0
4605 VIEWS
In progress - New chapter Every 30 days
reading time
AA Share

Preparação para a Passagem

Era para ser mais um dia normal, como qualquer outro, após uma noite de festas com alguns amigos, com muita bebida e mulheres, estava voltando para casa, quando parei em uma praça, e quando me vi diante de um banco, uma força irresistível fez com que eu me deitasse, logo depois,  acordei e assim que abri os olhos, comecei a observar a minha volta, com uma atenção que nunca havia feito antes, achava tudo muito bonito, olhei cada galho de uma bela árvore que estava atrás do banco em que me encontrava, olhei para cada galho daquela belíssima árvore, era uma sensação estranha que não conseguia explicar, que tomava conta de mim, não estava triste, pelo contrário parecia que estava anestesiado, havia uma enorme paz dentro de mim. De repente o silêncio foi quebrado com uma linda melodia que eu ouvia, lá no fundo, e logo percebi que havia uma pessoa parada ao meu lado. Havia uma luz forte saindo de trás desta pessoa, que não deixava enxergar o seu semblante, comecei a me dar conta que eu poderia ter morrido; E a paz deu lugar a aflição, fechei os olhos e começaram os questionamentos em minha cabeça; porque eu, uma pessoa tão nova, com tantos sonhos ainda por realizar, não era justo, e os meus planos para o futuro, as minhas horas que dediquei da minha vida pensando no que fazer. Mas logo o meu lado racional começou a falar mais alto e comecei a me conformar, se o meu momento havia chegado, então quem era eu para questionar uma decisão do homem lá de cima, de forma corajosa abri os olhos e dirigir a palavra aquele homem que se encontrava em pé ao meu lado. E disse: Me leve meu amigo, enfrentarei o meu destino, já cumpri o meu papel aqui, estou pronto pra ir. E comecei a ouvir a mesma melodia que estava ouvindo a instantes atrás, porém o som estava ficando cada vez mais alto, mais alto, até que de repente se tornou um grito, vindo acompanhado de um chacoalhão que me arremessou ao chão, onde ouvi a palavra vagabundo,  imediatamente me coloquei de joelhos e abracei as pernas daquele anjo e pedi misericórdia, será que eu tinham me delatado, as minhas farras, será que tinha ofendido a Deus com alguma atitude minha, será que isso era algum prenuncio que na verdade eu iria era queimar no mármore do inferno ao invés de correr pelos  lindos campos verdes no céu. comecei a pedir perdão. Quando tomei mais um solavanco, mesmo assim não larguei daquele que eu acreditava que naquele momento era o único que podia me salvar, a minha visão que até então estava um pouco turva clareou e pude ver que eu não iria para o inferno, e o homem que estava em pé ao meu lado não era um anjo, era um policial me xingando porque eu havia dormido na praça tonto e estava abraçado em suas pernas pedindo para me levar, e a única coisa que pude ouvir de forma clara era que se eu não largasse as suas pernas e fosse embora para minha casa ele iria me levar preso por vadiagem. Levantei e sai correndo, digo cambaleando um pouco, porque na verdade ainda estava tonto; Mas feliz por estar vivo.


Oct. 26, 2018, 7:24 a.m. 0 Report Embed 0
To be continued... New chapter Every 30 days.

Meet the author

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

More stories