contar sua mente já ladrava coisas como “destruidor de casamentos, de lares, de famílias” e coisas piores. Não sabia como contar aquilo para o outro, simplesmente. Sim, era uma responsabilidade de ambos, Jimin não fizera aquele bebê sozinho, mas também tinha o fato de que eles não tinham nada sério. Nunca tiveram. Era um caso rápido, ambas as partes estavam cientes e concordaram com aquilo. Por mais que Jungkook fosse um homem que lhe fazia imaginar viver uma vida juntos, sabia que eram ilusões passageiras, fogo do momento. Isso até ele descobrir estar grávido e Jeon voltar para a esposa. Antes ela era apenas uma menção ao passado dele, agora ela era algo real, seu presente e seu futuro. Eles estavam dando uma segunda chance ao casamento e Jimin se odiaria se chegasse destruindo os planos deles assim, do nada, por um erro seu.

Taehyung, seu amigo, discordava e exigia que o outro pai fosse presente e lhe acompanhasse naquela gestação. Resmungava que ele era abnegado e ser gentil demais nunca fizera bem para ninguém, que ele precisava de ajuda para criar aquele filho e, por fim, que ele seria o melhor padrinho do mundo para o “rechonchudinho”. Seu amigo era tão esquisito que terminava suas recriminações de forma suave e imaginativa, já pensando em futuros passeios com o neném e mimos a mil. Jimin ria e revirava os olhos para a inconstância dele, mas sua mão sempre se voltava para o volume firme e macio acima de seu quadril.

Assim como odiaria ser um destruidor de lares, também odiava estar fazendo aquilo com o filho. Crescer sem um pai seria uma lástima e fruto do seu medo e ridícula abnegação, como Taehyung chamava, ele sabia que não queria condenar a criança àquele futuro e que uma hora teria que contar tudo para o Jeon. Pensar naquilo lhe enviava arrepios na coluna.

Fechou Yeontan em seu apartamento, o cachorrinho ficou parado lhe olhando, com a língua para fora e ofegante, depois de fuçar toda a lata de lixo enquanto Jimin tentava pô-la para fora. Se só aquele cachorro hiperativo quase lhe matava, imagina um bebê engatinhando e correndo pela sala.

Foi levando o saco preto cheio pelo elevador de serviço, logo descendo os três andares de distância até o térreo, já se cansando enquanto jogava o pesado saco na enorme lata do prédio. Mas ele realmente não esperava encontrar Jungkook parado atrás de si, bem vestido como sempre. Antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, o moreno deixou o olhar cair para sua cintura, onde a camiseta velha não fazia nada para disfarçar a barriguinha denunciante de sua situação.

Ele sabia que uma hora teria que contar tudo à Jungkook, só não esperava ser naquela situação.


***


Jungkook pôs a xícara de chá na mesinha de centro, lutando bastante para não encarar a barriga de Jimin, que se sentava no sofá pequeno à sua frente. O loiro apenas suspirou enquanto finalmente relaxava a coluna. Ao contrário do que poderia se imaginar, Jeon não olhava assombrado ou horrorizado para a suave elevação, mas sim com ansiedade e curiosidade. Seus gestos não indicavam rejeição e sim nervosismo e algo a mais que Jimin não entendia, mas esperava que não fosse negativo ou ruim.

- Quando ocorreu? - o moreno perguntou, depois de conseguir engolir o chá - quase esquecera que estava tomando o mesmo e deixou o líquido na boca.

- Não sei exatamente, mas só sei que o médico disse que estou de 18 semanas. Fui à consulta há três dias e estava tudo bem. - Jimin brincou com os dedos, também estava tão nervoso quanto o outro, não poderia negar. - Caso esteja se perguntando é seu sim, eu não estava com mais ninguém na época. - Jungkook arregalou os olhos.

- Não, eu não estou duvidando que seja meu, é só que… - respirou fundo, parecendo pensar em algo. - Naquele dia, no café… - emudeceu, pensativo.

- Eu tinha pegado o exame no laboratório naquela manhã. Eu ia contar, juro, mas então as coisas mudaram. - Jimin se justificou, não querendo que ele entedesse errado as coisas. Jungkook o observou, parecendo triste.

- Sim, as coisas realmente mudaram. - ficaram em silêncio novamente. - 18 semanas é quanto tempo mesmo? Desculpa, eu fico confuso com essas coisas. - Jungkook conseguiu abrir um sorriso amarelo. A mão do loiro foi inconscientemente para a elevação em seu colo.

- Quase cinco meses. - pensou em algo mais para dizer. - Na próxima consulta vamos tentar ver o sexo. - um sorriso bobo escapou de si sem querer.

- Eu posso… ir? - Jungkook pediu, parecendo querer segurar um sorriso bobo no rosto também.

- Claro. - sorriu.

Enquanto Jeon voltava a tomar seu chá, a curiosidade de Jimin se aflorou. Eles ainda tinham muito o que conversar, mas o que mais lhe atiçava naquele momento era o que diabos o outro fazia ali. Mentira, o que realmente lhe interessava era se o casamento do mais novo estava dando certo, mas ele não queria questionar aquilo em voz alta. Se sentiria ridículo e propenso a criar esperanças novamente.

