fromkais honey .

Na Jaemin não esperava chegar na casa do namorado e sentir o cheiro forte de lavanda. Assim que abriu a porta achou o namorado sentado no chão e a sua frente estava o pequeno caldeirão que ele usava. O apartamento inteiro estava escuro se não fosse pelas pequenas velas a frente do rapaz sentado. — Renjun? — O moreno disse baixo não querendo atrapalhar o que fosse que o outro estava fazendo. — Jaem, vem aqui, preciso da sua ajuda.


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13.

#renjun #jaemin #nct-dream #nct #renmin
0
3.7k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

And who am I to say what the future holds; Capítulo Único

Na Jaemin não esperava chegar na casa do namorado e sentir o cheiro forte de lavanda. Assim que abriu a porta achou o namorado sentado no chão e a sua frente estava o pequeno caldeirão que ele usava. O apartamento inteiro estava escuro se não fosse pelas pequenas velas a frente do rapaz sentado.

— Renjun? — O moreno disse baixo não querendo atrapalhar o que fosse que o outro estava fazendo.

— Jaem, vem aqui, preciso da sua ajuda. — Renjun disse rápido vendo o moreno se aproximar depois de deixar a bolsa em cima da mesa na entrada, se aproximou outro que estava sentado no chão. Jaemin notou algo que sinceramente não estava esperando, bom, sabia que o outro tinha tido aulas mais cedo, mas aquilo com toda certeza não era para estar ali.

— Jun, por que seu cabelo está azul?

— Isso? — Renjun passou a mão pela franja a jogando para o lado e encarou o outro. — Eu tive um pequeno incidente hoje na aula com o Doyoung, talvez, eu tenha falado um encantamento errado e isso aconteceu.

O moreno riu, deveria imaginar. Renjun tinha aulas com Doyoung, um bruxo local e dono de uma loja de chás na avenida principal, para melhorar sua magia, e não era a primeira vez que um acidente daqueles acontecia. Na se lembrava das primeira vezes que eles saiam e o outro fazia questão de esconder alguma coisa que tinha saído errado, a lembrança mais marcante foi quando ele ficou com a ponta dos dedos verdes por quase uma semana e não quis dar a mão para o namorado durante esse tempo.

O porquê?

Uma poção misturada errada, mas nada muito grave. Ainda mais que depois que Renjun tinha ficado melhor ele fez questão de mimar o outro para compensar o tempo que ficaram afastados.

— Entendi..., mas, sabe, você está lindo, o azul combina com você. — Jaemin disse devagar, se aproximando deixando um leve beijo nas bochechas do outro.

— Não sei se posso confiar em você. Lembra aquela vez que eu fiquei sem uma sobrancelha e você disse que eu nunca estive mais bonito na minha vida? O único que falou a verdade foi o Mark.

Jaemin riu lembrando do momento.

— Eu tenho gostos peculiares. Você não iria entender.

Renjun gargalhou com a fala do namorado, o empurrando levemente para que se sentasse ao seu lado novamente.

— Eu sei que tem. E como sei. Pois bem, agora eu preciso de você quietinho aqui, para eu terminar essa poção, porque depois você vai experimentar.

Renjun voltou sua atenção para o livro a sua frente e ao líquido rosa que tinha dentro do objeto. O moreno pode notar que o cheiro era mais agradável de perto, não estava tão mais forte do que quando entrou no apartamento, porém agora lembrava algo mais como algodão-doce do que lavanda.

Ficou observando o namorado falar algumas coisas e jogar algumas ervas dentro do caldeirão, ou ele supôs que eram ervas, na verdade, Jaemin não tinha tanto conhecimento dos ingredientes que o outro usava apesar de morarem juntos.

O moreno não sabia explicar a sensação que tinha ao pensar neste fato, e olha que já estavam juntos a quase cinquenta anos, ou algo assim. Renjun ainda tinha a aparência de um jovem humano de vinte e poucos anos com seu sorriso fofo e feições joviais, enquanto ele próprio havia se tornado um vampiro com vinte, agora com quase duzentos anos nada havia mudado, talvez apenas deixado o cabelo crescer mas de resto continuava o mesmo.

Na opinião de Jaemin eles eram um casal muito bonito.

Conheceu Renjun por intermédio de Doyoung, foi um dia em que teve que ir retirar duas bolsas de sangue que haviam sido entregues na loja do amigo por engano, nessa época ele morava ao lado da loja. Quando entrou lá e deu de cara com o rapaz, na época com cabelos vermelhos e naquele momento ele soube que havia encontrado o amor de sua vida.

