Melodia do Coração Follow story

teffychan Lilith Uchiha

Quando se é um astro do rock é difícil conciliar seu trabalho com a vida pessoal. Principalmente quando se trabalha junto com seu namorado. Mesmo desejando avançar um passo importante no relacionamento, Kiba sempre encontra dificuldades inesperadas. Falta de tempo devido ao trabalho exaustivo, a dúvida em saber se Shino desejava o mesmo que ele e, principalmente, seus amigos intrometidos que insistiam em tentar ajudá-lo com o assunto, mas que só acabavam complicando ainda mais as coisas.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only. © Todos os direitos reservados

#shinokiba #songfic #sexo #nudez #yaoi #banda #kiba #shino
2
3.8k VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Nosso Próprio Ritmo

O poder do amor é uma coisa curiosa.

Faz um homem chorar, faz outro homem cantar.

Transforma um falcão em uma pombinha branca.

Mais que um sentimento, é o poder do amor.


Mais resistente do que diamantes, doce como o creme.

Mais forte e complicado do que um sonho de menina má.

Faz o malvado ficar bom, faz o errado virar certo.

Poder do amor que te mantém em casa à noite.





Kiba sempre sonhou sem se tornar músico. Um guitarrista de sucesso, para ser mais específico. Trabalhou duro para pagar as aulas de guitarra como barman em uma boate. E, por uma incrível coincidência, ou destino, chame como quiser, foi lá que ele encontrou o amor de sua vida. Ou melhor, reencontrou.

Kiba não acreditava muito nessas coisas de destino. Pelo menos não até reencontrar Shino. O rapaz tinha sido seu primeiro amor durante a época do colégio, mas, devido a um mal-entendido, Kiba pensou que ele estava comprometido com outra pessoa e não conseguiu se declarar. Anos depois reencontrou Shino, que agora utilizava o pseudônimo ²Arachnid Nocte e era vocalista da banda ³Rex Noctem.

Arachnid Nocte foi sua segunda paixão. E imagine qual foi sua surpresa ao descobrir que o rapaz era na verdade Shino, o garoto de quem gostava no colégio? A vida gostava mesmo de pregar peças nele.

Mas valeu a pena. Graças a toda essa confusão Kiba foi convidado para fazer um teste para assumir o posto de novo guitarrista da banda, já que o último havia deixado o grupo. Semanas depois recebeu a notícia de que foi aprovado e agora sua vida tinha mudado drasticamente. Fazia dois meses que tinha se juntado à Rex Noctem e nesse curto período de tempo viajaram em uma turnê, visitando cinco estados diferentes. Agora estavam em Osaka, onde seria o sexto e último estado que visitariam antes da turnê acabar. Fariam um show especial para o dia dos namorados.

Agora que pensava nisso, Kiba quase não tinha tempo para ficar a sós com Shino. Não que ele estivesse reclamando, estava realizando o sonho de sua vida afinal! Os ensaios eram exaustivos, mas a sensação de entrar no palco e poder tocar para tantas pessoas que realmente adoravam a música deles compensava cada segundo de esforço. Mas as coisas nunca podiam ser perfeitas. Ele e Shino estavam namorando, mas raramente tinham um momento só para os dois.

Talvez precisasse de algum conselho quanto a isso. Mas a quem poderia pedir? Seus outros dois companheiros de trabalho eram legais, porém possuíam personalidades e relacionamento bastante peculiares, talvez não fosse uma boa ideia conversar com eles. Nesse caso… bem, Kiba sempre podia contar com quem começou a bancar o cupido desde o inicio dessa história toda.

Os quatro estavam dividindo uma cobertura enquanto aguardavam o horário do show, sendo que havia dois quartos. Kiba foi até a sala de estar, onde ficava o telefone, apenas para descobrir que a pessoa com quem desejava falar já estava em uma ligação no viva voz com outra pessoa. Isto é, pessoas.

— O que? Dois meses e até hoje nada?

— Pois é. Você o conhece melhor do que nós, não acha que já era para ter rolado?

— Era para ter rolado no primeiro mês. Têm certeza disso?

— Absoluta. Meu instinto feminino nunca falha!

— Sem querer ofender, mas você pode estar enganada dessa vez. Isso não parece coisa do Kiba.

— Ela não está enganada. Em todas as viagens os dois nunca pediram para ficarem em quartos separados. Nós três sempre dividimos o mesmo quarto.

