Hi, my name is crazy... Follow story

P
Pilar Passos


Hi, my name is crazy conta a história de uma rapariga adolescente normal que passou por um acontecimento traumatizante com as amigas. O regresso de Jennifer à cidade trás grandes confusões. Amor, loucuras, mistério e crime são as grande quatro palavras chave.


Teen Fiction Not for children under 13.

#amor #mistério #teens
0
3938 VIEWS
In progress - New chapter Every 30 days
reading time
AA Share

AS ÁGUAS PROFUNDAS DO RIO

- Ah, agora não! -refilei para mim mesma enquanto me levantava para ir desligar a máquina infernal que interrompe sempre o meu sono de beleza diário. Andei lentamente até à casa de banho, rastejando os pés pelo chão frio, e quando lá cheguei deparei-me com um monstro. Esse lindo monstro tem o nome de Megan, para os mais próximos Meg. Fiquei a olhar para ele durante algum tempo, por causa do estado em que se encontrava. Debaixo dos seus grandes olhos verdes destacavam-se umas olheiras escuras, e o seu cabelo castanho chocolate estava de tal modo despenteado que parecia que tinha levado com um choque elétrico. Para quem não percebeu, esse monstro era eu.

Quando acabei de me arranjar fui até à cozinha (um dos meus sítios preferidos da casa), mas infelizmente não ia lá para comer (uma coisa que adoro fazer).

- Bom dia mãe! -exclamei dando um beijinho na sua cara.

- Estás a ser demasiado simpática, isso não é normal -disse a minha mãe mais para ela do que para mim com uma cara intrigada.

- Já não se pode ser simpática é!? -perguntei indignada.

- Já percebi que queres alguma coisa...

- Por acaso... Combinei ir tomar o pequeno almoço com as minhas amigas ao Paul´s , e precisava de dinheiro...

- A minha filha de 16 anos ainda me pede dinheiro! Devias começar a ganhar o teu próprio! -aconselhou seriamente fitando-me.

- Sabe bem que ando a ver por aí alguns trabalhos mãe.

- Pois acho bem que o faças! Mas vai lá andando vá -disse estendendo uma nota de cor azul com o número 20 gravado.

- Obrigada! -exclamei agradecida. Despedi-me com um abraço e dirigi-me à porta de saída.

Apesar do chão frio da minha casa a primeira coisa que senti quando saí foi calor. Muito calor! Com os meus All Star sempre nos pés comecei a andar em direção ao Paul´s. Para me distrair tirei os fones que se encontravam no bolso dos meus calções de ganga à dias, e desbloqueai o meu telemóvel. " 10:05 da manhã, e hoje é dia 31 de Agosto, que bom já estou atrasada! Será que é normal as pessoas falarem sozinhas? Acho que não! Devo ser completamente anormal, põem logo a música e cala-te Megan que fazes um favor à humanidade!"

Passado algum tempo já quase no final da minha playlist de verão já se conseguia observar a gigante placa amarela reluzente onde se destacavam grandes letras que formavam a palavra Paul´s.

Abri a porta suavemente e entrei no café com um sorriso na cara. Esse sorriso estava lá pelo facto de eu amar o som daquele sino pequenino cada vez que alguém abre a porta do café e também porque reconheci três caras que me são muito familiares.

À volta de uma mesa redonda de mármore estavam sentadas três grandes amigas minhas. De costas para mim encontrava-se a Mia, uma rapariga solidária, trabalhadora e inteligente com uns grandes cabelos castanhos e uns olhos cor de avelã. Ao lado dela estava sentada uma rapariga com feições rebeldes, pele escura e brilhante, cabelo encaracolado cor de noite e uns olhos que refletiam o mar. O seu nome era Zoey e era a mais divertida de nós todas, uma boa companheira de aventuras, por vezes criticava demasiado as pessoas mas sempre teve um bom coração. Por fim temos a Meli, se não tiverem essa regalia, Melissa. A Meli sempre foi uma pessoa muito sincera, sendo que às vezes esse pequeno pormenor dava confusão, era o nosso exemplo de responsabilidade e apesar de quase nunca o demonstrar apreciava todos os atos carinhosos. Encantava qualquer um com os seus grandes cabelos loiros, sempre soltos,e com os seus olhos castanhos escuros.

- Olá meninas! Tive saudades! -exclamei fazendo um coração com as mãos.

- Pois mas para mandares mensagem ou ligares durante as férias nada! -balbuciou a Meli.

- Digamos que estive muito tempo na companhia da minha Netflix... -murmurei.

- Pois acredito que sim... Já falaste com a Char hoje? -perguntou a Mia.

