Mas Hun, o que significa isso? Follow story

vicky Victoria Barbosa

Minseok era como a sua gota de orvalho particular, Sehun tinha total certeza disso. Mas como agir quando seu pequeno começava a fazer essas perguntas?


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#yaoi #xiuhun #chansoo #kaibaek #Min-Fada
Short tale
0
3.5k VIEWS
In progress
reading time
AA Share

Agora é sério Hun, me explica?

Não era mais nenhuma novidade pro maior acordar e dar de cara com
aquele serzinho em sua sala. Se formos contar o tempo, já faziam uns
bons 5 meses que eles estavam nessa parceria domiciliar, resultada do
encontro inusitado dos dois. Afinal, não é todo dia que as pessoas vão
acordar, ir no jardim e encontrar um carinha conversando com as suas
flores como se fosse o psicólogo delas, além de declarar que ele era o
seu fada particular.

Isso aí que você leu. Fada particular. F-A-D-A. Daquelas sabe? Que tem
poderes, asas, vivem na floresta e supostamente são bem pequenininhas
(todo mundo lembra da descrição do Pan, né?). Pois bem, no caso dele,
mesmo que o carinha fosse mais baixo que ele, não tinha nada a ver com
a descrição que as pessoas sempre fazem. Ele deveria ter o que, 1,60?
Pele clarinha, olhos castanhos extremamente felinos, que se o sol
batesse de frente ele juraria que eles se tornavam amarelos. A cor dos
cabelos não era definida, a cada vez que o olhava parecia estar em uma
tonalidade diferente. Os lábios pareciam ser bem fofinhos,
principalmente quando ele sorria ou fazia um biquinho.

O lance é... desde quando existiam fadas, meu povo? O moreno se
perguntava se estava sonhando com um universo paralelo ou se o fada
Minseok, como o mesmo se apresentou, era uma pessoa com algum problema
(seja mental ou daqueles provocados pelo consumo de alguma substância,
nunca se sabe). Quanto mais ele tentava entender quem era aquele ser,
mais o fada ficava magoado por ele não acreditar no mesmo. Poxa, ele
levou um tempão treinando na Academia Oficial das Fadas pra ser digno
de proteger não só um amante de flores mas toda a natureza que o
cercava, pra quando finalmente conseguir ser aprovado com méritos
nível A em todos os módulos, seu protegido não acreditar nele. Minha
santa Natureza, assim não dá né? Além de proteger o magrelo, ainda
teria que torná-lo crédulo? Não tinha estudado para aquilo, ele
acreditava que estava tudo previamente acertado, já que a sua família
e a do rapaz eram interligadas a séculos, mas não dava pra acreditar
que o mesmo não acreditava nisso. Pela gota do orvalho, onde ele foi
se meter?

Foram necessários dois meses para que os dois chegassem a um consenso.
Depois de muito procurar, Sehun não achou nenhum cartaz de
desaparecido, mesmo tendo procurado nas delegacias dos bairros mais
próximos. No momento em que ele aceitou que o Minseok surgiu do nada,
o fadinha começou a fazer pequenas mágicas, fossem para dar uma melhor
condição as flores do jardim do Oh, que estavam um tantinho tristes
desde que o moreno diminui sua frequência de cuidado com elas, a dar
um jeito na organização dos ares daquela casa. O que o humano fazia
para deixar aquilo com um ar tão pesado e poluído, minha Natureza?

Apesar de acreditar que estava em uma espécie de sonho transcendental,
o moreno passou os outros três meses cuidando do seu fadinha para que
nada o faltasse. Era dono de uma produtora, mesmo sendo tão novo
sempre teve um ótimo senso para os negócios e tornou a empresa em algo
mais despojado depois que assumiu. Sendo o então presidente, tinha
dias em que precisava passar muitas horas longe de casa passou a
ensinar ao fadinha a se virar com a tecnologia da sua casa. Ainda
assim, ele estava sempre com o coração na mão nas horas longe e tudo
mudou quando seu amigo Chanyeol apareceu um dia em sua porta, como um
enviado do universo afirmando que acordou com a certeza de que seu
melhor amigo precisava de ajuda e que tipo de pessoa seria ele caso
deixasse esse aviso de lado?