— É, então não rolou mesmo… mas não se preocupem! Vou conversar com Kiba e convencê-lo a…

— Me convencer de que? — Kiba se cansou de espiar atrás da porta e adentrou a sala — O que estão aprontando aí?

— Nada — responderam em uníssono, inclusive a pessoa que falava no viva voz.

— Sei — Kiba estreitou os olhos, desconfiado — Vocês dois estão muito amiguinhos do Naruto ultimamente.

— Impressão sua — Hinata fingiu um sorriso inocente.

— Na verdade ele acabou de ligar. Queria falar com você — Neji mentiu — Vamos deixar vocês conversarem a sós — ele arrastou a prima para fora da sala. Kiba pegou o telefone e tirou do viva voz depois que os dois saíram.

— Muito bem, o que vocês estão tramando?

— Como assim “tramando”? Eu liguei porque estava com saudades do meu amigo e é assim que você me trata? Você anda desconfiado demais, Kiba! — Naruto se fingiu de ofendido.

— Eu tenho motivos de sobra para desconfiar de você — Kiba lembrou, ouvindo uma risada sem graça do outro lado da linha.

Ah, se tinha. Ele e Naruto estudaram música juntos antes de Kiba ingressar na Rex Noctem. E desde que contou ao amigo que gostava do cantor Arachnid Nocte, que na época ele não sabia que era Shino, Naruto fez de tudo para (tentar) bancar o cupido e juntar os dois. Era um péssimo cupido, só fez Kiba passar vergonha, mas por incrível que pareça deu tudo certo no final.

— Bom, na verdade — Naruto começou. Pronto, aí vinha besteira — eu realmente liguei para falar com você. Mas aqueles irmãos, ou namorados, ou sei lá o que eles são atenderam então ficamos conversando enquanto você não chegava. E sabe como é, né… conversa vai, conversa vem…

— O que os Hyuuga te contaram, Naruto?

— Como assim você e o Arachnid Nocte ainda não foram até o final? — Naruto gritou, fazendo Kiba afastar o telefone do ouvido — Vocês estão juntos há uns dois meses, certo? Já era para ter rolado!

— Sério que você me ligou para dizer isso? — Kiba gritou de volta, sentindo o rosto queimar — Escute Naruto… eu não quero apressar as coisas. Talvez esteja demorando mais do que geralmente acontece, mas… quero que aconteça naturalmente. Não consigo agir como você, que conhece uma pessoa e já fica com ela em questão de semanas.

Lembrava-se de que Naruto contou cerca de um mês atrás que conheceu um aluno novo na escola de música que ele e Kiba costumavam frequentar juntos. Pela descrição que Naruto deu o rapaz parecia ser o completo oposto dele, mas, em duas semanas, os dois já estavam namorando e tinham feito coisas que Kiba sequer sabia que era possível.

— Não se pode fazer nada quando rola química — Naruto riu — E isso você e o Arachnid Nocte têm de sobra! É sério, Kiba, não consigo entender como ainda não aconteceu. Por acaso vocês estão com algum problema? Sabe que pode conversar comigo se quiser.

— Não tem nenhum problema. É como eu te disse, não quero forçar nada.

Kiba também andava pensando nisso ultimamente. Queria que acontecesse, sentia-se pronto. Mas então por que Shino não fazia nada? Não era possível que Naruto estivesse certo e Shino estivesse com algum problema e Kiba nem percebeu, era? Não, é claro que não! Eles estavam sempre juntos, Kiba perceberia se tivesse algo de errado. Tinha que ser outra coisa.

Ele até tentou tomar a iniciativa algumas vezes, mas sempre acontecia algo para atrapalhar no último instante. Isso sem mencionar o detalhe de que passavam a maior parte do tempo viajando, ensaiando e realizando shows, o que deixava todos exaustos quase o tempo todo.

— Bem, hoje é dia dos namorados, certo? Acho que é uma ótima ocasião para que isso aconteça — Naruto sugeriu — Aliás, foi por isso que eu te liguei. Sinto muito não poder ir ao seu show essa noite. Mas você entende, certo? É dia dos namorados!

— Sim, eu sei — Kiba segurou uma risada diante da visível empolgação do amigo — Não se preocupe. Divirta-se e não faça coisas estranhas de novo.

