Descuido Follow story

indrakimura Amaterasu '

"Amou, amou. Tentou ao máximo sorrir, fingir que ainda o amava, de que tudo estava bem. Mas não está. Depois de quase quatro anos, o amor que começou no segundo ano da faculdade está para chegar ao seu fim."


Fanfiction Bands/Singers Not for children under 13. © Trivia-

#bts #vhope #taeseok #separação #taehyung #hoseok
Short tale
1
3507 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

"História também postada no SocialSpirit, no perfil de @Trivia-

História não foi revisada por mim, os créditos pertencem a beta que revisou. Basta pesquisar meu perfil para que encontre a responsável pela revisão."

Capítulo Único

— Hoseok, precisamos conversar. — O loiro tentou manter-se calmo.

Taehyung puxou a cadeira para perto do namorado, recostou-se sobre o acolchoado negro e respirou fundo antes de encarar o namorado.

Em sua mente, formas de como começar o diálogo se repetiam. Não sabia como dizer, como colocar um ponto final em tudo, dar fim ao seu relacionamento e seguir em frente. Cansou-se de ser posto como segunda opção, pois dependo do dia, tornava-se o terceiro na vida do Jung.

Sabia que o emprego do homem ocupava grande parte do seu tempo, roubava-lhe momentos especiais, como datas comemorativas e afins. Ser esquecido na virada no ano, um dia após seu aniversário, ou ao término de uma noite quente de prazer, feriu seu ego. Magoou seu orgulho e sentiu-se enganado, afinal, acreditou nas palavras do namorado; acreditou fielmente na mudança, no recomeço.

Deixou suas preocupações de lado, dedicou-se durante meses, dias, para no fim ser somente mais uma mágoa, uma chateação para a sua extensa coleção de erros, de falhas de Jung Hoseok.

Tentou focar nos momentos felizes, nas vezes em que Hoseok disse amá-lo, prometendo ser fiel e fazer de tudo para Taehyung ser feliz; para não deixar seu coração em pedaços, com a mente e alma destruídos, apesar de seu coração ter sido o primeiro a perder um pedaço, a tornar-se mecânico. Agindo de aparência, sofrendo em silêncio e suportando tudo para continuar com algo quebrado em mãos, pois ama Hoseok demais para deixá-lo sem nem ao menos tentar, sem se esforçar nem que fosse um pouco, minimamente, para alcançar a felicidade.

— Seja breve. — O namorado não o encarou, estava focado demais no papel em suas mãos, no contrato que necessita ser lido e analisado ainda essa noite.

— Não tem como ser breve Hoseok, não tem. — Disse cabisbaixo.

Sentiu a última chama de esperança se apagar. Seus dedos desceram em direção à aliança, na peça prateada em seu dedo anelar. Pensou na frase talhada em seu interior.

Ele o ignorou. O contrato em suas mãos, um simples pedaço de papel é mais importante que o Kim, que segurou as lágrimas, fingiu-se de forte. Tentou colocar um sorriso no rosto, de seguir em frente com sua decisão, afinal estava deprimido, triste em demasiado com toda essa situação, com as circunstâncias pelas quais estão passando.

— Diga — Hoseok continuou sem encará-lo, ocupado demais se dividindo entre responder o e-mail recebido e continuar a analisar o contrato em suas mãos.

Afinal, a aliança comprada estava para chegar. Passou o último dia do ano em busca do presente perfeito, da peça que combinasse com Taehyung. Procurou por dias, semanas, por uma peça que o agradasse.

Não é bom em guardar segredos, por isso julgou ser mais fácil esconder a verdade de Taehyung, evitá-lo era a sua forma de manter segredo, de deixar tudo no mais absoluto sigilo.

O namorado é um homem sagaz, rapidamente nota as mais sutis mudanças, até quando o Jung tentava fazer uma simples surpresa era descoberto. Por isso tentou, esforçou-se para o namorado não descobrir seu plano, é de seu anseio alcançar a perfeição.

— Hoseok, por favor, olhe para mim quando eu estiver falando — Taehyung disse nervoso. Não suportou vê-lo focado em outras coisas e, novamente, esquecendo-se de si.

— Estou ocupado, Taehyung. — Os fios castanhos foram bagunçados, sentiu seu psicológico esgotado, completamente sem forças. — Mas diga o que quer.

— Primeiramente, quero a sua atenção, sua total e absoluta atenção. — Fechou os punhos com força, o batendo sobre a mesa. — Hoseok, preciso de que me dê atenção!

