Doces Segredos Follow story

ageha_sakura Ageha Sakura

KyungSoo havia sido convidado para uma festa por seu amigo Chanyeol, mas ele jamais imaginou que ao tentar buscar um lugar "tranquilo" iria compartilhar seus segredos com um completo desconhecido.


Fanfiction Bands/Singers All public.

#exo #do #kai #jongin #kyungsoo #kadi #sebaek #sookai #kaisoo
0
1191 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Único; Segredos Vergonhosos

Bom dia / Boa tarde / Boa noite


Sejam todos bem vindos a "Doces Segredos"!


Espero que gostem da minha OneShot KaiSoo e se divirtam com esses dois amores da minha vida. ^•^


Boa leitura 💕


________________



Havia despertado muito tarde.


Era possível ver o sol se pondo quando pude olhar através da janela do meu quarto.


Perguntei-me o porque de ter dormido tanto, sendo que na noite anterior havia tido uma noite boa, sem nenhum empecilho.


Mesmo com certa preguiça me levantei da cama macia e adentrei a passos lentos o pequeno banheiro.


Fiz minhas necessidades, tomei um belo banho com água bastante fria para tentar espantar a preguiça pelos meus poros.


Ao sair com uma toalha ao redor da minha cintura caminhei ate o vestiário, mas antes que eu pudesse abri-lo meu telefone emite um pequeno som, avisando-me que uma mensagem havia chegado.

Pego o aparelho e vejo no ecrã que era meu amigo Chanyeol me chamando para uma festa.


Suspiro enquanto fito minha janela que já mostrava a escuridão da noite e pensei na possibilidade de ir.


Avaliando minha situação eu não iria fazer nada durante aquele período, e provavelmente não dormiria logo.


Pensei mais um pouco e resolvi aceitar.O que eu tinha a perder?


Mandei uma resposta afirmando que iria e lhe pedi para me buscar.

Deixei o telefone sobre a cama novamente e abri meu armário para escolher uma roupa adequada para ir à festa.


Vasculhei todas as minhas peças e numa pequena luta pessoal finalmente consegui escolher algo agradável à mim e o ambiente.


Minutos depois me encontrava penteando os fios negros, me decidindo para qual direção deveria deixá-los. Tanta indecisão que acabei optando por eles cobrindo minha testa.


Peguei minha carteira, minhas chaves e borrifei um pouco de perfume, assim trancando a porta do apartamento e descendo as escadas ate chegar na recepção.


Cumprimentei o porteiro e sai a procura do carro de Chanyeol, ate o achar buzinando para mim.


Caminhei ate o automóvel e adentrei, sentando-me do banco da frente, colocando o cinto e virando-me em direção ao mais alto.


— Não pensei que fosse aceitar, confesso que fiquei bem surpreso. – Disse o mesmo soltando uma risada fraca.


— Acabei passando a tarde inteira dormindo, então resolvi me afastar da preguiça.


— Que bom,sedentário. A festa será na casa do SeHun, acredito que você o conhece. – Comenta enquanto prestava atenção a estrada, nos conduzindo ao lugar.


— O namorado do Baek?


— Esse mesmo. Ele nos convidou a pedido do Byun. – Dobrou numa esquina e continuo o percurso.


— Baek sempre muito festeiro, não sei como ele consegue suportar ser amigo de alguém tão parado como eu. – Solto um fraco suspiro enquanto permaneço observando a pista.


— Não diga isso! Você é uma pessoal incrível e por isso nós somos seus amigos. – Olhou rapidamente para mim, me dando seu belo sorriso.


— Desculpa, quando durmo demais fico bastante deprimido. Eu os amo muito e também me amo, então não se preocupe. – Sorri de volta, sentindo meus lábios se curvarem em formato de um coração.


— Eu amo seu sorriso, Soo. Ah! Chegamos! – De repente o mesmo fala eufórico demais e estaciona próxima a casa que esta repleta de pessoas, música bastante alta e cheia de automóveis por toda parte.


Saímos do veículo e adentramos o local, tendo que ultrapassar a manada de pessoas embriagadas.


Confesso que o foi bastante trabalhoso ter que suportar desconhecidos tentando algo, ou ate mesmo me forçando a ficar perto deles.


Chegando na cozinha estavam o organizador da festa e seu namorado, meu melhor amigo Baekhyun.


— SOO SEU FILHO DA PUTA! – Baek estava mais escandaloso que o normal e julguei ser efeito da bebida.


— Baek eu sei que você ama minha companhia, mas não exagere.


— Sr. Byun nunca muda mesmo, juro que não sei como você SeHun o suporta todos os dias. – Chanyeol comenta divertido, recebendo um tapa no braço do mais baixo.


— Eu o amo, por isso suporto essas loucuras dele. Amor, vamos dançar um pouco? – Pergunta olhando para Baek que apenas acena, antes de ir me agarra com bastante força.


