Friendshiep Follow story

D
Diogo Moreira


4 amigos. 4 histórias. Bernardo namora com Marina e deseja pedir-lhe em casamento. Danilo namora com António, mas relação será assombrada pelo ex-namorado, Júlio namora com Diana e trabalha numa produtora de televisão é despedido por causa de um ator que veio de um reality show, Gustavo é o solteiro do grupo, mas uma ex-namorada regressa grávida, e Andreia é a melhor amiga de Diana, mas está apaixonada por Júlio. Esta série conta a história deste grupo amigos que se conheceram na faculdade. Agora já mais maduros e com os respectivos companheiros vêem as suas vidas a cruzarem-se de novo e muitos acontecimentos determinaram para sempre a duração e a qualidade da amizade que os une.


Scripts/Screenplays All public.
1
1262 VIEWS
In progress - New chapter Every Monday
reading time
AA Share

1º Episódio “O Reencontro”

Bernardo e Marina caminhavam pelas ruas de Lisboa em direção ao seu novo apartamento. O rapaz tapava com as mãos os olhos da namorada pois queria fazer-lhe uma surpresa.


Bernardo– Estamos quase a chegar amor. Não vale fazer batota!

Marina(Sentindo-se Eufórica) -Estas tuas surpresas deixam-me sempre excitada. O que é que tu andaste a tramar agora? Diz-me, o António está metido nesta história? Se ele estiver, eu juro que o mato por me andar a esconder coisas.

Bernardo (Irónico) –Está descansada, ele não ajudou, como te irei dizer, ele apenas participou.

Marina (completamente eufórica) –Eu sabia! Ele vai-me ouvir, isso vai!

Bernardo –Estamos quase a chegar. Já falta pouco. A tua surpresa está ali à frente.

Mais à frente a sair de um prédio estava Danilo ao telemóvel.

Danilo (furioso) –Como é que ainda não está tudo pronto? Eu deixei tudo programado. O programa dos seniores está na segunda gaveta da primeira secretária do lado esquerdo. Deixei indicações específicas para esse grupo. Eles são exigentes, são alemães, e ainda por cima seniores. Quero tudo pronto para quando eles chegarem. Têm exatamente meia hora para preparar tudo e não se esqueçam de prestar um bom serviço, não podemos perder esse grupo, até já.

Danilo desliga o telemóvel e guarda-o no bolso.

Danilo –Sou sempre eu a resolver estas situações. Danilo calma, lembra-te do que deste nas aulas de Psicologia, quanto mais stress pior.

O rapaz respira fundo. Enquanto o casal se aproximava do prédio e sem reparar Danilo embate em Marina.


Danilo (Atrapalhado) –Desculpe! Eu estava distraído. (Olha para os amigos) -Bernardo? Marina? O que fazem aqui?

Bernardo –Danilo! Há quanto tempo sem ver-te, que é feito de ti pá?

Marina –Estás muito diferente Danilo, o ginásio faz maravilhas até aos gays.

Danilo (envergonhado) –É verdade. Neste momento estou a trabalhar como gestor de atividades turísticas num hotel. É um stress, ainda hoje vou receber um grupo de alemães e nada está pronto. Mas mudando de assunto, o que vocês estão aqui a fazer?

Marina – O teu amigo decidiu preparar-me uma surpresa, mas ainda não me disse o que é.

Bernardo (sorridente) –Meu amor, sê bem-vindo a tua casa nova, quer dizer, à tua entrada nova.

Marina leva as mãos a boca incrédula.

Bernardo –E ainda há mais surpresas...

Danilo (Interrompe Bernardo) -Vamos ser vizinhos.

Bernardo – Se soubesse disso antes, podes crer que não comprava o apartamento aqui.

Danilo –Tens razão, devia dar-te a conhecer antes onde morava, assim evitava tal acontecimento. Bom, eu tenho mesmo que ir, até logo.

Em seguida, dirige-se ao carro e arranca.

Marina –Qual é a minha segunda surpresa?

Bernardo –Tem calma Marina, vamos subir.

Em seguida sobem pelo elevador. Sobem no elevador aos beijos e a trocar carinhos.


Numa casa perto da praia morava Gustavo. Nesse momento, ele encontrava-se na cama com uma rapariga. O despertador toca e ele atira-o para o chão fazendo com que este pare de tocar.


Gustavo –Que sono! Ontem não consegui dormir nada.

Olha para a rapariga e suavemente coloca as suas mãos no corpo dela.

Gustavo –Acorda Melina, acorda, já é de manhã e eu tenho de ir trabalhar.

Melina –Já? (espreguiça-se)- Ontem a noite foi tão boa.

Gustavo – (passando a sua mão pelo corpo da rapariga) –Pois foi, mas se quiseres podemos repetir tudo agora no banho. Mas será a última vez!

