Classe 1-B Follow story

tiarhot Rhot

Sim, as aulas voltaram e novas turmas estão chegando na Yuuei. Enquanto tinha turmas com aluno que explodiu mais de sessenta robôs sozinhos, ou um que destruiu um de zero pontos com um só soco, tinha uma turma mais... Simples? Ai que você se engana! A classe 1-B é osso duro de roer! Só precisa de um pouco mais de holofotes. [Class 1-B centred.] [Personagens Originais] [Levando a palavra do Larisquad ao mundo]


Fanfiction Anime/Manga All public.

#boku-no-hero #my-hero-academia #bnh
0
3825 VIEWS
In progress - New chapter Every 15 days
reading time
AA Share

Capítulo 1

Se perguntassem para Kufuku como ele se sentia, diria entre levemente apavorado e muito, muito animado. ELE TINHA CONSEGUIDO! Passou para a melhor escola de heróis do país, onde até mesmo All Might tinha se formado, e para o curso que desejava! Certo que tremeu um pouco quando teve que enfrentar robôs gigantes (aquilo era apenas o começo?), porém tinha valido a pena.

Agora era só procurar a própria classe... 1-B... 1-B... Achou uma de primeiro ano onde viu um garoto com cauda, um baixinho com sardas e um garoto que se mexia como robô (dos que reparou que viu no exame de admissão), porém logo percebeu que não se tratava dali.

Então continuou andando até que quase admitiu para si mesmo que estava perdido. Até que encontrou alguém que parecia mais velho e quase sorriu: talvez conseguisse chegar antes do sinal tocar.

— Hn... Com licença? — perguntou para quem acreditava ser seu Senpai, que o olhou confuso. — Você poderia me informar onde fica a classe 1-B, por favor?

Ele sorriu.

— Não precisa ser tão formal comigo, somos da mesma classe! — Kufuku se surpreendeu, mas sorriu também. — Aliás, estou levando ela também, é só nos acompanhar.

"Ela?!"

Olhando mais atentamente o estudante reparou que se referia a menina baixinha tímida (ela estava vermelha só por mais uma pessoa ter chegado) que estava atrás do seu novo colega de classe.

— Que bom, e obrigado! Sou Kufuku Hada, é um prazer conhecê-los! — se apresentou enquanto seguiam para a sala.

— Jonh Ray, conto com vocês esse ano!* — o mais velho revelou o próprio nome.

— Ingryd Viana... — olhou para o lado, desconfortável.

Depois de tanto tempo andando com sua amiga que sempre a ajudava a se socializar com o mundo, estava desconfortável ter que fazer isso no primeiro dia, principalmente com pessoas que foram capazes de passar num teste como aquele da Yuuei.

Logo chegaram a sala e procuraram seus lugares com os nomes marcados. Ingryd ficou mais separada na frente, porém para alívio de Hada, quem estava sentado ao seu lado era Jonh.

Logo perceberam que chegaram mais pessoas: um loiro de olhos azuis que não sabia dizer se estava animado ou assustado, uma gentil menina de cabelos laranja, um loiro com uma máscara esquisita que falava sobre masculinidades, um cara totalmente preto que nem parecia ter pele direito...

A turma parecia ser divertida.

Até que um cara musculoso entrou na sala: ele tinha postura séria, dentes pontiagudos e uma máquina nas costas que possuía tubos aparentemente ligados ao próprio corpo.

— Sentem-se que a aula vai começar. — decretou sério e todos obedeceram. — Apresentem-se. — a turma se levantou, deu bom dia enquanto se curvava e sentou novamente.

A partir disso, a pose séria do professor se quebrou para um sorriso de canto.

— Muito prazer, sou o herói profissional conhecido como Vlad e irei acompanhar vocês por esse primeiro ano na tentativa de se tornarem heróis. Não pensem que será fácil só porque chegaram aqui na Yuuei. Exatamente o contrário, por terem chegado aqui que será ainda mais difícil.

O sangue dos alunos fervia. Parecia que ele queria intimidar, mas na verdade só conseguia animar os adolescentes que criavam expectativas.

— Para começar, vocês vão se trocar com a roupa de Ed. Física. Vamos entender suas habilidades atuais e em que condições estão seus corpos.


