I Give Up - SasuSaku Follow story

izzyhatake Izzy Hatake

A sua força vem do Sentimento que mais alimenta em seu coração. Mas o que não te deixará perder e nem desistir é o quão inteligente voce será ao optar pelo combustível mais eficiente. O homem sábio não é o que nunca desisti,mas o que sabe no que vale a pena insistir.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#sakura-haruno #sasuke-uchiha #oneshot #hentai #sasusaku #naruto
Short tale
2
1.2k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

"All your perfect, imperfections"

" Estou perdendo minha alma

Meus demônios crescem

Eles me derrubam

Mas ninguém sabe

Não, ninguém sabe

Quando eles tomam o controle

Não posso morrer, não sangro mais

Mas ainda sinto a dor

Dentro desse inferno

Estou queimado pelas chamas

Gritos eternos lançados ao lago

Onde não há amor

Porque amor é apenas dor

Então por que estou vivendo, se a vida é sempre a mesma? "







Ninguém realmente soube o que fatidicamente se passava em seu interior. Durante boa parte de sua vida, Sasuke sofreu sozinho com sentimentos controversos, controladores, persistentes e esmagadores. Sim, ele possuía um coração capaz de amar, capaz de se doar, de perdoar, todavia, fora contumaz e não permitiu que se manifestasse o amor, não deixou chegar ao seu peito.



O medo de perder novamente todos que amava, o perseguia incansável. Por tempos ignorou os sinais, e se ateve a determinação em derramar o sangue de outro Uchiha. Aquele que antes fôra seu querido, amado e idolatrado irmão mais velho.



Mentiras, farsas, ignorância, medo, superproteção, múltiplos interesses... Foram tantos os fatores que o cegara, incluindo sua própria teimosia em querer vingar-se por acontecimentos que não mudariam. Sasuke percebeu que aquele era um caminho sem volta e, o preço a ser pago era altíssimo. Perderia sua única chance de ser feliz e escrever uma nova história com o nome de seu clã. Se privaria de ser amado, de fazer diferente, ter ao seu lado pessoas que aprendeu a estimar, mesmo não admitindo ainda que sob tortura. Abdicaria de viver um grande amor, conviver com seus amigos e tudo para continuar o odiando? ...Não valia a pena.



O pesar destruía seu coração. Se houvesse uma maneira de mudar aquela situação, ele iria até o inferno para conseguir, somente para não precisar odiar aquele que sempre amou, aquele que esteve em boa parte de sua infância, ao seu lado o mimando e protegendo. “Nii-san Itachi.” Quantos pesadelos teve? Quantas noites mal dormidas? Quantos gritos assustados? Pedia aos céus, seus pais e irmão de volta. Em seu íntimo algo dizia que tudo aquilo era estranho, suspeito e improvável demais. Estava decidido, após acertar-se com sua “Cerejeira”. Iria em busca de respostas, afinal ainda que parecesse e tudo levasse a crer, ele tinha um fio de esperança que talvez, só talvez "Não era aquilo que estava pensando" quando presenciou o massacre dos Uchiha.



...

SASUKE





Sakura Haruno, a garota que eu julgava "extremamente irritante" dona de cabelos róseos, expressivos e encantadores olhos verdes, inteligente e possuidora de um coração enorme. Dentre muitas que tentaram, fôra ela que conseguiu demolir a parede que construí para não me entregar ao amor.

Exatamente como faz com um simples soco, concentrando seu chakra na mão. Cada lágrima que derramou por mim, serviu como um degrau que escalada para me cativar de vez. A forma que me olhava. sempre com vênero e não como os outros me viam. Sua percepção ia muito além das aparências e diferente de mim, acreditou que valia a pena insistir em alguém "aparentemente" sem conserto, como eu. Mesmo a todo momento sendo rechaçada, preterida, humilhada, desprezada… Mostrou-me que seu amor era puro, forte e imutável. Não se abalou, não recuou ou sequer culpou-me por não ter retribuído todo o sentimento que me ofereceu, sem pedir nada em troca.



