Alvorada - Neji x Tenten Follow story

ayalaom Ayala O. Melo

No seio da morte, Neji descobre algumas coisas que ficaram pendentes antes que ele possa ir além e com a ajuda de seus pais, ele descobre que o amor, diferentemente de tudo o que ele acreditava até aquele momento, pode sim, transcender os limites da vida e da morte. Agora cabe ao gênio Hyuuga escolher qual caminho tomar e aceitar as consequências de seus atos na vida dos que ama.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#limbo #conversa #hizashi #morte #ito #akai #reencarnação #tenten #neji #naruto
5
5.1k VIEWS
In progress
reading time
AA Share

A Jornada Começa

Notas do Autor


Era para ser uma oneshot LOL mas depois de 15k, decidi dar uma separada nos capítulos para tornar melhor a compreensão e menos cansativo ^.~ 

   Aviso: Vou falar um pouco sobre Reencarnação. Não sou espírita e não conheço como funciona (ou como as pessoas acreditam que funciona), mas queria escrever sobre o assunto e acho que ficou plausível. Qualquer dúvida, deixe nos comentários ^^ 

   Boa leitura!

Capítulo 1 - A Jornada Começa


A Jornada Começa


Resisti ao impulso de fechar os olhos no ultimo momento. Não havia escapatória e eu, como o gênio do clã Hyuuga, soube disso no instante em que tomei a decisão. Senti cada madeira adentrando o meu corpo, o gosto metálico do sangue atingindo a minha boca e me deixando sem ar.

Mesmo que um milagre acontecesse, o que não era o caso, eu duvidava que veria o dia nascer outra vez. Estava morto, e soube disso antes mesmo que uma farpa me atingisse.

Meu corpo estava pesado, sentia-o como um fardo e fechei os olhos. Uma pena. Realmente, uma pena. Me desculpe, Tenten, por não cumprir a minha promessa.

Senti-me flutuar entre o vale dos vivos e dos mortos, sentindo que abandonava a quentura do meu machucado corpo físico, tornando-me algo mais, quem sabe, fantasmagórico.

Mirei o céu, que transformava-se em uma cor de aurora boreal, completamente fora de contexto. Não fazia sentido, estávamos em pleno meio dia, mas algo, provavelmente a razão, fez-me perceber que simplesmente não precisava fazer sentido, pois se houvesse um, eu deveria apenas estar morto e não divagando inutilmente.

Andei para longe da cena triste, aonde meus familiares e amigos velavam o meu corpo. A vi correr e sua expressão se contorcer, quando deparou-se com a verdade. Tentei tocar-lhe o rosto e limpar as lágrimas que escorriam de sua belas orbes castanhas, mas meu toque não chegou à alcançá-la.

— Deixe-a ir. – Ouvi uma voz que há muito quase me esquecera do timbre. Virei-me de supetão encarando meu pai.

— Pai?

— Não a prenda, Neji. – Ele disse e eu recuei um passo, sem entender.

— Eu não…

— Eu sei, e vou guiá-lo até que compreenda, mas nesse momento, afaste-se dela e diga-me, como chegou aqui?

— Morrendo. – Respondi-lhe sem humor.

— Por que simplesmente não se liberou? O que ainda o prende na Terra, meu filho?

Ao pensar por um momento, eu percebi que não sabia. Então dei de ombros, mirando a face jovial do meu pai.

— Oh sim. – Ele comentou casualmente, seguindo ao meu lado e caminhando. Eu o segui. – É diferente da vida, isso o que temos. Mas vamos, vamos andando que temos uma longa estrada a percorrer.

— Mas… e Tenten? – Questionei, vendo-a chorar, longe do meu corpo escorado numa árvore seca.

— Ela não pertence à essa parte do mundo. Estando livre, pode voar.

— O que é isso? – Perguntei, sem saber como me expressar melhor. – Pensei que quando morríamos, acabava.

— Eu julguei assim também e para alguns, essa é, de fato, a realidade, mas não para nós.

— Hyuugas?

— Não, não para nós que ainda tínhamos tanto a resolver. O que o prende nesse plano, meu filho?

Eu não soube responder, então ele pareceu pensar por um momento, antes de sentar-se num tronco velho. Eu o acompanhei, vendo a relva tornar-se verde e o vento balançar o mato alto e os meus cabelos.

— Por que não me diz mais sobre aquela moça.

— É a Tenten. Minha colega de time por anos.

— E o que mais?

— Nada mais. – Desconversei, desconfortável.

— Ora, vamos. Se vai mentir, pelo menos o faça de uma maneira satisfatória. – Ele brincou e eu sorri de lado.

— Ela é minha. Teremos um filho em breve.

— E o que uma mulher grávida faz no campo de batalha, Hyuuga Neji? – Ouvi claramente o tom acusador de minha mãe e virei-me para me deparar com ela, muitos anos mais jovens, desde a ultima vez que a vi, aos 14 anos.

— Okaasan?

— Responda-me, menino!

— Hum... bem... é difícil dizer, mas Tenten queria lutar por Konoha e não tínhamos certeza. Sakura-san confirmou há algumas semanas e estávamos nos preparando para trocar com Inuzuka Hana e Aburame Shibi. Tenten iria trabalhar na estratégia tática com os Nara, ocupando o lugar de Hana e eu substituiria Shibi-dono no comando dos chunnins.

— Interessante. Eu sabia, jamais gostei dela. – Apesar das palavras, vi o sorriso jovial dela brincando em seus lábios rosados. – E você, meu menino? Como chegou aqui?

— Morto em combate, recebeu algumas dezenas de golpes por todo o corpo. – Meu pai segredou-lhe baixo e mudou casualmente de assunto. – Então, Neji? Sente-se mais confortável?

— Não, apenas mais confuso. – Ele riu abertamente e mirou-me nos olhos.

— Conte-me o que o aflige, meu filho.

— Como ele vai saber, Hizashi? Se eu bem me lembro, seu pai disse-me que você passou décadas vagando sem saber por onde ir.

— Bem, ignoremos os fatos irritantes. – Ele deu de ombros com um sorriso pequeno e eu suspirei.

— Não queria que meu filho crescesse sem pai. – Segredei-lhe, torcendo para que fosse uma parte do que ele queria e vi a relva ganhar um aspecto mais verde, árvores surgindo ao longo, aonde eu olhava, com pequenos brotos de flores.

— Foi um bom chute. Continue, Neji.

— Como sabe que foi um chute?

— Se você soubesse, já estaríamos mais a frente. – Ele me segredou, mirando satisfeito, a paisagem à nossa frente.

— Então, se estou entendendo corretamente, se eu acertar a paisagem muda, é isso?

— Mais ou menos. – Minha mãe contou-me. – Este é um lugar especial para você. Aonde é?

— Eu não faço ideia.

— Descobriremos até o fim dessa jornada.


Continua...

Notas Finais

Espero que tenham gostado, pretendo postar o próximo capítulo domingo que vem. E como sempre, que tal dar aquela comentada para eu saber o que você está achando? Beijos~!

Nov. 23, 2018, 2:52 a.m. 0 Report Embed 0
Read next chapter A Promessa

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 1 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!