Countdown to The Authors' Cup 2020. Sign up now for the chance to win prizes!. Read more.
skyterblack Carlos Eduardo

Crianças tem medo do escuro, adolescentes tem medo de serem excluídos, adultos tem medo de não conseguir pagar suas contas. Eu tenho medo da minha mente.


Memoir & Life Stories Not for children under 13.
0
3.8k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Andando na Escuridão.

Minhas pernas cansam, meu corpo inteiro dói mas não consigo parar de andar, apenas observo as pessoas em minha volta, elas parecem não estar me vendo, tento falar com alguém mas parece que sou mudo.

Estou muito surpreso agora, alguém está me acompanhando... Ela é linda, mas será que está me vendo? Será que devo falar algo? Ou será melhor eu ficar quieto e esperar ela vim falar comigo?

Não consigo falar estou com medo, melhor eu continuar no meu caminho, eu estou melhor sozinho... Agora me lembro, uma vez isso aconteceu mas quando me conheceu de verdade me deixou.

Ela está se afastando, o que eu faço? Acho que vou acompanhá-la, mas ela nem me conhece e eu nem a conheço, que droga... Ela está indo embora, está mudando de direção, preciso pelo menos dar um "Olá".

Depois de muito tempo caminhando mudei meu rumo, agora estou seguindo essa linda mulher, mas ela está tão longe de mim, estou tentando correr mas minhas pernas estão doendo muito.

Ela parou... Essa é minha chance... Espera aí, ela está voltando, está vindo em minha direção o que eu faço? O que eu falo? Como vou explicar que eu estava a perseguindo? Será que foi errado ir atrás dela?

Ela... Parou na minha frente... Está me observando... Ela é linda, seus cabelos são lindos, seus olhos são incríveis, e seu corpo é perfeito. O que eu falo? Já sei, vou perguntar seu nome.

Seu nome é Roma... Pela primeira vez alguém me respondeu... Ela perguntou meu nome... Me disse que Carlos é um nome bonito, mas o que devo perguntar agora? O que está fazendo aqui, no mesmo lugar que eu? É isso que vou perguntar.

Ela também não sabe, disse que está andando durante muito tempo e que quando me encontrou, decidiu me seguir pois eu estava brilhando. Eu olho para mim mas estou apagado.

Uma luz surgiu no céu... Estamos assustados... Essa luz está me puxando para cima, a Roma levanta seus braços tentando me puxar para ela... Me disse que não pode me perder, não pode perder a Luz.

— E foi assim, que eu voltei para casa.

Disse Carlos sério.

— A nossa sessão acabou Carlos, nos vemos na semana que vem.

Disse um homem sorrindo.

Uma semana se passou e Carlos estava bem mais estranho aos olhos de seu psicólogo.

— Você está se sentindo bem Carlos?

Perguntou o psicólogo curioso.

— Ela não me deixou dormir.

Respondeu Carlos enquanto se segurava em sua mãe.

— Sua mãe não lhe deixou dormir?

Perguntou o psicólogo tentando entender a situação.

— Ele me disse que foi uma mulher chamada Roma.

Respondeu a mãe de Carlos preocupada.

— Eu vou conversar com ele agora, por favor, coloque-o naquela cama.

Disse o psicólogo preocupado.

Após sua mãe o colocar na cama, ele imediatamente dormiu, o psicólogo vendo isso, decidiu conversar com a mãe ao invés de Carlos.

— Então senhora, qual o seu nome?

Perguntou o psicólogo enquanto pegava uma prancheta.

— Meu nome é Sarah.

Respondeu a mãe de Carlos.

— Então Sarah, quando ele começou a ficar sem dormir?

Perguntou o psicólogo sério.

— Já tem uns três dias, ele me diz que tem uma mulher tentando entrar no quarto dele.

Respondeu Sarah.

— E essa mulher se chama Roma?

Perguntou o psicólogo anotando algo em sua prancheta.

— Sim, ele sempre grita o nome dela de noite.

— Peça para que ele a deixe entrar.

Disse o psicólogo sério.

— Quando for de noite, eu peço para ele fazer isso.

— No dia seguinte tragá-o aqui, que eu quero examiná-lo.

Alguns minutos depois, Carlos acorda e sua mãe o leva para casa. Durante todo o caminho, Carlos estava calado e apreensivo, Sarah percebendo isso decidiu conversar com ele em casa.

— Então filho, como foi seu sono?

Perguntou Sarah procurando suas chaves na bolsa.

— Foi bom... Eu não sonhei com nada.

Respondeu Carlos se agachando para pegar uma folha.

Sarah acha suas chaves e abre a porta de sua casa, Carlos se levanta e corre para dentro de seu quarto, Sarah preocupada foi até o quarto de seu filho.

— Carlos, porque você correu tão rápido para o seu quarto?

Perguntou Sarah com medo.

— Ela estava me esperando mãe.

Respondeu Carlos.

— Quem estava te esperando?

— Não importa mais, eu irei viajar.

Disse Carlos enquanto ria.

Sarah desesperada tenta derrubar a porta, depois de algumas tentativas falhas, finalmente a porta se abre e ao entrar no quarto, ela se depara com ele vazio.

— CARLOS!

Gritou Sarah.

June 23, 2019, 11:58 p.m. 2 Report Embed Follow story
1
Read next chapter Em Busca da Verdade.

Comment something

Post!
Samara Fritzen Samara Fritzen
Por acaso... seu sobrenome não é Reis?
June 25, 2019, 23:58

~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!