A filha do esplendido baterista Follow story

mayaraadorno Mayara Adorno

Katheryne Mundano Sullivan, mais conhecida como Kathy sempre teve um sonho, Conhecer o pai. Porém, ela tem medo de não conseguir perdoa-lo por conta do sumiço do mesmo. Sua mãe tocou poucas vezes no nome dele, parece que não gosta de lembrar do passado que teve com o mesmo. A única coisa que ela sabe, é que ele abandonará ela e sua mãe. Já com os hormônios a flor da pele e como uma típica adolescente rebelde, ela curte Rock e tem seu próprio estilo não seguindo padrões impostos pela sociedade. Embora escute muitas bandas, seu carinho maior é por uma banda nomeada como Avenged Sevenfold. Seu objetivo é conhece-la pessoalmente e finalmente abraçar seu grande ídolo: Jimmy Sullivan o consagrado melhor baterista de todos os tempos, e seu amor platônico M. Shadows o homem pela qual usufrui da voz grave e estonteante no vocal.


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only. © proibido Clonagem

#familia #banda #Avenged-sevenfold
0
711 VIEWS
In progress - New chapter Every 15 days
reading time
AA Share

Verdades


- Katheryne, levante, venha já aqui preciso que vá ao mercado para mim.


- Já vou mãe.


Me ajeitei e desci. Ao descer notei minha mãe triste, não sabia o porquê mas resolvi deixar quieto até retornar do meu trabalho. Fui ao mercado e fiz uma comprinha básica, O necessário para nós duas, passei o cartão e depois descontariam do meu salário (trabalho de fotografa). Depois que sai do mercado fui tomar um sorvete e voltei para casa, cheguei, guardei as compras e subi para meu quarto, tomei um banho e me arrumei para o serviço, eu iria começar o trabalho as 14:30 e já eram 13:40 até chegar no serviço demoraria um certo tempo...Desci para a sala com o que era necessário para o meu trabalho, depositei um beijo em minha mãe e corri para meu trabalho.


chegando no trabalho atrasada, mais uma vez, meu chefe me chamou na sala dele:


-senhorita katheryne, entre, precisamos ter uma conversa:


-licença chefe


-Katheryne Mundano Sullivan, você está despedida pegue suas coisas e saía daqui, eu não admito que chegue atrasada uma semana seguida! sempre inventando desculpas.


Sai da sala sem dizer uma só palavra peguei as minhas coisas e dei uma última olhada no meu estúdio. Sai em seguida, deixando o meu serviço de mais de dois anos. Cheguei em casa aos prantos, minha mãe estranhou e logo veio ver o que havia acontecido, porem naquele exato momento não estava em condições de falar sobre o ocorrido por mais que o que tivesse acabado de me acontecer fosse difícil para mim, estava com os pensamentos no assunto que aconteceu pela manhã, mamãe andava triste de uns dias para cá e tomei a decisão de que hoje não iria deixar aquela conversa passar despercebida. Para tanto fui ao banheiro, lavei o meu rosto e retornei ao sofá, Dona Kattlen continuava cabisbaixa então fui direto ao ponto:



- Mãe tenho notado que você anda triste por esses dias, poderia me dizer o que está acontecendo? Estou muito preocupada com você!



-Bom minha filha tenho algo sério para tratar com você e só te peço que me compreenda.



- Tudo bem mãe, pode prosseguir...



-bem, infelizmente as notícias não são das melhores minha querida, a alguns dias fiz um exame pois não estava me sentindo muito bem, levei-o para o médico e o mesmo constatou que eu estava com uma doença grave, mas infelizmente não tem como ele diagnosticar, o que tenho certeza é que pelo exame terei que fazer tratamento e será arriscado pois parece que estou com duas doenças ao mesmo tempo e pelo que ele disse raramente algumas pessoas se salvam, mas no meu caso são poucos as pessoas que tem as duas juntas, por conta disso é muito mais arriscada e a probabilidade que eu posso vir a óbito, e te peço filha se algo me acontecer me prometa que não vá à procura de desvendar o meu verdadeiro diagnóstico, caso não descubra.



-Mas mãe! Não vou te prometer isso, é impossível superar a dor de uma perca, ainda pior quando não se sabe a causa se tratando de uma doença...ou pior, duas doenças ao mesmo tempo. Diz Kathy para a mãe que logo tenta conforta a filha com um abraço forte e um beijo no topo de sua cabeça seguindo de cafuné, mas Kathy só podia reagir de uma única forma, com a cabeça baixa, e massageando suavemente sua têmpora na tentativa falha de suavizar o desespero e a ansiedade, agora Dona Katllen levanta delicadamente o rosto de Kathy, exibindo claramente a face sofrida de sua amada filha que se torturava com cada palavra dita pela mãe, mas infelizmente não tinha mais como evitar o assunto, a jovem escolheu a verdade, por mais dolorosa que fosse. Eram lagrimas que corriam desesperadamente pelo rosto da pequena mulher, que provavelmente, naquele momento estava sem chão.


