Christmas Together Follow story

tsukimiko_san Tsuki Miko

Apenas uma noite de Natal de Iwaizumi Hajime com seu melhor amigo — talvez algo mais?


Fanfiction Anime/Manga Not for children under 13.

#fluffy #natal #haikyuu #oiiwa #iwaoi
Short tale
0
3853 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Capítulo Único

Estreando a categoria de Haikyuu com meu OTP supremo, yey!

Feliz Natal! <3


Os flocos de neve branca cintilavam ao flutuarem no ar e pousarem no chão, nos bancos da praça, nos ombros dos transeuntes e nas árvores. Pequenas luzinhas coloridas espalhavam-se por todos os lugares onde se podia olhar, piscando fora de sincronia, mas era um caos tão belo que chegava a ser harmonioso.

Para espantar o frio do fim de dezembro, Iwaizumi e Oikawa usavam roupas quentes e tomavam copos de café enquanto andavam. O primeiro tinha até se prestado ao papel de vestir o suéter que havia ganhado do melhor amigo, que combinava com o dele. Céus, o que Hajime não fazia por aquele idiota e pelo bem do espírito natalino?

Por falar no idiota, ele estava muito silencioso para o seu gosto. Desde que saíram da cafeteria e passaram a perambular juntos na praça, Tooru não havia dito uma palavra. Parecia estar pensativo. Quando o levantador ficava quieto, só podia significar duas coisas: ou ele tinha acabado de levar uma bronca do melhor amigo por falar de mais — aí no caso o silêncio não durava por muito tempo -, ou havia algo de errado, e por algum motivo não conseguia externar.

— Ei, Oikawa — Iwaizumi enfim chamou-o. Oikawa olhou para ele, piscando, como se tivesse sido arrancado de um devaneio.

— Sim?

— O que aconteceu?

— O que te faz pensar que algo aconteceu? — Tooru esquivou-se, tomando o último gole do café e jogando o copo descartável numa lixeira.

— Eu sou seu melhor amigo, você ainda acha que consegue esconder as coisas de mim? — Hajime sacudiu a cabeça, terminando sua bebida também. O outro deu um sorrisinho.

— Não é nada demais, sério. Ah, a árvore!

Enfim chegaram onde queriam: a grande árvore de Natal no centro da cidade, decorada com luzinhas, esferas metálicas e, no topo, uma estrela brilhante. A neve acumulara-se sobre os galhos. Ao redor, várias pessoas transitavam e tiravam fotos.

— É tão lindo, não é? – Iwaizumi virou a cabeça quando ouviu as palavras de Oikawa. O levantador estava parado, olhando para a árvore de Natal. As luzes coloridas refletiam nos olhos cor de chocolate, tão ou mais brilhantes que a estrela no topo da árvore, a neve enroscava-se nos cabelos sedosos e pousava sobre seus ombros, e um leve sorriso desenhava-se em seus lábios. Aquilo era o que ele estava esperando para ver.

— É sim — concordou, mas não se referia à árvore.

Nisso, Tooru olhou para o amigo e seus olhares se cruzaram, antes que Oikawa desviasse depressa.

Nee, Iwa-chan... Posso... Posso fazer uma pergunta?

Hajime também desviou o olhar, voltando a fitar a árvore.

— Faça.

— Por que você dispensou a festa de Natal do time para me chamar para passear? As confraternizações do pessoal são sempre incríveis.

— Por quê? Se arrepende de ter aceitado o meu convite?

— Não, nunca! — O levantador balançou a cabeça em negativa com tanta veemência que toda a neve acumulada nos seus cabelos caiu. — É que... Olha em volta.

Iwaizumi obedeceu e escaneou a praça com os olhos. Não havia nada fora do comum.

— O que você quer dizer?

— Casais, Iwa-chan, casais. Eles estão em todo lugar. — Tooru enfiou as mãos no bolso do casaco, parecendo um pouco amuado. — Você sabe que o Natal é um feriado romântico. Por que está passando comigo?

Era com isso que ele estava preocupado esse tempo todo? Hajime teve vontade de rir. Na verdade, ele acabou deixando escapar um risinho baixo.

— Não ria de mim! É uma pergunta séri--

Oikawa se calou quando Iwaizumi segurou o seu casaco com as duas mãos e puxou-o de encontro a ele, selando seus lábios.

Por alguns momentos de choque o levantador apenas ficou congelado, tentando assimilar o que estava acontecendo. Hajime foi mais rápido. Suas mãos deslizaram do casaco para seu rosto, tocando na pele quente e macia com os dedos gelados, e então, ele entreabriu os lábios pedindo passagem. Sem hesitar, Tooru deixou que o melhor amigo aprofundasse o beijo.

Quando o ar se fez necessário, suas bocas desgrudaram uma da outra. Suas respirações ofegantes condensavam no ar. Iwaizumi deslizou a língua pelo lábio inferior e suspirou.

— Pelo amor de Deus Oikawa, um dia você ainda vai morrer de diabetes de tanto açúcar que você toma no seu café.

— A primeira coisa que você diz quando termina de me beijar é reclamar do gosto da minha boca. Estou indignado.

— Não estou reclamando. — Hajime deu-lhe um longo selinho, que terminou de desestabilizar as estruturas de Oikawa. — Isso responde a sua pergunta, Shittykawa?

— Acho que sim — murmurou em resposta. Suas faces estavam coradas, e Iwaizumi não sabia se era de frio ou de vergonha.

— Você acha? Quantas vezes eu vou ter que te beijar para fazê-lo ter certeza?

— Se depender de mim, várias — respondeu, sem pestanejar. Hajime soltou seu rosto para dar um peteleco na sua testa. — Ai! Isso é jeito de tratar seu namorado?

— Você é meu namorado?

— Não. Ainda. Mas se você quiser eu sou. — Tooru deu uma piscadela, e Iwaizumi segurou o sorriso. Aquela expressão era mil vezes melhor.

— Vamos para casa, Shittykawa. Minha mãe fez cookies.

— Oba! Eu amo os cookies da tia! — Oikawa entrelaçou os dedos do amigo nos seus com naturalidade, como se fizessem isso há anos. Suas mãos se encaixavam perfeitamente. Começaram a andar. — Eu estar lá não vai ser incômodo?

— Claro que não. Eu preciso apresentar você como meu namorado para meus pais, não?

— Então você quer que eu seja seu namorado.

— Pensei que isso já estava implícito quando eu te beijei duas vezes e te levei em um encontro em pleno Natal.

— Hmm, eu acho que eu ainda não compreendi... — O levantador coçou a cabeça, fingindo confusão. — Se você me beijar mais vezes, acho que vou entender...

— Você é um idiota. Sem beijos até o ano novo — Hajime disse, inflexível, e puxou o recém-namorado pela mão, que choramingou.

— Cruel, Iwa-chan!


[screaming in quarta temporada de haikyuu confirmada language]


Dec. 24, 2018, 2:12 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Tsuki Miko Escritora nas horas vagas, otaku em tempo integral.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~