Beijo com sabor de... Follow story

byun_re Becca Jorge

Deku estava preocupado naquela madrugada antes da missão, por isso Todoroki lhe ofereceu uma caneca de leite quente com mel, algumas palavras bonitas e outras coisas que fizeram Midoriya se acalmar, mesmo que seu coração estivesse acelerado.


Fanfiction Anime/Manga Not for children under 13.

#fluffy #bnha #tododeku #todoroki #midoriya #bokunoheroacademia #bokunohero
Short tale
2
4685 VIEWS
Completed
reading time
AA Share

Leite quente com mel.

Notas: Quem só vê o anime, não vai reconhecer alguns nomes, que aparecem no mangá, mas não se preocupem, pois não dou nenhum grande spoiler, ou seja, não muda muito os detalhes que eu coloco na fanfic. Quem já leu até o capítulo 160 do mangá, mais ou menos, vai entender o contexto geral do momento em que os personagens estão na fic, mas como eu disse, isso não interfere no acontecimento principal, que é o primeiro beijo do Todoroki com o Deku ;) Espero que gostem, a Duda maravilhosa deu uma betada para mim, obrigada mozão.

~~ X~~ 



Midoriya sentou no sofá, olhou ao redor, era estranho estar na sala do dormitório sem a bagunça de seus amigos. Estava preocupado, sentia-se culpado e irritado. 

Havia deixado uma criança inocente escapar por entre seus dedos. Todas as informações para resgatar Eri-chan rondava sua cabeça, e o pior, sequer poderia contar para os seus amigos, via o quanto estavam ansiosos por sua causa, mas era um plano arriscado e apesar de confiar sua vida a eles, tinha que conseguir a confiança de Sir, mostrar a ele que poderia, sim, ser o sucessor do All Might. Poderia carregar o One for All.

Tinha que mostrar seu valor. 

Entendia que ser um herói exigia muito mais do que momentos heroicos, precisava prever o perigo, salvar as pessoas, planejar suas ações. 

Seu sonho não havia mudado, mas constantes preocupações começavam a fazê-lo ficar cada vez mais soterrado de dúvidas a respeito de si mesmo. Seria bom o bastante para carregar o título de número um? 

— Hey, está tudo bem? 

Deku pulou no sofá, estreitando os olhos para ver no escuro. Todoroki vinha da cozinha, com uma caneca na mão.

— Todoroki-kun!

— Está tudo escuro, o que houve? Não consegue dormir? 

— Estou bem, só quis sair do quarto um pouco. 

O maior lhe encarou, os olhos, um de cada cor, pareciam capazes de ler sua alma. Midoriya balançou a cabeça voltando a fitar as próprias mãos cheias de cicatrizes, já não bastava toda a confusão mental a respeito da Liga dos Vilões e a Yakuza, ainda tinha que lidar com aquela agitação sempre que olhava tempo demais para Todoroki. Sabia o que era, mesmo sendo uma criança apaixonada por heróis e viciada em suas anotações, também havia uma parte de si que se perguntava, com o decorrer dos anos, como era se apaixonar?

Não queria admitir, mas desde a luta com o maior no festival esportivo, em que o viu usar o  poder de fogo pela primeira vez, algo aqueceu em todos ao redor. Mesmo com o jeito reservado, Todoroki se tornou bastante amigável e Deku não conseguia tirá-lo da cabeça. Talvez por isso se metesse em tantos problemas, se estivesse ocupado com outras coisas, não precisaria tentar entender o próprio coração. 

— Entendo como é… Quer um pouco? É leite quente com mel, minha mãe fazia quando eu era pequeno e não conseguia dormir, tome, ainda não bebi.

— Não precisa.

— Aceite, Midoriya, eu vou fazer outro para mim.

O menor sorriu, segurando a caneca que Todoroki estendeu, os dedos esbarram e os dois evitaram se olhar, ambos com os rostos quentes. Eles seguiram para cozinha em silêncio, Izuku sentou na bancada, e Shouto seguiu para o fogão, colocando uma leiteira no fogo e uma xícara de leite, depois acrescentou uma generosa colher de mel, e começou a mexer.

Deku saboreava o conteúdo de caneca, mesmo que sua mãe jamais houvesse feito algo assim, tomar aquela bebida lhe trazia um morninho gostoso, uma sensação de ser acolhido. 

Assim que colocou um copo para si, Todoroki sentou ao lado do menor, sorvendo com cuidado o leite quente, eles se olharam sobre a caneca, e depois sorriram.

— Sinto falta da minha mãe. — o menor suspirou, abrindo-se sem sequer perceber. — Quer dizer...

Olhou para Shouto, com medo que ele risse de si, chamando-o de crianção, mas o garoto apenas deixou o esboço de um sorriso carinhoso escorregar por seu rosto.  

— Não se sinta fraco por dizer isso, Midoriya, fico feliz que goste de compartilhar seus segredos comigo. Também sinto falta da minha mãe, nós passamos muito tempo afastados.

Para ele era muito diferente, Izuku entendia, mesmo que não soubesse ao certo tudo sobre o passado do garoto, filho de um dos maiores — ou o maior? — heróis da geração. 

— É algo no estágio, certo? — Todoroki voltou a falar, e o menor desviou o olhar. — Claro, não pode me contar… Não se preocupe, Midoriya, logo vou conseguir minha licença provisória, e no futuro conseguirei estar ao seu lado quando precisar enfrentar um grande problema. 

— Todoroki, não precisa se preocupar comigo.

— Não? — o outro inclinou a cabeça para o lado, avaliando Deku com seus olhos astutos e um leve sorriso nos lábios. — Não foi isso que você me mostrou? Encontrar meu próprio caminho com minha força, com meus poderes?

— Sim, mas o que isso tem a ver comigo?