- Não, pensava que ela já estava com vocês. Pelos vistos não sou a que chego mais atrasada hoje -afirmei vitoriosa - Já vi que as férias não mudaram ninguém este ano -observei olhando para a Zoey que estava fixada com os olhos no telemóvel e como sempre com uns fones no ouvido.

- Muito engraçadinha... - respondeu a Zoey revirando os olhos.

Sentei-me ao lado dela e dei-lhe um abraço que ela amavelmente retribuiu, "Uma coisa que não acontece todos os dias", pensei. De repente voltou-se a ouvir o barulho do sininho da porta e todas olhámos na sua direção. "E eu a pensar que era impossível ela ficar mais alta." A Char caminhou até a nossa mesa e com um aceno simpático deu-nos os bons dias. A Charlotte é umas das raparigas mais altas que conheço! Anda sempre com o seu cabelo loiro oxigenado preso num coque, e chegou como sempre com um olhar azul de curiosidade pronta para as novidades e as "fofoquices".

- Então o que se faz por estas bandas? -perguntou a Char rindo entre dentes.

- Nada demais... Mas só de pensar que as aulas começam amanhã fico logo com dores de cabeça -protestou a Zoey.

- Aí nem me fales nisso! -rosnou a Meli.

- Meninas, estudar faz bem à mente -lembrou a Mia.

- Só se for à tua -respondi.

- Pois Mia só se for à tua, porque comigo é sempre este ciclo que se repete infinitamente! -protestou a Meli.

- Como assim? - perguntou a Char.

- Então eu passo a explicar...

- NÃO! NINGUÉM QUER SABER! -interrompeu a Zoey.

- Devias ter ficado calada Char... -suspirei.

- Aí Meli não as oiças! Explica que eu e a Char queremos ouvir -retorquiu a Mia.

- Então isto é assim... - começou. Reparei que a Zoey estava a aumentar o volume da música e sorri-lhe - Quando os professores marcam os testes parece que ainda temos todo tempo do mundo para estudar, mas aí é que nós estamos enganados! Olhamos para o calendário e reparamos que faltam precisamente dois meses para um teste. "Oh até lá!" é a nossa reação instantânea. Passado algumas festas e saídas com os amigos voltamos a olhar para o calendário e reparamos que faltam só três dias! Mas o problema é que nesses três dias, num deles o cão faz anos, noutro nem pomos os pés em casa e no último dizemos a nós mesmos que vamos passar o dia a estudar arduamente, só que... saiu um novo filme que estávamos ansiosos por ver que agora está disponível na Netflix, e quando damos por nós já os nossos pais nos estão a chamar para jantar e reparamos que não estudámos nada! Depois de jantar fazemos uns resumos manhosos das 60 páginas e rezamos para que Deus nos salve amanhã!

- Pois mas como agora vamos para o secundário acho melhor começarmos a estudar todos os dias -aconselhou a Mia.

- Eu este ano vou me dedicar a sério! -afirmei decididamente.

- Oh sim claro... -disse a Char ironicamente.

- Isso é a mesma coisa que dizeres que a Zoey vai estudar este ano -comentou a Meli.

- Desculpa!? -respondeu irritada.

- Elas acham que não conseguimos... -disse olhando para a Zoey - Então este ano só vamos prometer tirar notas acima de 15!

- Ah calma aí... - murmurou a Zoey. A Meli olhou para ela com uma expressão vitoriosa - Isso é demasiado fácil!

- Vamos ver então -balbuciou a Meli - Por cada nota mais baixa que 15 vão ter que fazer um desafio. Temos acordo?

- Yup! - exclamámos.

- AH MENINAS - gritou a Meli -Vocês nem sabem quem está de volta!!!

Todas olhamos fixamente para ela à espera que ela nos dissesse alguma coisa, todas precisávamos de respostas. A Meli respirou fundo antes de falar enquanto a Zoey tirava lentamente um fone do ouvido para conseguir captar bem o que iria ouvir.

- Vais dizer alguma coisa ou vamos ficar a manhã toda aqui especadas, é que tu não és propriamente bonita! -resmungou a Zoey. A Meli revirou os olhos e todas rimos.

- A Jeniffer! -sussurrou a Meli - Ela está de volta à cidade...

- O QUÊ??! -exclamamos todas. "Bom é agora... a minha vida acaba hoje... adeus mãe, obrigada por tudo...", pensei.

- Como é que descobriste isso!!? -perguntou ansiosamente a Mia.

- Lembram-se da Emma? -perguntou a Meli. A Emma foi uma amiga nossa que andou connosco na escola só no 7 º ano. Uma rapariga que sabia sempre tudo sobre toda a gente, uma autentica revista cor de rosa. Uma aparência de anjinho por causa das suas ondas douradas e dos seus olhos esmeraldas, mas com uma personalidade de diabinho.