— Só se você prometer que vai ter um dia dos namorados indecente!

— O que?!

— Decente! Eu quis dizer decente — Naruto tentou se corrigir — Enfim, não pense só no trabalho e aproveite a data de hoje para comemorar como achar melhor. Até mais.

Kiba ficou encarando o telefone depois que Naruto desligou, se perguntando o que o amigo quis dizer com aquilo. Provavelmente era o que ele imaginava. No entanto, dentre todas as besteiras que Naruto falou, sua frase de despedida pareceu ser o melhor conselho. Era dia dos namorados e ele tinha o direito de comemorar aquela data como bem entendesse.

— Kiba? — uma voz o sobressaltou. Kiba olhou para a porta e viu que Shino o observava há sabe-se lá quanto tempo — O que está fazendo?

— Hã… eu só… — Kiba olhou para o telefone mudo como se pedisse ajuda — Estava falando com o Naruto.

— Ah, certo — Shino assentiu enquanto o namorado colocava o telefone no lugar, tentando inutilmente disfarçar o nervosismo. Como poderia parecer calmo depois daquela conversa? — Está tudo bem?

— Sim! Eu… quero dizer, ele ligou para avisar que não poderia vir no show de hoje.

— Bem, é dia dos namorados. Ele provavelmente quer comemorar — Shino respondeu, se aproximando dele — Na verdade… eu estava pensando em fazer o mesmo. Se não estiver muito cansado depois do show, é claro.

— Eu tenho energia de sobra, você sabe — Kiba sorriu — Tem alguma coisa em mente?

— Mais ou menos.

— O que é? — Kiba perguntou curioso.

— Se eu contar vai perder a graça — Shino inclinou-se e selou seus lábios. Kiba logo deixou sua curiosidade de lado. Deixou-se levar pelos toques do namorado, que segurava seu queixo com uma das mãos trazendo-o para mais perto enquanto enlaçava sua cintura com a outra. Kiba atirou os braços ao redor do pescoço de Shino, aprofundando o beijo, as unhas puxando seus cabelos escuros enquanto tentava intensificar ainda mais o contato entre eles.

Queria ficar com Shino… desejava tanto. Mas não entendia porque ainda não tinha acontecido. Talvez Shino ainda não estivesse pronto. Não, esse não parecia ser o caso… Shino era discreto a maior parte do tempo, mas quando estavam a sós virava praticamente outra pessoa. Será que tinha alguma coisa de errado com Kiba? Será que não era atraente o bastante? Droga, depois daquela conversa com Naruto tinha ficado paranoico!

Felizmente Shino sempre conseguia acabar com qualquer paranoia ou insegurança que Kiba pudesse estar sentindo, seja com ações ou palavras. Os toques do namorado em sua pele, levantando a barra da camisa e acariciando suas costas causou-lhe um arrepio na espinha, fazendo Kiba se esquecer de qualquer preocupação. Ele abraçou Shino com mais força, sentindo a língua do namorado adentrar sua boca e misturar-se com a sua. Cada toque de Shino, além de sedutor, era repleto de carinho e lhe transmitia segurança.

Como Kiba era bobo… não deveria se preocupar tanto com o que as pessoas pensavam. Estava ao lado da pessoa que amava, e é apenas isso o que realmente importa.

Encerraram o beijo por falta de ar. E, ainda que Kiba tivesse chegado a essa conclusão, Shino percebeu que havia algo de errado.

— Não quer mesmo me contar o que aconteceu?

— O que? — Kiba perguntou ainda sem ar.

— Você está tenso. E não parece ser por causa do show de hoje — Shino explicou — Aliás, nós precisamos começar a nos preparar para ele agora, mas gostaria que conversasse comigo depois. Não guarde suas preocupações apenas para si — ele deu um selinho no namorado antes de se dirigir até seu camarim.




Esse é o poder do amor.

Na primeira vez que você sente, você pode ficar triste.

Da próxima vez que você sentir poderá ficar louco.

Mas baby, você será feliz quando encontrar.

Esse é o poder que faz o mundo girar.


E não precisa de dinheiro, não precisa de fama.

Não é necessário nenhum cartão de crédito .

Para subir nesse trem.

É forte e repentino, pode ser cruel às vezes.

Mas pode salvar sua vida.