Isso bastara para firmar minha decisão de desistir daquela estrada infinita de dor e arrependimento, cuidando em trilhar outro caminho. Não foi fácil chegar a essa decisão, tão pouco fui ligeiro em compreender meus próprios sentimentos, desejos e quereres. Infelizmente a fiz sofrer com minha dor, esperar com paciência meu tempo e estar junto a mim, quando eu mesmo não a queria por perto.





" O pássaro negro não precisa de motivos para voar

Ninguém pergunta por que ele vai tão alto

Porque ninguém nunca questiona onde ele vai

Porque ninguém mais presta atenção

O pássaro negro vai cair do céu

O pássaro negro vai tirar sua própria vida

O pássaro negro vai dizer adeus

Ele não quer chorar

O pássaro negro não quer mais chorar, não mais "











SAKURA







Ignore Sakura. É tudo que dizia a mim mesma, quando recebia os olhares de revolta, desprezo e pena sob minha direção. Afinal eu não sou estúpida de pintar Sasuke como alguém seráfico, sei exatamente quem ele é e o que não permitirei que se torne. Se aprendi algo com Naruto, é que mesmo tudo apontando para o fracasso, o que determina sua vitória é o tamanho da sua vontade de vencer. E meu amor por ele é maior que todo preconceito e vergonha que qualquer um possa sentir.



Tanto tempo havia se passado após sua escolha. E nosso relacionamento evoluiu para a atual condição de noivos. Nos casaríamos em breve, e minha felicidade não se media.



...





– O sinal do tigre. Ó não! – Assisti com espanto, Sasuke fazer os selos de mão. Ele iria mesmo fazer aquilo?! Sim, ele iria.



– Estilo fogo. Jutsu bola de fogo! – E ainda me impressiono com as atitudes dele.



– Sasuke-Kun! Porque fez isso?– Questionei impressionada com as chamas coloridas, devido a quantidade absurda de álcool presente no estabelecimento.



– Não me olhe como se eu fosse um delinqüente, que arranja briga a toa. – Advertiu, parecendo ofendido.



– Como quer que eu o olhe?! Esse ninja não fez nada que me parecesse mal ou ofensivo. – Respondi dando de ombros.



– Eu vi ele tentando te apalpar sorrateiramente, isso não basta? não confia no meu julgamento? - A sobrancelha arqueada aparentava prepotência, mas o sorrisinho malicioso deixava claro que ele sabia que eu diria sim.





– Sabe a resposta! Confio mais em você, que em mim. Me desculpe! Satisfeito?! – Assentiu. Cretino! Ele adorava ter razão.– Havia mesmo a necessidade de destruir a locanda? – Mirei-o desconfiada.





– Não, não tinha. Mas era inevitável! – Comentou tranquilamente. – Sakura, fique fora disso! Não quero que se machuque. Essa briga é comigo! – Afirmou concentrado, ativando o sharingan.





– Sasuke- Kun eu... – Calou-me com um beijo. Sentir seus lábios nos meus foi a coisa mais inesperada e maravilhosa que poderia acontecer num momento como aquele. Além de perigosa, é claro.



– Eu te Amo. E vou protegê-la! Futura senhora Uchiha. – Finalizou. Batendo dois dedos em minha testa, em sinal de amor e carinho. Como não amá-lo ?





" Admito que sou egoísta, admito que menti

Mas quantas vezes devo me desculpar

Olhando seus olhos, procuro por um sinal vital

Mas tudo o que vejo é frio, baby, seu coração transformou-se em gelo

Converso com Deus é a única coisa que me mantém sã

Tenho um pouco de esperança, embora eu esteja despedaçado

Tarde da noite, meus demônios lutam, eles gritam muito alto

Cigarros acessos e garrafas vazias são as únicas coisas que os acalmam "







SASUKE



– Quanto tempo durou essa conquista?! Seria engraçado, se não fosse trágico. – Ok, admito ela tem muita razão. Desde a escolha do time sete... Aliás segundo a própria Sakura ela me amava antes disso. Ainda na época do ginásio, ou seja longos treze anos. Admiro essa mulher, outra definitivamente não teria esperado tanto.



