monachopsis Amanda Figueiredo

Em que Jimin acorda com fome por cereal e Jungkook com fome de outra coisa. PWP | JM!bottom | Mpreg | Male lactation


Fanfiction Bands/Singers For over 21 (adults) only.

#lemon #mpreg #jungkook #jimin #yaoi #jikook #bts
Short tale
0
3.6k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Cereal Killer



O pequeno se espreguiçou na beirada da cama, sentindo o corpo mole e entorpecido pelo sono pesado que tivera. A camiseta larga que usava, do marido, escorregou pelo corpo, pendendo mais para um lado e a gola revelando parte de seu ombro esquerdo. Jimin sequer ligou, coçando um pouco a região do peito, sentindo-o doloridinho como sempre naqueles últimos meses. Já se sentia cheio de leite para amamentar o bebê de ambos, que logo, logo estaria batendo na porta querendo sair.

Por fim coçou os olhinhos inchados e ergueu o corpo mais robusto e inchado naquele penúltimo mês de gestação, a barriga grande estando proeminente na camiseta, chegando antes dele mesmo em todos os lugares. Seu estômago quase rosnava de fome e nem precisou checar o caminho até a cozinha, fazia-o instintivamente, um verdadeiro leãozinho atrás de comida. Os pés descalços sequer faziam barulho pela casa, estava tão calmo e silencioso naquela manhã. Pensando bem, mal ouvia os pássaros lá fora. Já era tarde ou cedo ainda? Enfim, o que importava era que estavam numa manhã tranquila de sábado e ele não queria fazer nada naquele dia, apenas ficar com os pés para cima sob a poltrona, comendo muito sucrilhos apoiado em sua barriga estratégica.

Pegou a caixa de leite já aberta de dentro da geladeira, colocando-a sobre a bancada, tateando o armário alto atrás da caixa de cereal. Precisou esticar-se todo para conseguir alcançar o que queria, ainda brigaria com o Jeon por jogar suas comidas preferidas em locais tão complicados para si. “Mimimi, ele tinha que cuidar do peso, Jungwoo ia nascer uma bolotinha e ele ia demorar dois anos pra perder os quilos que tinha ganhado na gravidez”, imitava o marido em um resmungo baixinho e irônico enquanto despejava todo o sucrilhos docinho no leite. Não fazia questão de tomar o cereal com leite quente, sua fome estava um saco e impossível de esperar o microondas.

O alívio que percorreu o corpo quando pôs a primeira colherada na boca? Muito bom, muito bom. Continuou comendo ali mesmo, a barriga meio apoiada na bancada e dando um alívio em sua coluna, pescando os olhos por ainda sentir o sono forte sobre si. E qual foi o susto ao sentir braços circundando sua cintura, dando um abraço gostoso em sua barriga grande e um beijo em sua nuca exposta? Quase engasgou com o sucrilhos, mas o coração voltou a bater ao normal ao perceber que era apenas o marido, bem preguiçoso atrás de si.

O problema foi ter achado que ele só queria um cafuné de bom dia, mas Jungkook começou a despejar beijos molhados por toda a extensão da sua nuca, alcançando o ombro despido e até mordiscando sua clavícula. O segundo sustinho foi decorrente dessa ação, mas ele não lhe deu trégua, entregando um chupão bem atrás de sua orelha, o que rendeu um arrepio profundo e um gemidinho do fundo de sua garganta. Oh, bem, a segunda tigela de sucrilhos teria que ficar pra depois.

Pelo menos conseguiu apoiá-la na bancada antes do moreno o puxar contra si, fazendo os corpos encaixarem e Jimin sentir a ereção matinal contra suas nádegas. Droga, ele já tinha baixa resistência contra o marido, era completamente injusto fazer aquilo com ele de manhã, quando apenas queria ficar molinho nos braços dele. Jimin levou uma mão até os cabelos de Jungkook, agarrando os fios em um misto de carinho e busca por apoio enquanto ele maltratava seu pescoço com beijos e mordidas.

- Bom dia pra você também. – o loiro conseguiu gemer com uma risadinha, não tendo trégua enquanto aquele pau gostoso simulava estocadas em seu bumbum.

- Hum. – Jungkook resmungou apenas num tom meio rouco, uma mão já levantando sua camiseta do corpo do pequeno.

Os dedos magros e compridos acariciaram a curva da barriga de Jimin, sentindo a maciez e calor da pele do mesmo, quase mandando um “oi” para o bebê de ambos ali dentro. E enquanto uma mão permaneceu ali, a outra finalmente alcançou o que queria, um mamilo marronzinho arrepiado e inchado. Jimin franziu a testa e sentiu as pernas darem uma amolecida quando seu peito sensível foi aconchegado pela mão grande de Jungkook, teve que jogar boa parte de seu peso contra o abdome do outro para não correr o risco de deslizar até o chão.

