Disco Tits Follow story

bielcastelli Biel Castelli

Diversão, sexo fácil e liberdade. Eram as três palavras que mais definiam a vida de Naruto naquele momento, e ele não mudaria nada. Isto até encontrar com intensos olhos carmesins. Ele não esperava que a proposta de um fetiche conhecido lhe quebraria tantas barreiras e lhe mostrasse uma palavra que havia escondido de seu vocabulário há muito tempo... o amor. Isso é tudo o que uma noite na balada pode causar.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#yaoi #lemon #boyxboy #naruto #fluffy #daddy #tobirama #Tobinaru
Short tale
0
658 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

I'm high as fuck

Inhaai, bom vocês sabem que eu vivo de crackshipp e quando pego pra shippar o personagem principal com todo mundo eu vou com tudo ksksks.
Disco Tits faz um tempinho que está pronta e só agora me deu a louca de querer postar e eu amo essa história, gosto dessas coisas de Daddy ksksks então espero que vocês gostem.



Eu estava morto, acho que se tivesse que fazer mais uma hora extra na transportadora que trabalhava no setor de financeiro provavelmente morreria de exaustão. Mas no fim valia a pena porque no final do mês meu salário de três mil reais estava na conta e poderia compras meus mimos. Entrei no apartamento batendo porta, eu só queria uma cama para deitar e virar A Bela Adormecida.


– Oi docinho já chegou? – escutei a voz de Ino vindo da sala.


– Oi amore, cheguei morto – fui até a sala vendo que a loira pintava as unhas de vermelho.


Ino era minha melhor amiga desde o ensino médio e isso não mudou depois que concluímos, hoje nós dois com 24 anos dividimos um apartamento no centro de Nova York.


– Vai sair com seus Daddy hoje? – perguntei rindo ao deitar minha cabeça em seu colo


Ino não trabalhava, era sustentada por homens ricos que davam tudo que ela pedia, não importava preço e tão pouco se era algo vindo de fora do país.


– Eu vou – sorriu me olhando – Faz tempo que eu não saio com esse Daddy em específico.


– Aproveite por nós dois.


– Claro que eu vou aproveitar, mas você também porque vai ir comigo.


– Desculpa meu amor, mas não faço sexo a três – levantei a mão para ela que começou a lixar minhas unhas.


– A gente vai para uma balada, e se você não arrumar nenhum macho para comer essa bunda gostosa, a gente te traz de volta para casa.


– Como eu sei que não tenho escolha, vou ir tomar um banho – me levantei subindo as escadas rumo ao meu quarto.


– Não esquece da chuca – gritou lá debaixo me fazendo gargalhar.


Fechei a porta do quarto e comecei a tirar a roupa jogando tudo no cesto de roupa suja, precisava arrumar um tempo para lavar elas, mas me faltava algo chamado coragem. Me aproximei do espelho e admirei meu corpo, tinha uma barriga trincadinha por causa da academia, coxas grossas e uma bunda grande de dar inveja. Entrei debaixo do chuveiro e deixei a água quente cair por meu corpo, lavei meu cabelo loiro deixando hidratado. Sai do banho me secando e abri o guarda roupa escolhendo uma calça jeans clara que ficava justa em meu corpo, uma camiseta preta transparente que tinha Bitch escrito na parte dos mamilo tampando e tênis preto.


– Ino to pronto – sai do quarto gritando – Cadê você?


– Eu tô aqui em baixo, tô pronta já – olhei para ela que vestia uma saia roxa curta, um cropped preto e um salto da mesma cor.


– Uau que delícia - falamos juntos


– Vamos que já são oito horas e precisamos pegar um táxi ainda – dizia já abrindo a porta.


– Vamos com o meu carro? – perguntei pegando as chaves.


– Não amor, nós vamos beber bastante como eu bem conheço a gente.


– Que boate é essa que nos vamos? – perguntei ao chegarmos na frente do prédio


– Aphrodite. Faz uns quatro meses que abriu, dizem que é ótima – falava enquanto acenava para um táxi.


– Nova York a cidade das boate, puta que pariu – ri ao entrar no táxi que tinha parado para nós.


Atravessamos quase Nova York inteira para ir em uma boate, paramos uma quadra antes porque a rua estava lotada de carros.


– Ino a gente não entra nessa boate hoje não, olha o tamanho dessa fila.


– Calma amor, o meu Daddy colocou nossos nomes na lista vip – sorriu para mim.


– Acho que preciso de um Daddy também – brinquei.


– Se você quiser eu posso indicar você para alguns – a loira disse piscando para mim.


– Eu tô brincando, palhaça.


Passamos desfilando pela enorme fila recebendo olhares de desprezo dos outros.


– Boa noite, nomes? – perguntou um segurança alto e negro que me fez salivar só de imaginar coisas indecentes com ele.


– Yamanaka Ino e Uzumaki Naruto.


– Eu me acabaria nesse homem – sussurrei no ouvido de Ino enquanto o segurança procurava nossos nomes.