Melina –E ainda bem, sabes que eu não repito o mesmo tacho mais que uma vez. Mas para ti abro uma exceção.

Gustavo –Gosto quando dizes isso.

Depois vão aos beijos para a casa de banho.

Corta.

Danilo ia a conduzir pela mesma estrada de sempre. Poucos minutos depois chega ao hotel e quando entra vê a receção sozinha.

Furioso, dirige lá e o rececionista que estava no bar a conversar com o seu colega de trabalho apressa-se a ir para o seu posto. Ao vê-lo chegar, o gestor ri-se sarcasticamente.


Danilo – (sarcástico) –Muito bem Carlos... mais um exemplo de boa qualidade e bom empenho. O grupo já chegou?

Carlos– Não doutor Danilo, mas chegou um senhor para falar consigo, ele está na sala. Quer que o acompanhe?

Danilo – (estranhando a situação) –Não é preciso, obrigado. Trata de seguir as minhas indicações e fazer tudo o que está estipulado para quando o grupo chegar.

Depois Danilo dirige-se à sala e encontra Rogério.

Danilo –Boa tarde, o meu nome é Danilo Madureira gestor de atividades turísticas deste hotel. Posso ajuda-lo?

Rogério – Boa tarde. Dispensava a apresentação, pois eu sei bem quem o senhor é. Vamos diretos ao assunto, eu sei bem quem o senhor é. Sei toda a sua história, sei com quem vive, sei de tudo, e, se pretende proteger quem ama, é melhor começar a pagar em suaves prestações o valor que lhe irei apresentar. (O homem passa um papel a Danilo que fica estupefacto).


Danilo –Eu não vou pagar isto.

Em seguida surge o diretor do hotel Clemente.

Clemente –Meu caro Danilo. Já conheceu o meu irmão e subdiretor do hotel. Não ligue ao que lhe fizemos, mas como é novo aqui decidimos pregar-lhe uma partida. Foi praxado homem. Nós fizemos questão de o irritar ao mentir-lhe acerca do atraso do grupo e a pessoa com quem o Carlos estava a falar era eu.

Danilo fica sem reação.

Danilo –Fiquei mesmo assustado doutor Clemente.

Rogério –Não fique, já bastou a sua cara de preocupado quando o abordei. Mas de resto, quero agradecer-lhe pelo magnífico trabalho prestado com o grupo de alemães, muito bem planeado.

Clemente –Eles até agora estão encantados com tudo.

Danilo –Muito obrigado.


Bernardo e Marina tinham aberto a porta da sua nova casa. Marina estava maravilhada com a decoração e com tudo.

Bernardo –Adivinha quem ajudou na decoração?

Marina –Foi aquela traidora do António. Ele sabia perfeitamente qual era a decoração que eu tinha escolhido, vocês sãos uns traidores. Mas como cada traidor merecem um castigo, e eu já sei qual é o teu.

Bernardo –Sabes que eu adoro receber castigos teus.

Marina beija o namorado e depois arrasta-o por todas as divisões da casa sempre a beija-lo.


Marina –Onde é o quarto?

Bernardo –É aqui. E esqueci-me de te avisar, mas, logo à noite teremos uma pequena festa de boas-vindas, por isso quero que vás abrir o armário.

Entusiasmada Marina abre o armário e encontra um vestido com uns sapatos de saldo alto e fica encantada.

Marina –Malditos sejam tu e o António. Adorei a surpresa.


Depois salta para cima do namorado e os dois caem na cama e aproveitam para estreá-la fazendo amor.


Numa zona residencial perto do shopping do Colombo habitavam Júlio e Diana que eram um casal.

Diana –Amor, então já escolheste o argumento para a tua série de animação?

Júlio – (preparando as suas coisas para ir trabalhar) –Ainda não..., não tenho tido tempo para isso. As gravações daquela telenovela estão a dar comigo em doido. Nunca vi planos tão maus, atores fora das posições, as luzes incorretas... (suspira),às vezes o microfone aparece, uma merda. Tu não trabalhas hoje?

Diana –Só de tarde. É verdade, falei com o Bernardo e ele disse-me para estarmos todos em casa dele por de volta da hora de jantar. Eu hoje saio às nove e depois vou com o Danilo para lá. Queres boleia?

Júlio (a brincar) –Sim e diz-lhe que não mais que a sua obrigação.

Diana (a brincar) –Eu digo aquele imbecil. Já que hoje vais gravar no shopping, podias ir ter com o António, era mais fácil.

Júlio –Boa ideia, vou fazer isso.

Depois despede-se da namorada e sai.

Corta.

Depois de ter tido mais relações sexuais com Melina. Gustavo apagou o número dela e depois foi-se vestir enquanto o fazia falava sozinho.