– Perdoe-me! Acho que fui um pouco difícil. – Ou quase impossível, pensei dando-me conta do contexto geral.



– Difícil? Se eu fosse contar quantas vezes me mandou Pascer, eu teria uma bela conta para fazer. – Tive que segurar o riso, ou ela me bateria. Realmente, foram muitos foras e mesmo quando já sentia algo por ela. Como eu era idiota!



– Mas, no final valeu a subida não é? – Sakura me olhou semicerrando os olhos, tá foi de duplo sentido – Reformulando, valerá outras subidas. – Não me contive, e apressei-me em sair de perto. Sabia que ela iria me socar, por lembrar de nossa primeira vez. Era impossível esquecer o quão incrível fôra ela sentando em mim,com tanto desejo e empenho, mesmo sendo sua primeira vez.



– Para o seu bem Sr. Uchiha, eu espero que me faça "chegar aos céus de novo" – Ameaçou maliciosa. Ela não sabe com quem está brincando?



– Você sabe que eu não sou homem de fazer as coisas mal feitas! – Lhe sorri sacana, piscando um olho. O recado estava dado, e ela sabia que eu cumpriria com minha promessa.







SAKURA





Tudo pelo que passamos durante esses treze anos. Nossas lutas, dores, vitórias, derrotas, brigas e discussões, até chegar nos dias de hoje, ficou para trás. Nada mais importava se não o nosso presente e futuro. Era considerado o casamento dos sonhos, e não estava errado quem pensava assim. A primavera em seu esplendor, as cerejeiras enfeitando todo o ambiente e a certeza de que nada poderia ser mais perfeito. Nos unimos em matrimônio numa tarde agradável e fresca, cercados por todos os nossos amigos e familiares. E sim, Itachi estava presente! Passados todos esses acontecimentos, ele e Sasuke conversaram e graças a Kami vieram a se entender. A parte ruim foi descobrir que o Uchiha mais velho estava muito doente e sendo assim, tinha pouco tempo de vida. Mas que passaria ao lado do irmão que tanto o amava, e me deixava imensamente feliz saber que a recíproca era verdadeira.





" Estou perdendo minha alma

Meus demônios crescem

Eles me derrubam

Mas ninguém sabe

Ninguém sabe

Quando eles tomam o controle

Não posso morrer, não sangro mais

Mas ainda sinto a dor

Dentro desse inferno

Estou queimado pelas chamas

Gritos eternos lançados ao lago

Onde não há amor

Porque amor é apenas dor

Então por que estou vivendo, se a vida é sempre a mesma? "



Black Bird – Lund



….



A noite caíra silenciosa e quente, os ventos que sopravam calmos e refrescantes durante o dia e boa parte da tarde, simplesmente se escondiam no ar noturno. Eu conseguia ouvir com extrema clareza as batidas frenéticas do meu coração, o sangue corria nas veias aparentemente com maior intensidade, me deixando a beira de um ataque. A ansiedade e o nervosismo me tomaram de uma maneira avassaladora, o que de fato era até ridículo, visto que eu não era mais virgem.



Nossa primeira vez foi tão maravilhosa e intensa, que não me lembro de ter sentido essa confusão interior. Fôra uma loucura, em meio ao desejo insano, mas como eu já imaginava Sasuke conseguiu me fazer amá-lo um pouco mais. Sendo carinhoso no começo, o que é muito incomum dada a personalidade dele, mas enfim acho que ele entendia a complexidade de uma garota em sua primeira vez. Não me atrevo a pensar se ele já havia "desonrado" alguma outra por aí, para ter todo esse entendimento. Porque ele soube realmente o que fazer para me deixar relaxada e pronta para recebê-lo. Não há como negar a dor que sentir, entretanto isso é algo inevitável para todas, e dependendo de como é feito, creio eu que pode ser diminuída. A mistura de carinho, amor e cuidados somado a paixão,desejo e intensidade foi algo tão surreal que dificilmente eu saberia descrever, tudo que eu sei é que foi inesquecível e perfeito.