— Talvez, o meu caminho me leve até  você.

Aquilo fez todo o rosto do menor esquentar, e Todoroki riu baixinho, com seu jeito contido. Não conseguia negar que achava uma gracinha a forma como o menor jamais conseguia controlar seus sentimentos, ele era muito claro, e puro. Gostava dessa alma de heróis que existia em Midoriya. 

— Seu caminho é muito mais do que isso, Todoroki, você é brilhante.

— O destino tem muitos caminhos, não estou falando que não serei um herói, isso é o que eu mais quero, mas parte de mim não consegue deixar de pensar que, talvez, não tenha sido o acaso nossa luta, não tenha sido simples acaso te encontrar.

Izuku bebeu um grande gole de leite quente, fazendo uma careta por quase queimar a língua, e isso arrancou uma risada de Todoroki, não conseguia negar, estava encantado por aquele garoto de fios verdes embolados.

— Eu não fiz nada demais.

— Você me mostrou uma coisa que eu tinha esquecido.

— O quê? 

— O verdadeiro significado do que realmente queremos, o mais puro desejo de nosso coração… 

Todoroki percebeu, não queria que seu futuro fosse construído sobre o pilar de raiva que tinha de seu pai, não o perdoou, claro, mas Deku fez com que quisesse encontrar o próprio caminho. Longe da sombra de Endeavor. Mas, talvez, dentro de um abraço carinhoso.

— E o que realmente quer, Todoroki? 

Os olhos, cheios daquela ingênua curiosidade sobre o mundo, se fixaram nos do maior. Midoriya quase ofegou, não poderia deixar de pensar em como Shouto sempre foi bonito; antes com seu jeito frio, e naquele momento, se tornava ainda mais belo por ter um pequeno sorriso nos lábios e uma feição sincera, enquanto os fios caíam displicentes sobre o rosto.

Seria idiotice sua pensar que ele estava sentindo o mesmo? Ele queria dizer, com toda aquela história de caminhos, que também sentia algo por si? 

— Muitas coisas, mas nesse instante… — Todoroki se inclinou para frente, deixando seu rosto a milímetros de distância de Deku, quem arregalou os olhos com proximidade súbita. — Eu realmente quero saber se seu beijo tem sabor de leite quente com mel. 

O coração de Izuku quase parou, ele abriu a boca em total surpresa, mas não conseguiu mentir para si mesmo e dizer que não queria aquilo.

Queria, tentava reprimir essa vontade há tempos, mas queria tanto!

Por isso, foi a vez de Shouto arregalar os olhos quando a expressão de Midoriya mudou, transformado sua surpresa em determinação, então ele acabou com a distância entre os dois, beijando-o. Todoroki sorriu de leve, e Midoriya sentiu em seus próprios lábios. Os dedos frios de Shouto subiram pela nuca do menor, fazendo-o se arrepiar ao puxá-lo mais para perto e aprofundar o contato, constatando que ele tinha mesmo o gosto adocicado na ponta da língua. Era como se o mel se tornasse ainda mais viciante misturado ao gosto de Izuku. 

Sem conseguir controlar a própria força, e imerso naquela nova sensação que despertava um novo poder dentro si, Deku segurou os ombros do maior, puxando-o para mais perto e quase fazendo com que caísse da cadeira. 

— Ai. — Todoroki sussurrou de brincadeira, rente aos lábios do menor, que sentiu o rosto quente ao perceber que sequer conseguia controlar a própria força ao lado do maior.

— Me desculpe. 

— Não se preocupe, eu gosto disso. — disse Shouto, levantando-se para ficar de pé entre as pernas do Deku. 

Izuku percebeu que ele não estava falando da dor, claro, mas do fato de tê-lo correspondido. Todoroki lhe desarmou completamente ao beijar sua testa e abraçá-lo apertado. Midoriya sequer sabia o motivo, mas sentiu os olhos cheios de lágrima com aquele conforto, estava precisando de algo assim.

Sentia-se tão sobrecarregado ultimamente.

— Todoroki…

— Não precisa falar nada, não importa qual o problema, Deku, eu confio em você, vai conseguir superar isso, certo? Não desanime.

Sim! — respondeu determinado, olhando para cima e sendo surpreendido por um beijo suave. 

— Vamos deitar agora, amanhã precisa ir para o estágio, certo? Precisa descansar. 

— Você também tem as aulas extras para conseguir sua licença.

— Sim, vamos dar nosso melhor.

Izuku assentiu, e depois de limparem a sujeira na pia, os dois andaram lado a lado até os quartos. Midoriya sentia-se mais leve de estar ao lado de Todoroki, por causa de suas palavras e também… Tocou os próprios lábios que ainda pareciam  formigar com o beijo que trocaram. No dia seguinte teria uma grande missão, não poderia falhar! 

Assim que pararam em frente ao quarto do menor, Shouto segurou sua mão, atraindo a atenção de Izuku. 

— Hey, o que quer que seja, volte bem, ok? Quero saber qual é o gosto do seu beijo amanhã também.

Apesar do rosto quente, Midoriya assentiu, sentia os sintomas daquela paixão se espalhando por todo corpo. Por um momento pensou que Uraraka havia lhe tocado, pois parecia prestes a flutuar quando Todoroki beijou-o novamente, com gosto de leite quente com mel, e depois sorriu, desejando boa noite antes de ir para o quarto.

E quando estava prestes a dormir, já deitado em sua cama, Midoriya prometeu a si mesmo que iria salvar Eri-chan, voltar para casa e beijar Todoroki com gosto de vitória.

Oct. 4, 2018, 10:24 p.m. 0 Report Embed 0
The End

Meet the author

Becca Jorge Uma escritora apaixonada por cultura asiática e universos que me levam para longe desse mundo chato.

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~