Após o abraço os dois começam a praticamentecausaremna festa, no meio de toda aquela multidão afobada e eufórica.


Percebi Chanyeol paquerar alguém que não me dei ao trabalho de descobrir, apenas o empurrei em direção a pessoa.


— Pode ir, eu vou da uma volta!


— Tem certeza? – Não olhava diretamente para mim enquanto soltava sorrisos repletos de más intenções.


— Vai logo! Não vou segurar vela pra você!


O mesmo saiu sem ousar se despedir de mim. O perdi de vista, então apenas prossegui meus passos indo ate algum isopor, pegar uma lata de refrigerante e sair do ambiente.


Subi para os andares de cima, onde podia escutar alguns gemidos que eram abafados pelo som estrondoso do andar abaixo.


Continue andando até parar de frente a uma pequena escada que levava ao porão, este que ficava na parte de cima.


Subi devagar, apoiando o refrigerante em uma mão enquanto a outra utilizava para subir.


Chegando olhei os arredores e achei um rapaz, este que parecia se mais alto e bastante distraído.


O mesmo fitava intensamente o lado de fora, imaginei que sua mente estivesse tão perdida que nem se quer percebeu minha presença.


Aproximei-me em silêncio, tentando evitar assustá-lo.


Toquei seu ombro e o mesmo olhou de relance, até virar um pouco para me fitar.


— Eh... Desculpe, mas lá embaixo é bastante sufocante e eu vi a escada e... Subi... – minha voz se perdeu ao observar os olhos claros me fitarem com tamanha precisão.


Ele parecia querer me ler através do olhar, como se buscasse algum resquício de memória para provar que nos vimos antes.


— Moço? Aconteceu alguma coisa? – Não recebo uma resposta imediata, mas o seu olhar parecia dizer tudo.


— Desculpe, mas você é muito bonito. Estou testando para saber se não é alguma ilusão da minha mente...


Sua confissão me deixou bastante surpreso, pois esperei muitas desculpas mas essa superou todas.


— Ah... Obrigado, eu acho... Me chamo KyungSoo, e você? – Desvio o olhar e me aproximo da janela, apoio meus cotovelos e espero o mesmo me responder.


— JongIn, mas meus amigos me chamam de Kai e eu não sei o porque. – Sorri fracamente e toca a lata de refrigerante, em um pedido mudo para beber um pouco. Cedi o entregando, vendo o sorriso satisfeito.


— Amigo do SeHun?


— Não... Meus amigos jogam com ele e me chamaram. Vim por tabela sabe. – Me devolve a lata.


— Entendo... Sou amigo do namorado dele. – pego ela de volta e todo o restante do conteúdo num só gole.


— Parece que nós dois estamos quase na mesma. Pelo menos o fato de se afastar é igual. – Me olha no mesmo momento em quê eu o olho.


— Verdade... Quer fazer algo para não se tornar entediante?


— Não sei... O que quer fazer?


Olho o ambiente atentamente ate achar um tabuleiro empoeirado. Ando em direção ao objeto, tento limpa-lo com um trapo velho que achei e o chamo para jogar.


— Alguma regra?


— Quem perder duas partidas vai contar algum segredo muito cabeludo. – Sorrio animado com a expressão que o mesmo fez.


— Você é um apelador nato, devo admitir. Tudo bem! Espero que perca feio! – Me mostrou a língua em um ato infantil.


A brincadeira se iniciou. Ambos estávamos bastante concentrados em ganhar a qualquer custo, ninguém queria contar algo totalmente constrangedor para um completo desconhecido.


A primeira partida estava com tudo para ser vitória minha, mas em um simples deslize perdi a partida.


JongIn comemorou em alto e bom tom. Eu juro que quis bater nele, mas me contive.


A próxima começou com um JongIn totalmente confiante, o que resultou na minha vitória suada. Dessa vez eu comemorei jogando na cara dele que seria o vencedor.


A terceira foi iniciada. Estávamos tão concentrados, não focamos em nada além do jogo. Mas por culpa de uma pequena distração do andar abaixo JongIn ganhou.


Agora era a partida final. Eu havia perdido as duas, mas ainda tinha chance de tornar um empate.


Me esforcei o suficiente e ele também. Demorou muito, mas acabou que não tivemos um ganhador.


— E agora? Vai me dizer ou vai inventar algo para reverter isso? – Fitava-me com os braços cruzados.


— Para ajudar os dois lados ambos vamos falar.


— Por mim tudo bem,mal perdedor.


— Imbecil... – Resmunguei baixo.


Nos levantamos, guardamos o jogo e nos encontramos na parede abaixo da janela.


— Quando eu era criança... – Comecei um pouco nervoso — Minha tia me levou para um casamento da prima dela. Eu estava bastante ansioso, só que houve um problema... – Suspirei — Uma das damas de honra havia passado muito mal e como não tinha outra menina para substituir me usaram.