– Estão aqui, podem entrar – disse liberando a passagem.


Passei por ele piscando para ele e fui retribuído com um “Me procure aqui mais tarde.” Não dava para se mover direito lá dentro, as pessoas estavam altas já por causa da bebida e drogas. A música alta estourou em meus ouvidos e as luzes piscando excessivamente fez meus olhos lacrimejarem.


– Onde tá seu homem?


– Tá no bar, vamos lá – me puxou pelas mãos até o bar.


O bar era enorme contendo todo tipo de bebida que desejasse, ainda sim por incrível que pareça, a sua volta parecia estar bem vazio. Caminhamos até um homem que estava usando uma calça social preta, uma camiseta branca com os dois primeiros botões abertos mostrando sua pele leitosa e nos pés um belo par de sapatos pretos lustrosos, mas não foi tudo isso que fez minhas pernas tremerem. Foram seus olhos, suas orbes pareciam duas pedras de rubi e seu cabelo que eu não sabia dizer se era grisalho ou de genética e o melhor, seu sorriso de canto sedutor.


– Porra, que homão – balbuciei baixinho.


– Boa noite Daddy – Ino se jogou nos braços do homem.


– Boa noite Baby – respondeu beijando os lábios da loira, enquanto eu segurava a risada pelo o que os dois tinham dito.


– Daddy, deixa eu te apresentar o meu melhor amigo – apontou para mim.


– Tobirama Senju – estendeu a mão sorrindo galanteador.


– Naruto Uzumaki – apertei firme sua mão.


– Vamos beber – gritou Ino jogando as mãos para cima. Logo em seguida ela chamou o barman pedindo dez shots de Tequila e se virou para mim me desafiando.


– Maldita, eu vou sair daqui arrastado – ri ao começar a virar.


Enquanto eu e Ino enchíamos a cara, sentia o olhar de Tobirama pesar sobre mim. Não posso negar que ele fazia muito o meu tipo, mas obviamente que eu não poderia simplesmente dar em cima do homem da minha amiga.


– Eu vou ao banheiro – falei ao ouvido da minha amiga.


Passei por Tobirama que piscou para mim, estava quase ficando louco com esse homem me comendo com os olhos. Entrei no banheiro que era perto do bar e caminhei até o mictório abrindo as calças, começando a urinar. Fiz o necessário e fui lavar as mãos, quando simplesmente senti meu corpo ser prensado na pia e minha cintura ser apertada com força.


– Você tá me deixando louco Naruto – sussurrou em meu ouvido antes de me virar para ele.


– Cadê a Ino?


– Não se preocupe com ela – cheirou meu pescoço e deixou um beijo ali me fazendo suspirar em seu ouvido.


– Você quer ser meu baby Naruto? – sorriu aproximando nossos lábios – Porque eu deixo você me chamar de Daddy.


Senti os lábios de Tobirama encostarem no meu, pousei minhas mãos em seu peito e abri a boca sentindo sua língua entrar. Sua mão direita agarrou minha cintura colando nossos corpos, enquanto a esquerda descia até minha bunda apertando com força, me fazendo gemer durante o beijo. Eu estava totalmente entregue a aquele homem como se só estivesse eu e ele naquele banheiro.


– Chega – me afastei dele e saí do banheiro me chocando com as pessoas.


Caminhei em passos rápidos até onde estávamos e encontrei Ino conversando com uma moça e me sentei ao seu lado.


– Pensei que tava pegando alguém no banheiro pela demora – riu me fazendo arregalar os olhos.


– Coragem – peguei seu copo virando a bebida que eu nem sabia o que era na boca.


– Voltei baby – escutei a voz de Tobirama atrás de mim me fazendo arrepiar ao lembrar de suas mãos em minha cintura.


– Eu vou para a pista – falei para Ino que tinha sido puxada pelo Tobirama e estava sendo beijada.


Entrei na pista de dança que tocava Tension da Fergie e comecei a dançar, estava tão alto que não me importava mais com os corpos suados se esfregando em mim, me aproximei de um casal hétero e comecei a dançar para eles.


– Topa um beijo a três? – perguntou a mulher.


Não respondi nada, me aproximei dos dois que pegaram em minha cintura e começamos o beijo meio desajeitado no início, mas alguns segundos depois estávamos os três em êxtase um passando a mão pelo o outro.


– Obrigado pelo beijo – beijei a mulher novamente de forma necessitada e depois fiz o mesmo com seu namorado.


Me afastei deles indo até o bar onde Ino ainda se pegava com Tobirama, pedi uma dose dupla de Tequila e virei a taça na boca sorvendo todo o líquido de uma vez. Senti a mão de Tobirama subir por minha coxa e parar em minha bunda, me virei para ele descrente que o homem estava realmente fazendo isso com Ino agarrada nele. Afastei sua mão apertando seus dedos com força e voltei para a pista onde comecei a travar uma batalha de olhares com o Senju. Ele me provocava achando que afetava meu ego beijando Ino, mas era ele quem estava descontrolado enquanto me assistia rebolar na pista de dança.


