Amor Que Te Liberta Follow story

biologicalstorm Biological Storm

No mundo ABO os enamorados podem ser ligados tanto pela marca quanto pela alma. A ligação entre as almas ocorre bem antes do nascimento e não pode ser escolhida, representando que um pertence ao outro. A marca é dada pelo alfa em seu parceiro e demonstra a entrega total do corpo de ambos, geralmente é utilizada para fortalecer a ligação entre as almas. Mas e se você fosse mordido por alguém que não fosse a sua alma gêmea? Como as coisas iriam se desenrolar? KyungSoo é um ômega marcado por um alfa canalha. Um dia ele conhece JongIn, um alfa mais novo extremamente carinhoso que começa o conquistar e mostrar como a vida pode ser boa.


Fanfiction Bands/Singers For over 18 only.

#romance #gay #yaoi #violencia #sexo #lemon #exo #kaisoo #kai #jongin #kyungsoo #abo #kadi #kaisooabo #biologicalstorm
6
3041 VIEWS
In progress - New chapter Every 30 days
reading time
AA Share

Capítulo I– Observando

“O jeito que você chora,

O jeito que você sorri,

Eu imagino o quanto isso significa para mim,

As palavras que eu queria dizer.”

EXO – Sing For You




05 de Maio de 2016

16h00min



Lá estava JongIn novamente naquela cafeteria, observando de longe o ômega. Todos os dias o alfa tentava se convencer que ia nesse lugar durante seu intervalo por ser o mais perto de seu trabalho, mas no fundo ele sabia que seu verdadeiro motivo era o ômega que aparecia de vez em quando, sentava no balcão e começava a conversar com o garçom. Pela interação dos dois, JongIn pode deduzir facilmente que os dois ômegas eram amigos.

JongIn se repreendia mentalmente por observar tanto o ômega que claramente tinha um alfa, pois além da mordida bem exposta no pescoço delicado do outro, a mistura do cheiro natural de lavanda do ômega com o de canela de um alfa deixava claro que o menor já possuía alguém.

Porém, o alfa não conseguia evitar. Desde a primeira vez que viu o menor, sua atenção foi toda para ele, seu corpo pequeno que atiçava seu instinto de cuidado, a pele branca que parecia delicada e macia ao toque, os lábios em um formato de coração nunca visto antes... Mas o que realmente prendeu a atenção de JongIn e o fez continuar a observar o ômega foram seus olhos tristes. O menor possuía os olhos mais tristes que o alfa já tinha visto e isso o impelia a querer vê-los brilhando de felicidade.

- Boa tarde. Qual o seu pedido? – o garçom que sempre conversava com o menor apareceu ao lado de JongIn na mesa que o mesmo ocupava. O alfa se encontrava tão distraído observando o menor que nem percebeu a aproximação do garçom.

- Âh... – JongIn tentou se concentrar, desviando os olhos do ômega no balcão. – Um milk-shake de chocolate e uma fatia de bolo de chocolate. – acabou pedindo o de sempre.

- É para já. – o garçom falou quando terminou de anotar os pedidos no bloco que trazia.

JongIn esperava que o garçom saísse dali para ir atender outros clientes, então já tinha desviado seu olhar de volta para o ômega no balcão.

- Até quando vai ficar só olhando? – o garçom perguntou, surpreendendo JongIn.

- O que?! – o alfa perguntou assustado, voltando sua atenção para o garçom.

- Você sabe o que. – o garçom respondeu com sarcasmo. – Se apresse e faça alguma coisa. Vai falar com ele. – dito isso, saiu de perto do alfa, voltando para perto do balcão, indo providenciar o pedido do cliente.

BaekHyun voltou a seu lugar atrás do balcão após atender os clientes, para continuar a conversa com seu amigo, que continuava o esperando.

- Então, Kyung, tenho uma novidade ótima! Estão abrindo audições para uma peça de um diretor conhecido meu. – BaekHyun comentou animado, mas vendo que não obteve a reação desejada do amigo, que continuava apático, continuou a falar. – Isso não é ótimo?! Você podia tentar uma vaga, afinal, mistura duas coisas que você adora, canto e atuação. Um pouco de dança também, mas isso você aprende rápido. – ponderou.

- Baek, eu acho que isso não é para mim. Eu não canto tão bem assim. – disse KyungSoo, se encolhendo um pouco a espera da reação do amigo.