...



Provavelmente o nervosismo de agora tenha muito mais a ver, com minha recém descoberta condição. Não nego que a ansiedade e desejo de pertencer a ele novamente me dominava, foram semanas abdicando de sentir-me mulher em seus braços. Entretanto optei pela abstinência do leito compartilhado antes do casamento, para dar um gostinho de saudade. Funcionou bastante, ambos estávamos "subindo pelas paredes" Após termos iniciado nossa vida sexual juntos, nunca havíamos ficado mais que uma semana sem nos amarmos. Essa noite completava pouco mais de um mês e meio, desde a última vez que "estivemos juntos".



Respirei fundo, tentando normalizar a respiração. Olhei-me no reflexo do espelho, checando se estava tudo certo com minha aparência. O conjunto de seda branco da lingerie, adornado com renda e pérolas num design sofisticado e sensual, contrastava com minha pele que adquiriu uma tonalidade bronzeada, devido a estadia no país do sol, semanas antes. Soltei meus cabelos, desfazendo o penteado e deixando-o com um cacheado natural, cobrindo minhas costas por completo. Após o surto de adrenalina, no exame chunnin quando tive a "brilhante" ideia de cortá-los, meu arrependimento fora absurdo e jamais voltei "bulir" em meus fios róseos, que hoje se encontravam enormes. Borrifei de leve minha colônia floral, e terminei de hidratar minha pele com meu creme de frutas vermelhas. Fiz o laço do hobby, que não cobria muito devido a transparência e rendas, mas dava um "ar" mais instigante.



Caminhei até a porta à deslizando e abrindo, dando alguns passos a frente até sair de dentro do banheiro. Estanquei na metade do caminho, ao me dar conta de sua presença imponente. Sasuke estava escorado na sacada, sua mão esquerda levava à boca um copo contendo o que deveria ser saquê, enquanto a outra permaneceu no bolso da calça. A costumeira postura relaxada, nada estranho ou incomum, exceto pelo brilho intenso nas ônix. O desejo lascivo era quase palpável, seu chakra emanava como ondas, deixando claro a oscilação de sentimentos. Nada preocupante, à muito eu aprendi a identificar os sinais que seu corpo enviava, através de pequenos detalhes. Os cabelos semi-úmidos e o tronco nú, me deixaram num estado lastimável de excitação ao vislumbrar todo o "conjunto da obra". Poderá se passar décadas que meu querer por ele, permanecerá intacto. Minha intimidade se inundou com a imagem tentadora do meu esposo sendo iluminado pela lua cheia e todas as estrelas que cobriam o céu, como um manto de brilhantes.



– Pensei que havia mudado de idéia, e resolvido me deixar na mão em nossa noite de núpcias… – Comentou, deixando escapar um sorrisinho malicioso. Deveria ser crime o efeito devastador que aquela "dobradinha" de olhar e sorriso exerciam sobre mim.





SASUKE



– Eu não seria louca a esse ponto, afinal você me prometeu o céu...– Respondeu luxuriosa, o lábio inferior sendo mordido num ato extremamente sexy.



Tudo nela me despertava um desejo insano, e todos esses dias de "celibato" a contra gosto, fôra um verdadeiro martírio para mim, principalmente porque Sakura me provocava deliberadamente, deliciando-se com minha aflição em não poder tê-la.



Meu auto-controle esvaiu-se ao vislumbrar a perdição de suas curvas perfeitas, parcialmente cobertas pela lingerie que lhe favoreceu como um sofisticado embrulho de presente caro. Meu membro latejava dolorido, na expectativa de preenchê-la novamente. Se fechasse os olhos eu conseguiria vivenciar as mesmas sensações enlouquecedoras que me dominavam, ao me afundar em seu interior. Quente, molhada, estreita e deliciosa!

Me aproximei devagar colando nossos corpos, minhas mãos segurando sua cintura, levando minha boca até seu ouvido lhe respondi instintivo, desejoso, inebriado e me sentindo inquestionavelmente seduzido por minha amada esposa.