– Pensei que não ia te achar – tive meu corpo agarrado por mãos grandes, olhei para cima sorrindo ao perceber que era o segurança – Quer ir para a minha casa?


– Só depois de saber seu nome.


– James – beijou meu pescoço, era hoje que eu seria arrombado por aquele homem.


– Só vou avisar para a minha amiga que já estou indo – puxei sua mão levando ele até perto do bar.


– Onde a loira está? – perguntei a Tobirama que virou a cara para mim.


– Banheiro.


– Avise a ela que já estou indo, arrumei companhia para a noite – me virei para sair mas fui impedido por Tobirama puxando meu braço.



– Me passa seu número antes, eu posso te mostrar que sou muito mais do que um cara rico que quer te mimar.


– Peça para Ino – puxei meu braço e fui até James.


~X~X~X~X


Entrei no apartamento sentindo o cheiro maravilhoso do strogonoff que Ino fazia.


– Cheguei – avisei já subindo as escadas em direção ao meu quarto.


Entrei já retirando as roupas que havia usado ontem a noite e coloquei só uma calça de moletom e desci correndo para a cozinha morto de fome. Adentrei no cômodo vendo a loira mexendo as panelas e dançando alguma música que ouvia em seus fones.


– Oi gata – tirei um de seus fones a fazendo ela se assustar.


– Ai vagabund… Puta que pariu.... O que fizeram contigo? – apontava os roxos em meu corpo.


– Isso foi o resultado da noite que eu tive com aquele segurança da boate.


– Deve tá só o arrombo – riu


– Não sinto o meu quadril e não queira saber do resto – ri abrindo a geladeira para pegar água – E como foi a sua noite?


– Em casa dormindo – me virei para ela com a sobrancelha erguida enquanto tomava a água


– Logo depois que você saiu o Daddy quis vir embora alegando que não estava se sentindo bem.


– E me diga, quantos anos ele tem?


– Quarenta e dois anos, nem parece né – deu de ombros


– Hum, vamos comer – peguei os pratos e os talheres colocando em cima da mesa.


– Ele falou sobre você, sabia?


– É mesmo? – indaguei intrigado.


– Sim, ele disse que te achou simpático – mostrou a língua – Mal sabe ele que você é chato.


– Isso é porque provavelmente ele nunca te viu menstruada para saber que eu sou um anjo perto de você demônia – mostrei o dedo do meio para ela e me sentei a mesa me servindo começando a comer igual um desesperado.


– Hoje eu vou sair com outro Daddy viu – declarou simplista.


– Pensei que você só tinha o Tobirama.


– Fora ele eu tenho mais dois Daddy, sou uma garota precavida. Se perco um tenho outro para me bancar.


– Bitch – rindo, me levantei da mesa colocando o prato na pia e subindo para o meu quarto, enquanto Ino gritava insultos da cozinha.


O final de semana foi tedioso, passei o resto do sábado na cama dormindo e o domingo fiquei assistindo séries enquanto Ino estava fora de casa desde sábado. A semana se passou arrastando até quinta-feira a tarde, quando do nada meu celular começou a receber mensagens sem parar no meio do trabalho.


??? - Oi Baby


??? - Como você está?


??? - Quer sair comigo hoje a noite ?


Ri alto na minha sala reconhecendo quem era só pela palavra Baby.


Me: Desculpe, número errado senhor.


Tobirama: Eu não sou tão velho, passo no seu apartamento às 19:30


Me: Eu não vou


Tobirama: Até lá, Naruto


– Droga – joguei o celular na mesa, me levantando da cadeira e indo até a cafeteira enchendo meu copo de café preto e forte.


Olhei para o relógio da parede que já marcava 17:45, já estava perto de acabar o expediente. Quando finalmente pude ir embora, durante todo o trajeto até chegar em casa, minha cabeça não parava de funcionar, Tobirama era insistente e isso me irritava. Me irritava ainda mais porque eu sabia que eu o queria também. Estacionei meu carro na garagem do prédio a tempo de ver Ino estacionando o dela.


– Ei gata – gritei acenando com as mãos – Onde estava numa hora dessas? – me aproximei dela que segurava um monte de sacolas.


– Oi amor, fui comprar umas blusinhas e comprei algumas roupas para você também.


– Obrigado mamãe – zombei ao entrarmos no elevador e apertar no botão do sétimo andar.


– Muito trabalho hoje?


– Demais – peguei meu celular e abri na conversa com Tobirama, eu devia contar para ela – Eu tenho um encontro hoje.


– Oh – sorriu – Com aquele segurança, James?


– Sim – forcei um sorriso ao sair do elevador e abrir a porta do apartamento


– Vou te ajudar com a roupa – bateu palmas em animação – Que horas você vai?


– Sete e meia.