.


Ingryd mais que nunca se sentia deslocada. Os exercícios não estavam a ajudando a demonstrar que era uma boa aspirante a heroína. O destaque da bola a distância foi de Kendo que deixou a mão tão grande que a força utilizada foi quase absurda. Na corrida, teve gente que deslizava pelas sombras, que partia o próprio corpo, que por ser mais leve, chegava mais rápido no fim dos 500m, mas nada impressionou mais do que o garoto que literalmente virou uma besta e correu aquilo em menos de dois segundos.

Dois Segundos.

Gemeu frustração, devia ter escutado os conselhos de sua amiga e não ficar no banco enquanto rolava a aula de Ed. Física. Porém agora é tarde demais para se arrepender (coisa que se olhasse ao passado, não iria fazer).

Até que o professor chamou a todos

— Agora que eu cumpri os regulamentos da escola, vamos fazer isso da forma que eu gostaria. Vocês tem tudo aqui a sua volta livre para usar. De acordo com a chamada, vocês vão criar o cenário perfeito para me apresentarem a individualidade de vocês!

Ela não sabia se acreditava em um deus, mas se tivesse alguém aí ouvindo, ela agradecia de coração.

Logo um dos poucos que conhecia já estava no centro do campo de Ed. Física em frente a alguns robôs. Ele esticou a mão e... Coisas começaram a sair de sua pele? E aquilo anda?

— Minha Quirk se chama “Comander” e é sobre basicamente comandar os pequenos seres que crio através da minha pele. — explicou enquanto sua quirk literalmente andava até os robôs e estes aparentemente destruiam a fiação por dentro.


“Provavelmente foi assim que ele passou no exame de admissão.” Todos pensaram enquanto outro se preparava para se apresentar.

E, antes que desse conta, a vez de Ingryd chegou. Ela pegou várias bolas de baseball e alvos. Com tudo pronto, ela inspirou fundo, soltou o ar e as bolas começaram todas a literalmente voar contra o centro dos alvos.

— Minha quirk é a telecinese, por isso controlo algumas coisas com a minha mente. — ficou surpresa ao ouvir algumas palmas e incentivos da turma.

— É realmente uma quirk muito impressionante. — o professor elogiou.

Agora só faltava John que não escolheu nada, o que gerou a dúvida em quase todos.

— O que esse cara tem na cabeça? — o garoto que vira ferro (no qual descobriu se chamar Tetsutetsu) teve a coragem de perguntar alto.

Ele somente pegou um livro — no qual todos identificaram como Harry Potter — e depois pegou a capa da invisibilidade citada e colocou em si mesmo.

— Minha quirk se chama Reality Book e eu posso, bem… Transformar as coisas que leio em realidade.

Silêncio. A turma toda ficou besta.

— Você pode tipo… Criar dragões? — e mais uma vez a voz de Tetsutetsu foi a voz da turma. 

— Eu… nunca tentei.

Porém antes que o aluno se animasse, Vlad, sabendo exatamente onde aquilo ia chegar, bateu com a lateral da mão na cabeça do poço de animação ambulante e falou: — Aula de Ed. Física encerrada. Todos tem 15m para voltar a sala.

Nesse meio tempo Ingryd pegou o celular para mandar mensagem para sua amiga. Ela estava toda empolgada porque passou para a Yuuei, mas ela não a ti a visto nem na turma 1-A.

[Viana - 09:52am]: Oi, você não deveria estar na aula?

[Kaze - 09: 55am]: E estou, até meio ocupada. O professor é incrível! Deixou a gente numa sala e disse que tinhámos uma hora para mostrar dom que somos feitos, então agora eu tenho absolutamente tudo disponível para libertar as minhas ideias da mente.

[Viana - 09:56am]: Pera, como assim? Você é da 1-A?

[Kaze - 10:01am]: Hahaha, bobinha. Esse povo é igual a você: gente do curso de herói. Eu sou da turma de suporte. Agora tenho que ir, Hatsumi está me torrando o juízo aqui.

Ingryd só se perguntava “como assim turma de suporte?” e “quem é Hatsume?

Dec. 29, 2018, 2:45 p.m. 0 Report Embed 0
Read next chapter Capítulo 2

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!