para a vida toda Follow story

kalinebogard Kaline Bogard

A vida de Kiba segue a rotina confortável de sempre: sábado é dia de aproveitar e jogar com o melhor amigo Naruto. Tudo ia bem, até que ele encontra algo que deveria ser uma surpresa. E tem um surto inevitável.


Fanfiction Anime/Manga Not for children under 13.

#yaoi #Humor #comedia #lgbt #naruto #kiba #linguagem-impropria #shinokiba #shino #Aliança #surto
1
577 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

É 'surto' que chama?

Notas da História:

* Naruto é um anime e não me pertence. Feito de fã para fãs sem fins lucrativos.

* As imagens usadas nessa fanfic não me pertencem. Foram retiradas do Google e editadas para servir de capa. Deixo os créditos aos devidos artistas.

* Obrigada à Carolzita que fez as edições na imagem pra mim! ARRASOU!!

* Não foi betada, nem será.

----

Desafio Relampago - Duoshot

Tema: Alianças

Bonus: Naruto participando de alguma forma.

Prazo: de 01/05 a 31/05

Limite: Capítulos: 02 / Palavras: o da plataforma de postagem


***

O sábado era um dos dias favoritos de Kiba. Era quando ele assistia aulas da faculdade pela manhã, almoçava no lugar preferido com o melhor amigo e dali iam juntos para o apartamento de Kiba para passar a tarde jogando videogame.

Bem, dizer "apartamento de Kiba" era um pequeno exagero justificável. O imóvel pertencia a Aburame Shino, namorado de Kiba.

A relação de ambos começou de um jeito inusitado, com Shino bancando o príncipe encantado e o salvando em um jantar de luxo cuja conta da refeição era impossível para Kiba pagar.

Depois disso foram ladeados por uma série de acontecimentos dignos dos filmes Hollywoodianos, aventuras inacreditáveis que, apesar de tudo, reforçavam a relação e aproximavam ainda mais Shino de Kiba.

A cada dia o garoto passava mais tempo no apartamento do namorado. Roupas eram levadas e ficavam. O lavatório ganhou uma segunda escova de dentes. Boxers começaram a se pendurar no registro do chuveiro. Toalhas estampadas volta e meia eram esquecidas no chão do banheiro. Quando se deram conta Kiba passava mais tempo ali do que na própria quitinete.

Por fim oficializaram o óbvio e Kiba se mudou, apropriando-se do lugar no qual se sentia muito a vontade, obrigado.

Vários dos sábados de Shino eram ocupados por reuniões e almoços de negócios. Era um dia em que Kiba se sentia meio solitário. Por isso convidava Uzumaki Naruto, a quem conheceu ao iniciar a faculdade, mas que já tratava como melhor amigo da vida toda, para passar a tarde ali, jogando e bebendo cerveja gelada. Já tinham vinte e um anos, eram legalmente autorizados a consumir álcool!

— Fica a vontade, cara — Kiba disse ao tirar os tênis no genkan — Vai ligando o play que eu vou pegar a cerva.

— Beleza — Naruto não se fez de rogado. Deixou a mochila no sofá e ajeitou-se no carpete felpudo e confortável para fazer o que foi pedido.

Na cozinha, Kiba olhou em um dos grandes armários e pegou dois sacos de batatas tipo chips. Virou o conteúdo em uma tigela, aproveitando para comer algumas.

Abriu a geladeira e pegou duas garrafinhas longnek e o vidro de catch-up.

Voltou para a sala equilibrando tudo nos braços com um jeito ninja que só quem tem muita prática consegue fazer.

— Aqui — colocou meio desajeitado sobre a mesinha de centro e entregou uma garrafinha para o amigo — Vou trocar de roupa e já volto. Escolhe o jogo!

Preferia tirar o jeans e o casaco com pele na gola e punhos, e colocar uma confortável roupa caseira. Naruto já estava acostumado à rotina.

Assim que entrou no quarto foi para a cômoda atrás de trajes caseiros. Tinha algumas peças (muitas) de roupa ali, mas gostava de vestir as camisas de Shino. Eram largas, ficavam aconchegantes.

Abriu a gaveta e pegou a primeira da pilha. Era uma preta de algodão.

Ia fechar para pegar um short, porém interrompeu a ação. A próxima camiseta da pilha era branca.

Branca!

Shino era obcecado com organização. Camisetas, blusas, calças e até as boxers: toda a roupa era organizada por cor. Ele nunca colocaria uma peça preta sobre uma branca.

Curioso, começou a mexer na pilha. Não parecia ter nada de errado. Mas uma vez que o sexto sentido apita… Precisava comprovar que não tinha nada demais.

Nada de errado.

E não tinha nada anormal entre as blusas, a não ser uma pequena caixa de veludo preto, daquelas bem características usadas para…

---

Na sala, Naruto estava confortavelmente instalado no tapete, usando o controle sem fio para navegar pelos jogos em busca de um interessante. Estava em dúvida entre Mortal Kombat e Tekken quando uma série bem eloquente e variada de palavrões soou mais alta do que a trilha sonora do game.

Nem teve tempo de pensar no que poderia ter acontecido e Kiba invadiu a sala como um furacão vivo.

— PORRA, NARUTO! — e o referido impressionou-se com a quantidade de vezes em que a palavra podia ser dita no espaço de tempo de um segundo.

— O que foi, cara? — Naruto levantou-se e passou a assistir enquanto Kiba andava de um lado para o outro, com as mãos unidas em concha como se segurasse algo importante.