– Me parece o lugar perfeito para as deusas estarem. – As palavras saíram automáticas, enfeitiçado por sua aura mágica de deusa. Minha deusa bela, sexy...magnífica!



Nunca pensei que chegaria “o santo dia”, em que eu estaria tão apaixonado por alguém a ponto de me perder, ao encontrá-la. Isso é o que todos chamam de Felicidade ?! Se for eu morreria feliz se acontecesse agora.

Antecipando-me aos seus atos, ou respostas, tomei-lhe os lábios num beijo avassalador, transmitindo todo o vigor latente do desejo que me apetecia. Minhas mãos desinibidas vagueando por suas curvas, relembrando seu início e terminações.



Seu corpo miúdo e frágil, tremeu perante meus toques, mostrando-me o quando estava apreciando as carícias. Seu gemido felino, acompanhado de um leve arranhar em minhas costas, foram os sinais que eu já conhecia a respeito de suas intenções.



– Já está se derretendo amor? Eu ainda nem comecei. – mordisquei sua orelha, apertando firme sua cintura. – Aposto que já esta molhadinha… Heim, Saky? Está pronta para que eu me afunde bem gostoso em você? – Minha voz estava rouca pelo tesão, mas consegui me pronunciar com clareza. Ela gemia como uma gatinha manhosa, me deixando mais louco.



– S-sim amor… E-estou pron-ta – dizia com dificuldade. Vagaroso e torturante eu desfazia o laço do hobby, o deslizando por seu corpo e "maltratando" seu pescoço alvo com mordidas, lambidas e leves chupadas. – Sa-sasuke… Amor, não me torture. – Suplicou desejosa. Quem era eu para, não obedecê-la? Ninguém.



– Sem tortura, princesa. – Beijei-lhe os lábios, numa confirmação de minhas palavras. – Já fomos torturados demais, todos esses dias. – afirmei. Tomando-a nos braços caminhando até a borda da cama, onde me sentei, sustentando seu pequeno corpo sobre meu colo. Tracei um caminho de beijos, desde seu pescoço até o ombro esquerdo, aproveitando para inalar seu delicioso aroma adocicado de frutas vermelhas, adorava aquele cheiro. Levei a mão até a alça do sutiã, deslizando-o e deixando um beijo contemplativo no lugar, repetindo o ato no ombro direito. – Linda! – Sussurrei fascinado.



Percorri os olhos por sua face, as esmeraldas faiscando a lascívia, o sorriso mesclando doçura e maliciosidade, me tirando o pouco juízo. Seus lábios rosados convidativos ao toque de degustação, e como alguém que necessita de ar para sobreviver, ansiei por sentir seu gosto único e viciante uma vez mais, colando nossas bocas, procurando sua língua ávido por provar seu toque aveludado e atrevido. Minhas mãos mapeando seu corpo, apalpando as coxas expostas, sublinhando o relevo de seu bumbum, exercendo uma pressão acentuada em sua pele macia e ardente.



Guiado pelo querer abrasador, vi-me despindo-a e revelando os seios pequenos de mamilos rosáceos e túrgidos, fazendo-me salivar com a visão. Não mais contendo o impulso em degustá los, abocanhei-lhe o seio numa carícia ansiosa, desejosa, fartando-me de sua gostosura. Sincronizado aos movimentos da língua em sua auréola, sorvendo o bico intumescido, massageando o outro, roubando-lhe gemidos sôfregos, manhosos e suplicantes.



– Saudade desse sabor, dessa pele macia...deliciosa! – Exclamei inebriado pelo desejo latente que se apossava de mim, a voz abafada pelos toques. Sakura sonorizava seu prazer, através de sussurros quase inaudíveis. Aqueles que me excitavam em demasia. Ansioso por mais, ergui o tronco ainda com minha princesa no colo, depositando-a com delicadeza sobre a cama.