O grupo passou o restante do dia se preparando para o show daquela noite. Kiba ainda pensava nos “conselhos” que recebeu de Naruto e na conversa que teve com Shino. Estava mesmo precisando de conselhos, mas os de Naruto não costumavam ajudar muito. Certo, ajudavam, mas só depois de ele passar muita, mas muita vergonha mesmo. Pensou em seus outros companheiros de banda, mas não se sentia a vontade para conversar sobre isso com uma garota. E Neji… bem, não parecia uma boa ideia conversar sobre algo tão pessoal com alguém que andava fofocando sobre sua vida íntima com um amigo de Kiba que ele nunca conheceu pessoalmente.

Pensando bem, ele deveria conversa de uma vez com o próprio Shino sobre isso. Precisava muito de conselhos, mas o assunto envolvia apenas ele e Shino afinal. Seria embaraçoso, mas, se queria respostas, então era melhor ir direto a fonte.

Certo, agora só precisava encontrar Shino para fazer isso. Às vezes ele aparecia do nada ao seu lado causando um belo susto, mas quem poderia imaginar quem também seria tão difícil de encontrá-lo? Kiba olhou nos camarins e em todos os cômodos da cobertura, mas nenhum sinal dele. Queria resolver esse assunto antes do show começar, mas nesse ritmo não conseguiria. Lembrou-se de que ainda não tinha olhado no banheiro onde seria realizado o show e topou com Hinata no corredor, quase derrubando a garota no chão.

— Hinata? O que está fazendo aqui? — ele a segurou pelo braço antes que ela caísse — Esse é o banheiro masculino, não é? — ele olhou para a placa na porta para garantir que não estava prestes a entrar no banheiro errado.

— Não — Hinata negou embora a placa provasse o contrário.

— Mas a placa…

— Como foi sua conversa com o Naruto? — ela mudou bruscamente de assunto — Ele conseguiu te aconselhar direitinho?

— O que? Ah, é mesmo! — Kiba deixou de lado o fato da amiga estar no banheiro errado ao recordar da confusão daquela manhã — Vocês estavam armando para mim!

— Não estávamos armando nada — ela se fingiu de ofendida — Só queremos que as coisas caminhem bem entre você e o Shino e que… bem, que caminhem.

— Se fosse só você eu entenderia, já que por alguma razão as garotas enlouquecem com essas coisas. Mas todo mundo parece estar se intrometendo na vida da gente — Kiba resmungou.

— Desculpa. É que eu shippo tanto vocês, não dá para evitar — Hinata colocou as mãos nas bochechas coradas — Mas você tem razão, estou me intrometendo demais. Não importa o quanto eu ache vocês dois um casal tão fofo e perfeito… praticamente almas gêmeas…

— Hinata, mantenha o foco — Kiba interrompeu as fantasias estranhas da amiga.

— Desculpe, eu me empolguei — ela riu sem jeito — Bom, independente de tudo isso, não posso apressar a relação de vocês.

— Hinata, você já… ah, que droga — Neji saiu de dentro do mesmo banheiro em que ela estava minutos atrás. O rosto da garota passou de vermelho para pálido em questão de segundos.

— Neji? — Kiba franziu o cenho — Afinal, esse é o banheiro masculino ou feminino? — ele se esticou para olhar a placa novamente.

— Quem se importa com esses detalhes? — ele apoiou a mão no ombro de Kiba, guiando-o para longe do local — Me conte, decidiu o que vai fazer depois do show?

— Ah, sim… o Shino disse que tinha preparado alguma coisa, mas não quis me contar.

— Posso imaginar o que é — Neji riu.

— Ei. Você e a Hinata estavam mancomunados com o Naruto aprontando alguma coisa, não é? — Kiba lembrou — Por que estavam conversando sobre a minha vida pessoal com ele?

— Ele estava preocupado com você — Hinata explicou, ocultando a parte de que ele queria saber da fofoca.

— O Naruto ficou preocupado e foi perguntar isso logo para vocês, que nunca sequer viram a cara dele? — Kiba indagou desconfiado.

— Ele é um cara engraçado.Nos apresente algum dia — Neji pediu, soltando o ombro de Kiba quando chegaram ao fim do corredor — Enfim, talvez tenhamos exagerado um pouco — com “talvez” ele queria dizer “com certeza” e com “um pouco” ele queria dizer “muito” — Desculpa se te apressamos ou algo do tipo.

