Countdown to The Authors' Cup 2020. Sign up now for chance to win prizes!. Read more.
valeriacazevedo Valéria Costa

Eu nunca tive medo do monstro que ficava escondido no meu armário...


Short Story All public.

#ficção #monstro
Short tale
0
964 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

O Monstro do meu Armário

Eu nunca tive medo do monstro que ficava escondido no meu armário.

Quando eu era pequena e minhas asas não tinham crescido o suficiente para voar, eu passava as tardes de outono aproveitando o vento para ganhar impulso. Fazia isso até o anoitecer.

Toda noite alguma coisa arranhava a porta do meu armário, às 3:08 da madrugada. Eu levantava devagar, acendia o abajur, abria a porta do armário e não tinha nada. Comecei a pensar que imaginava isso.

Na Noite das Fadas, quando abri meus olhos de madrugada, como de costume, eu o vi me espreitando da escuridão do quarto. Ele andou devagar até onde eu estava, parecia estar mais assustado do que eu, então, como se milhares de alfinetes caíssem no chão ele falou. Sua voz parecia a brisa do mar, como quando, de manhã cedo, meus amigos e eu víamos as tartaruguinhas nascerem e correram para o oceano.

Ele me pediu para ter calma e quando meu coração desacelerou, o quarto todo se iluminou, mas não com a luz do abajur e sim uma energia etérea. Ali eu soube que podia confiar nele.

Depois disso ele me visitou todas as noite e conversávamos desde a hora que eu me deitava até nos perdermos no tempo. Ele contava histórias de outros mundos e sobre o quanto a criação era perfeita em todo o Universo. Ele era lindo, mas insistia em dizer que era um monstro.

Um dia ele me contou que seu mestre tinha-o mandado para acabar com o resto da minha sanidade, mas eu não acreditei. Ele era aprendiz de um demônio mais experiente, mas desafiou seu mestre por mim. Eu sabia que ele era angelical pois sua beleza era estonteante e suas asas eram tão grandes que arrastavam no chão.

Quando minhas asas cresceram e eu aprendi a voar, ele deixou completamente o inferno e num gesto simplório me estendeu a mão. Pobre anjo caído, ele já tinha acabado com o resto da minha sanidade há muito tempo. Por ele me tirar do meu mundo obscuro e me trazer de volta à vida, eu segurei sua mão e juntos nós voamos em direção ao infinito, para as estrelas.

March 18, 2020, 1:13 a.m. 2 Report Embed Follow story
1
The End

Meet the author

Valéria Costa Adoro a vida e toda sua composição. Amate de literatura e qualquer coisa que possa ser leitura. Estudante de Letras apaixonada pela arte de lecionar. Observadora das estrelas, precursora da liberdade e fã de café (muito café mesmo).

Comment something

Post!
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Olá, autora! Faço parte do Sistema de Verificação e estou aqui para parabenizá-la pelo conto intrigante. O final, em especial, me chamou muita atenção, porque ficou claro que esse aprendiz pode ser interpretado de várias formas dependendo de quem lê e do momento e que lemos. Muito bacana isso. Apenas gostaria de apontar, no entanto, o uso de "minhas asa" em vez de "minhas asas". Abraços!
March 18, 2020, 10:53

  • Valéria Costa Valéria Costa
    Muito obrigada! De verdade, é bom saber que gostou do conto. A correção já foi feita. beijos! March 19, 2020, 19:57
~

More stories

Finding Eden Finding Eden
Angels Of Three Angels Of Three