- Jungkook, o que veio fazer aqui? - foi direto, quase fazendo o moreno se engasgar no chá. Felizmente a xícara foi posta com cuidado na mesa intacta.

- Eu estou me divorciando. - foi tão direto e simples quanto o loiro, encarando a madeira da mesa. Foi a vez de Jimin prender a respiração. - As coisas com a Yoona… realmente não deram certo. Foi uma última tentativa boba da nossa parte. - mordeu os lábios, mas os soltou, assim como as palavras. - Sabe, queríamos ter um bebê. Estamos há quatro anos tentando ter um, mas não teve nenhum sucesso. E isso desgastou tudo, sabe? Aquelas peças que tentamos esculpir para se encaixar, finalmente percebemos que elas não pertenciam uma à outra. Foi… simplesmente errado. Esse tempo todo.

Jungkook olhava para toda sua sala, menos para si, enquanto desabafava. Nunca fora muito de contar sobre sua vida de casado ou sua esposa, por motivos óbvios, mas aquilo era meio surpreendente para Jimin. Principalmente quando descobria que eles tentaram muito ter um filho e não conseguiram, e aquilo foi meio que a peça final para o casamento se desmontar. Enquanto isso o azarado ali engravidara depois de o que, quatro noites transando despreocupadamente?

Não sabia direito o que dizer e seus dedos entrelaçavam um no outro de forma nervosa, como sempre ficavam quando ele estava ansioso.

- Essa com certeza é a coisa mais pitoresca que já me aconteceu. Agora, que meu casamento acabou, eu vou ser pai… - sua voz sumiu e quando Jimin o olhou, Jungkook limpava algumas lágrimas.

Levantou desajeitadamente, quase empurrando a mesinha de centro, preocupado, se sentado ao lado do outro. Acariciou os fios negros macios com uma mão enquanto a outra ficava sem saber o que fazer.

- Eu sinto muito, Jungkook… - conseguiu dizer, incerto. O moreno fungou e terminou de limpar as últimas gotas fujonas.

- Muito obrigado, Jimin. - lhe abraçou, o deixando surpreso.

Jimin não soube dizer se ele lhe agradecia pelo filho ou por estar ali, ao seu lado, e isso apertou seu coração.


***


A médica espalhou o gel na barriga de Jimin, lhe arrepiando pela temperatura gelada do mesmo. Ele abaixara a calça e a cueca o suficiente para o alcance perfeito do aparelho de ultrassom, estando ali para finalmente tentarem ver o sexo do pequeno que crescia dentro de si. Jungkook realmente lhe acompanhara ao hospital, estando agora ao seu lado. Incrivelmente usava roupas menos formais naquele dia, o que Jimin agradeceu internamente, pelo menos fazia o momento parecer mais como uma descoberta boa do que uma reunião de negócios.

Era complicado analisar os borrões cinzas na tela preta, mas Jimin estava com os hormônios à flor da pele e via pézinhos, mãozinhas e um rostinho ali de qualquer jeito. Enquanto a médica comentava, feliz, que estava tudo bem com seu bebê, ela conseguiu visualizar a genitália entre as pequenas pernas.

- Parabéns, é um menino. - ela sorriu para ambos e Jimin sentiu os olhos arderem.

Principalmente quando sentiu Jungkook segurar sua mão e apertá-la contra a sua, parecendo tão emocionado quanto si. Ele olhava vidrado para a pequena tela e Jimin sentiu o corpo subitamente frio.

Quando se limpara e finalmente pode sair da sala, Jimin respirou fundo o ar com cheiro de desinfetante do hospital. Claramente não era o melhor, mas o que teria naquele momento. Jungkook agradeceu a médica por último e Jimin não se importou em sair na frente. O mais alto teve que apressar os passos para alcançar o menor, já fora do hospital.

- Jimin, aconteceu algo? - questionou, apreensivo pelo jeito distante do menor.

- Está tudo bem. - saiu automaticamente, mas Jimin logo se estapeou mentalmente. - Na verdade, não está não. Jungkook, eu sei que… - acabou parando, ficando sem fôlego.

- O que foi? - foi delicado em o instigar e Jimin se afastou antes que ele o tocasse.

- Você está aqui apenas pelo bebê? Só porque quer um filho a qualquer custo? Quando apareceu naquele dia, o que exatamente você veio atrás? - perguntou, pediu, nervoso e chateado. - É só que… eu não queria isso. Eu não estou tentando te dar um golpe ou coisa parecida…

- O que? Jimin, eu nunca imaginaria isso de você… - ele o interrompeu, mas Jimin não o deixou continuar.

- Eu sei que eu não tenho nenhum tipo de direito ou coisa parecida, mas eu só quero saber porque você apareceu no meu prédio naquele dia. - focou na pergunta que parecia mais importante.

