Cinco Minutos Follow story

jessie_orchid Jessie Orchid

Harry havia perdido uma brincadeira idiota entre ele, Rony, Neville, Fred e Jorge, e se não quisesse ganhar um belo banho de ovos e farinha, teria que conversar com Hermione Granger por cinco minutos sem sofrer qualquer tipo de ataque físico ou verbal. O desafio estava lançado.


Fanfiction Books All public.

#romance #universo-alternativo #comédia-romântica #harry-potter #hermione-granger #Harmione #Harry-James-Potter #Harry-Potter-Hermione-Granger
Short tale
0
3700 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

 Rony, Neville, Fred, Jorge e eu estávamos sentados na mesa mais próxima da porta, eu olhava na direção da mesa do fundo da lanchonete como se visse lá meu carrasco. Minha expressão não deveria ser a melhor porque Fred e Jorge não paravam de rir e Neville parecia preocupado.

 —Tudo bem, Harry. —Rony me deu um tapinha no ombro. —Você só precisa sentar naquela mesa e manter uma conversa com aquela garota por cinco minutos.

 —E sair de boa. —Jorge completou.

 Aquilo não iria acabar bem, eu provavelmente voltaria para casa com um curativo na testa. Todos conheciam a garota sentada no fundo da lanchonete: Hermione Granger. Aluna transferida recentemente para a nossa universidade. A mais inteligente bolsista que já conheci, e posso ressaltar que já conheci vários bolsistas talentosos. Minha mãe é um ótimo exemplo.

 O importante é que ninguém se atrevia a chegar perto daquela garota quando ela estava lendo. As únicas pessoas corajosas o suficiente para fazer isso eram Draco, Astoria, Luna e Ginny. Todos do clube de literatura, então talvez eles estivessem acostumados a aventuras, mortes e coisas parecidas quando se aproximaram dela. Talvez Draco estivesse pensando em suicídio quando ARRANCOU o livro das mãos dela... Provavelmente nunca vou saber.

 —Vai lá. —Rony me empurrou para fora da cadeira e eu comecei a andar. Algumas orações passaram pela minha cabeça enquanto chegava perto porque eu não sabia o que poderia falar para ela não ficar irritada. É claro que Hermione Granger não poderia ser tão horrível, afinal quem consegue fazer amizade com Ginny e Luna não pode ser má pessoa. Puxei uma cadeira assim que cheguei, sentei e coloquei os braços sobre a mesa.

 —Oi. —Hermione virou para mim com cara de poucos amigos e eu quase pude ouvir a respiração dos caras perto da porta, mas lancei meu melhor sorriso para ela e ignorei todo o resto. —Meu nome é Harry, eu perdi uma aposta hoje e aqueles caras sentados perto da porta disseram que meu desafio é conversar com você por cinco minutos sem tomar um banho de café, será que você poderia pelo menos fingir que não me odeia por um tempinho para me ajudar a não levar uma chuva de ovos e farinha? —Já estava sem fôlego quando terminei de falar e tinha certeza de que ela iria jogar não o café, mas o livro na minha cara e me xingar de no mínimo 30 coisas diferentes.

 Ela tinha cara de quem sabia muitas palavras.

 Mas quando o tempo torturante de ser encarado acabou, ela apenas riu.

 E eu fiquei ali, parado, com a boca meio aberta, aliviado demais por ela não ter me feito passar vergonha no meio da lanchonete.

 —Desculpe, isso quer dizer que você não vai jogar o café em mim? —Perguntei um pouco receoso. Ela colocou a mão sobre a boca para tentar abafar o riso e fez que sim com a cabeça algumas vezes. Eu sempre ouvia coisas do tipo “não olhe diretamente para ela a não ser que você queira ter uma morte lenta e dolorosa”. Mas para uma garota que todos chamavam de Medusa, Hermione tinha olhos muito bonitos.

 —Não vou jogar café em você. —Hermione sorriu e fechou o livro com um marcador para que não se perdesse na leitura. —Principalmente porque eu estou bebendo suco. Então, como exatamente você perdeu a aposta, Harry? —Hermione se inclinou um pouco sobre a mesa. A pergunta me pegou desprevenido, eu não imaginava que tirá-la da leitura seria tão fácil. Olhei para ela tentando espantar a voz na minha cabeça que gritava “por que você nunca olhou para ela antes, seu imbecil?!”

 —Bem, parece que meu cérebro está acostumado demais com coisas geladas, ou talvez eu não tenha bebido o Ovomaltine rápido o suficiente.

 —Vocês apostaram para ver quem sentia dor de cabeça primeiro? —Ela ergueu uma sobrancelha.

 —Exato.

 —Muito maduro. —Eu ri. Não achei que algum dia conseguiria ouvir o silêncio, mas acho que é esse o nome conhecido para o som que vinha de Rony, Neville, Fred e Jorge naquele momento. —Seus amigos parecem espantados, acho que eles pensavam que você não conseguiria.

 —Eles tinham certeza de que eu não conseguiria.