De repente começaram a ser estímulos demais para uma manhã tão curta, uma pequena massagem em seu peito inchadinho, aqueles beliscões em seu mamilo que lhe enviavam choques elétricos pelo corpo inteiro, as contínuas estocadas falsas que o Jeon simulava incansavelmente em si. Sua própria ereção se enchia numa velocidade surpreendente, a pele parecendo amortecida e os músculos de seu ânus contraindo, desejando, ansiando. Um gemido alto escapou dos lábios gordinhos que eram maltratados pelos seus dentes quando sentiu algo escapar de si. Uma gotinha de colostro escorreu do biquinho do mamilo estimulado, molhando as mãos de Jungkook. O próprio arfou ao senti aquilo, o pau latejando terrivelmente só de se imaginar mamando no esposo.

A ideia cresceu rapidamente em si e não perdeu tempo em pegar Jimin pela cintura, o corpo amolecido e moldável ao seu toque, virando-o para si. Ele estava adorável, as bochechas coradas, os lábios molhados e apetitosos, os olhos pequenos piscando com lentidão e torpor pelo prazer. Antes de tudo ele apenas precisou beija-lo com firmeza e calor, invadindo a boca de Jimin com sua língua, querendo tudo que ele tinha para oferecer. As unhas curtas cravaram em seus ombros, buscando apoio, Jimin estava fraco em seus braços.

Foi instintivo empurrar para o lado o que havia na bancada larga, dando espaço para poder colocar o pequeno sentado ali, aberto para si. A camiseta sumiu do corpo do loiro e Jungkook apenas abaixou a calça de moletom, única coisa que usava normalmente para dormir. Quando pode observar a imagem por completo a sua frente, ele praticamente salivou, faminto de Jimin. Não perdeu tempo em abocanhar o peito gordinho que massageara antes, fazendo Jimin arfar dengosamente, um pouco assustado com o ato. Ele iria mesmo...? Sim, Jungkook succionou o mamilo para dentro de sua boca e sentiu quando mais colostro saiu. Era um liquido ralo e meio sem gosto, mas nada o impediria de parar naquele momento.

Jimin podia apenas soluçar com o prazer enquanto o marido literalmente mamava em si, mordendo às vezes o seu mamilo para depois brincar com o mesmo com a língua. Aquele estímulo acertava perfeitamente bem na cabeça de seu pau, ainda preso na cueca branca anteriormente larga, mas que agora parecia sufocante. Apertou as pálpebras com força quando Jungkook alcançou sua ereção ansiosa, infiltrando dentro da cueca e bombeando-a como podia naquele espaço limitado. Ele com certeza iria gozar daquele jeito, e gozaria bastante – mas não era o que queria.

Foi choramingando que conseguiu afastar o rosto de Jungkook de seu peito, o mamilo agora mais inchado e avermelhadinho, ainda escapando gotinhas de seu leite.

- Me fode, por favor... – soluçou no final da frase, a voz quase gaguejante, os olhos brilhando pelas lágrimas de prazer. Jungkook conseguiu apenas puxar o lábio inferior do menor com os dentes, antes de ajeitá-lo melhor contra a bancada.

Quase esquecera o propósito daquilo, tão concentrado em quebrar Jimin através dos peitinhos deliciosos para si. Mas todo seu foco se concentrou aonde devia quando conseguiu puxar a cueca de Jimin por suas pernas roliças. Foi com muita atenção que chupou longamente a ereção mediana do loiro, vendo o mesmo arquear as costas e acabar se deitando sobre a bancada, sem estruturas para continuar muito firme sobre ela. Mas ele não se demorou ali, o que ele desejava era aquele pequeno buraquinho que praticamente piscava para si, tão ansioso quanto o próprio Jimin.

Sua língua escorregou com parcimônia sobre cada preguinha, molhando-a e esticando-a o suficiente para prepará-lo para si. As coxas de Jimin ao seu redor tremiam a cada investida mais forte, quando conseguia penetrar a língua dentro de si podia sentir o pequeno corpo quase convulsionar. Deixou escorrer um pouco mais de saliva e por fim se afastou, apenas para levar o indicador e dedo médio para onde antes estava. Os dedos escorregaram sem dificuldade, o anel muscular latejava sobre os mesmos, mas não impediram de aprofundar mais, até o fim. O gemido que escapou de Jimin foi alto e choroso, Jungkook sentiu quando ele contraiu mais em torno de si.