– Então vai tomar banho que já são 18:30 e eu já vou lá, só vou deixar essas coisas aqui em cima da minha cama.


Entrei no meu quarto tirando as roupas e fui para o banheiro tomar banho, fiquei uns bons minutos debaixo da água quente, enquanto Ino mexia em meu guarda roupa.


– Vai ficar aqui? – sai do banheiro enrolado em uma toalha.


– Óbvio né amor, até parece que eu já não vi esse pau aí


– Cala a boca – resmunguei vestindo a cueca.


Peguei a calça social preta, vesti e depois coloquei a camiseta social azul claro e Ino fechou os botões deixando um aberto.


– Eu tô parecendo um Daddy – Quer ser meu baby? - puxei sua cintura


– Oh Daddy, primeiro o cartão e depois a xereca - disse fazendo a gente cair na gargalhada


– Com que sapato eu vou ?


– Tu ainda tem aquele que tu comprou para o casamento da sua prima ?


– Sim, mas não tá limpo e nem lustrado


– Aí amore passa só um paninho e pronto.


– E coloca isso também - falou já colocando uma cinta em mim.


Depois de pronto parei em frente ao espelho e admirei o ótimo trabalho que Ino fez escolhendo as roupas.


– Uau você tá muito lindo


– Obrigado - peguei sua mão e dei um beijo.


– Que horas são?


– Puta merda, 19:30


– Como assim passou tão rápido - corri até o banheiro pegando meu celular.


Desbloqueei vendo que tinha uma mensagem de Tobirama.


“Estou aqui em baixo.”


– Meu Deus ele já tá lá em baixo – gritei saindo do quarto descendo as escadas correndo com Ino em meu encalço


– Boa sorte e tenha um bom encontro – gritou.


Vi Tobirama encostado ao carro quando saí do prédio, estava lindo usando aquele terno cinza. Sorriu para mim ao perceber que eu me aproximava


– Se me permite dizer – pegou em minha mão depositando um beijo – Você está deslumbrante


– Obrigado.


Sorri ao ter a porta do carro aberta para mim entrar, Tobirama iria jogar sujo essa noite e eu estava preparado para jogar também.


– Posso saber para onde vamos ?


– Joanne Trattoria


– Pera, esse restaurante são dos pais da…


– Lady Gaga – completou sorrindo – Ino me disse que você é louco pelo mundo da música então pensei que gostaria de um lugar de alguma cantora famosa.


– Ino me paga – resmunguei escutando ele rir.


Eu estava encantado com aquele restaurante que nem notei que entrei no local de mãos dadas com Tobirama. Fomos levados até a mesa que ele tinha reservado para dois. Olhei para ele que riu ao ver que eu tinha notado nossas mãos.


– Boa noite, o que os senhores vão querer?


– Eu vou querer risoto


– O mesmo que ele e me traga o seu melhor vinho - disse entregando os cardápios para o garçom.


– Então como foi o seu dia ? – se virou para mim


– Cansativo, mas já estou acostumado


– Trabalha no que Naruto ?


– Trabalho no financeiro da transportadora Sabaku.


– Interessante, deve ser muito inteligente e competente para ocupar um cargo desses


– Eu sou – dei de ombros vendo ele sorrir – E você do que trabalha ?


– Eu sou presidente da empresa de carros Ferrari


– Uau, sempre me imaginei dirigindo uma Ferrari – falei vendo ele sorrir.


O garçom se aproximou com uma garrafa de vinho e encheu nossas taças e saiu deixando a garrafa sobre a mesa.


– Se você aceitar ser o meu baby eu te dou uma – pegou em minha mão


– Não desistiu dessa idéia ainda ? – encarei aqueles rubis – Toque nesse assunto de novo que eu vou embora


– Desculpe eu não queria ofender por lhe oferecer um presente


– Mas ofendeu, eu não nasci para ser bancado por homem algum Tobirama, eu trabalho e vivo muito bem com o meu salário. Se quiser bancar alguém, banque seus baby's


– Eu só tenho sua amiga como baby, você seria o primeiro baby homem


– O que você viu em mim ? – perguntei depois do garçom se afastar após ele trazer nossos pratos.


– Você é uma pessoa interessante no meio de tantas pessoas fúteis e cá entre nós Naruto, você seduz qualquer um sem esforço algum – senti meu rosto esquentar ao escutar essas palavras


– Desculpe Tobirama, não vou brincar disso contigo.


– Só um minuto - pegou seu celular digitando algo e colocando no ouvido.


– Boa noite Ino – arregalei os olhos – Eu só quero dizer que não vamos mais brincar de Daddy e Baby.


– Não é isso, eu só conheci uma pessoa.


– Obrigado por compreender – encerrou a chamada e olhou para mim


– Quer ser meu Naruto?


– Não – sorri debochado ao levar a comida para a boca.


