The flower of the desert Follow story

ya-young1554031536 Ya Young

Pode uma flor linda e forte viver sufocada em meio a uma cidade extremamente forte e bem protegida? Lee vai descobrir quem é a tal flor tão cobiçada e desejada da grande cidade de Esier em meio ao deserto de Dirmind.


Fanfiction Anime/Manga Not for children under 13.

#yaoi #leegaa #gaalee #naruto
Short tale
0
2162 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Deserto

– Abram o portão por favor. – gritava o jovem se aproximando do enorme portão de Esier a cidade protegida. – Abram... – não conseguiu concluir antes de ser ferido por uma flecha dos nômades do deserto que não seguem nenhuma lei, nem limites territoriais.
Eles sabiam que Esier não o deixariam entrar ninguém entrava naquele lugar, o líder dali não queria olhos corruptuosos sobre sua flor.

O rapaz de vestes tom verde indicando ser de Sutol uma cidade bem ao norte, caiu de seu cavalo, olhando o imenso monumento a sua frente, rezando pra seu destino certo ser um pouco menos doloroso do que morrer a frente de Esier.

Os portões se abriram e uma guarda de cinquenta homens o cercou dois deles trazendo uma pequena maca para dar suporte ao corpo, os nômades se retiraram deixando que Esier se encarregasse de matar aquele homem.

O corpo foi levado às presas para os melhores médicos, quando foi colocado para dentro da imensa construção de cura o líder de Esier entrou furioso, logo atrás dele o responsável por toda aquela bagunça seu único filho o príncipe de Esier, Gaara olhava atento os gestos furiosos do pai.

– Tirem esse homem daqui, jogue ele para fora de Esier e se certifiquem de matá-lo.

Os subordinados faziam o que foi ordenado quando um pequeno pergaminho caiu das coisas do ser ferido rolando até os pés de Gaara que se abaixou o pegando e lendo imediatamente.

– Um instante meu pai, este homem é o braço direito do líder de Sutol, o que esta visitando as cidades em busca de uma paz entre nossos reinos.

– Dizes a verdade, deixe- me ver isto.

Os subordinados ficaram atentos a novas ordens, enquanto o líder lia o pergaminho tendo a confirmação ao ver o selo de Sutol que só o líder usa em missões de alto nível.

– Deixem o jovem ficar e ser curado avise ao meu regimento que cace aqueles que o feriram e ao meu general que envie uma pequena nota para Sutol sobre o rapaz.

O jovem rapaz abriu os olhos e pode ver uma beleza que não existe em nenhum dos 13 reinos já visitados, "Lee" foi à única coisa que pronunciou antes de fechar novamente os olhos. Gaara apenas sorrio ao ouvir que o rapaz estava bem, acompanhou seu pai para fora daquele lugar, tendo um regimento de sete homens ao seu entorno nem mesmo dentro dos muros da própria cidade seu pai o deixava respirar sem ter alguém o protegendo.

Voltou aos seus livros onde aprendia sobre liderança, historia dos reinos e coordenações de estratégias, e afins tudo para estar bem preparado para um dia liderar Esier.

Seu desejo era poder ver alem das paredes de seu quarto ou de qualquer lugar dentro dos muros de Esier, seu pai estava atulhado de papeis em seu escritório que não notaria se ele sumisse só um pouco.

– Como ele está? – entrou perguntando aos médicos o estado do rapaz, ruborizou ao ver o homem nu sendo limpo por duas mulheres que riam ao tocá-lo.

– Meu senhor o rapaz está bem já fechamos o local ferido, e ele apenas dorme, daremos algo mais tarde para as possíveis dores que ele terá devido à queda de seu cavalo.

Gaara observava o corpo esbelto e bem estruturado de Lee, com muitas marcas de possíveis batalhas travadas com inimigos. A noite já ia se formando no horizonte, e Gaara ordenou que levassem o rapaz para sua casa que seria melhor cuidado do que ali, e foi o que os subordinados fizeram.