— É, vocês colocaram mesmo lenha na fogueira — Kiba concordou.

— É que o Naruto começou a falar sobre o assunto e eu me empolguei— Hinata riu sem graça.

— E eu acabei indo na onda — Neji encolheu os ombros como quem se desculpa — Enfim. Independente de toda essa conversa embaraçosa, você e o Shino deviam mesmo aproveitar o dia dos namorados. Saiam para jantar ou algo assim.

— É… essa parece uma boa ideia — Kiba concordou — Aliás, eu estava procurando o Shino antes de encontrar vocês dois. Sabem onde ele está?

— Já deve ter ido para o palco. Ele é sempre o primeiro a chegar, gosta de testar o microfone e ver se tudo está no lugar certo — Hinata respondeu.

— Nós também precisamos nos apressar e verificar os instrumentos. Vamos — Neji chamou e os dois o seguiram.




Esse é o poder do amor.

Na primeira vez que você sente, você pode ficar triste.

Da próxima vez que você sentir poderá ficar louco.

Mas baby, você será feliz quando encontrar.

Esse é o poder que faz o mundo girar.




Aquele seria o último show da turnê. Havia vários casais na plateia, alguns tinham vindo de longe apenas para comemorar o dia dos namorados assistindo ao show deles. Kiba lembrou-se de quando era um barman até poucos meses atrás e trabalhava em uma boate onde a Rex Noctem costumava se apresentar e apenas assistia o grupo, como aquelas pessoas estavam fazendo agora. Às vezes era difícil de acreditar que tinha mesmo realizado seu sonho de se tornar um guitarrista famoso. Ainda mais ao lado da pessoa que amava.

— Boa noite pessoal! — Shino falou ao microfone. Seu tom era animado ao mesmo tempo em que a voz soava sedutora. Parecia uma pessoa completamente diferente no palco — Feliz dia dos namorados! — ele exclamou e todos gritaram em resposta. Algumas fãs mais escandalosas gritavam como o amavam, que desejavam passar o dia dos namorados com ele, dentre outras coisas inapropriadas. Shino fingiu não ouvir — Obrigado por virem comemorar conosco. Essa música é para os casais que ainda estão descobrindo como lidar com seus sentimentos e seus desejos… — ele olhou de soslaio para Kiba, que só percebeu porque estava muito perto dele — Aproveitem o show!




Essa coisa chamada amor

Eu simplesmente não consigo lidar com ela

Essa coisa chamada amor

Eu tenho que tratar dela, eu não estou pronto

Coisinha maluca chamada amor


Lá vai você, baby

Você conhece o rock'nroll

Me deixa maluco

Me dá uma febre quente e gelada

E depois me deixa suando frio


Eu tenho que me tranquilizar, relaxar

Pegar estrada, sentar no banco do passageiro

E fazer uma longa viagem na minha motocicleta

Até eu ficar pronto

Coisinha maluca chamada amor





O show durou três horas seguidas. Era sempre cansativo, porém a sensação de dever cumprido sempre compensava. Sem falar na felicidade em ver os rostos sorridentes das pessoas na plateia. Sua música era apreciada de verdade, estava sendo ouvido por milhares de pessoas e alegrando sua noite… Kiba não podia estar mais feliz.

Bem, na verdade podia sim.

Como estava exausto do show apenas se jogou em uma poltrona quando voltaram para a cobertura, por isso foi o último a tomar coragem para se levantar do conforto daquela poltrona macia para ir tomar banho. O esforço valeu a pena, suas energias foram renovadas após um relaxante banho de banheira. Quando retornou para a sala Shino estava sozinho. Mas não era apenas isso. Havia uma mesa com uma enorme variedade de comida preparada e uma garrafa de vinho.

— Shino? — ele chamou se aproximando — O que é tudo isso?

— Eu estava pensando em te convidar para jantar, mas ainda têm repórteres espalhados por todo canto. Por isso pedi para trazerem a comida aqui — Shino respondeu. Pela expressão de Kiba ele notou que tinha começado a explicar pela parte errada — Nós tivemos que trabalhar hoje, mas ainda é dia dos namorados. Achei que poderíamos comemorar.

— Uau… é uma ótima ideia — Kiba abriu um largo sorriso. Sentou-se na cadeira mais próxima e ia começar a se servir quando um repentino pensamento lhe ocorreu — Ei, espera. E quanto ao Neji e a Hinata? Ainda estamos dividindo a mesma cobertura.

