PANDORA - O Contágio Follow story

jaime-lucas-mattos1564802146 J. Lucas Mattos

Uma estrangeira chega ao Rio de Janeiro e morre no aeroporto da cidade maravilhosa. Consigo, traz um vírus fatal transmitido através do toque, que se alastra rapidamente pela cidade. A trama, dividida em várias partes e seus respectivos capítulos, narra a história através do ponto de vista de quatro protagonistas: - Adelaide, uma senhora de 65 anos, membro fiel de uma igreja, que acredita no contágio como uma manifestação de Deus a todos os pecados; - Gabriel, jovem bissexual, aluno super dedicado de uma escola periférica, que sonha com a chance de se tornar cantor; - Dulce, uma jovem de 24 anos, que fugiu de seu país natal em busca de uma vida melhor, mas que sofre muito preconceito por conta de sua nacionalidade; - e Jorge, uma criança de 7 anos, cadeirante, que gosta de questionar sobre tudo, e não entende direito o motivo do caos que se tornou a Cidade Maravilhosa. Sob a perspectiva dos quatro protagonistas, podemos acompanhar a sociedade se tornando um caos, a tentativa de organização para sobreviver, e a busca pelo real motivo do contágio. Em um Rio de Janeiro de caos, isolamento e solidão, quem conseguirá sobreviver?


Science Fiction For over 18 only.

#conspiração #apocalíptica #contágio #lgbt #sobrevivência #caos #pânico #vírus #pandora #caixa-de-pandora #sci-fi #ficção-científica #política #crime #violência #abuso #preconceito #intolerância #religião
0
627 VIEWS
In progress - New chapter Every 15 days
reading time
AA Share

PARTE I: Dia Zero - Capítulo 01: "Pandora"

Barulho e agitação costumeiras no Aeroporto Internacional Tom Jobim. Uma jovem loira sem mala alguma está no meio da multidão. Ela vê uma criança brincando com seu carro de brinquedo, ajoelhada no chão, ao lado de quem parece ser sua mãe, uma impaciente moça com alguns fios brancos aparecendo, que está sentada em uma cadeira, batendo o pé no chão.

Uma jovem usando fones de ouvido esbarra nela, tirando sua atenção da cena da criança e sua mãe. A música vinda do fone está tocando em um som tão alto que se pode ouvir até mesmo com toda a barulheira do local. Mas logo sua atenção se esvai da jovem e passa a outra pessoa.

Um homem que ela já havia visto na televisão, talvez em algum filme americano, deixou cair uma chave bem na sua frente. Sem pensar duas vezes, ela pega a chave e entrega ao homem. “Muito obrigado”, diz o ator, mas ela está tão atordoada que nem responde e sai praticamente correndo, cuidando para não tocar em ninguém. É inevitável não fazê-lo, afinal todos se esbarram na correria do ambiente.

O vôo foi perturbador. Ela sabia o que iria fazer na Cidade Maravilhosa. Ela olhava para todos os lados do avião - e agora do aeroporto - sabendo que muitas - senão todas - daquelas vidas estavam em suas mãos. O momento de injetar aquilo nas veias, no banheiro do avião, foi perturbador. Ela pensou em parar, em desistir, em gritar e pedir ajuda. Mas ela precisava fazer aquilo. Ela precisava seguir em frente. Ela precisava chegar no Rio de Janeiro.

Pensa em sua filha que está a milhares de quilômetros distante de si, vendo se consegue manter forças para chegar até a saída do aeroporto. Uma água cairia bem neste momento, pois sua boca está seca.

Ela começa a enxergar as coisas girando cada vez mais até que o passo que dá parece não ter tocado o chão, e ela sente o solo beijando seu rosto. Seu corpo treme incontrolavelmente. As pessoas a sua volta chegam perto - PERTO DEMAIS! -, tentando socorrê-la. Gritam por médicos, por socorro, por ambulância. Apesar de não ter aprendido 100% o idioma e estar em péssimas condições, ela conseguiu entender o que diziam - ou achou que havia entendido. O mundo a sua volta se apaga.

Aug. 4, 2019, 12:06 a.m. 0 Report Embed 0
To be continued... New chapter Every 15 days.

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~