Não é preciso dizer o quanto Sehun ficou maravilhado do amigo. Ele
sabia que as vezes o amigo sonhava ou pensava em coisas que poderiam
acontecer – já foi salvo de chuvas repentinas, acidentes na escola e
de uma louca que afirmava que ele era sua alma gêmea e passou a
segui-lo por meses. Então se o universo o mandou a pessoa mais mente
aberta possível, como se sentir preocupado com seu fadinha?

A única coisa que o mais novo esqueceu, foi que o tanto que seu amigo
tinha de mente aberta, ele tinha de pervertido. Kyungsoo que namorava
com o mesmo, já passou por algumas situações complicadas em relação
aos fetiches do seu grandão e acaba pedindo ajuda ao mesmo, mas Sehun
sabia que por mais que o Do tivesse uma carinha de santo era tão
pervertido quanto o poste ambulante, afinal eles se atraem e no caso
deles foi só questão de um olhar e um sorriso para que o mais novo
precisasse correr atrás dos dois para garantir que eles não seriam
pressos por atentado ao pudor, coisa que é a cara deles e se duvidar é
um dos fetiches do casal.

E é justamente por causa desse phd do amigo em perversão que o mesmo
se encontra encrencado. Não era novidade para ninguém que ele estava
apaixonado pelo menor, talvez apenas ele não soubesse já que o mesmo
parece estar um pouco distante do assunto “relacionamento”. Seu outro
amigo, Baekhyun como advogado já o avisou que apesar de achar uma
loucura o ajudaria a conseguir documentos para o seu amorzinho,
enquanto Jongin, seu namorado, por outro lado quase derretia toda vez
que via Sehun falar de Minseok (o que era quase todos os dias, mas ele
é romântico demais para achar isso ruim).

Estava tudo bem, pelo menos até a última visita de Chanyeol. Minseok
era uma figura extremamente animada, não deixava a peteca cair,
procurando sempre o melhor lado das coisas. Mas naquele dia, ele
estava pensativo. Em um nível em que ele praticamente acabou com o
açúcar do potinho que tinha na mesa e nem se deu conta. Preocupado, o
moreno decidiu questionar enquanto eles não terminavam saiam da mesa
após o jantar.

- Minseok? - passou a chamar e balançar os braços mas nada do mesmo
lhe olhar. - Min min? - arriscou a chamar pelo apelido e na mesma hora
ele o encarou com aqueles olhinhos em fendas, opa, acho que o coração
de alguém deu uma leve acelerada, mas não deve ser preocupador, certo?

- Sim, Hunnie? - o fadinha perguntou curioso encarando seu protegido,
que ultimamente lhe causava umas certas palpitações no seu
coraçãozinho e ele não sabia o que aquilo significava.

- Aconteceu alguma coisa com você? Tá todo pensativo por aí. - ele
perguntou tentando não babar nos olhos do seu pequenino mas esse era
um desafio nível hard para que ele tivesse exito.

- Não, é que o Channy me disse uma coisa hoje enquanto nós
conversávamos que eu não entendi direito. - ele falou estreitando seus
olhos como se ainda procurasse o sentido de seja lá o que foi que o
deixou assim.

- E o que ele falou? Talvez eu possa te ajudar. - falou enquanto
pegava um copo e enchia com água gelada, as noites de Seul estavam
cada vez mais quentes e ele não via a hora do inverno chegar.

- Por que o Channy disse que eu podia gostar da sua seiva? - Minseok
perguntou com a expressão de duvida no rosto e se assustou quando
Sehun cuspiu toda a água que tinha ingerido.

- Minha o que? - ele perguntou tentando parar de tossir. Por quê foi
mesmo que ele achou que deixar seu amigo cuidando do seu bebê era algo
racional?

