A garota do cabelo cinza Follow story

nessacelos Vanessa Vasconcelos

A vida pode ser cheia, lotada, abarrotada, inundada de coisas boas. Mas quando aquelas situações ruins te pegam é um saco né? Itália a garota de cabelo cinza, com nome de país, gêmea de alguém e vivendo em uma cidadezinha linda e fria no oeste da Áustria, tem tantos motivos para viver em depressão, mas junto a genética de seu cabelo, sua positividade e alegria é chamativa aos olhos de quem vê.


Humor All public.
0
1260 VIEWS
In progress - New chapter Every Friday
reading time
AA Share

Definições Indefinidas

Já sentiu que não pertence a nenhum grupo social?

Quero dizer, se você for parar pra pensar no mundo todo, todos tem algum tipo de Hobbie ou se encaixa em alguma ''tribo urbana'' digamos assim. A minha insistente e teimosa dúvida do que fazer quando não se identifica com nenhuma delas? Bom, talvez eu ainda não tenha analisado direito ou talvez ainda não saiba mesmo o conceito de definição né!

Meu nome é Itália Müller, sim tenho nome de país, uma austríaca com nome de outro país da Europa, é pra acabar com minha sanidade mesmo, e o que me deixa mais esquisita ainda, eu disse AINDA, porque tenho que citar o fato de ter nascido com cabelo cinza, mais puxado para o branco mesmo. Quando se vive em uma cidade onde a maioria das pessoas tem os cabelos completamente ''normais'' do seu, a vida não se torna muito fácil. Vou melhorar essa história pra você, tenho um irmão gêmeo que é a minha cara só que de cabelo preto, o que não me faz parar de ouvir:

- Nossa Itália, você é a ovelha branca da família

- Itália, porque você não pega umas dicas com seu irmão de como cuidar do cabelo?

Dentre outras piadas retardadas que tenho que ouvir, tem a parte ainda de que meu irmão é o popular, e todas a garotas da cidade daria a vida pra encostar nele, só de lembrar chega dá vontade de rir, as coitadas vivem mandando cartas pra cá, mas ele meio que ignora elas, para se fazer de difícil, eu sou bem amiga do meu irmão, mas as vezes ele exagera em quase tudo, tipo quando fica quase duas horas arrumando o cabelo, se olhando no espelho como se fosse um modelo, fazendo minha mãe comprar coisas nojentas para a dieta dele. É nessa parte que eu realmente me sinto a ovelha branca.

Eu diria que sou a positividade em pessoa! se não fosse algumas partes da vida em que sou obrigada a chutar a porcaria do balde, o problema mesmo é ter que ir buscar ele depois. Mesmo tendo nascido aqui Innsbruck, pareço ter vindo do planeta Greyland Weird, não estou exagerando não colega, as vezes minha vontade é pintar o cabelo com caneta permanente (já tentei), e o lado bom da história, é que não sou obrigada a ter o cabelo preto também, na escola a diretoria em peso sabe da minha genética doida, minha mãe adora meu cabelo, meus amigos acham legal ter uma ET como amiga, o problema mesmo sou eu e meus haters escolares.

Houve uma certa vez que uma menina (se é que possamos chama-la assim), ela é tão grande que é perigoso ela riscar o céu, mas em fim, a Olinda tentou enfiar minha cabeça num barril de tinta, mas antes tive que mandar uns Taekwondo nela né, ficamos por 5 longos minutos num round sem fim (na maior parte eu estava correndo), a pior parte foi pedir para os ''colegas'' ajuda, e verem todos aqueles inúteis rindo. Olha, não é que eu odeie a escola, na verdade até gosto de estudar e dos meu amigos, mas algumas pessoas com ausência de cérebro insiste em retirar a paz do meu corpo, deixando apenas puro ódio.

Seria estranho se eu disser que odeio minha vida, porque não odeio, gosto bastante de chegar da aula jogar meus sapatos pro alto, tomar meu querido chá, ler minhas coleções de quadrinhos, jogar, sair com meus amigos e viajar de trem. As vezes faço uns trabalhos extras em uma lojinha de conveniência quando não tenho aula e nas férias, mas isso porque quero viajar para os países da América Látina, soube que lá é bem calor. 

Falando em calor, sinto cheiro de queimado em plena 06:00 a.m, parece que minha mãe queimou a torta de novo, não ligo muito, até porque não sou muito fã da torta, sim, é possível não gostar da torta Sacher, quando falo isso parece que estou xingando horrores um time de futebol mais amado do país. Falando em horrores melhor eu levantar da cama e ir pra escola, se eu me atraso no primeiro dia de aula, vou ter que ficar a tarde fazendo relatórios sobre disciplina, e hoje eu quero me acabar de dormir.


-Mãe! Por que raios você não faz essa torta na parte da tarde?

- Meu Deus Itália, bom dia pra você também!

- Ta ok, bom dia mãe. To atrasada hoje, não vou ficar pra torta, mas aposto que o john vai querer (sim meu irmão tem nome normal, mas deveria se chamar Grécio só de raiva)

- Tudo bem filha, vai querer que eu te leve, ou pega o ônibus?

- Pode deixar mãe, eu pego a tortura ambulante, beijos - Abraço ela, levantando quase caindo

- Beijos, Itáliaaa


É ai, em que começa o começo da estimada vida adolescente escolar, o ônibus da escola.

 




Feb. 1, 2019, 9:12 p.m. 1 Report Embed 1
Read next chapter Branco como a Neve

Comment something

Post!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Falta de vírgula em "Mas quando aquelas situações ruins te pegam é um saco né?" em vez de "Mas quando aquelas situações ruins te pegam é um saco, né?" ("não é" e sua contração "né" sempre devem vir antes de vírgula). Falta de vírgula em vocativos, como em "Nossa Itália, você é a ovelha" em vez de "Nossa, Itália, você é a ovelha". 2)Falta de crase quando necessário, como em "mas junto a genética de seu cabelo" em vez de "mas junto à genética de seu cabelo". 3)Falta de concordância em algumas frases, como em "sua positividade e alegria é chamativa aos olhos de quem vê" em vez de "sua positividade e alegria são chamativas aos olhos de quem vê"; "algumas pessoas com ausência de cérebro insiste" em vez de "algumas pessoas com ausência de cérebro insistem". 4)Falta de acento em "Todos tem algum" — devia ser "Todos têm algum": "tem" = singular; ele tem; "têm" = plural; eles têm; "as vezes minha vontade é pintar" em vez de "às vezes"; "chama-la" em vez de "chamá-la". Falta de letra maiúscula no início de frase, como em "em pessoa! se não fosse" em vez de "em pessoa! Se não fosse" Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Cara, sua história está muito bacana e divertida. Na verdade, também achei que ela é, de certa forma, muito interativa também; esse negócio de ela se incomodar um pouquinho com o que as pessoas pensam sobre o cabelo dela e também o bullying que ela sofre por ser diferente, está sendo abordado de forma incrível. Tenho certeza de que muitos leitores se identificarão com a Itália. Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
March 18, 2019, 3:07 p.m.
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 2 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!

More stories