Lógico que tiveram os momentos difíceis, Renjun tem dois irmãos superprotetores que o julgaram um pouco, e o fizeram tomar uma poção da verdade para terem certeza de que as intenções dele com o ruivo eram apenas as melhores.

Até hoje Jaemin tem medo de ficar muito tempo com o Kun, o irmão mais velho. Por mais gentil que ele parecesse, ele sabia muito bem como o rapaz podia ser com um sorriso meio assustador seguido de ameaças.

— Amor, está ouvindo?

A voz suave do namorado o tirou de seus pensamentos. — Claro, claro pode falar.

— Você vai tomar uma colher dessa poção, e depois vou fazer um teste contigo. — Renjun mexia no líquido lentamente, enquanto arrumava uma de suas colheres com cabo longo para poder dar ao namorado. Jaemin não havia reparado, mas havia muito mais coisas do que imaginava espalhadas por ali — O gosto não vai ser o dos melhores. Acabou que a lavanda que o Dodo tinha disponível não era silvestre e sim a doméstica, e você sabe lavanda doméstica só cresce em banheiras, então né..., mas eu tentei deixar mais doce e com menos gosto de sabão, mas não sei se funcionou.

O moreno apenas acenou afirmando com a cabeça, não que ele tivesse noção de como plantar e cuidar de plantas para fazer poções, mas já havia escutado o namorado e o amigo em comum falarem algo sobre quando tinham os jantares com os amigos em casa, mas né, nada muito profundo para um leigo. O máximo que sabia era que se a poção estiver com uma cor muito vibrante provavelmente está errada e se ele tomar irá passar mal por algumas horas.

Só pela memória sentiu um calafrio subir a espinha.

— Tudo bem, Jaem?

— Sim, sim. Vamos lá.

Segurando o pequeno pulso do outro trouxe a colher para sua boca e engoliu tudo. Sentiu queimar de leve seu esôfago, além do gosto horrível de sabonete que havia ficado, não querendo deixar o outro perceber o quão horrível aquilo era, ele tentou sorrir, mas falhou miseravelmente, e isso deixou claro o desgosto de ter tomado aquilo.

Renjun não fez nada por hora, sabia que se tivesse algo errado o vampiro já teria tido alguma reação fora o nojo, ele apenas ficou acariciando a mão do outro enquanto esperava ele o encarar para poder fazer o teste.

Se bem que ele não sabia exatamente quando ele poderia começar, por isso já se adiantou e foi em direção a cozinha para pegar algo.

O moreno ficou encarando a cena, e as pernas a mostra do outro. Por mais que usasse o chapéu de bruxo, tinha uma das camisetas brancas enormes que Jaemin tinha um apreço muito grande e somente isso, fora as meias felpudas não tinha calças, ou pelo menos o short que deveria estar escondido por debaixo do tecido da camiseta.

Jaemin já sentia o gosto sair levemente de sua boca, assim como a queimação parar, quando viu o namorado voltar carregando um pote de biscoitos, o moreno não conseguiu entender o porquê.

Renjun se sentou ao lado dele novamente, e o encarou como se esperasse ele dizer alguma coisa. Vendo que o namorado apenas o encarava o bruxinho abriu o pote e pegou um dos cookies.

— O gosto ruim e a queimação já passaram?

Na acenou positivo com a cabeça.

— Ótimo, então agora você vai comer isso aqui.

Os dois se encararam, e por um momento o mais novo realmente quis saber para o que era tudo aquilo.

— Se me permite perguntar, por que estamos fazendo isso mesmo?

O rapaz de cabelos azuis, arrumou a franja que caia novamente sob seus olhos apesar de usar o chapéu, e pela primeira vez ele começou a se sentir um pouco envergonhado. Jaemin ficou o encarando, enquanto Renjun apenas brincou com a barra da camiseta larga demais.

— É que eu queria fazer uma surpresa para você....

— Surpresa?

Renjun estava com as bochechas vermelhinhas.

— Uhum... — Depois que respirou fundo olhou para o namorado que o encarava, com os mesmos olhos suaves de sempre — Lembra que você disse que queria me levar para comer naquele restaurante chique do centro? — Jaemin apenas concordou — Eu estava falando com o Do sobre isso, e bem, tive a ideia de tentar fazer alguma coisa para você… tipo… você sabe Jaem.