— Olha! Olha! Olha o que eu achei!!

O tom de histeria na ordem fez o rapaz se mover. Ele aproximou-se de Kiba, que parou de zanzar pela sala e estendeu as mãos em sua direção. Viu a caixinha de veludo e entendeu vários nadas:

— O que é isso?

A expressão de Kiba ao ouvir a pergunta foi impagável.

— Isso é um vibrador tailandês de vinte centímetros — resmungou incrédulo. Para se irritar em seguida — São alianças, cara! Alianças.

Naruto coçou a orelha com o dedinho sem entender o motivo de tanto drama.

— E daí?

— E daí?! E daí?!! Caralho, Naruto! Alianças na gaveta do Shino? O que você acha que isso significa?! Que ele vai me pedir em casamento.

— Ah, mas eu pensei que você tinha pedido ele em casamento… — o rapaz debochou sem piedade. Sabia da história toda, porque fofocas sempre se espalham. Aquela noite na festa da empresa foi memorável, virou lenda entre os funcionários.

Kiba perdeu dois segundos analisando a expressão irônica de Naruto, que teve a impressão de ver uma nuvem negra de ranço explodir ao redor do melhor amigo.

— Aquilo foi sua culpa, animal — Kiba falou estranhamente calmo — Você jogou o meu presente no lixo e me fez dar aquela aliança fodida no lugar. Virei a piada por dias.

Naruto cruzou as mãos atrás da cabeça e afastou-se dois passos por segurança.

— Pelo menos me salvou de uma burrada — riu — Nunca mais voltei com o Sasuke…

E afastou-se mais dois passos.

— Naruto…

— Foco, Kiba! As alianças…

A frase causou o efeito certo. Kiba voltou a se desesperar com a descoberta. Recomeçou a andar de um lado para o outro, segurando a caixinha como se fosse algo radioativo.

— Que caralho do inferno! Nem terminei a faculdade. Porra, Naruto. O Shino é meu chefe, ele paga meu salário de estagiário! É muito cedo pra gente se casar! Quero me formar, arrumar um emprego melhor em outra empresa, apesar de trabalhar lá ser fantástico… não quero passar o resto da vida sendo o funcionário que dá pro chefe rico!

Naruto suspirou. Kiba tinha um bom ponto.

— Diz isso pra ele, cara. Vocês parecem ter uma relação incrível. Se for honesto e contar a verdade ele te entende.

Isso acalmou um pouco ao outro. Havia razão em cada palavra proferida: a relação do casal era fantástica. Kiba não podia se lembrar de algum momento em que Shino o pressionou ou tentou apressar qualquer coisa. Eles seguiam a passos diferentes, Kiba era mais lento em algumas coisas. Ou então agia sem pensar, se precipitava e depois lidava com as consequências. Fosse como fosse, Shino estava sempre disposto a mudar o próprio ritmo e assim seguir ao lado do namorado.

Se dissesse ao homem que não estava preparado, Aburame Shino aceitaria. Bom, e o pequeno detalhe de Shino ser mais velho? E estar perigosamente perto dos quarenta anos? Teria isso dado alguma pressa ao seu namorado?

E…

Sacudiu a cabeça espantando os pensamentos sombrios. Foi até a janela respirar fundo. Precisava de ar! Sentia-se sufocado com as descobertas.

— Sério, Kiba. Eu sou apressado pra caralho, achei que tinha encontrado minha alma gêmea, mas era só o Sasuke — Naruto tentou ajudá-lo a ver a situação de forma racional — O Shino é tudo, menos apressado. Tenho certeza que ele não está agindo por impulso e vai pedir você em casamento porque te ama de verdade.

Mais uma vez as palavras sensatas acalmaram o outro jovem. Kiba olhou para as mãos, que acolhiam a caixinha. O par de alianças que mostrava o quanto Shino o amava, com seus defeitos e qualidades. A ponto de dar um passo tão importante na relação de ambos.

Seguindo um impulso abriu a caixinha e descobriu um par de alianças de ouro envelhecido, peças finas e delicadas, de um requinte inquestionável. Eram discretas e lindas.

Percebeu que havia algo gravado no interior das alianças.

“para a vida toda”, em letras rebuscadas.

Kiba sentiu a boca secar de repente.

Para a vida toda.

Pela vida toda.

Para sempre…

Foi como se a caixinha lhe queimasse as mãos. Quando deu por si estava jogando aquilo pela janela.

Ele e Naruto se entreolharam em silêncio por segundos, até que Uzumaki Naruto arregalou os olhos e ofegou:

— Porra, Kiba! Por que você fez isso, animal?!

— Não sei, caralho!! — o garoto berrou de volta — Me deu pânico!

— Puta que pariu!! E agora?

— Acho que não caiu muito longe — nem tentou olhar pela janela. Shino morava no décimo primeiro andar de um condomínio de luxo, só conseguiria enxergar se tivesse visão de X-Men. Apressou o passo e atravessou a sala em três segundos — Me ajuda!!

— Tá, ajudo!! — Naruto ainda não acreditava no que seus olhos presenciaram. Sabia que o amigo era impulsivo? Sabia. Mas aquilo era outro nível!!

E a incredulidade só aumentou quando Kiba abriu a porta do apartamento e deu de cara com Aburame Shino que chegava naquele instante.

Teria Inuzuka Kiba desafiado alguma entidade sagrada do azar?

Naruto apostava que sim.

May 16, 2019, 1:01 p.m. 0 Report Embed 119
Read next chapter É 'amor' que chama?

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!