 —Por minha causa? —Ela me encarava como se quisesse ler minha mente.

 —Como assim?

 —Por que todo mundo fala que eu sou assustadora e metade dos alunos nem chega perto de mim quando estou lendo. —Senti meu corpo inteiro gelar e gaguejei alguma coisa sem sentido. Olhei para a mesa e para o livro buscando alguma ideia, mas quando encarei ela de novo uma luz de pura maldade brilhou em seus olhos.

 Droga.

 Começamos a rir e eu só pude esconder o rosto vermelho entre as mãos enquanto ela se encostava na cadeira totalmente satisfeita por quase ter me feito desmaiar de medo.

 —Não faça isso de novo...

 —Desculpe, mas a sua reação valeu a pena. —Hermione colocou um pouco do cabelo atrás da orelha sem parar de me olhar só para garantir que eu continuaria querendo me enterrar, e nesse momento minha atenção se voltou para o movimento que os cachos do cabelo dela faziam quando ela se mexia.

 —Você está se divertindo com essa situação toda! —Cruzei os braços e olhei para os lados tentando afastar a vergonha que parecia flutuar ao meu redor em uma nuvem de calor.

 —Você não estaria? —Respirei fundo e pensei um pouco. Tamborilei os dedos na mesa e olhei para ela de novo.

 —É, acho que sim.

 —Você gosta de ler?

 —Não. —Acabei rindo. Foi meio involuntário e totalmente incontrolável. Eu odiava ler. —Com certeza não. Não consigo me concentrar, sempre acabo caindo no sono.

 —Sério? —Ela parecia surpresa e um pouco desapontada. A vontade que ela estava de falar sobre livros era tão grande que eu quase podia tocar. Hermione olhou ao redor um pouco perdida, mas logo olhou de novo para mim. —Comigo é o oposto, um bom livro ou uma xícara de café tem quase o mesmo efeito sobre mim.

 —No meu caso eu posso substituir remédios para dormir por uma leitura rápida das primeiras páginas do livro “O Médico e o Monstro”. Literalmente.

 —Como assim literalmente? O Médico e o Monstro é uma obra incrível! —Hermione não parecia querer jogar nada em mim, talvez porque estava tão chocada que provavelmente não conseguiria nem se levantar sem tropeçar.

 —Eu não disse que não é. —Senti Hermione respirar aliviada, mas ainda me olhava como se eu fosse um alienígena. —Minha mãe sempre me contava a história quando eu era pequeno e como eu gostava, ela decidiu me dar o livro. Nunca consegui passar do terceiro capítulo. —Nesse momento Hermione estava totalmente estática. —O problema não é o livro, sabe? O problema... —Fiz um gesto com a mão tentando mostrar um espaço a minha volta. —São todos os livros. —Me encostei na cadeira. —Mas O Médico e o Monstro sempre me ajuda quando estou com insônia.

 —Eu não acredito que acabei de ouvir isso... —Dessa vez eu achei que ela iria jogar o suco em mim, mas ela apenas bebeu um pouco, talvez para tentar engolir o que havia acabado de escutar. —Acho que não posso fazer nada quanto a isso, não é? —Ela acabou dando de ombros. —Afinal eu não entendo como vocês são tão obcecados por futebol.

 —Porque é incrível! —Respondi sem pensar duas vezes. Como assim ela não entendia? Era futebol, que por si só é ótimo.

 —Para mim não tem a menor graça sair correndo atrás de uma bola. —Hermione me encarou por algum tempo. —Será que foi essa cara de assustada que eu fiz quando você falou que odiava ler? —Ela abriu um sorriso enorme e eu, mais uma vez, deixei que minha mente vagasse em pensamentos idiotas sobre como eu adoraria ter um contato mais íntimo com os lábios dela.

 —Na verdade sua reação foi mais para adorável do que assustada. —Falei antes que pudesse pensar nas palavras direito, ela quase colocou o copo fora da mesa e eu senti a onda de calor voltar, agora um pouco maior do que antes.

 Parece que Hermione também estava envolta nela dessa vez.

 —Então, me explique como você pode não gostar de futebol? —Antes que ela respondesse meu celular vibrou anunciando que Neville me enviou uma mensagem.

 “já ficou 2min a mais, pode voltar. Fred e Jorge já estão flnd que vc está querendo flertar com ela d vdd XD”

 —Do que está rindo? —Hermione perguntou me fazendo voltar a atenção para ela.

 —Eu ganhei a aposta.

 —Ah! Bem, acho que isso é um até mais? —Ela pegou o copo mais uma vez parecendo um pouco triste, o brilho dos olhos dela pareceram perder a intensidade rapidamente e eu senti uma vontade imensa de voltar a vê-lo de novo. Digitei rapidamente uma resposta e enviei, silenciei as notificações e coloquei no bolso.

 —O desafio não dizia nada sobre eu ser obrigado a ir embora após os cinco minutos...

 “talvez eu esteja mesmo. ;)”

Jan. 1, 2019, 10:19 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~