Gustavo (a discursar em frente ao espelho) -Eu sou a prova viva de que não é preciso ser uma beldade e ter uns abdominais bem definidos para comer gajas. Basta ter lábia. O Danilo embora não seja uma beldade até é bonito e tem um corpo fixe mas é gay e namora. O Bernardo desde que conheceu a Marina não quis mais ninguém e o Júlio assentou-se com a Diana. Mas eu não quero isso para já... ainda tenho tempo antes de me prender - (arranja o cabelo) - O que as gajas querem é um ombro para poder chorar e também aproveitar. Todas querem o mesmo embora digam que não, é só dar-lhes um pouco de atenção e ser querido. No fim dou a tacada final.

Acaba de se vestir, coloca o relógio no pulso, vaporiza-se com perfume, pega na sua bicicleta e sai de casa.


Danilo estava no seu escritório quando atende uma chamada do namorado António.


Danilo– Olá amor. Então estás na hora de almoço?… É verdade, sabes quem eu encontrei à porta do prédio, sim o meu amigo o Bernardo. Ele e a namorada vão ser nossos vizinhos… Uma festa, hoje, em casa da tua amiga da clínica? Sim, vamos. Aproveito e conheço essa tua famosa amiga… sim … vemo-nos em casa então. Um beijinho e bom trabalho.

Desliga.


Danilo – Bom vamos lá organizar à próxima semana de atividades no hotel.


Gustavo ia a pedalar pela estrada fora. Ele ia todos os dias para o emprego de bicicleta. Passados poucos minutos, chega ao seu local de trabalho. A seguir senta-se na sua secretária e liga o computador.

Atrás de si, está o seu colega Mauro.


Mauro –Pela tua cara de hoje a noite compensou, não foi menino Gustavo?

Gustavo –Nem queiras saber...se tu visses, a gaja era mesmo boa e sabia trabalhar bem com a pila de um gajo.

Mauro –Agrada-me isso, tens que me explicar onde é que conheces essas gajas todas.

Gustavo –O segredo não está onde as conheces, mas sim, como as conheces... a abordagem certeira, é sempre o melhor passo para as conseguires deitar na tua cama.

Mauro –Ando mesmo a precisar de uma aventura nova, aquela minha namorada ou amiga íntima está a pôr-me maluco. Não aguento mais.

Gustavo –Sabes qual é o truque? É nunca deixares de falar e permitires que ela fale dela também. Vamos para a noite e engatamos duas gajas, mas nada de swing ou coisas parecidas.

Mauro –Achas mano? A minha carne é a minha carne.

Gustavo –És dos meus então. Bom, vou é terminar este programa que tenho que o apresentar hoje.


Em seguida começa a trabalhar.


Diana chegava ao hotel já fardada. Depois cumprimenta alguns hóspedes que iam a sair e finalmente ocupa o seu posto na direção. Nesse momento Danilo chega à receção.

Danilo – Carlos quero que envies este mail para esta agência por favor. É importante, pois é a confirmação do percurso turístico para o grupo que chega daqui a duas semanas.

Depois vê Diana e cumprimenta-a.

Danilo –Diana, o António já me falou que hoje vens comigo e vamos busca-lo.

Diana –Sim. Eu disse ao Júlio para ir ter com o António e assim vamos todos.

Danilo –Ótima ideia! E a Andreia?

Diana –Ela vai lá ter.

Danilo –Muito bem então. Eu não sei o caminho para a casa da amiga do António, mas ele deve saber. Então às nove saímos?

Diana – Combinado.

Danilo –Carlos como tu terminas o teu turno às nove, não queres vir connosco?

Carlos –Vou sim, mas os vossos amigos não se importam?

Danilo –Não, está descansado.

Carlos –Combinado.

Corta.

Marina e Bernardo estavam deitados e abraçados na cama.

Marina –Aí Bernardo esta foi a melhor surpresa que me fizeste.

Bernardo –Ainda bem que gostaste, fico tão feliz.

Marina –Esta casa é tudo com o que eu sempre sonhei.

Bernardo –Como vês ainda não entrei na reforma no que toca a sonhos.

Marina –Não só a sonhos amor.


Depois beijam-se.


Júlio encontrava-se a gravar num dos décors da novela.

Júlio– Cena setenta e oito a gravar e ação.

Actor 1– Gilda... tu sabes que eu sempre te amei. Como podes pensar que me envolveria com a tua mãe?

Actor 2– Fácil não é Fábio? Como tens a ousadia de mentir.

Júlio enerva-se.

Júlio – Corta! Eu já vos disse para não saírem do plano! E que merda é essa do microfone? já não basta ver estes modelos a vomitarem texto e ainda tenho que aturar um gajo que não tem força para segurar na patch?

Actor 1 –Acho que foi mal-educado... quer eu, quer ela, passamos no casting.