- Como assim não canta tão bem, Kyung?! – BaekHyun perguntou exasperado. – E o que todos os nossos professores de canto falavam para você?! Você fez cursos e faculdade por isso, para se aprimorar em algo que é bom. Não importa o que o idiota do DongHoon pensa sobre isso.

- Baek, você não entende. Eu realmente acho que não sou bom o bastante para isso agora. Prefiro continuar minha vida caseira. – o mais novo tentou argumentar.

- E daí? Vai ficar a vida toda sendo dono de casa? Esperando o alfa babaca chegar com um jantar pronto? Você não estudou e se dedicou tanto para isso, Kyung. – BaekHyun vendo que palavras sensatas não estavam adiantando, resolveu apelar para um aegyo. – Por favor, tenta. Vai, Kyunggie, tenta, tenta!

Antes que KyungSoo pudesse dar uma resposta ao amigo, ChanYeol entrou na cafeteria e se juntou aos dois ômegas no balcão.

- Channie! – BaekHyun disse feliz, se inclinando por cima do balcão e dando um selinho no namorado.

- Oi, pequeno. – ChanYeol disse após se separar do namorado. – Olá, Kyung. Que bom te ver aqui, faz tempo que não nos vemos depois... daquilo. – o maior disse sem jeito.

Automaticamente o clima ficou tenso entre os três amigos. Mas o momento incomodo logo foi quebrado por um riso contido de BaekHyun, chamando a atenção do namorado. BaekHyun olhava um alfa sentado em uma mesa distante, o que intrigou ChanYeol.

BaekHyun por sua vez, se divertia vendo as constantes olhadas nada discretas que o alfa dirigia ao seu amigo. E o acanhamento do mesmo, quando era pego no flagra por BaekHyun. Apenas o tapado de seu amigo não notava as olhadas do alfa, mas BaekHyun percebia elas muito bem e como via que o alfa não tomava atitude, resolveu dar um empurrãozinho. Talvez fosse até imoral da parte de BaekHyun querer que seu amigo conhecesse alguém sendo um ômega marcado, mas como o alfa de KyungSoo era um imbecil, BaekHyun se via no direito de tentar fazer o menor conhecer alguém decente, mesmo que isso pudesse ser complicado.

- Soo, eu estou atolado de trabalho. Pode levar esse pedido para mim? – BaekHyun perguntou após entregaremo pedido pronto para si.

- Você não está fazendo nada. – KyungSoo constatou indignado.

- Estou passando o pano no balcão. – BaekHyun falou e para confirmar, começou a passar um pano de prato no balcão. KyungSoo apenas olhou para ele sério, do seu jeito “SatanSoo”, como os amigos o tinham apelidado. – Vai, Kyunggie! Que mal tem você fazer um favor para seu grande amigo? Lembra daquela vez que eu te emprestei meu lápis super lindo prateado para colorir na primeira série?

- Aff, tá bem, BaekHyun. Não precisa apelar. – KyungSoo cedeu, achando que era melhor fazer logo o que o amigo queria antes que lhe perturbasse mais.

KyungSoo pegou a bandeja com o pedido do cliente e foi em direção a mesa que BaekHyun apontou. Enquanto o amigo seguia para o lugar, ChanYeol indagava com um levantar de sobrancelhas o namorado e BaekHyun se divertia vendo a cara de espanto do alfa ao ver KyungSoo indo entregar seu pedido e não ele.

- Olá, boa tarde. Aqui está seu pedido. – KyungSoo disse de forma simpática, mesmo que estivesse com vergonha por estar entregando um pedido sendo que nem era garçom daquele lugar. Podia ver a surpresa do cliente também, torcia para que o mesmo não reclamasse, não queria que BaekHyun entrasse em apuros com o chefe.

- O-Obrigado. – JongIn se atrapalhou ao falar, ainda não acreditando que estava falando com o ômega e tinha sua atenção. Porém, mais rápido do que o alfa gostaria, o menor fez uma reverência e saiu dali, voltando ao balcão com os amigos.

No entanto, assim que o ômega retornou, um novo alfa entrou no lugar e pelo cheiro, JongIn sabia que era o alfa do menor. Pode farejar também o medo que assolou o ômega e isso o fez ficar curioso o suficiente para que apurasse os ouvidos e prestasse atenção na conversa alheia.

- KyungSoo. – ouviu o recém-chegado chamar.

- D-DongHoon. – o menor falou claramente receoso, se encolhendo.

KyungSoo sabia que não podia ser visto com ChanYeol, e agora seu alfa o tinha pego no flagra. A possibilidade do que DongHoon faria com ele por tê-lo desobedecido o assustava.