- Seiva Hunnie. Ele disse que você tem uma seiva exclusiva, semelhante
a cor do leite, só que mais forte e com um sabor diferente. O que ele
quis dizer com isso? - Minseok perguntou curioso com a reação do
protegido.

- Eu definitivamente não vou explicar isso para você! - o mais novo
falou assustado. Ia proteger seu neném.

- E por quê não? Eu realmente quero saber. - ele falou levantando da
cadeira e colocando as mãos nos quadris indignado. Mas oras essa, pela
Natureza, por quê ele precisava ficar na curiosidade? Isso não é
justo, não mesmo.

- Porque você é muito novo para isso, quase um bebê e eu não vou falar
dessas coisas com você! - Sehun falou exasperado e morrendo de
vergonha da imagem mental que teve.

- Yah, eu tenho quase 250 anos tá ok? Não sou mais nenhum bebê. -
Minseok falou emburrado.

- Não importa, você não tem idade pra falar dessas coisas porquê.....
Espera, você tem quantos anos? - Sehun encarava o fada chocado. Nunca
nesse universo que aquela criaturinha era tão velha.

- Tenho 248. - o pequeno falou esbanjado um ar orgulhoso.

- Mas o quê? E como é que você parece ser mais novo do que eu, que
tenho 28 anos? - ele ainda não conseguia acreditar nisso.

- Ora Hunnie, as coisas no meu lado do plano funcionam de outra forma
e eu tenho certeza de que já te falei sobre isso. - o fadinha falava
como se isso não fosse nada.

- Quê? Certo, não importa. Eu não vou te explicar o que é sexo,
Minseok. - ele falou ficando mais vermelho que um tomate.

- Ah, sexo é? Ta bom então. - Minseok decidiu que se seu protegido não
ia lhe explicar o Channy o ajudaria. - Já que você vai me deixar na
curiosidade eu vou conversar com as minhas amigas.

- Espera, o quê? - Sehun ficou desconfiado com a mudança, mas Minseok
não lhe deu ouvidos e foi cantarolando em direção aos jardins pensando
em como pediria ajuda ao grandão, deixando para trás um moreno quase
em pânico do que aquilo poderia significar.

Um mês. Fazia um mês desde que tiveram aquela conversa, e nunca mais
Sehun ouviu qualquer pergunta do gênero de Minseok, mas ele estava de
segredinhos com o Chanyeol, que se recusava a lhe contar sobre o que
conversavam e isso estava o deixando cada vez mais irritado e morrendo
de ciúmes. Em contra partida, era possível observar que Minseok estava
se arrumando mais para fazer simples coisas e acabando lentamente com
seu autocontrole.

- Hunnie? - Minseok o chamou manhoso.

- Oi Minseok. - Sehun respondeu sem se virar, enquanto varria o jardim
e juntava as folhas caídas.

- Você está com raiva de mim? - ele perguntou temeroso. Seu grandão
andava distante dele e ele não gostava disso. Depois que ele conversou
com Chanyeol descobriu que estava apaixonado por Sehun! Ele não sabia
como isso tinha acontecido, nem imaginou que seria possível mas em
conversa com seus pais descobriu que não só isso era possível, mas que
se também fosse correspondido poderia formar uma família com seu
amado, e como ele queria isso! Por isso ele, Chanyeol, Kyungsoo e
Jongin montaram um plano para fazer com que Sehun virasse o seu pra
sempre, mas parece que alguma coisa deu errado porque ao invés de se
aproximar, ele estava se afastando.

- Por que você acha isso? Fez alguma coisa que poderia me irritar? -
tipo me trocar por qualquer um dos meus amigos, Sehun pensava enquanto
colocava as folhas em uma sacola para jogar no lixo, ainda sem olhar
para o fadinha, coisa que estava começando a irritá-lo.