Jungkook respirou fundo, passando a mão nos cabelos, parecendo criar coragem para se abrir. Era sempre tão difícil conseguir alguma sinceridade nua e crua dele, era sempre tão… formal. Jimin estava cansado das roupas formais do mesmo e daquilo que vinha remoendo há dias, desde que retomaram contato. De repente Jungkook surgia do nada e parecia tão fascinado por seu bebê que Jimin se sentia meio usado, meio como uma barriga de aluguel sem querer e que ele estava ali apenas pelo bebê que carregava. Sabia que não tinha o direito de exigir um relacionamento do mesmo, mas pelo menos se sentir menos um objeto ele teria.

- Eu fui atrás de você, Minnie. Essa é a verdade. - o apelido doeu um pouco, mas ele se manteve firme. - Naquele mesmo dia decidimos assinar os papéis do divórcio, que já estavam prontos de antes. - ele mordeu o lábio inferior. - E eu pensei em você. Eu estava pensando em você naqueles dias. Até arrisco a dizer que a culpa de termos falhado horrivelmente naquela reconciliação foi porque eu não me esforcei nem um pouco para torná-la real. - ele pareceu um pouco abismado pelas próprias palavras. - Aquele casamento havia acabado bem antes de nos conhecermos, essa é a verdade. E quando ele acabou de verdade eu fui atrás de você.

Precisou lembrar seu corpo de voltar a respirar ao se sentir um pouco tonto.

- Claro, eu nem imaginaria que você estava grávido. Que você já estava naquele dia do café. Porque não me contou naquele dia, Jimin? Eu teria impedido esses meses perdidos tentando ressuscitar algo que já havia morrido e sido enterrado. - dessa vez Jungkook que soou chateado.

- Foi um erro idiota meu. Eu só não queria destruir um casamento. - sussurrou, cabisbaixo, me sentindo meio idiota.

- É uma coisa do passado, não? Aconteceu e foi assim que aconteceu, não precisamos revirar e chorar pelo leite derramado…

- Jungkook, você gosta de mim? - Jimin levantou o olhar rapidamente para o rosto bonito do moreno. - Seja sincero. Você está aqui apenas pelo bebê? - ele precisava ter a resposta para aquilo. Sua mente insistia em criar esperanças chatas e pensar em possibilidades, odiaria descobrir, só na frente, que se iludira à toa, para variar.

- Não, naquele dia eu fui até seu prédio por você. Eu estava ali por você e ficaria por você, tendo bebê ou não. - falou, firme, sustentando seu olhar.

Jimin jogou o corpo para frente, abraçando Jungkook e sendo retribuído no mesmo instante. Era apenas aquilo que ele precisava no momento, apenas aquele abraço.


***


Jimin terminou de por a ração para um Yeontan faminto e logo guardou o saco. Felizmente recuperara bem do parto e já poderia se considerar apto para correr por aí, só não poderia contar isso para sua médica, claro. Fazia três semanas e ele ainda estava desinchando, sua barriga diminuíra bastante, mas ainda parecia estar um pouco grávido, o que era normal. O que importava é que agora tinha mais disposição e, à medida que perdia peso, se sentia mais como si mesmo.

Esticou os braços enquanto caminhava preguiçosamente para o quartinho de Jungwoo, já estava quase na hora de alimentar o bebê gordinho e adorável que saíra de si. Acabou parando na entrada ao ver o que havia ali dentro do ambiente azul bebê, cheio de decorações infantis. Jungkook estava sentado na pequena poltrona que conseguira enfiar no minúsculo quartinho, que sempre usava para amamentar, mas ele segurava um pacotinho embrulhado nos braços, concentrado em observar o filho dormir. Tão concentrado que realmente não percebera a presença do loiro ali perto, apenas observando a cena.

Jimin quase se escondeu no batente da porta apenas para poder olhá-los com cuidado e sem atrapalhar o momento. Às vezes mal conseguia acreditar que ele estava ali, consigo, ao lado do bebê de ambos, ajudando-o a criá-lo. Não apenas isso, mas sendo um companheiro para si. Os últimos meses da gravidez foram recheados de momentos que gostaria de guardar para sempre. Jungkook finalmente se abrira para si de uma forma que nunca fizera, parecendo tão disposto a fazer aquilo dar certo, como ele mesmo. Apesar de sua má experiência com segundas chances, o mais novo deixara tudo para o lado para recomeçar consigo. Ou como Jimin preferia dizer, verdadeiramente iniciar aquele caminho juntos.

O loiro apenas se moveu quando Jungwoo acordou nos braços do pai, soltando alguns resmunguinhos típicos de bebê com fome. Entrou no quarto e Jungkook finalmente reparou em si. Logo trocaram de lugar e Jimin pode começar a alimentar o filho de ambos, com Jungkook ao seu lado, onde ele parecia tão confortável em lhe fazer companhia.


Feb. 8, 2020, 10:04 p.m. 0 Report Embed Follow story
0
The End

Meet the author

Amanda Figueiredo monachopsis: o sutil, mas persistente sentimento de estar fora de lugar. Jimin bottom e gravidinho squad🐣

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~