Aquela posição enfim permitia que ele pudesse dar mais atenção ao corpo do pequeno, poder ver o quanto ele ficava lindo, ridiculamente lindo, enquanto lhe dava prazer. O gestante mordia dois dedinhos, ocasionalmente chupando-os também, tentando descontar o caos que sentia internamente. As lágrimas escaparam dos olhos, escorrendo pelas bochechas macias e bem vermelhas, os fios claros da franja grudavam em sua testa pelo suor e calor que sentia. O Jeon sorria enquanto o fodia com os dedos, rápido e letal contra sua próstata.

Seu coração quase perdeu uma batida quando sentiu o vazio no lugar dos dedos do marido, seu ânus apertando, buscando algo. Mas felizmente não demorou em sentir o pau de Jungkook forçando caminho, quase sem encontrar resistência. O penetrou por completo de primeira, ofegando loucamente enquanto sentia o aperto do menor, cada contração isolada que Jimin fazia sem querer agindo como uma massagem em seu pênis, aumentando os estímulos.

Jimin deu um sorriso doce, puxando Jungkook para ficar melhor sobre si, infelizmente não podendo ficar tão perto quanto gostaria por conta da barriga entre ambos. Inevitável aquele pequeno momento divertido, em que lembravam que Jimin estava bem grávido. E, bem, a culpa era toda dos dois, não dava pra ignorar.

O moreno o assustou quando se afastou e meteu com força em si, o lembrando do que faziam – como se ele pudesse esquecer totalmente. Jungkook puxou seu tronco para cima e Jimin abraçou sua nuca, se mantendo firme enquanto o mais novo começava a encher-lhe de estocadas, ganhando ritmo. Era incrível como rapidamente ele conseguia encontrar sua próstata, acertando-a numa cadencia desconcertante e crescente, enquanto ambos sentiam as ondas de prazer lhes acertando como no mar. Ainda sentia seu pênis friccionar entre ambos, a cada estocada que Jungkook dava, lhe deixando atordoado em seus braços. Começava a ficar demais para si.

Os soluços manhosos surgiram mais uma vez, bem como as lágrimas, e logo Jimin tinha que se apoiar completamente contra o marido enquanto tinha a próstata surrada com voracidade. O suor escorria entre as peles e o Jeon tentava aumentar ainda mais o ritmo dentro do pequeno, sentindo o orgasmo se aproximar.

O loiro precisou cravar as unhas nos ombros de Jungkook de novo quando foi arrebatado pelo próprio orgasmo. Seu gozo saiu com ímpeto, o jato melando a barriga dos dois e o alívio nublou seus pensamentos. Mas ainda não teve descanso, praticamente chorando enquanto Jungkook ainda metia em si, seu canal hiperssensível pelo orgasmo recente, era quase doloroso. Por fim o moreno alcançou o ápice, lhe dando uma última estocada profunda e lhe enchendo de porra quente.

Jimin respirava com dificuldade, quase julgava ter tido uma pequena parada cardíaca, sentindo as pernas tremerem, os membros moles e molhados de suor. Seus olhos quase fechados encontraram a tigela com um resto de cereal com leite, o que lhe lembrou de sua fome, enquanto o atordoamento pós orgasmo passava. Jungkook se recuperava com tranquilidade contra si e o pequeno não se importaria de ficar assim por mais tempo, a comida poderia esperar.

Isso até ele perceber um detalhe. Onde estava a caixa do sucrilhos? Os olhinhos se arregalaram ao perceber uma bagunça no chão, centenas de sucrilhos espalhados e uma caixa caída.

- Jungkook! – reclamou com desespero e raiva. Aquilo chamou atenção do moreno, que seguiu o olhar furioso do gestante.

- Oh. – foi monossilábico, ficando tenso. – Te compro mais, bebê? – tentou contornar. Se tinha algo que Jimin amava era seu cereal, ele tinha quase cometido um crime ali.

- E ainda vai limpar essa bagunça. – empurrou o outro e pulou da bancada, meio dolorido. – Ai. Vou precisar de um banho. E quero tudo limpo e meu cereal prontinho quando sair do banheiro, ouviu? – ele estava verdadeiramente irado enquanto caminhava fofinho e desengonçado pela cozinha em direção ao quarto de ambos, Jungkook não pode evitar ficar encarando um fiozinho de porra que escorria do bumbum de Jimin, por suas coxas. – AGORA JUNGKOOK!

Aquilo o despertou rapidamente. Bem, pelo menos tinham tido um bom sexo antes dele morrer.

Feb. 8, 2020, 9:54 p.m. 0 Report Embed Follow story
0
The End

Meet the author

Amanda Figueiredo monachopsis: o sutil, mas persistente sentimento de estar fora de lugar. Jimin bottom e gravidinho squad🐣

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~