– Meu filho pequena flor de Esier o que está pensando trazendo um homem de fora para dentro da nossa casa? – Gaara nada respondeu apenas abaixou a cabeça.

Ele sabia que seria uma briga perdida com o pai, e antes mesmo de manda o de volta sua mãe apareceu puxando seu pai para longe e deixando o rapaz aos cuidados do filho.

Lee se viu em uma cama confortável de mais, e com muitos travesseiro a sua volta, sentiu o vento frio da noite arrepiar seu corpo. Olhou a sua frente vendo um anjo de cabelos vermelhos uma marca no mesmo tom em sua testa e roupas em tons branco e dourado.

– Eu estou no céu e você é o anjo que me prometeram. - Lee estendeu a mão puxando rápido o corpo a sua frente e o beijando.

" Se estou morto eu necessito aproveitar minha eternidade luxuriosa." Era o pensamento que Lee manteve até descer a mão pelo corpo se debatendo em seus braços e senti um volume estanho em meio a suas pernas.

– Me solta. - Gaara falou depois de morder o canto da boca de Lee. – Não sou um anjo e não estas morto, esta em Esier e eu sou...

Aporta se abriu e uma voz ecoou naquele quarto chamando a atenção de ambos os dois.

– Pequena flor, como está o rapaz? - uma senhora usando uma roupa em tom vermelho entrou no ambiente, Lee estremeceu sabia muito bem quem era a pessoa a sua frente.

– Está bem, não dura nem dois dias em Esier se está é a preocupação do meu pai o líder desse reino. - disse saindo do quarto.

Lee se deitou fechando os olhos sabia bem que estava em Esier já conhecera a esposa do líder em uma breve reunião em Arukas quando o líder de lá morreu e seu filho assumiu o reino.

Então a tal flor que tanto se fala é um jovem de 19 anos, ele só podia estar perdido por gostar de beijar a flor do deserto a quem tantos já desejaram possuir. Se levantou da cama caminhando até a enorme janela a Lua parecia brilhar mais está noite, pode ver a imensidão que Esier é, e como o povo parece pacifico a tudo que acontece.

Recordou de Arukas quase foi tomado por um ódio ao ver o povo mendigando comida enquanto a nobreza se esbaldava com alimentos fartos e que acabavam seno jogados fora de tanto desperdício. E em Biviri que o líder o ofereceu um harém de moças bonitas...

Começou a rir nenhuma delas se comparava a beleza do jovem, se debruçou na sacada olhando o jardim cheio de flores e um enorme lago. Sua atenção foi até Gaara o rapaz treinava artes márcias de povos ancestrais originários de Virta, os movimentos sinuosos lembrando os movimentos da areia sendo empurrada por um vento fraco ou os ágeis como tempestades de areia.

Lee podia se perder naquele ser e não faria nenhuma questão de ser procurado ou se achar, mas para isso ele tem que ficar mais um pouco em Esier e isso sim é o problema da questão.

Pensaria isso no dia seguinte agora focou toda sua atenção ao belo rapaz alheio a seus olhares, tomava nota de tudo, corpo mediano perfeito para se encaixar ao seu, cabelos vermelhos que dão um ar mais selvagem a ele, olhos verdes, um Kanji em seu rosto marca dada na certa por algum ancião quando nasceu confirmando a nobreza e mostrando a todos quem ele seria no futuro.

Já liderou inúmeros regimentos tem força de dez homens, é o braço direito do líder de Sutol, mas está perdidamente derrotado por um rapaz mais novo que ele, a lua foi encoberta por uma nuvem especa e Esier cairia em uma desgraça se Rock Lee não agisse rápido como fez.

Gaara estava tão entretido com seu treinamento que não sentiu o inimigo se movendo em sua direção, Lee já estava a caminho o rapaz só teria que aguentar um pouco. O pequeno regimento inimigo invadiu fantasticamente Esier rendendo os guardas da área sul e indo direto ao encontro da flor.