– Você é tão arisco – balançou a cabeça em negação


Apenas dei de ombros e me permitir admirar aquele homem que me desejava tanto. O resto do jantar foi agradável, conversamos sobre nossas famílias, descobri que Tobirama quer construir uma família daqui alguns anos.


– Obrigado pela noite – olhei para ele ao estacionar em frente ao meu prédio.


– Eu que tenho que te agradecer pela noite agradável que me proporcionou – levou sua mão até meu rosto fazendo um carinho.


Me aproximei dele e selei nossos lábios.


– Eu não vou desistir de você


– Eu não quero que desista, só quero que desista desse negócio bobo de baby para cima de mim.


Me despedi dele dando mais um beijo e sai do carro.

– Ei


– O quê? – me virei para ele que sorria


– Só queria te olhar mais uma vez e dizer que você é lindo.


Eu devo ter sorrido igual um bobo antes de subir para o apartamento.


– Me conte tudo – Mal fechei a porta e Ino já estava me arrastando para o sofá.


– Eu preciso de contar uma coisa – Eu precisava contar tudo para ela antes que acabasse virando uma bola de neve tudo.


– Eu não saí com o James


– Saiu com quem então – cruzou os braços se escorando no sofá


– Com Tobirama


– Uau, que legal – sorriu para mim mas eu sabia que era forçado – Por que não me contou ?


– Por que eu não queria que acontecesse isso que tá acontecendo agora


– A gente só tá conversando, não tá acontecendo nada.


– Pra falar a verdade você estava com ele quando ele me ligou ? – balancei a cabeça confirmando – Você poderia ter me contado sabia.


– Eu não aceitei ser Baby dele – me levantei e subi para o quarto, precisava dormir já que tinha que levantar cedo para trabalhar. Eu já estava enrolado no cobertor quando Ino entrou no quarto e deitou do meu lado.


– Eu não tô chateada por você sair com ele, só fiquei um pouquinho por você não confiar em mim e achar que eu ia surtar.


– Desculpa – abracei seu corpo


– Te desculpo só se comprar sorvete amanhã.


– Abusada – resmunguei ouvindo ela rir.


O resto da semana foi tranquilo e as duas semanas que se passou também, Tobirama ligava todo dia para saber se eu estava bem e toda segunda tinha um buquê de flores em minha mesa a mando dele. Eu nunca tinha ficado tão feliz em ser sexta-feira, meu último dia de trabalho antes de pegar um mês de férias, tomei meu banho cantarolando, me arrumei e desci dando um beijo no rosto de Ino e descendo.


- Bom dia - saudei um dos porteiros do prédio e fui até a garagem pegar meu carro e ir para o escritório.


Retiro oque disse sobre estar feliz, o dia no escritório tinha sido péssimo, já era quase 17 horas da tarde e eu estava cheio de trabalho ainda.


– Me conta o que você fez pra ganhar aquela belezura lá fora – tive minha sala invadida por Rock Lee que trabalhava comigo.


– Do que você tá falando doido.


– Daquela Ferrari preta lá fora.


– Ah não – me levantei da minha cadeira e caminhei pesado até lá fora.


– Você que é o senhor Uzumaki ? – perguntou um homem que usava um terno com o emblema da Ferrari


– Sou sim


– O presidente da empresa mandou entregar para o senhor como presente – me estendeu a chave


– Muito obrigado – sorri ao pegar a chave, esperei o homem sair para surtar.


Peguei meu telefone procurando o número de Tobirama.


– Vejo que já recebeu o presente – falou ao atender


– Eu não tinha falado que não queria presente seu, porra e é uma Ferrari do modelo novo.


– Espero que tenha gostado


– Vai passar lá em casa quando para buscar a chave desse carro.


– É um presente seu Naruto. Tô com saudades – disse desligando


– Porra.


Mandei mensagem para Ino falando que precisava que ela viesse no meu trabalho agora. Abri a porta do carro e vi que tinha mais um buquê de flores com um cartão, peguei o cartão e abri vendo que o maldito tinha escrito algo.


“Espero que aprecie o presente e use da forma como bem entender. Estou com saudades meu raio de sol. S.T.”


Senti meu coração acelerar ao ler aquilo, mas preferi fingir que era de raiva. Fui para dentro do escritório com meus colegas de trabalho buzinando em meu ouvido, arrumei as coisas e esperei Ino chegar coisa que não demorou muito já que ela passa o dia inteiro na rua gastando dinheiro.


– O que aconteceu ?


– Aconteceu aquilo ali – apontei para a Ferrari – O maldito do Tobirama me mandou isso como presente


– O coroa tá gamado em você


– Me poupe gata, tu ainda lembra do endereço de onde ele mora ?


– Lembro


– Me passa o endereço por celular que eu vou lá entregar isso pra ele e tu volta pra casa com o meu carro.


– Não vai fazer besteira


– Só vou ensinar pra ele a não me tratar como um baby – fechei o escritório e entrei dentro daquele carro que meu deus eu estava surtando por dentro mas meu orgulho falava mais alto.


