Adeus Follow story

noveluas Taynara C

Há momentos em que devemos ser francos com o reflexo no espelho. E mesmo que seja dilacerante, dizer adeus é única opção restante. |yoonjin|


Fanfiction Bands/Singers All public.

#yaoi #boyxboy #bl #drama #seokjin #yoongi #sugajin #yoonjin #bangtanboys #bts
Short tale
1
2476 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Mesmo que eu ainda te ame, adeus.

Yoongi, eu acho que você sempre subestimou meu amor, mas eu sei, a culpa foi minha. Te dei tudo que era possível, meu amor, meus dias, meu corpo, minha alma e toda a devoção que eu conseguia.

Tudo sempre foi sobre você. Mesmo eu sendo apenas um garoto de dezesseis anos quando te conheci, eu já acreditava que tudo seria bom se fosse com você. Se eu pudesse voltar no tempo e me dar alguns conselhos, ou apenas um, seria coisa simples, só diria “não será como você espera, não será”.

Não foi bom, nunca. Eu criei essa relação e te arrastei para ela e depois eu a carreguei nas costas, sozinho. Te quis quando você não me via, te quis quando não queria me ver e te quis quando me fez acreditar que me via, me entendia e me queria. E te quero ainda, hoje, mesmo que você tenha voltado ao começo e já não queira me ver.

Eu tentei aproveitar muito todos os momentos em que você entrava em sintonia comigo, toda vez que você me ouvia de fato, que interagia comigo. Porque eram raros, quase sempre era eu apenas tentando fazer com que nossos mundos se visitassem. Era mais eu que visitava o seu mundo, às vezes era bem recebido, às vezes eu não podia entrar.

Eu sei que demonstrar amor é uma coisa singular, eu não posso te cobrar uma certa forma de demonstração, mas você também não pode me julgar por não sentir nada vindo de você. Digo nada, com convicção, porque de fato, nunca senti nada. Os planos que eu fiz depois dos meus dezesseis, sempre contaram com a sua presença, eu dava voltas e voltas até te encaixar. Nos seus? Bom, eu era nada mais que coadjuvante, se estava ali, bem, se não estava, amém.

Mas Yoon, eu te procurava sempre quando sentia toda sua melancolia, quando via o mundo te pressionar, eu queria ser o cais para onde você voltava, mas você nunca chegava lá. Não me deixava saber sobre o que era aquilo o que te afligia.

O tempo passa e não cura nada. Abre mais a ferida, deixa tudo mais vulnerável, o fio se torna cada vez mais fino. A corda bamba pela qual eu caminhava até chegar em você se desfazia a cada dia, a cada semana e a cada mês.

Eu achava que o amor só podia crescer, entende? Os dias, as novas situações, só podiam fazer com que eu te amasse mais. Inocente demais. Assim que sou... ou era. Eu não posso te fazer me amar. Não posso te fazer sentir o amor que toma conta de mim.

E não posso ler sua mente, não posso saber o que você guarda e não me deixa ver. Você me fez acreditar que me queria do seu lado, me disse que deveríamos morar juntos. Me disse, que eu era uma das pessoas que você poderia levar consigo todos os dias. E eu me pergunto, como pôde? Me dizer coisas assim sem querer dar vida a elas?

Te incomodei e ainda te incomodo, você nunca aceitou ou tentou entender o jeito como eu vejo e vivo a vida. Então por quê? Me afasta sempre que pode, me ignora quase diariamente, nada que vem de mim te interessa, nada que eu te apresente tem uma reação. Te incomodo tanto que para não ser mal-educado, se cala.

Todas as vezes que você se calou, me matou um pouco. Queria que me falasse o que quisesse, gritasse comigo, me dissesse o quão errado eu estava, falasse qualquer coisa, mas me deixasse saber, me colocasse a par do que você tinha na cabeça. Sua indiferença me mata todos os dias.

Eu achei que meu amor por você não tivesse limites. Mas acontece que ele tem. Já não posso continuar aqui. Talvez dizer que não te amo mais seja o maior erro de todos. Porque é exatamente por te amar que eu vou te deixar. Você não é feliz comigo, eu falhei nisso. Eu não sou feliz com você, e não que tenha de fato tentado, mas você falhou também.

Espero que você consiga achar algo nessa vida que te tire desse marasmo de emoções. Que sinta a paixão que senti por você, que algo te tire do sério, como você me tirou.

Te deixo, porque te amo. E espero que me desculpe por ter te forçado a esse amor, esperei demais de você. E algo que não posso negar, é que você nunca me prometeu nada. Eu lia suas palavras e ações como eu queria. Esse nosso amor, ou esse meu amor, apenas eu vivi, eu inventei.

Me desculpe. Mas eu não conseguirei te dizer adeus, não posso olhar seu rosto e depois ir embora. Tenho que ir e apenas guardar a cena do café da manhã de hoje, em que você não me olhou, como de costume, tomou o café que eu fiz, levou o almoço que eu preparei e da porta mesmo, apenas disse “até mais tarde”.

Até mais tarde, meu amor. Talvez exista um “mais tarde” no nosso destino. Mas além de libertar você das minhas amarras, quero me libertar de todas as lembranças que tenho de você. Não as esquecer, mas não deixar que me controlem. Quero voltar e lembrar quem sou e quem eu queria ser, antes de decidir que ser seu era o que importava.

Hoje quando você voltar para casa, não vai me encontrar, nem as nossas fotos, nem as minhas roupas. Talvez te dê alívio, talvez culpa. Se for a segunda opção, por favor, esqueça isso, não há porque achar um único culpado. Sei que não é a forma mais bonita ou correta de nos separar, mas eu não posso fazer isso de outro jeito.

Seja feliz, por favor. Sorria mais, ria, não se leve tão a sério, não ouça os outros com tanto afinco, diga um palavrão vez ou outra, troque a água por uma taça de vinho, enlouqueça. Como eu fazia, sempre tentando te arrastar, mas respeitando sua aversão às minhas bobagens. Tente ao menos uma vez. Somos muito jovens ainda, posso amar de novo e você pode amar pela primeira vez.

Tente, ao menos uma vez.

Min Yoongi, te deixo porque te amo.

Adeus.

Feb. 3, 2019, 11:35 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Taynara C Tata, 24y

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~