Gaara foi rendido rápido de mais e isso o abalou muito, estava cercado por um grupo de cinco homens vestindo roupas pretas e com os rostos cobertos, gritou mais a voz não saia era diferente de seus treinamentos secretos com o general, tudo ali podia o ferir, o machucar o matar.

– Vamos levá-lo, a flor do deserto pertencera a Arukas. - Gaara congelou, sentiu que o temor de seu pai se concretizava naquela noite, onde sua mente nem ao menos estava centrada para ajudá-lo, ela só sabia pensar em Lee.

E foi Lee que ele viu socando os caras com tanta força que poderia os virar do avesso, pouco tempo depois de terminar com todos Lee sorriu caminhando até Gaara sem notar o perigo em suas costas quando uma pequena adaga entrou em seu corpo o rasgando profundamente.

Gaara conseguiu a voz que precisava e gritou o tanto que podia até o regimento todo estarem ali, os culpados foram executados sem menos um julgamento, e Lee ficou aos cuidados do rapaz que não saia de seu lado.

Três malditos dias que Lee não acordou, Gaara não se mexia para nada evitava o máximo de entra e sai em seu quarto a única com permissão era sua mão e uma velha medica que o ajudava.

– Um anjo, eu morri novamente? - Gaara se jogou em cima de Lee ao ouvir aquelas palavras. – Calma ai eu não posso me mover assim.

Lee sentiu o aperto sumindo e não gostou muito da sensação, já estava ferrado o que podia ser pior? Puxou Gaara para si não se importando se o rapaz relutaria, ele é quente, com cheiro de doce de rosas.

– Precisa me soltar eu necessito de ar. – Lee Fe muito a contra gosto.

Depois de dois messes em uma recuperação lenta devido ao ferimento ter sido profundo, Lee já nem lembrava que devia cumprir sua missão, só queria contar suas aventuras a Gaara que ouvia a toda atentamente, como se ele mesmo pudesse viver aquilo. Mas nem tudo estava as mil maravilhas o líder de Esier o queria bem longe e seu filho e teve ajuda do líder de Sutol que enviou uma carta para que Rock Lee volta-se a sua missão e regressasse o mais rápido para se casar com Hinata a filha do líder de Sutol.

– Gaara eu não quero te deixar diga que gosta de mim como eu o amo e eu ficarei aqui para sempre. - Lee tentava pela ultima vez ter a resposta que queria.

– Não é simples somos de reinos...

– Entendi eu fui só o seu livro de aventuras sujo na ultima prateleira, não precisa dizer mais nada.

Gaara engoliu seco o que Lee jogava em sua cara sem arrependimento, não era isso ele não podia jogar tudo pro alto, podia? Teria que descobrir sozinho. Deixou Lee arrumando seus pertences e correu o mais rápido até o pai o parando n meio de uma reunião com o general.

– Pai não deixe a flor morrer, não deixe a água mais limpa que ela já teve se evaporar e ir embora. - seu pai o olhou confuso. – Eu... Eu o amo não sei bem se vai durar, realmente não posso prever o futuro mais é com ele que quero começa meus passos de líder e se não aceitar. - Lee ouvia atento a tudo atrás da porta junto a mãe de Gaara. – Eu te peço meu pai, líder de Esier a cidade mais bem protegida que não mande o rapaz que salvou a flor.

A mãe de Gaara entrou puxando o mais alto com ela e ficando ao lado do filho mostrando que ela já abençoara aquele relacionamento.

O grande líder apenas abraçou o filho e não disse mais nada, olhou para o general que já escrevia algo em um pergaminho oficial.

– Cuide ainda mais da minha pequena flor, mais do que estes dias que você iluminou o sorriso dele. – foi a ultima coisa que Lee ouviu antes de ser abraçado por Gaara.

Gaara selou os lábios aos do Lee confirmando o começo de um relacionamento o começo de um amor.

[...]