Depois de alguns minutos refletindo e tentando digerir cada palavra, a jovem pronunciou novamente, mas desta vez com a voz embargada. – Mãe... e meu pai? Aonde ele se esconde? Ele tem que dar as caras algum dia! Eu tenho um pai que nem se quer sei o nome correto. Não quero ter rancor e desprezo dele, mas para isso eu preciso saber da história de vocês.



- Tudo bem filha, tem razão, já está na hora de você saber do passado antes que seja tarde, bom vamos lá então. seu pai e eu nos conhecemos em um bar da Califórnia em Huntington Beach, meu sonho era ir para lá até que minha amiga que Deus a tenha, foi embora para Huntington Beach, fui visita-la e era noite de sábado estava calor, bom lá na verdade é muito calor, Mirella e eu resolvemos sair anoite naquele sábado, então resolvemos ir ao bar chamado Johnny's Bar, foi lá que tudo começou, Mirella havia bebido muito, Nós estávamos de carro, seu pai e eu estávamos pra lá de Bagdá também, enfim depois de uma longa conversa com seu pai, Mirella me chamou para ir embora, Nós fomos, mas o inesperado aconteceu Mirella tentou desviar de um caminhão e jogou o carro para o lado mas não viu que tinha um morro e logo abaixo um rio, nós estávamos em um lugar parecido com uma ponte e foi assim, eu estava com sinto e Mirella sem ele e bêbada demais então a tragédia aconteceu, Mirella foi com a cabeça no vidro que quebrou instantaneamente, fazendo um rasgo em sua testa entrando assim um pedaço de caco de vidro em sua garganta matou-a na hora. Consegui abrir a porta, sabia nadar um pouco logo consegui chegar a superfície sangrando, pedi socorro e vieram nos ajudar, os paramédicos chegaram em instantes e fizeram de tudo para tentar salvar Mirella mas era tarde demais ela já teria vindo a óbito com o rasgo em sua garganta. Tive que ficar uns dias em Huntington Beach para resolver o enterro de Mirella, na noite de domingo dia 11 de janeiro eu resolvi voltar ao mesmo bar que conheci seu pai, e te diria que parecia coisa do destino, Jimmy e eu novamente conversamos e dessa vez nós ficamos sóbrios só na base da cerveja sem álcool, continuamos a manter contato, depois de um bom tempo, decidimos estreitar nossa amizade e passamos para um namoro, estava tudo ótimo, num descuido tivemos você, mas com o tempo percebi o quanto isso faria bem para nós dois, um ano depois ficamos noivos, tudo estava bem até que infelizmente ele teve que partir me dizendo ser a trabalho e que continuaria mantendo contato e que só iria ficar um mês fora, sabia que não poderia ir junto por mais que ele me implorasse, então assim se seguiu, ele a trabalho e eu o esperando eternamente, um ano completo se passou, então decidi que era hora de voltar para o Brasil, já estando consciente e conformada que ele não iria voltar, arrumei minhas coisas e parti para o Rio de Janeiro. Quando você completou dois anos, recebi uma ligação inesperada, seu pai queria te conhecer, eu não privei ele de te conhecer, porém não voltamos e nem tocamos no assunto, tudo que tínhamos e fazíamos era somente relacionado e diretamente só por você Katheryne. Ele novamente voltou para o seu emprego que ainda insistia em não me dizer, mas me deu certeza que agora ficaríamos mais ligados caso eu precisasse de algo e sempre iria tirar um tempo para saber notícias suas, em torno de um mês nos mudamos para Joinville, a primeira coisa que fiz foi avisar seu pai através de mensagens de texto e voz mas daí em diante eu nunca mais tive notícias dele, então eu continuei batalhando para de dar uma boa condição de vida e quando você fez 15 anos eu te emancipei, te deixando livre para você fazer suas próprias escolhas e decisões, sempre te apoiei mas sempre dei minha opinião pois você me deu total liberdade para caminhar com você acima de tudo, filha peço que não guarde rancor do seu pai, porque por mais que a vida tenha sido duro comigo, acredito que tenha acontecido algo a mais, peço que se acontecer algo, qualquer coisa, vá atrás do seu pai, ele nunca te deixou faltar nada muito menos amor, ele amava mais a você do que a si próprio.



- Nossa mãe – disse Katheryne em prantos para a mãe que a consolava num abraço sincero. -Não se preocupe mãe eu enfrentarei tudo com você, conte comigo para a vida. Eu te compreendo, sei que não agiu de má fé, eu te amo muito Senhorita Kattlen Mundano – depositei um beijo na testa de mamãe e apertei suas mãos na tentativa de passar segurança para ela.

July 9, 2019, 12:48 a.m. 0 Report Embed 0
Read next chapter A dura realidade da situação

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!