ChanYeol agiu por instinto, se botando na frente de KyungSoo assim que DongHoon se aproximou.

- Não se meta, ChanYeol. Saia da frente. Ele é meu ômega. – DongHoon falou irritado.

- ChanYeol, tudo bem. – KyungSoo sussurrou, segurando a blusa do amigo por trás, impedindo o maior de avançar e tentando tranquiliza-lo.

- Kyung. – BaekHyun chamou, mas KyungSoo já estava saindo de trás de ChanYeol, seguindo para fora da cafeteria com DongHoon e ver o amigo partir assim partia o coração de BaekHyun. Dos dois amigos na verdade, pois eles sabiam o que aconteceria com KyungSoo quando chegasse em casa.

BaekHyun saiu em direção ao banheiro dos funcionários, com os olhos marejados e ChanYeol foi atrás do seu ômega.

JongIn observava a cena estático. Era a primeira vez que via o alfa do menor e percebia o medo genuíno que esse sentia dele, algo que não deveria existir entre duas pessoas que se amassem e compartilhassem o laço da marca.




12 de Maio de 2016

16h14min



JongIn continuou voltando a cafeteria, mas por uma semana não houve nem sinal do ômega. Ele podia notar também certo desânimo no garçom amigo do menor, por mais que tentasse disfarçar com um sorriso simpático quando atendia os clientes.

O alfa que era namorado do garçom – que ele descobriu ser ChanYeol quando ouviu aquela conversa semana passada – entrou na cafeteria, parecendo tão soturno quanto o ômega – que JongIn também descobriu se chamar BaekHyun ao prestar mais atenção e ouvir seus colegas de trabalho o chamando – e se dirigiu ao balcão.

- Quanto dessa vez? – BaekHyun perguntou e parecia estar contendo a raiva.

- Duas costelas e o braço quebrados. – ChanYeol respondeu em um sussurro. BaekHyun assim que ouviu o namorado, bateu no balcão com força, o que chamou a atenção de vários clientes. Vendo que estava chamando atenção, o menor foi para a área da cozinha.

- BaekHyun. – ChanYeol seguiu o namorado, que estava visivelmente transtornado.

JongIn automaticamente ficou preocupado. “Eles estavam falando do KyungSoo?”, logo que o pensamento lhe ocorreu, percebeu o quanto óbvio isso era após a cena que o alfa do menor fez e seu sumiço durante essa semana.

O moreno saiu transtornado da cafeteria enquanto lhe caia a ficha: KyungSoo era abusado por seu alfa.

JongIn queria ir até BaekHyun e pedir mais informações, mas isso seria muito estranho. Afinal, ele era um alfa desconhecido. Nem deveria ter interesse nenhum em KyungSoo. Era errado, mas o que o alfa do pequeno o fazia também era.

O alfa caminhava tão absorto em pensamentos pela rua que não notou a tempo o carro desgovernado, e antes que pudesse tentar escapar, foi atingido com tudo pelo carro.

Apenas sentia sua consciência se esvaindo enquanto estava deitado no chão frio, ouvindo de longe vozes.




13 de Maio de 2016

16h30min



- O que esse alfa faz no mesmo quarto do meu ômega? – foi a primeira coisa que JongIn ouviu enquanto recobrava a consciência aos poucos.

- Senhor, nós estamos com superlotação no momento e como o ômega é marcado, não vimos problema em dividir o quarto com um alfa. – uma voz feminina respondeu.

- Pensaram errado. Eu não quero meu ômega perto de um alfa. Arrumem um jeito de trocá-lo de quarto. – a voz soou autoritária, o comando de um alfa. Após isso, pode ouvir uma porta se fechar rapidamente.

- Por favor, DongHoon. Não arrume briga por causa disso. – JongIn desejou conseguir abrir os olhos nessa hora. Essa voz... Estaria sonhando?

- Fique quieto. – o alfa mandou irritado.

JongIn finalmente conseguiu abrir os olhos, se deparou com um quarto branco. Não conseguia virar o pescoço, mas com o canto do olho espiou o lugar de onde tinha vindo à voz. Porém, apenas encontrou uma cortina separando seu leito da do seu vizinho de quarto. Tentou respirar mais fundo, para sentir os cheiros, mas automaticamente gemeu de dor, sentindo seu corpo latejar e o cheiro de remédios invadir seu olfato. Mas uma leve fragrância de lavanda e canela foi o suficiente para JongIn confirmar suas suspeitas.