Uma pequena viagem foi feita para acertar as coisas entre Esier e Sutol em relação a Rock Lee ficar em Esier, a única clausula do acordo foi de Lee nunca revelar os segredos de Sutol para o então futuro líder. Além de que essa aliança ainda não confirmada no casamento, já trazia muitos frutos o principal foi um acordo entre os dois reinos não só de paz mais de uma aliança política e econômica.
– Estamos quase nos muros de Esier minha flor. – o líder anunciava para o filho adormecido nos braços do amante.

Gaara se enrolou mais em Lee adorou muito quando Lee quis levá-lo junto para que ele começasse a conhecer outros reinos não só em livros e pergaminhos.

– Vamos meu pequeno rubi acorde chegamos a Esier.

Gaara não se mexeu, Lee apenas sorriu com aquilo levantando Gaara junto a si e saindo do pequeno transporte, adentrou com ele em seu colo e caminhou até o quarto do rapaz, não é por que o líder confirmou que dormião juntos.

– Lee venha está noite, quebrarei todos os protocolos hoje. – não respondeu nada colocando o menor na cama e saindo.

O maior caminhou confiante, deixando os pensamentos impuros de lado, ele devia se adiantar ao pecado desta noite, pois sabia que nada impediria Gaara de adiar esta noite.

Entrou no escritório do futuro sogro, o vendo olhar a paisagem caminhou lento até ele e parou ao seu lado, um simples gesto mostrou-lhe a pequena caixa de madeira aveludada em tom de verde, e um pequeno anel dentro desta.

– Vou pedir- lhe esta noite, mas antes queria lhe dizer que nem mil exércitos tiraram ele de mim e que o senhor pode contar comigo como um fiel genro.

– Apenas seja fiel a ele, e tudo se resolverá. - o líder o abraçou terno.

O jantar logo estava servido e Rock Lee aproveitou o momento para fazer o tão esperado pedido, abençoado pelos pais, Gaara se via feliz ao lado do homem que ele aprendia cada vez mais a amar e respeitar.

Apos o jantar Gaara deixou a porta aberta do quarto esperando ansioso por seu amado, se debruçou na sacada olhando as estrelas que iluminavam a noite sem lua.

Lee juntou seu corpo ao de Gaara, mordendo o pescoço do menor, as mãos foram rápidas para dentro da veste de Gaara, sentindo a macies da pele dele.

Gaara mordeu o lábio tentando controlar ao máximo o desejo de se entregar ali mesmo, sentiu o maior o pegar no colo caminhando com ele para dentro do quarto, os dois se controlavam para ter a noite toda aos pés deles.

– Está certo disso, se eu começar não voltarei atrás? – Lee queria confirmar o que já sabia.

– Só tem uma coisa que quero sentir agora, é você tocando toda a minha pele.

Os corpos caíram na cama macia e o olhar de desejo tomava ambos os dois, Gaara olhou necessitado para Lee que só sentia sua excitação aumentar cada vez que seus olhos se encontravam com os verdes de Gaara.

Os volumes nas partes de baixo se chocavam enquanto os dois se beijavam, um beijo feroz, Lee acariciou o rosto do menor quando se separaram por falta de ar.

As mãos ágeis de Gaara se agarram a roupa de Lee o retirando e jogando longe, sentiu o outro começar a fazer o mesmo mais um tanto lento, desfrutando cada pedaço do seu corpo.

A boca quente do maior começou a sugar os mamilos rosados de Gaara que arfava em prazer, o menor mordia o pulso para não deixar seus gemidos serem ouvidos fora daquele quarto.

– Me deixa te ouvir, ver, sentir. Grite o quanto está gostando disso, mostre pra mim o som do seu prazer. - Lee sussurrou no ouvido de Gaara.

Rouco, baixo, sensual, Lee estava torturando Gaara só usando a voz, o rapaz não se aguentou sujando a mão de maior, Lee levou a mão aos lábios sugando aquele liquido branco quente. Nem teve tempo de reação Gaara já estava novamente excitado olhando o corpo do rapaz acima de si.

– Eu quero você dentro agora.