– Preciso de você, pequena. – cobrindo seu corpo com o meu, sustentando o peso com a ajuda dos braços, beijei-lhe. – Preciso prová-la. – tecendo beijos cálidos por seu pescoço, colo, barriga e parando em seu baixo ventre. Ergui a vista até seu rosto, contemplando o lábio inferior mordiscado, o olhar travesso, a expressão luxuriante… A imagem da perdição! Deslizei a calcinha miúda por suas pernas, removendo-a e elevando a altura dos olhos, analisei descaradamente a peça.



– Gostei muito da escolha. Te deixa mais apetitosa! – declarei, provocativo. Abandonando a lingerie aos pés da cama. – Eu tinha que caprichar, é nossa noite especial. – Sorriu marota. Essa mulher tem um efeito devastador em mim, com um simples olhar parece me dominar por completo.



Beijei-lhe ambos os joelhos respectivamente, afastando suas pernas para me encaixar no meio delas. Tecendo carícias provocantes no interno de suas coxas, até chegar a virilha e, encontrando sua intimidade escorrendo-se em líbido, me fazendo salivar de imediato. – Molhadinha…Tão pronta pra mim. – Não me contive e literalmente "caí de boca" faminto, aturdido, desejoso por seu sabor. Sugando, lambendo e saboreando o "néctar" singular e viciante. Minha Cerejeira incapaz de controlar suas ações, exclamava altiva, sem pudores o quão satisfatórias eram minhas investidas em sua entrada apertada, vibrante, escorregadia e quente. Perpassando minha língua em seu pequeno ponto de prazer, sugando, acariciando e sorvendo-o interruptamente, senti seu corpo estremecer, seus gemidos tornando-se pedintes, ansiosos, entorpecidos. Ela estava a ponto de despejar-se por inteira, agraciando-me com seu prazer. Intensificando a chupada um pouco mais, deliciei-me com seu orgasmo abrasivo, intenso, arrebatador. Sakura sorriu satisfeita, após alcançar seu ápice, a respiração ofegante, A fina camada de suor minado em sua fronte, o olhar nublado… Fascinante!







NARRADOR





Os corpos incapazes de abandonar o conforto um do outro, com mãos ansiosas por contato. As orbes esmeraldinas de brilho reluzente procurando o céu infinito da noite mais densa, nas ônix faiscantes. Lábios desejosos encontrando-se num beijo significativo, intensificado com o ansejo mútuo de entregar-se por completo no ato de amor. Sakura valendo-se do direito de retribuir todo prazer que lhe fôra proporcionado, assumiu momentaneamente o controle. Com o sorriso acintoso, instintiva guiara suas carícias pelo corpo febril do marido, impetuoso em reação aos toques femininos. Deslizou a calça, juntamente com a boxer branca que ele usava, deixando-o completamente nu. Encontrando a ereção potente, pulsante, gotejando fluído pré-seminal. Apropriou-se de imediato, sugando, lambendo, chupando com gosto toda extensão do membro robusto e imponente. Sasuke murmurava palavras desconexas, entorpecido pela sensação regozijante de ser engolido com volúpia e tamanho empenho. Vislumbrou extasiado, a expressão libertina de sua esposa, ao tomá-lo por completo, assim que chegou ao clímax.



– Gos.to.so! – declarou pausadamente, provocante e satisfeita, perpassando a língua pelo lábio inferior sorvendo o restante do prazer. O moreno acompanhava luxurioso, os movimentos sensuais de sua musa, serpenteando o corpo esguio por sobre ele, alcançando-lhe a boca, desmanchando o sorriso ladino com seu beijo deleitoso. Sentindo os efeitos abrasadores e intensos do contato, girou os corpos com agilidade, colocando-se por cima. Sua ereção re-assumindo seu vigor e potência. – Não consigo mais aguentar, preciso te sentir. – Disse entre beijos. – esfregando o membro na intimidade encharcada, desferindo-lhe pequenas batidinhas no clitóris intumescido. – Se abre pra mim, amor...– pediu airoso, ao pé do ouvido dela, arrancando-lhe um gemido sôfrego ao mordiscar o lóbulo.