— Os dois “sumiram misteriosamente” algumas horas atrás — Shino revirou os olhos por trás dos óculos escuros — Todo ano é a mesma coisa. Não se preocupe, eles devem aparecer pela manhã com alguma desculpa esfarrapada.

— Se você está dizendo — Kiba deixou de lado a preocupação de serem interrompidos e começou a se servir.

Por mais deliciosa que estivesse a comida, Kiba ainda sentia um nó em sua garganta. Precisava conversar com Shino e aquela era a oportunidade perfeita, mas… céus, que assunto difícil era aquele!

— Vai me contar o que está acontecendo agora? — Shino interrompeu seus pensamentos.

— O que?

— Kiba, você está tenso o dia todo e não era por causa da apresentação de hoje. O que está acontecendo? — ele colocou a mão sobre a do namorado — Seja lá o que for, pode me dizer. Se estiver com algum problema eu quero te ajudar.

— Eu sei — Kiba entrelaçou seus dedos com os de Shino — Sei que posso sempre contar com você, Shino. Você me ajudou quando eu mais precisava, me deu a oportunidade de me unir à Rex Noctem… eu não poderia pedir um namorado melhor.

Kiba inclinou-se para frente e beijou o rapaz. Um beijo calmo e lento no começo, que foi se intensificando aos poucos por parte dos dois. Em pouco tempo a mesa entre eles e tornou um incômodo e Kiba se levantou afoito, sentando-se no colo do namorado e enlaçando seu pescoço, sem nunca quebrar o contato entre seus lábios. Sentiu sua jaqueta ser retirada e jogada para longe e soltou um gemido quando Shino encerrou o beijo para passar a lamber seu pescoço, mordiscando o mesmo local ocasionalmente. Kiba arranhava as costas do namorado em uma tentativa frustrada de controlar as sensações que Shino provocava em seu corpo. Ele queria sentir mais daquilo. Arrancou a camisa de Shino em um movimento rápido e o puxou para perto, voltando a beijá-lo.

Quanto mais Kiba o provocava, mais difícil ficava para Shino se controlar. Sentir seus corpos tão próximos estava fazendo seu sangue ferver. Principalmente quando Kiba arranhava suas costas com as unhas que mais pareciam garras. Doía quando ele se empolgava, mas também tornava as coisas estranhamente mais excitantes. Sem pensar muito no que fazia, retirou a camiseta que Kiba ainda vestia e passou a alisar seu tórax, fazendo com que o rapaz deixasse escapar um gemido baixo dentro de sua boca. Kiba era tão lindo… a pele morena, a musculatura bem trabalhada, porém sem exageros, os cabelos escuros e rebeldes. Shino tinha tanta sorte em ter alguém como ele. Kiba seria um partido e tanto se ainda estivesse solteiro, mas também era muito ingênuo para algumas coisas. Demorou a notar que Shino era o mesmo rapaz por quem tinha se apaixonado na época do colégio quando se reencontraram, antes de Kiba entrar para a banda. Precisava receber conselhos de uma pessoa excêntrica como Naruto para conseguir lidar com sua vida amorosa. Sequer percebeu sozinho que Neji e Hinata tinham um caso mesmo os dois disfarçando tão mal. E essa ingenuidade poderia ser um perigo para ele. Às vezes Shino se perguntava se estava tudo bem em ficar com alguém como Kiba.

Bem, Kiba podia até ser ingênuo (ou melhor, lento) para algumas coisas, mas com certeza era bastante perspicaz para outras. Não demorou a perceber, por exemplo, que Shino estava ficando excitado com suas provocações. Ele começou a balançar o quadril ainda em seu colo para estimulá-lo ainda mais.

— Kiba — Shino chamou com a voz rouca, quebrando o contato entre seus lábios — O que está pretendendo fazer?

— Acho que é bastante óbvio, não é? — Kiba comentou, ainda movimentando o quadril. Shino o segurou pela cintura com ambas as mãos, forçando-o a parar.

— Se continuar com isso… sabe o que vai acontecer, não é?