- Você não me chama mais de Min Min, se afastou e agora quando chega
ao invés de vir falar comigo vai direto para o seu escritório
particular. - Minseok passou a listar com um bico nos lábios.

- Ué, você passa tanto tempo com outras pessoas, não imaginei que
sentiria falta disso. - Sehun falou se virando e finalmente olhando
para Minseok e teve que engolir em seco. Ele estava vestindo uma calça
preta colada que realçava suas pernas e uma camisa branca colada que
pela Natureza, quando foi que seu fadinha tinha ficado tão gostoso
assim?

- Como não Hunnie? É de você que estamos falando! - Minseok falou com
uma expressão de bravo que só fazia com que Sehun quisesse morder sua
boca. Auto controle, cadê você meu amigo?

- E o que você queria que eu fizesse? - Sehun perguntou tentando
disfarçar seus ciúmes.

- Que me beijasse? Pela Natureza Hunnie! Eu tô a dias me produzindo
esperando por um beijo e você nem olha na minha cara! - Minseok
explodiu diante a demora do seu grandão. Joguinhos são bons, mas ele
quer ação e sua recompensa agora.

- Espera, o quê? - Sehun não estava acreditando no que estava
escutando e seu coraçãozinho ameaçava parar com a remota ideia de ser
correspondido.

- Chega seu galho quebrado! - Minseok simplesmente chutou o pau da
barraca e pulou em cima do Sehun colando seus lábios. O maior tinha
medo de que aquilo fosse um sonho, mas decidiu aproveitar e grudou o
corpo menor ao seu, levando uma das mãos para a nuca do outro
inclinando levemente para que ficasse melhor para os dois. Mordeu o
lábio inferior do fadinha, fazendo com que ele desse um leve gemido e
o permitindo aprofundar o beijo e Minseok colocou seus braços ao redor
do pescoço do maior para ter um apoio. Eles ficaram naquela troca de
carinhos até o ar faltar, fazendo com que eles parassem, respirassem
fundo e voltassem a atividade.

- O que isso quer dizer, Minseok? - Sehun perguntou quando eles
pararam de se beijar e sentaram encostados em uma das árvores do
jardim, com o menor sentado entre suas pernas.

- Ué, isso quer dizer que você é meu Hunnie, e eu precisava
oficializar isso logo, antes que alguém se metesse a besta com o meu
grandão! - Minseok respondeu com aquele olhar de quem fala a coisa
mais óbvia do mundo.

- Minseok! - Sehun não aguentou com o surto de possessividade do seu
pequeno e começou a rir até chorar. - Eu sou seu, meu pequeno. Nada e
nem ninguém poderia me tirar de você.

- Acho bom mesmo, porque até a Natureza já disse que você é meu e eu
queria ver quem ia tentar te tirar de mim. - ele falou cruzando os
braços.

- Não seja bobo, ninguém conseguiria isso. - falou rindo e enchendo o
outro de beijinhos.

- Hunnie, já que você não quis me explicar o que era a sua seiva , me
explica o que significa butchaca na chulapa?

- O quê? Nem morto Min Min.

- Se você não pode me ensinar, nós podemos praticar?

- Minseok! Eu vou te deixar longe daquele bando de pervertidos que eu
chamo de amigos!

- Mas Hunnie, eu queria tanto uma aula prática!

- Minseok!

March 26, 2019, 10:41 p.m. 1 Report Embed 121
To be continued...

Meet the author

Comment something

Post!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Falta de vírgula em vocativos, como no título "Mas Hun, o que significa" em vez de "Mas, Hun, o que significa". Falta de vírgula em "Daquelas sabe?" em vez de "Daquelas, sabe?" 2)Dois tempos narrativos diferentes. É importante tomar cuidado com isso; quase toda a história está no pretérito, mas no narrador-comentarista puxa os verbos para o presente. É aconselhável que escolha apenas um tempo verbal e se mantenha nele. 3)Uso de "mesmo" no lugar de pronome pessoal. Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
March 28, 2019, 1:25 p.m.
~

Related stories