Sakura ergueu as pernas, dando a oportunidade para o marido encaixar-se com mais liberdade, alcançando o quadril e cruzando-as possibilitando uma penetração mais incisiva. Sasuke pincelou a entrada lubrificada, enterrando-se vigoroso, numa única estocada forte, arrancando-lhe um grito de puro deleite. – Porra Sakura, menos de dois meses e conseguiu ficar mais gostosa?! – rosnou anuviado, as tão conhecidas sensações arrebatadoras, lhe tomando por completo. – … Tá tão apertadinha amor, uma delícia! – quedou o corpo, deixando-a sentir seu peso por um instante. Furtando um gemido melindroso, mordiscando o lábio. – Você me deixa louco, senhora Uchiha! – Confidenciou, erguendo-se e alcançando a cintura da esposa, onde sustentou com ambas as mãos, facilitando as investidas no interior estreito. Sakura arqueou-se, flexionando as pernas e passando-as por cima das do marido, segurou as grades na cabeceira da cama, conforme as arremetidas tornavam-se mais intensas e potentes. – Sa-sa.. suke ãhn.. Amor-r – gemia, gritava, sussurrava entorpecida, desvairada, perdida no oceano de excitação e deleite. O moreno ciente dos sinais da proximidade do ápice de sua amada, instigou capcioso.



– Está gostando? – provocou-a, retirando-se quase por completo, se enterrando logo após, ouvindo o sussurro entrecortado.



– S-sim.. Own Sasu-ke.. E-eu... – A voz quase inaudível, mordendo o braço na tentativa de conter os gritos, que saíam altos devido as estocadas, que tornavam-se ora rápidas, ora contidas.



– Você o que, minha gostosa? Fala pro seu maridinho o que quer. – Pediu, colando os corpos, unindo as mãos, selando beijos e mordidas por seu pescoço.



– M-mas rápido-o… F-forte! ãhn.. – Como um bom marido, inclinou se a atender as súplicas da esposa. Ajeitou a posição, erguendo as pernas dela até seus ombros.



– Seu pedido é uma ordem minha princesa. Te dar prazer é meu prazer! – declarou enfático, iniciando um bombear ininterrupto, aumentando a velocidade e potência, levando-a ao extremo, proporcionando seu ápice. – Deliciando-se com seu grito de puro deleite. Seu nome sendo pronunciado em meio ao delírio do clímax. Não prolongando seu próprio orgasmo que se encontrava próximo, arremeteu duas,três vezes, umas mas, sendo veloz, intenso. Alcançando e saboreando seu orgasmo abrasivo. Despejando-se no interior pulsante de sua Cerejeira roubando-lhe alguns murmúrios voluptuosos.







A noite estava apenas em seu início para o jovem, apaixonado, desejoso e feliz casal Uchiha. Sasuke sentindo-se extasiado,completo, agraciado ao lado de sua companheira perfeita. E Sakura realizada por finalmente concretizar seu antigo sonho de pertencer de todas as formas possíveis, aquele que sempre fôra e continuará sendo o único em sua vida, ou quase isso…



– Amor, tenho uma coisa para te dizer... – Em algum momento da noite quente e luxuriosa na suíte do casal, a senhora Uchiha resolveu que seria o momento propício para se abrir finalmente, sobre o que escondera dele nos últimos dias.



– Pode falar. – Incentivou, prendendo sua atenção no rosto "iluminado" da esposa.



– É que… – respirou fundo, focando-se nas onix ansiosas.

– Eu estou grávida!





Oct. 7, 2019, 11:59 a.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Izzy Hatake Apaixonada por Romance de época e atual, Drama, Hentai, comedia e um pouco de fantasia. Fã numero 1 do Shipp Jakeness, de Crepúsculo e Kakasaku,Sasusaku e de Naruto. Amo escrever sobre *-* Gosto de Esportes, em especial Futebol, música em geral Rock, pop, hip hop, Clássico, Sertanejo, reggae e por aí vai... Vida no campo: tudo de bom, pena que moro na cidade rs Filmes, desenhos, series, novelas e animes? Opa,Tamo aí! Comecei a escrever faz pouco tempo e busco melhorar sempre! ~(^з^)-♡

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~