Júlio –Eu estava presente nesse casting, eu não sei como te foram escolher a ti. Ela ainda representa alguma coisa, agora tu? Só vomitas texto, e eu, não tenho tempo para aturar vedetas. Por isso, faz o teu trabalho em condições e diz o texto com mais emoção. Não é pedir muito, pois não?

Actor 1 – Peço desculpa.

Júlio –Óptimo! Vamos repetir e nada de microfones e palavras vomitadas.

Corta.

António estava a dobrar roupa na sua loja até que chega um cliente e ele cumprimenta-o e vai ter com a sua colega.

António –Rita, queres apostar comigo como este gajo está interessado em ti? Sempre que cá vem manda-te um olhar?

Rita –Ó minha amiga, cuida é do teu querido e não o deixes escapar! Olha que ele é muito bom moço.

António –Isso é verdade. Já chegou quando tivemos aqueles períodos de traições. Eu traia-o ele traia-me. Bom mudando de assunto, aquele rapaz está interessado em ti.

Rita –Eu cá já acho que em quem ele quer por a mão, é em ti.

António –Rita, não digas asneiras. Eu sei que ele está interessado em ti. Nota-se mesmo que está, vai lá atendê-lo, dá esse prazer ao rapaz.

Rita sai da caixa e dirige-se ao rapaz que estava a ver pares de calças.

Rita –Boa tarde, precisa de ajuda com algum tamanho?

Cliente 1 –Sim trate-me por Óscar. Queria o trinta e oito destas calças por favor.

Rita – Só um momento Óscar.

Rita vai conferir se encontra o tamanho no expositor e quando o encontra entrega-o a Óscar.

Rita –Aqui tem!

Óscar –Obrigado, queria pagar por favor.

Rita –Acompanhe-me então por favor. São quarenta e cinco euros.

O rapaz efetua o pagamento e Rita escreve o seu número de telefone no talão.

Rita –Aqui tem e obrigado.

Óscar –Obrigado, boa tarde.

Óscar sai, sem deixar de por os olhos em Rita.

António –Afinal confirma-se o que eu disse. Até lhe deste o teu número de telefone.

Rita –Cala-te António e trabalha.

António –A chefe manda.

Corta.

E tinham chegado às nove da noite e Danilo, Diana e Carlos saem do hotel para o carro de Danilo.

Danilo (ao telemóvel) –António já estamos a ir para aí. Tu e o Júlio dirijam-se para a porta do centro comercial.

Depois partem.

Entretanto no centro comercial António estava à espera de Júlio.

Júlio –Desculpa pá. Mas as gravações hoje estavam um inferno. Não percebo porque é que colocam amadores no lugar de atores..., mas bom eles já chegaram?

António –Falei com o Danilo há cerca de vinte minutos. Ele está-me a ligar. (Atende)sim, vamos já para aí. Eles chegaram, vamos.

Em seguida vão até ao carro onde entram.

Danilo beija o namorado.

Danilo –Então amor para onde vamos?

António –Para casa, pois a festa é lá no prédio. E arranca que já estamos atrasados.


Na empresa, Gustavo olhava para as horas.

Gustavo – Já estou atrasado. Mauro vou ter que ir. A saída fica para o fim-de-semana, até amanha.

Depois pega na sua bicicleta e pedala o mais rápido que consegue.

Passados vinte minutos, Danilo e os restantes chegam ao prédio e logo a seguir chega Gustavo que coloca a bicicleta na garagem de Danilo.

Danilo –Podias ter dito que eu ia-te buscar.

Gustavo –Não era necessário.

Diana –Vejam a Andreia chegou.

Andreia sai do carro e cumprimenta todos.

Andreia –Olá como estão?

Diana –Bem, querida e tu?

Andreia –Também. Entramos?

António – Sigam-me, vamos subir até ao terceiro andar.

Todos sobem no elevador e quando chegam ao piso, tocam na campainha da porta esquerda e são recebidos por Marina.

António– Marina, então como é o primeiro dia de casados? Este é o Danilo, o meu namorado.

Danilo –Olá Marina, prazer em rever-te e a ti também Bernardo.

António –Vocês conhecem-se?

Marina –Vê-la tu que os nossos namorados são melhores amigos. Conhecem-se desde da infância. Quem diria.

António– Somos uma pequena família então.

Marina – Entrem!

Todos entram.

Bernardo –Antes de mais pessoal, sejam bem-vindos a minha casa. Antes de começamos a festa, vamos fazer um brinde, peguem nos copos.

Marina –Vamos brindar a amizade e ao começo de uma nova vida.


April 1, 2019, 11:36 a.m. 2 Report Embed 0
Read next chapter 2º Episódio “Pedido Empolgante”

Comment something

Post!
Raül Gay Pau Raül Gay Pau
Bravo, bravo.
3 weeks ago
Raül Gay Pau Raül Gay Pau
Bravo, bravo.
3 weeks ago
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!