Olhei para a mensagem de Ino com o endereço e me pus a dirigir por Nova York.


Estacionei em frente ao luxuoso prédio que Tobirama morava e desci sentindo meu corpo ferver em adrenalina por ter dirigido aquele carro. Entrei no prédio e fui direto ao elevador apertando o botão para nono andar já que Ino tinha me dito até isso. Sai do elevador e bati na porta de seu apartamento.


– O que você tá fazendo aqui ? – me virei ao escutar sua voz no corredor – Veio me ver ?


– Não, eu vim devolver seu presente – vi seu sorriso sumir


– Posso saber o porque ? – perguntou abrindo a porta


– Você sabe o porque – fui o primeiro a entrar não me importando com o que ele iria achar.


– Desculpe mas não tem como devolver


– Que droga Tobirama, o que você acha que eu sou ?


– Você é uma pessoa incrível que merece o mundo.


Me aproximei dele para tentar argumentar mas me derreti ao encarar aqueles rubis que estavam transbordando algum sentimento desconhecido por mim.


– Obrigado pelo presente – encostei minha testa em seu ombro sentindo seu perfume.


– Não precisa agradecer – abraçou minha cintura colando nossos corpos


– Eu devia estar te batendo agora – levantei meu rosto encarando ele.


– E porque não me bate ? – sussurrou encostando nossos lábios


– Prefiro fazer isso.


Sorri malicioso antes de começarmos a nos beijarmos, minhas mãos bagunçando aquele cabelo branco e macio enquanto suas mãos percorriam todo o meu corpo e apertava.


– Me leva para o seu quarto – sussurrei entre seus lábios enquanto me livrava de seu casaco e gravata.


– Eu levo você pra onde você quiser meu sol – me pegou pela bunda e me ergueu em seu colo


Subiu os degraus com cuidado enquanto eu atacava sua boca em mais um beijo. Tobirama se sentou na cama comigo em seu colo se interrompermos o beijo, eu estava totalmente entregue a aquele homem. Puxei sua camiseta arrebentando os botões e espalmei minhas mãos em seu peitoral firme mesmo não sendo musculoso.


– Era a minha camiseta preferida – mordeu meu lábio


– E quem disse que eu me importo


– Então nada mais justo do que eu fazer o mesmo – rasgou minha camiseta não me dando tempo de protestar.


– Maldito – rebolei em seu colo tendo suas mãos apertando minha bunda – Tire a roupa. Agora – mandei saindo de seu colo e tirando rapidamente minha calça e cueca e jogando o calçado em algum canto daquele quarto luxuoso.


Admirei o corpo de Tobirama ao ver ele tirar a última peça de roupa que vestia, que homem lindo que ele era, seu membro já duro apontando para mim enquanto a cabeça molhada de pré gozo pingava. Me aproximei dele que se sentou na beirada da cama, seus olhos não saiam de meu corpo.


– Dá uma voltinha para mim


Comecei a me virar lentamente enquanto ele passava a mão em minhas coxas.


– Você deve acabar com qualquer um com essa bunda enorme – me fez parar e deixou uma mordida em uma das nádegas.


Afastou minhas nádegas apreciando minha entrada e afundou seu rosto começando a passar a língua envolta antes de começar a forçar a entrada me fazendo revirar os olhos ao ter aquela língua quente e habilidosa me fazendo um maravilhoso beijo grego.


– Ahh Tobi – levei minha mão até meu membro começando a me masturbar


– Não, deixa que eu faço isso – me virou e colocou todo meu pau em sua boca.


Peguei uma de suas mãos e comecei a chupar seus dedos, eu já estava para encher a boca de Tobirama de porra, sua sucção forte, sua língua em minha glande eu só sabia gemer seu nome alto e revirar os olhos.


– Prontinho – tirei os dedos de minha boca e ele desceu com eles até minha bunda enfiando os dois de uma só vez já que minha entrada estava lubrificada.


Levei minha mão até seu cabelo e comecei a foder sua boca enquanto ele me fodia com seus dedos. Meu gozo já estava vindo só de ouvir ele engasgar em meu pau e seus dedos encostarem em minha próstata.


– Eu vou go-gozar – me segurei em seus ombros e me derramei em sua boca.


Olhei para baixo vendo ele tirar meu pau de sua boca, aquele sorriso galanteador com minha porra escorrendo no canto de sua boca.


– Até nisso em você é maravilhoso – beijou minha barriga


Empurrei seu corpo até ele está deitado na cama e subi em cima dele.


– Eu não sei o que te responder – lambi o sêmen do canto de sua boca – Só que eu amo seus olhos.


Sorri para ele antes de começar a beijar aqueles lábios que eram o meu novo vício, suas mãos apertando forte o meu corpo de encontro ao seu como se não quisesse me soltar mais. Quebrei o ósculo e comecei e desci para o seu pescoço mordendo ele, beijei seu peitoral passando a língua em seus mamilos deixando eles vermelhos e marcados por minhas mordidas e chupões. Olhei para ele que mordia seus lábios em expectativa quando eu parei meu rosto de frente ao seu membro. Passei a língua de suas bolas até a cabeça onde abocanhei de uma vez fazendo ele arquear as costas ao sentir sua glande bater em minha garganta.