Antes que o alfa pudesse pensar sobre sua descoberta a porta do quarto foi novamente aberta e por ela entraram seus dois melhores amigos.

- JongInnie, você quase nos matou de susto! – TaeMin disse afobado, se aproximando rapidamente da cama do alfa, querendo o ajudar de alguma forma, mas sem saber como.

- Que bom que já está acordado. – SeHun falou, ao se posicionar ao lado de TaeMin. – Os médicos falaram que iriam te dopar para ajudar na recuperação. Está sentindo alguma dor? Quer que eu chame um médico para aplicar outra dose?

- N-Não. – JongIn teve dificuldade ao falar, talvez pela falta de uso e pela dor em seu corpo, mas não queria dormir novamente. O alfa queria se manter acordado para ficar com KyungSoo, cuidar para que DongHoon não fizesse nada com o menor, mesmo que nesse estado não fosse de muita ajuda.

- Seus pais estavam acampados aqui no hospital até agora a pouco, os convencemos a irem descansar um pouco. – TaeMin comentou.

JongIn podia imaginar o nervosismo de seus pais pela sua situação.

- Prometemos ligar quando você acordasse. Vou ir... – SeHun disse, já indo em direção a porta do quarto.

- Não. Deixe que eles descansem. – JongIn se forçou a continuar a falar, mesmo que a dor fosse grande. – A-Avise que acordei, para não se preocuparem comigo... e conseguirem dormir melhor. Mas diga que já voltei a dormir... Assim eles não precisam vir correndo para o hospital.

SeHun apenas assentiu para o amigo e saiu da sala, indo telefonar para os pais do moreno.

- Você está com dor. – TaeMin afirmou, não era uma pergunta.

- Não, por favor. – oamigo já estava com a mão estendida para apertar o botão e chamar o médico quando JongIn falou.

- Por quê? – o ômega perguntou confuso.

- Eu não posso dormir de novo. – o maior respondeu, implorando com o olhar para que o menor atendesse seu pedido.

- Você vai me explicar melhor isso depois. – TaeMin não contestou o amigo pois pode ver a determinação no olhar do alfa.

SeHun voltou ao quarto e os dois amigos ficaram informando JongIn de como as coisas estavam sendo resolvidas sem ele na escola de dança. Após o horário de visitas acabar, tanto TaeMin e SeHun foram embora quanto DongHoon, e isso automaticamente aliviou o moreno.

KyungSoo tinha se mantido calado durante todo o tempo desde que o alfa o tinha mandado ficar quieto. DongHoon falava algumas coisas ocasionalmente, comentando sobre algo que devia estar vendo aleatoriamente no celular. JongIn podia estar ouvindo os amigos, mas se mantinha atento ao que acontecia no outro lado da cortina.

Quando o sol já estava se pondo uma enfermeira trouxe comida aos dois ocupantes do quarto, ajudando JongIn a se posicionar melhor na cama, pois ainda não podia fazer muitos movimentos. O alfa tinha quebrado as duas pernas com o impacto do carro nelas – o que preocupava JongIn, pois ele sabia o quanto demoraria para se sentir bem dançando novamente – e usava um imobilizador no pescoço, pois tinha batido contra o chão de tal jeito que machucou o pescoço na queda. Depois do jantar a enfermeira aplicou a nova dose de sedativo em JongIn, mesmo que ele não quisesse. Mas a senhora não lhe deu ouvidos, injetando o remédio e em poucos segundos o alfa já estava mergulhando na inconsciência mais uma vez.


Notas:

Olá, gente!

Essa fanfic surgiu da pergunta “Tá, mas e se eles fossem mordidos pela pessoa errada?” que eu sempre me faço. Nunca vi fics que tratam de mordidas onde não há amor entre as partes com o casal principal e que demonstre como alguém pode viver depois com seu verdadeiro amor mesmo sendo mordido por outro. Então, desse meu pensamento surgiu essa fic.

Espero que gostem do meu olhar sobre essa questão no ABO.

Alias, podem ouvir One And Only e White Noise enquanto leem a fic se quiserem. Elas foram a trilha sonora que me acompanhou enquanto escrevia. E até inspiraram alguns momentos. Vocês saberão quais quando aparecerem.

Essa fanfic é dedicada a AiKimSoo, que sempre me anima e incentiva. Minha querida esposa que não se deixa abater nunca. ❤

Bem, é isso.Até o próximo capítulo.

Abraços.

March 11, 2019, 6:36 a.m. 0 Report Embed 0
Read next chapter Capítulo II –Primeiro Contato

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

Related stories