O silêncio se alastrou por um momento, até eu criar coragem o suficiente e continuar.


— Tive que me vestir com o vestido da menina, usar peruca e maquiagem. Na hora de entrar com as alianças fiquei com tanto medo que tropecei, derrubei os anéis e ainda rasguei o vestido. Foi ai que os convidados viram que era um menino e riram bastante pela minha cueca ter ficado molhada.


Comecei a rir de mim mesmo, o que assustou JongIn. Acho que ele pensava que era algum trauma para mim.

— Não fique tão sério, Kai. Fui criado numa família repleta de loucos. É normal para mim rir dos próprios micos. – O empurrei de leve com o ombro.


— Tem certeza? Não ficou magoado ou frustrado com toda essa situação?


— Não fiquei. A foto está no álbum da família, não tinha o porque chorar e me envergonhar mais do que já estava.


— Então... Tudo bem?


— Tudo sim. Agora me conte você o seu segredo.


— Ah... O meu apenas é algo simples. Eu fui viajar com meu pai e ele fez eu enfrentar a floresta sozinho a noite. Ai ele fez uma armadilha secreta, na qual eu cai feito um patinho... Eu fiquei todo cagado! Foi super nojento, de quebra ele ainda colocou um caranguejo pequeno na minha bunda.


Não resistir a soltar uma bela de uma gargalhada. Esse momento foi extremamente divertido.


— Não sei qual é o pior, mas seguimos em frente.


— Sim. Confesso que acho o meu pior, mas não sei você.


— Ambos concordamos que o seu foibempior. – Dei intensidade a palavra, fazendo o mesmo rir e me abraçar pelos ombros.


— Gostei bastante de você, Soo. Me passa seu número. – Esticou seu telefone para mim anotar. Depois de feito o devolvi e o vi voltar a me fitar intensamente.


— Kai você não para de olhar 'pra mim e 'pra minha boca. – Respondi sem realmente algum interesse.


— Não estraga o momento!


— Se você quer tanto me beijar por que não faz isso logo?


— Você quer? – Se aproximou um pouco.


— Se eu não quisesse nem deixaria você me abraçar, idiota.


O puxei pela gola e deixei que nossos lábios se encontrassem sem nenhuma dificuldade.


Movíamos os lábios em um toque necessitado, ate sentir sua língua pedir pela passagem que foi imediatamente aceita.


Minhas mãos apertavam sua cintura por debaixo da blusa e as suas minhas coxas.


O ósculo cada vez mais intenso, representando nossa necessidade de mais proximidade e o desejo de nos conhecermos melhor.


A falta de ar veio de forma avassaladora, nos fazendo afastar bruscamente e em seguida voltar apenas para depositar selares.


— Uau! – JongIn exclamou extasiado.


— Só... Me beija...Caralho...


E meu pedido foi atendido sem nenhum questionamento.


Perdemos a noite nos encantos de cada um, apenas trocando beijos ousados e mãos bobas em algumas parte do corpo.


Ao amanhecer saímos de táxi para a casa dele. Lá dormimos abraçados, deixando pequenas palavras e gestos repletos de carinho.


Quando amanheceu o clima não havia mudado e foi ali que descobrimos que poderia dá certo.


Com o tempo estávamos nos aproximando mais e mais. Descobrindo alguns gostos em comum e curtindo cada segundo como se não houvesse amanhã.


O pedido de namoro não tardou. Ou uma noite maravilhosa, onde me entreguei por inteiro e agora velando ele dormir decidi pegar meu celular e fazer uma rápida anotação no bloco de notas.

A noite iluminada pelos astros, nossos corpos aquecidos se tornaram um e nesse período que estivemos juntos me sinto feliz em dizer algo... Eu amo você, Kim JongIn.
Assim como nos momentos de tristeza, nas bobeiras e nos segredos constrangedores.

Eu somente o amo, minha doce estrelinha...



*Notas*


O que acharam?


Ela tem muita comédia como podem ver 😂 quis fazer algo diferenciado novamente, tanto pra mim como pra vocês.


Essa capa divosa, mais que perfeita, razão do meu viver e explendor da minha vida foi feita pela @yoonieris 💞 ela é a mais nova florzinha da minha vida. Não recebi só capas, mas também uma linda amiga 💕


Twitter: @stephy_lilian
CuriousCat: https://curiouscat.me/stephy_lilian


Vejo vocês numa próxima história 💕 AMO VOCÊS DEMAIS AMORINHAS 💞


PS: a fruta amora tá gente? Kkk

June 9, 2019, 2:09 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Ageha Sakura >> why do you still wishing to fly? >> taekook is a cute world sope ; bwoo ; kaisoo ; markson ; hyudawn twitter: @stephy_lilian [Ficwriter]

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~