– Porra – levou sua mão até meu cabelo


Comecei fazer os movimentos naquele membro da cabeça rosada, encostando minha boca naquela pélvis, o gosto do seu pré gozo inundando minha boca mas nada se comparava aos barulhos excitante que saia de minha boca ao me engasgar naquele pau enquanto minha boca era fodida.


– Chega – puxou minha cabeça para trás e sorriu ao ver o estado que estava meu rosto todo melado – Deita e empina essa bunda pra mim


Sai de cima dele rolando para o lado e me deitei de barriga para baixo e empinei minha bunda para que já estava de joelhos atrás de mim.


- A visão do paraíso - pegou em ambas as nádegas apertando, forçou a cabeça de seu membro em minha entrada.


– Mete de uma vez porra – agarrei um dos travesseiros e mordi ao sentir Tobirama entrando cada vez mais em mim, ganhando espaço em meu canal.


– Como você é quente – se abaixou beijando minhas costas – Eu poderia gozar só de sentir você esmagando meu pau.


– Se mexa


– Tem certeza ?


– Só se mexa – impulsionei meu quadril de encontro ao seu escutando ele suspirar.


Tive minha bunda apertada novamente e senti Tobirama sair por completo e voltar em uma estocada só me fazendo morder o travesseiro para não gritar de prazer.


Tobirama entrou em um ritmo rápido com as estocadas fazendo meu corpo chacoalhar na cama por suas medidas fortes direto em minha próstata me fazendo morder o travesseiro com força para não gemer alto para todo o prédio escutar.


O mais velho saiu de dentro de mim e me virou de barriga para cima e deitou sobre o meu corpo atacando meus lábios enquanto me penetrava de novo e começava a estocar, cruzei minhas pernas em sua cintura e arranhei suas costas escutando ele gemer dolorido. Nossas bocas não paravam juntas por causa dos movimentos, mas nos recusamos um abandonar a boca do outro, nossos lábios vermelhos por causa de mordidas, nossas peles marcadas por chupões e mordidas mostrava que de certa forma um pertencia ao outro.


– Deixa eu ir por cima – gemi baixinho em seu ouvido ao ter minha próstata atingida mais uma vez.


Tobirama saiu de dentro de mim e se deitou ao meu lado, admirei aquele corpo todo suado e marcado antes de sentar em cima de seu membro e rebolar o provocando.


– Você tá acabando comigo – se sentou passando seus braços por minhas cintura


– Eu tô te mostrando que sou melhor do que qualquer um que você já ficou – beijei seus lábios.


– E eu afirmo que nunca ninguém exigiu tanto de mim igual você tá exigindo – gemi ao sentir seus dentes mordendo meus mamilos.


– E isso é ruim ? – me levantei um pouco colocando seu quadril em minha entrada e sentando de uma só vez.


– Nunca – mordeu seu lábio quando eu comecei a me movimentar em seu colo – Eu gosto quando exigem de mim e isso nunca aconteceu.


Comecei a pular em seu colo enchendo o quarto com o barulho de minha bunda batendo em suas coxas, suas mãos passeando por todo meu corpo enquanto a gente mantinha um contato visual, azul no vermelho, corpos suados se chocando, o cheiro de sexo impregnado no quarto.


– Eu vou gozar Naruto – encostou sua testa em meu ombro e começou a me masturbar fazendo todo o meu corpo tremer em segundos e gozar sujando seu abdômen, tive o ombro mordido quando ele se derramou em mim me enchendo com sua porra.


Abracei seu corpo e deitei meu rosto na curvatura de seu pescoço.


– Deixa eu ficar só um pouquinho assim – levei minhas mãos até seu cabelo fazendo um carinho.


– Nunca vou cansar de dizer o quão belo você é.


– Você tá dizendo isso só porque quer que eu seja seu baby – sai do seu colo com cuidado e me deitei


– Não, eu já desisti daquilo – olhei para ele que passava a mão em minha coxa


– Pela primeira vez eu tô tão inseguro com uma pessoa


– Inseguro por que? – encarei aqueles rubis que brilhavam


– Eu me apaixonei por um jovem que não vai querer nada sério comigo pelo fato de eu ser mais velho e ele ter toda uma vida pela frente ainda.


– Eu tô apaixonado por você Naruto


– O que ? – me sentei arregalando os olhos ao escutar aquilo – Você mal me conhece Tobirama


– Eu não espero que você retribua, como eu disse eu sou velho e você tem muito pela frente ainda.


– Eu… - meu coração tava tão acelerado ao ouvir aquilo, escutei meu celular tocar dentro do bolso da calça.