— Estou te dando atenção!

— Sou seu namorado, não deveria ter que implorar por atenção, para te ter ao meu lado! As coisas não deveriam ser assim Hoseok.

Sentiu o ar faltar em seus pulmões, seu rosto adquiriu um tom rubro, intenso, a raiva e a frustração se misturaram. A sensação de abandono e a solidão causada pela ausência de Jung são as responsáveis pela falta de apetite do Kim, pela insônia e irritação.

— Taehyung, estou te dando atenção. — Gesticulou irritado, devido a falta de sensibilidade por parte de Taehyung. — Lamento não estar presente sempre, há dias em não tenho tempo nem para mim, a empresa anda bem, mas os problemas externos estão sugando as minhas energias.

— Não só as suas energias como a minha felicidade, Hoseok, eu realmente não me lembro mais quando saímos juntos ou ficamos mais do que meia hora no mesmo cômodo. — Confessou choroso. — Nem ao menos me lembro de quando nos beijamos pela última vez ou quando você disse que me ama... Hoseok, faz tanto que não somos um casal, que em certos dias nem ao menos me lembro de ter namorado.

Jung assustou-se com a fala do Kim. Com a sinceridade mesclada à tristeza existente em sua voz.

— Tae, onde está querendo chegar?

— Dizer que cheguei ao meu limite. — Sorriu. — Que, simplesmente, cansei, não dá mais para continuar!

— Taehyung, seja direto, sem rodeios — disse áspero.

Sentiu desejo de chorar, pegar as folhas e livros e jogá-las na direção do namorado. Gritar até suas cordas vocais doerem, dizer em voz alta como se sente, de como se encontra quebrado. Danificado. Sem chama ou esperança, cansado demais para continuar.

Amou, amou. Tentou ao máximo sorrir, fingir que ainda o amava, de que tudo estava bem. Mas não está. Depois de quase quatro anos, o amor que começou no segundo ano da faculdade está para chegar ao seu fim.

— Eu quero terminar.

— O que? — Gritou incrédulo. Seus olhos decaiu em direção à aliança, para a peça prateada posta sobre a mesa. — Taehyung...

— Hoseok, simplesmente não dá mais para continuar assim, não posso ser sua segunda opção, ser lembrado somente quando deseja se aliviar. Me amo demais para ser somente seu objetivo de prazer, alguém em quem você desconta a sua frustração.

— Taehyung nunca descontei minhas frustrações em você, talvez na secretaria e no motorista, mas nunca em você! — Hoseok colocou-se de pé, andando de um lado para o outro. Impaciente, preocupado com o rumo da discussão. — Por que diabos pensa que te trato como segunda opção?

Porque, ele ainda me pergunta o porquê — pensou irritado.

— Hoseok, faça as contas, quantas vezes você e eu já jantamos? Dormimos no mesmo quarto? Tem dia que mal te vejo e em outros que nem ao menos nos encontramos.

— Taehyung, prometo mudar isso, andei ocupado, mas juro que não foi por mal!

— Não importa se foi por mal ou não, o fato de que cansei, não muda.

Hoseok sentiu seus olhos marejarem, tentou sorrir, pedir desculpas e, quem sabe, contar ao namorado a verdade. Ser sincero e entregar a ele a aliança, a peça prateada com pequenas safiras em seu meio.

— Não te evitei por maldade, simplesmente queria te dar algo perfeito.

— Hoseok, meu mundo já era perfeito somente por você existir — pronunciou-se choroso. — Não preciso de nada além de você!

— Taehyung...

— Não! Por favor, não. Irei sair por aquela porta... Pegarei a bolsa e irei embora, te deixarei livre.

— Não quero ser livre.

— Mas eu cansei de te esperar.

— Tae...

— Não Hobi, por favor, respeite a minha decisão. — Suspirou cansado. — Pelo menos por agora, me deixe ir, deixe-me ser livre!

Não suportou, estava a perder seu amor, a perder o homem responsável pelo pulsar rápido de seu coração.

— Não irei desistir... Não irei.

— Mas eu já desisti — disse por fim. — Desejo que seja feliz, apesar da sua felicidade não ser ao meu lado.

Imóvel, Hoseok observou Taehyung atravessar seu escritório e sair pela porta.

Sentado sobre sua cadeira deixou que as lágrimas saíssem, enquanto segurava com delicadeza a aliança de noivado em suas mãos.

March 10, 2019, 12:01 a.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Amaterasu ' Ela queria ser um arco-íris, por isso desejei ser o céu atrás dela.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~