- Bom, durante as férias eu encontrei-a na Zara e estivemos a falar sobre a vida. Ela contou-me que este ano provavelmente ia voltar para a nossa escola porque está a precisar de ambientes e pessoas novas. Ela sempre morou ao lado da mansão Rodriguez (onde a Jeniffer morava), e disse-me que tinha visto uns camiões de mudanças nestes últimos dias...

- Mas tens a certeza que ela está de volta..? -perguntou a Char.

- Se aquela bicha abrir a boca eu juro que a parto toda! -ameaçou ferozmente a Zoey.

PAUSA! Provavelmente não devem estar a perceber o porquê desta preocupação toda... Digamos que todas fizemos uma coisa grave, muito grave...

À precisamente 3 anos atrás o meu pai morreu com cancro e deixou-me um colar. Um colar de fio simples com um pequeno coração prateado com as suas inicias gravadas. Para alguns era uma peça insignificante mas para mim tinha um grande valor sentimental, com ele sentia-me protegida de todos os males. Passados seis meses no aniversário da Mia,estava-me a arranjar para ir para a sua festa de pijama. Encontrava-me nos dormitórios do colégio com a Jeniffer, e estávamos quase a sair para irmos a pé para a festa, que não ficava muito longe. Muitas vezes fazia-mos estas festas em casa umas das outras nos aniversários com a autorização da diretora para dormirmos fora.

- Como estou? -perguntou a Jeniffer enquanto penteava os seus grandes cabelos ruivos.

- Como sempre estás linda... -afirmei secamente. Não é que eu não gostasse dela, até era uma pessoa razoável, mas muitas vezes vaidosa e arrogante.

- Eu estou sempre linda! -exclamou animada passando um batom cor de rosa leve nos seus pequenos lábios. Simplesmente revirei os olhos. - Acho que falta alguma coisa no meu look... -disse observando o quarto em volta. Parou e olhou para o meu pescoço. - Quero esse colar!

- Nem penses Jenny! -disse bruscamente agarrando o meu colar como uma preciosidade.

- Não te custa nada, vá lá! -exclamou caminhando na minha direção.

- Nem morta! - corri rapidamente para a casa de banho e tranquei a porta.

- Não vais fazer uma dessas fitas à Mia! -balbuciou batendo na porta amarela gasta da casa de banho.

- Como assim!? -perguntei irritada abrindo a porta.

- Bem tu sabes... fazeres de vítima e depois mandares em toda a gente... -afirmou revirando os olhos. Fitei- a com muita ira e de repente ela arranca-me o colar do pescoço e saiu porta fora.

Sentei-me na sanita a refletir a cena que acabara de acontecer. Passado algum tempo olhei para o pulso e "Atrasada como sempre", mesmo assim sai do colégio e desloquei-me até casa da Mia sem pressas. Cheguei à rua dela e observei de longe a sua grande casa. Um grande portão preto e na sua frente um gigante alpendre segurado por dois pilares de mármore. Bati à campainha e imediatamente deparei-me com um sorriso amarelo.

- Parabéns Mia! Adoro-te amiga! -gritei abraçando-a com força.

- Também te adoro mas se me deixasses respirar seria magnífico! -respondeu rindo.

- Desculpa... Tenho aqui o teu presente fofa! -estendi-lhe um pequeno saquinho que ela delicadamente abriu.

- Uauu, não acredito que os chegaste mesmo a comprar! -exclamou feliz olhando para o tal par de brincos que ela andava com o olho em cima. -Amei obrigada! Vamos entrando estávamos todas à tua espera- Entrámos no palácio da Mia e caminhámos até à porta das traseiras que dava para o jardim.

- Vamos acampar cá fora!? -perguntei.

- Não tontinha! Desta vez vamos dormir todas naquela casa de madeira do jardim.

- Ah ok!

Entrámos na casinha de madeira e reparei que a casa era mais espaçosa do que pensava. Elas estavam sentadas em dois grandes sofás, menos a Zoey que se encontrava no chão, mas todas tinham as mochilas às costas e os sacos de cama nas mãos.

- Olá! -exclamei acenando. Todas me cumprimentaram e sentei-me ao colo da Char.

- Então agora que já estão todas aqui, temos que decidir quem vai dormir com quem -observou a Mia.

- Para não haver confusões podemos tirar à sorte -sugeriu a Meli e todas concordámos. Cortámos os papelinhos e escrevemos os nomes. No final a divisão foi: Meli e Zoey; Mia e Jenny; Char e Meg. Como já tinha-mos tudo decidido começámos a preparar as camas, com os colchões e os sacos de cama e até construímos um forte nos dos cantos da casinha.