Me levantei da cama sentindo uma certa dor no quadril e peguei o celular do bolso vendo que era Ino. Precisava agradecer ela por me salvar em uma hora dessas.


– Oi


– Onde você tá? Comprei 3 pizza pra gente comer assistindo série.


– Eu já tô indo, se acalme – fingi


– Vem logo, eu tô desesperada – entrou na minha e encerrou a ligação em seguida.


– Preciso ir – comecei a me vestir.


– Tudo bem – suspirou pesarosamente


– Sobre o que você disse…


– Só esqueça – forçou um sorriso.


Sai do quarto descendo as escadas, minha cabeça estava muito confusa, eu não sabia o que sentia por ele. Entrei dentro daquela maldita ferrari e me pus a dirigir para casa.


– Cheguei – falei ao entrar


– As pizza acabaram de chegar, vem comer – gritou da sala


– Eu preciso de contar uma coisa


– É sobre Tobirama ? – concordei com a cabeça – Diga


– A gente transou – vi ela sorrir malicioso – E ele se declarou pra mim


– O que ? – bateu no peito ao engolir uma azeitona inteira


– Isso mesmo que você ouviu


– E você?


– Não disse nada, você me ligou na hora me salvando dessa enrascada


– Você não sente nada por ele ? – se sentou ao meu lado


– Eu não sei o que eu sinto, minha cabeça tá tão confusa amiga – me deitei colocando a cabeça em seu colo


– O que você vai fazer ?


– Eu vou pra casa de mamãe.


1 mês depois…


Finalmente voltei para Nova York, me sentia tão leve depois de ter passado um mês na casa de meus pais em Los Angeles. Meus sentimentos estavam certos dessa vez, eu amava Tobirama e agradecia a Deus por mamãe e papai não me julgarem por estar apaixonado por um homem mais velho.


Durante as férias recebi várias ligações dele que foram ignoradas, Ino também tinha me dito em uma das ligações que ele tinha ido até o apartamento me procurar.


Peguei um táxi no aeroporto e dei o endereço do apartamento de Tobirama, precisava colocar tudo pra fora o que eu estava sentindo e saber se ele já não tinha desistido de mim.


Toquei a campainha de seu apartamento e esperei ele abrir a porta, minha mão suava e meu coração estava quase saindo da boca.


– Naruto – sussurrou ao abrir a porta


– Será que podemos conversar ?


– Claro


Entrei em seu apartamento e fui guiado até a sala onde nós sentamos um na frente do outro.


– Não tá trabalhando ? – perguntei ao ver que ele não estava vestido de terno


– Eu tô doente, mas o que você queria me falar mesmo ?


– Algo sério ?


– Não, só uma gripe boba


– Bom você deve ter notado que eu sumi depois daquela noite nossa


– É, notei – sorriu amargamente fazendo o clima ficar tenso


– Eu fui para a casa dos meus pais, eu precisava tirar um tempo para mim e por tudo o que eu sinto em ordem e isso inclui o que eu sinto por você.


– Olha não precisa…


– Eu amo você Tobirama – encarei ele que ficou de boca aberta – Não vou mentir que eu fiquei sim assustado quando você se declarou mas não foi nem por causa de nossas idades sabe. Nunca ninguém se declarou pra mim – encostei minha cabeça no estofado do sofá


– Eu fui o primeiro ? – concordei com a cabeça


– Eu sempre fui uma pessoa de uma noite só e eu também pensei que você estaria brincando com a minha cara.


– Nunca – se aproximou colocando suas mãos em meu rosto – Nunca que eu brincaria com seus sentimentos


– Você ainda me quer ?


– Depois de todas as ligações durante esse mês que você sumiu, eu fui até sua casa te procurar. – Você acha mesmo que eu não iria te querer mais ? – riu – Eu amo você Naruto – encostou nosso lábios – Acho que me apaixonei por você naquela boate, só demorei para perceber.


Sorri enquanto fazia um carinho em suas bochechas.


– E se alguém nos julgar por causa de nossas idades?


– Eu não me importo, a única opinião que me importa é a sua.


– Então eu estou me entregando de corpo e alma para você Tobirama Senju - encostei nossas testas.


– Eu vou te fazer muito feliz Naruto Uzumaki Senju.


Me joguei em seus braços beijando seu rosto, uma nova fase da minha vida se iniciava com esse sentimento novo que eu tinha descoberto. Se teria julgamentos eu não sabia, mas eu também não me importaria com isso. Eu só queria aproveitar cada segundo ao lado dele.




E aí, o que vocês acharam ? Tobirama é gostoso pra caralho e Naruto é a própria reencarnação de Afrodite na terra.

E só avisando que Naruto não vai pegar só Tobirama de Daddy ksksks eu tenho uma MadaNaru pronta também.

Até mais mores 💖

April 9, 2019, 2:20 a.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Biel Castelli "Escrever é uma maneira de viver outra vida. Muitas outras vidas." - Etgar Keret

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~