Isso era algo que acontecia entre eles, algumas coisas não eram ditas. Como muitas vezes Jaemin não sentir um pingo de sono e ficar no apartamento apenas olhando o céu da sacada esperando o novo dia começar, ou como Renjun não se sentia muito confortável vendo o namorado se alimentando de bolsas de sangue na cozinha e preferia ficar no quarto enquanto todo esse processo acontecia.

E a principal delas, e muitas vezes motivo de discussões bobas, o como Jaemin não conseguia sentir o gosto de nenhuma comida.

Depois que se tornou vampiro, Jaemin parou de frequentar os lugares que era acostumado a comer, não sentia tanta falta assim mas logo que foi morar com Renjun, que era um cozinheiro de mão cheia, acabou ficando um pouco triste em não poder experimentar a comida do namorado, ainda mais quando os amigos podiam comer sem qualquer problema e ele mesmo se comesse não sentiria nada.

As discussões davam-se quando a frustação de Jaemin tomava conta e ele pensava que eles eram almas gêmeas no fim das contas, mas ele nunca poderia ter o outro por completo.

Não podia sentir o gosto da comida dele, não podia sentir o calor do corpo dele contra o seu, e não poderia fazê-lo sentir seu coração disparado quando ele preparava uma surpresa no aniversário de namoro dos dois. Poderia sem dúvidas ser um motivo meio tosco para brigarem, mas as vezes ele tomava conta.

— Junnie, não precisava disso…

— Precisava sim, você tem todo o direito de sentir essas coisas… E outra você sempre falou sobre querer comer os cookies que eu faço. Nada mais justo.

O maior antes de comer o doce que lhe era oferecido, puxou o rapaz pelo pulso para que pudesse depositar um breve selar nos lábios dele e logo em seguida nas bochechas.

— Chega, chega! — Renjun disse afastando o outro levemente fingindo falso incomodo tanto que ainda se sentou perto dele — Agora vai experimentar.

O moreno respirou fundo, será que agora seria o momento que ele finalmente poderia se sentir um pouco mais humano, depois de tantos anos? Se aproximou do doce na mão do namorado e deu uma primeira mordida, assim que os pedaços tocaram sua língua ele pode sentir o gosto doce e a crocância do cookie.

Aos poucos aproveitou cada nova sensação que aquilo lhe trazia. Encarou o namorado com os olhos arregalados.

— Renjun! — Falou com a boca ainda cheia do resto do cookie — Não acredito!

Renjun por sua vez apenas olhava ele sorrindo doce.

— Nossa eles são deliciosos, agora eu entendo por que o Jeno gosta tanto deles. Céus, eu nem tenho como descrever! — Mal havia terminado o primeiro ele já estava pegando o pote para o segundo.

— Que bom que funcionou, mas não é permanente. Infelizmente, o efeito deve passar eu acho que por volta de umas três horas, ou algo assim.

Jaemin não ligou muito, continuou comendo e aproveitando a sensação de estar se alimentando de comida, e realmente sentir o gosto dela, lógico que para ele nada seria mais gostoso do que sangue, mas esse momento estava sendo várias sensações novas, todas elas estavam sendo maravilhosas.

O rapaz de cabelos azuis ainda sorria quando se levantou e tirou o chapéu, deixando de lado do seu caldeirão e as coisas espalhadas. Depois de se espreguiçar estendeu a mão para o namorado que ainda saboreava os últimos cookies do pote.

— Vem que eu vou fazer um jantar especial para você.

Enquanto Renjun ficou cozinhando, Jaemin o observava e se encantava com cada gosto das coisas que o namorado de cabelos azuis ia fazendo e lhe oferecendo um pouco para ele experimentar.

Naquela noite o moreno pode ver que talvez de pouco a pouco ele teria seu namorado por inteiro, ainda mais quando o bruxinho estava tão empenhado quanto ele para fazer isso acontecer.

Feb. 6, 2020, 9:30 p.m. 0 Report Embed Follow story
0
The End

Meet the author

honey . 🚀 𝖿𝗅𝗒 𝗆𝖾 𝗍𝗈 𝗍𝗁𝖾 𝗆𝗈𝗈𝗇 ✩ decidi criar isso aqui para deixar todas minhas histórias em um lugar só, talvez. ✩ ss. kinobam ✩ ss. mooochi

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~