— É claro que sei — Kiba segurou o rapaz pelo queixo com uma das mãos, fazendo com que Shino o encarasse — Você tinha me perguntado antes o que estava acontecendo… bom, é isso — ele soltou Shino tão rápido quanto tinha segurado, sentindo sua repentina onda de coragem se esvair — Quero dizer, eu tenho pensado nisso já faz algum tempo, mas… parece que sempre acontece alguma coisa e atrapalha, ou você para pela metade… você não quer?

— É claro que quero — Shino suspirou, surpreso com o motivo da preocupação de Kiba — Mas eu não sabia se você estava pronto, e não quero te forçar a nada. E Kiba, você… ainda parece tão inocente para mim em alguns aspectos. Consegue enxergar o que há de melhor nas pessoas, mas ao mesmo tempo não consegue perceber certas maldades que podem te prejudicar… acho que tenho um pouco de receio de fazer isso com alguém com um coração tão puro.

— Pois para mim é você quem parece ter um coração puro aqui — Kiba sorriu, acariciando o rosto do namorado — Obrigado por se preocupar comigo, Shino, mas eu já estou pronto para dar o próximo passo. E vou te mostrar que não sou essa pessoa inocente que você está imaginando — ele riu, segurando a mão do rapaz e o conduzindo até o quarto.

Mal fecharam a porta e Kiba foi empurrado contra a cama, sentindo o peso de Shino sobre seu corpo enquanto o rapaz o beijava. Abraçou o namorado, uma das mãos agarrada aos seus cabelos escuros enquanto que a outra acariciava suas costas. Passou então a arranhá-lo de leve ao sentir Shino quebrar o contato entre seus lábios e descer devagar, beijando e chupando de leve seu pescoço, deixando marcas em seu corpo por onde seus lábios passavam.

Kiba era muito expressivo e não se dava ao trabalho de tentar esconder os gemidos, o que apenas atiçava mais o namorado. E o fato de estar aceitando as carícias dele sem o menor pudor provavam que Kiba estava certo: Estava mais do que pronto para o que estavam prestes a fazer. Shino ainda se preocupava em avançar até esse nível, era um passo importante no relacionamento deles afinal. Mas parece que Kiba era uma caixinha de surpresas. Shino achava suas ações previsíveis de vez em quando, mas era realmente incrível quando Kiba conseguia surpreendê-lo.

Suas mãos percorreram a musculatura do namorado até que Shino alcançou o cós da calça. Havia retirado os óculos escuros e encarou Kiba nos olhos uma última vez, como se esperasse um aval para continuar. Kiba sorriu e esticou-se para beija-lo rapidamente, o que Shino interpretou como um “sim”. Com um único puxão, retirou a calça jeans que Kiba usava, levando junto sua roupa de baixo. Como imaginou, o rapaz também estava excitado. Não conseguiu evitar de admirar o corpo de Kiba por alguns instantes.

— Ei — Kiba chamou — Vai fazer algo a respeito disso ou vai ficar só olhando?

— Você é apressado — Shino deixou escapar um pequeno sorriso. Retirou também o que restava das próprias roupas e esticou-se até a gaveta da cômoda ao lado da cama, retirando um preservativo de lá.

— Oh… então você já estava planejando fazer isso? — Kiba abriu um sorriso maldoso.

— Não hoje, mas achei que seria bom ter isso a mão quando precisasse — Shino comentou fingindo estar calmo. Não foi ideia dele e sim um conselho sem noção dos Hyuuga, mas acabou se provando bastante útil. Colocou o preservativo e afastou um pouco mais as pernas de Kiba — Está pronto?

— Manda ver.

Kiba apertou os lençóis da cama quando Shino umedeceu os dedos com saliva e o invadiu com o primeiro dedo, massageando sua entrada. Quando se acostumou Shino inseriu o segundo, arrancando um gemido do rapaz enquanto realizava movimentos de vai e vem. Kiba respirou fundo várias vezes e, quando seu corpo se acostumou, sentiu o namorado retirar os dedos e penetrá-lo com algo muito maior, arrancando-lhe um gemido consideravelmente mais alto.

Por mais que desejasse prosseguir, Shino ficou parado por um tempo, esperando que Kiba se acostumasse com o volume extra em seu interior. Inclinou-se e beijou o namorado, tentando aliviar a sensação inicial de dor. Parecia ter funcionado. Kiba começou a movimentar o quadril devagar, indicando que Shino podia prosseguir. Ele começou a estoca-lo, devagar no começo, sentindo Kiba abraçá-lo, arranhando suas costas.