Rock Lee se viu derrotado ele também quer se afundar em Gaara de um jeito que nunca o corpo do menor o esqueça que essa noite seja a primeira de muitas de prazer e amor. Lee mordeu o pescoço do menor e foi trilhando mordidas até o pênis, lambeu os próprios dedos e foi circundando a entrada de Gaara que assistia a tudo com certa curiosidade.

– Eu vou devagar.

Gaara fechou os olhos evitando que alguma lagrima caísse, só um dedo de Lee já o machucou imagina aquilo, que era enorme e já pingava o pré gozo. Respirou fundo não se daria por vencido, puxou Lee para um beijo em meio a um abraço desajeitado, já que Lee ainda o penetrava agora com dois dedos.

Dor era o que o menor estava sentindo, medo o que Lee sentia não queria machucar sua flor, seu pequeno rubi, mais um dedo e os movimentos lentos começaram, primeiro o vai e vem típico alternando com o de tesoura.

– Você está bem se quiser paramos aqui?

Gaara fechou os olhos controlando o corpo para tentar se livra da dor incomoda no quadril, ao abrir e olhar fundo nos pretos as duvidas acabaram queria muito mais Lee dentro de si do que qualquer dor pudesse o parar.

– Eu quero ser seu está noite.

Lee retirou os dedos ajeitando seu pênis a entrada do menor, foi empurrando devagar, depositando beijinhos no rosto de Gaara para ele se esquecer da dor.

Os movimentos lentos foram aumentando rápido de mais fazendo ambos gemerem alto, os corpos suados, Gaara arranhava sem dó as costas já marcadas de cicatrizes do maior e Lee mordia como podia o pescoço do menor.

Fundo, rápido e forte assim estava o sexo dos dois, Lee virou Gaara aproveitando para masturbá-lo, as mãos do menor se seguravam nos lençóis, o maior se juntou a ele segurando firme sua mão.

Gaara sentiu o gozo o preenchendo, seu ápice não demorou também sujando a cama e seu abdômen, o peso do maior afundou mais seu corpo no colchão, ambos tentavam recuperar o fôlego.

O menor não demorou a sentir o volume que se chocava com sua entrada, Lee esta excitado novamente, Gaara inverteu aquela posição sentando do colo de Lee, os olhos pretos encaravam o corpo dele, um arrepio subiu a espinha de Gaara ao ter a pele tocada pelo vento frio que invadiu o quarto.
Lee se ajeitou arrumando o corpo acima do seu confortavelmente, e sem uma sequer palavra posicionou seu membro na entrada do menor e este se afundou nele, o ar saiu tão rápido dos pulmões de Lee que o gemido foi inaudível.
Gaara tinha a cintura fortemente segurada pelo maior enquanto apoiava as mãos no tronco de Lee, assim ele podia cavalgar sem dificuldades, sentia a dor no quadril mais ao invés de diminuir o ritmo só o aumentou.

Caiu de cansaço misturado a prazer no ombro de Lee e este foi se deitando se enrolando ao corpo frágil e cansado do menor, o carinho nas costas de Gaara era pra aliviar um pouco da dor e um simples gesto de agradecimento por ter o amor correspondido.
A noite foi longa entre abraços e beijinhos mais castos, um procurava confirmar que tudo não foi um sonho, Gaara se deitou no peito de Lee e podia ouvir as batidas do coração do maior.

Quando a noite se ia dando lugar aos primeiros raios de sol foi que conseguiu relaxar, deixando o sono pesar seus olhos e os braços de Lee o protegerem, não durou muito, pois logo o desjejum entrou sendo trazido por duas servas que acabaram fazendo muito barulho acordando os dois.

Gaara acordou sendo acariciado por Lee, logo o líder entrava no quarto incrédulo com os dois juntos, gritou aos quatro ventos que acelerassem a união, a mãe de Gaara o puxava para fora para dar certa privacidade aos dois para se vestirem.

– Obrigado por está maravilhosa noite. - Gaara disse dando beijinhos no rosto de Lee.

– Obrigado meu pequeno rubi por me dar sua vida.

April 25, 2019, 6:08 p.m. 0 Report Embed 119
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~