De repente ouviu-se o som da campainha e todas olhámos para a Mia.

- Estás à espera de mais alguém? -perguntou a Char.

- Não, supostamente eram só vocês! -respondeu pensativa - Mesmo assim vou ter de ir ver quem é!

- Nem penses que vais sozinha, eu vou contigo! -exclamei.

- Ah eu também -exclamaram todas menos a Jeniffer.

- Olha pois, já percebi que também vou ter de ir -disse levantando-se do sofá.

Caminhámos todas lentamente pelo jardim até ao portão, que já se encontrava fechado, simplesmente iluminadas pela luz da lua.

- Está aí alguém? -perguntou a Mia com uma voz trémula. Sem resposta. A Mia agarrou no puxador suavemente e abriu o alto portão. Todas espreitámos para fora olhando para aquela rua mal iluminada até que:

- BUUU! -gritou, saindo de trás de uma árvore, uma rapariga com uns caracóis negros esvoaçantes e uns olhos verdes que brilhavam com o luar.

- Nossa Senhora! Sarah queres me arrancar o coração! - exclamei assustada.

- Sarah pensava que ias viajar com os teus pais! -exclamou a Mia contente abraçando-a com força.

- Não ia perder os teus anos por nada Mia! -respondeu abraçando-a de volta.

- Podemos ir, eu não tenho paciência para aturar estas lamechices -protestou a Jeniffer limando as unhas.

- Ah nem tinha reparado na tua existência... -implicou a Sarah. A Jeniffer virou as costas e começou a andar em direção à casinha.

- Vamos então... -suspirou a Mia. Quando chegámos à casinha, sentámos-nos nos sofás e falámos sobre tudo e todos durante longos minutos, até que já não havia assunto.

- Então e com quem é que a Sarah vai dormir? -perguntou a Char.

- Posso dormir com toda a gente menos... -afirmou olhando para a Jeniffer de soslaio. A Jeniffer e a Sarah nunca se deram bem. Isto tudo começou de uma maneira muito estúpida e infantil mas que para a Jeniffer ainda é um grande pecado. Elas eram grandes amigas no infantário, e naquela altura a Jeniffer namorava com o Cole, o rapazinho mais bonito da sala. Só que o Cole começou a gostar da Sarah e ela dele. Desde então elas não se falam...

- Então querem ir dar uma volta lá fora -disse para quebrar o clima.

- Sim eu vou contigo -retorquiu a Sarah.

- Mas tu acabaste de sair lá de fora! -exclamou a Meli indignada.

- Eu vou -disse a Zoey.

- Ok, ok ... -cedeu a Meli.

- Já que todas vão não tenho remédio... -disse a Char levantando-se.

- Mia? -perguntou a Sarah estendendo-lhe a mão. A Mia olhou para a mão dela durante um tempo mas depois acabou por ceder.

- Está bem -respondeu - Mas não nos podemos demorar muito!

Todas saímos de casa e andámos pelas ruas, a cantar, a gritar e a dançar.

- Estás tu -disse a Sarah tocando na Jeniffer e correndo no sentido oposto.

- Mas tu achas que eu vou andar aí a jogar à apanhada! -protestou - Isso é jogo de pobre!

- Pobre és tu! -respondeu a Sarah com desprezo.

- Tens a certeza disso!? -exclamou mostrando a sua mala da Gucci.

- Aí não acredito nisto! -exclamou a Sarah rindo entre dentes - Só inventa desculpas para não me apanhar...

- Sua...! -exclamou irritada e começou a correr atrás da Sarah.

- Cuidado com o meu colar -disse.

- Meg posso usá-lo? -perguntou a Sarah enquanto corria.

- Podes... - A Sarah começou a correr em direção à Jeniffer e arrancou-lhe o colar -Cuidado!

- Não te preocupes, ele está seguro comigo -disse a Sarah com um sorriso meigo. Começou a correr em direção à ponte, também muito mal iluminada e quando lá chegou saltou o gradeamento amarelo.

- Tu és louca! Sai daí! -gritou a Mia.

- Eu nunca caio M..AHHH! - Foi aí que a minha visão começou a falhar e a última coisa que vi foi a Sarah a cair com o meu colar ao pescoço.

- SARAH! -ouvi alguém gritar. No momento a seguir desmaiei, mas pelo que me contaram andaram à procura do corpo lá em baixo... Apesar da forte corrente daquele dia ela podia não estar morta... Deu como desaparecida passado dois dias. Uma semana depois a Jeniffer mudou-se e nunca mais apareceu. Nesse dia prometemos que nunca mais iríamos falar sobre esse assunto.




















Dec. 22, 2018, 4:19 p.m. 0 Report Embed 0
Read next chapter O PRIMEIRO DIA

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!