Era realmente impressionante como Shino conseguia ser cuidadoso em tudo o que fazia, inclusive nisso. Imaginou que seria algo selvagem, seus amigos lhe contaram que doía (realmente doeu um pouco no começo), mas Shino era carinhoso, na medida do possível. Se preocupou em amenizar a dor inicial e em tornar aquilo prazeroso para os dois. Ele tinha se inclinado novamente e agora sugava a pele de Kiba perto da clavícula, que tinha se provado um ponto bastante sensível enquanto massageava seu membro com uma das mãos no mesmo ritmo em que o estocava.

Quanto mais aumentava o ritmo, mais Kiba perdia o controle sobre seus pensamentos. Ele gemia no ouvido do namorado e a única coisa que conseguia balbuciar eram pedidos para que Shino continuasse enquanto agarrava seu cabelo com força. Isso estava destruindo a sanidade mental de Shino também. Começou a aumentar o ritmo dos movimentos de fricção ao mesmo tempo em que masturbava Kiba com mais rapidez. Não demorou para ouvir o namorado gozar, sujando seu abdômen e o lençol da cama. O gemido alto e longo de Kiba apenas atiçou Shino ainda mais, passando a estoca-lo com mais força. Instantes depois gozou também.

Ele retirou-se de dentro de Kiba se jogou na cama ao lado do rapaz, a respiração pesada. Virou o rosto para observar Kiba e viu que o namorado exibia um sorriso bobo nos lábios. Kiba estava certo. Podia até ser ingênuo para algumas coisas, mas esta com certeza não era uma delas.

— Ei, Shino — ele chamou — A gente devia ter feito isso antes.

— Não imaginei que você queria tanto — ele comentou, segurando a mão de Kiba.

— Falando desse jeito faz parecer que sou algum tipo de pervertido — Kiba resmungou — Eu queria porque é com você. Sabe que sou apaixonado por você desde a época da escola.

— E se apaixonou por mim de novo quando me encontrou na Rex Noctem. Só você mesmo para se apaixonar pela mesma pessoa duas vezes — ele beijou Kiba de leve. Esse era um dos fatores que mostrava como Kiba tinha um coração puro. Era uma das coisas que Shino mais amava nele — Me diga… se eu não fosse um cantor e nos reencontrássemos, você ainda desejaria ficar comigo?

— Mas é claro! — Kiba exclamou — Eu te amo porque é você, Shino. Te amo pela pessoa que você é.

— Eu também. Amo tudo em você. Desde o seu coração puro até a sua excentricidade — Shino ajeitou os cabelos rebeldes de Kiba — E você tem razão. Precisamos fazer isso mais vezes — acrescentou, fazendo Kiba rir.

Kiba estava feliz por vários motivos. Não apenas por ter ficado com Shino, mas porque as coisas aconteceram naturalmente, como ele desejava. O motivo de Shino estar evitando aquele acontecimento foi uma surpresa, mas, agora conseguia entendê-lo e estava realmente feliz, pois isso mostrava como o namorado se importava com ele. Também estava feliz por Shino ter compreendido como ele se sentia, ainda que tivesse precisado passar por um momento constrangedor para que isso acontecesse. Aquele era o melhor dia dos namorados que Kiba já teve.





Mais resistente do que diamantes, doce como o creme.

Mais forte e complicado do que um sonho de menina má.

Faz o malvado ficar bom, faz o errado virar certo.

Poder do amor que te mantém em casa à noite.


Você não precisa de dinheiro, não precisa de fama.

Não precisa de cartão de crédito pra subir nesse trem.

É forte e repentino e às vezes é cruel.

Mas pode salvar sua vida. Esse é o poder do amor.





_______________________________


Notas Finais:


² Arachnid Nocte significa Aracnídeo Noturno em latim;

³ Rex Noctem significa Reis da Noite em latim.


Músicas utilizadas na história:

Power of Love - Huey Lewis and the News

Crazy Little Thing Called Love - Queen


*Essa história faz parte do Desafio ShinoKiba do Mês de junho para a comunidade ShinoKiba Yaoi do Nyah! Fanfiction com o tema "uma viagem romântica".


June 12, 2019, 2:25 p.m. 0 Report Embed 0
Read next chapter Bônus

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!