Sadala: A lenda da joia Follow story

l_rell L_Rell NL

Reza a lenda que existe no universo um imenso poder, ele é capaz de destruir galáxias inteiras e o portador dele pode ser o ser mais benevolente trazendo infinita paz ou ser o perverso dos seres trazendo consigo a morte. Um mesmo ser em duas faces. Um único coração pode carregar o ódio e o amor. Pelo imensurável poder que ele é capaz de o potencial foi lacrado em uma joia e somente ela traz consigo o poder a tona. Somente essa joia despertara o novo ser, tanto para o bem ...quanto para o mal. Uma joia era tudo que todos queriam, a joia capaz de libertar o poder infinito ao portador... e quem possuir a joia e a joia se fundir a ele...esse será o ser mais poderoso do universo. ** O planeta Sadala será palco do desenrolar de uma das maiores lendas da galaxia. um poder inimaginável e ilimitado surgirá. a lenda da joia que percorre o universo e nas mãos certas desperta o total poder. uma amizade que dará inicio a um efeito dominó que mudará os rumos de todo o universo.


Fanfiction Anime/Manga For over 18 only.

#radittz #bulma #chichi #gine #bardock #rei--vegeta #vegeta #goku #kakarotto
4
4.9k VIEWS
In progress - New chapter Every Monday
reading time
AA Share

Os dois príncipes

**Reza a lenda que existe no universo um imenso poder, ele é capaz de destruir galáxias inteiras e o portador dele pode ser o ser mais benevolente trazendo infinita paz ou ser o perverso dos seres trazendo consigo a morte. Um mesmo ser em duas faces. Um único coração pode carregar o ódio e o amor. Pelo imensurável poder que ele é capaz de o potencial foi lacrado em uma joia e somente ela traz consigo o poder à tona. Somente essa joia despertara o novo ser, tanto para o bem ...quanto para o mal. Uma joia era tudo que todos queriam, a joia capaz de libertar o poder infinito ao portador... e quem possuir a joia e a joia se fundir a ele...esse será o ser mais poderoso do universo. **

Planeta Sadala

—Pai eu tenho mesmo que cuidar desse pirralho? —Haku perguntara irritado a Konattsu

—Claro que sim! Ajude seu irmão. Você sabe o quanto ele gosta de você e gosta de treinar —Konattsu respondeu enquanto arruava seus papeis.

—Rwnnr! Ele é um filhote muito pequeno – Haku fala irritado

—Ele já tem idade para estar lá. E depois eu estarei ocupado o dia todo hoje no palácio. O rei está com uma agenda cheia. – Konattsu repreende o filho mais velho.

O garoto sayajin saiu do quarto do pai e chegando à sala da casa grita:

—Bardock, vamos e não me atrapalhe — Ele fala irritado por ainda ter que levar o irmão

O garoto de quatro anos segue feliz o irmão mais velho. Eles voam até o campo de treino do planeta.

O lugar era usado para treinar sayajins em todas as idades. tendo vários tutores para acompanhar os alunos, bem como tinham várias disciplinas teóricas também além do treino, pois de lá sairiam sayajins para diversas funções no planeta Sadala.

O irmão mais velho larga o garotinho sozinho por ali e vai se juntar aos seus amigos. Ele então procura por conta própria um dos tutores. A pesar de ser novo Bardock era muito desenvolvido e esperto. Aprendia muito rápido e seu pai se surpreendia cada vez mais quando treinava em casa.

Lá estava o garoto sayajin no refeitório quando a garota pequena sayajin se aproximou dele, ela tinha longos cabelos lisos e negros e seu olhar era ônix brilhante. Diferente dos trajes de batalha ela usava um traje mais simples e de armadura padrão. O que era clara indicação que era sem classificação. Ela senta ao lado do garoto de cabelos que desafiam a gravidade.

—Oi! Eu Mika e você quem é? – pergunta a garota ao lado de Bardock no refeitório

—Bardock...— falou sem muita emoção – você não luta né? – perguntou decepcionado. Bem que podia fazer amizade com algum garoto que lutasse, ou pelo menos uma garota que combatesse.

—Não...e você? – pergunta de forma meiga e gentil

—Eu luto, eu vou ser um grande guerreiro – fala Bardock com orgulho

A pequena garota sayajin abre um sorriso

Eles começam a conversar entre si e ali começa a nascer uma grande amizade entre os dois.

No domo real o tutor de elite treinava os príncipes Paragus e Vegeta. O mais velho era por direito o herdeiro ao trono. Paragus era oito anos mais velho que Vegeta, que tinha cinco anos agora.

Era notório a diferença de poder entre os garotos. Vegeta mesmo com pouca idade era muito mais forte que o irmão, e ainda por cima estava se aproximando do nível do tutor. O rei assistia ali sentando em uma confortável poltrona analisava cuidadosamente aquela luta entre irmãos ao lado de Konattsu.

—Você acha que ele realmente tem capacidade de assumir um trono? – o rei de Sadala pergunta

—Temos que esperar majestade. o poder de Vegeta está aumentando sem dúvidas, mas de repente Paragus está com alguma estagnação momentânea. Vários guerreiros sofrem esse processo e as vezes demora um pouco para voltarem a subir novamente – Konattsu pondera

—Fique de olho e acompanhe. Você já tem a lista de candidatas para futura companheira do príncipe herdeiro?

—Tenho sim alteza. Acabei de imprimi-la —fala o sayajin entregando o papel para o monarca.

—Treze opções... Excelente. Reúnas hoje à noite e traga os seus responsáveis legais. – O rei determina

—Considere feito – anuiu Konattsu pegando seu tablet e iniciando as convocações das famílias com as filhas.

Nesse momento varias femeas sayajins estavam se preparando para serrem realmente vistas pelo futuro rei de Sadala. As costureiras do planeta estavam eufóricas e os vestidos mais lindos um que o outro.

—Meu príncipe o rei que ter com vossa alteza no escritório – anuncia Konattsu a Paragus.

—Rwnnr, sabe o que é?

—Não alteza –

Paragus então se dirige ao escritório do pai. Estava irritado. Queria ter mais tempo para se dedicar as suas pesquisas. Apesar da pouca idade ele era verdadeiramente fascinado por processos científicos e aproveitou cada modulo disponível para aprender. Já que seu pai o obrigou a fazer setenta por cento dos módulos de ensino voltado a militarismo e administração.

O príncipe entra no escritório

—Mandou meu chamar meu pai?

—Sim. Quero que use o traje formal essa noite. As candidatas a sua parceira estarão aqui hoje – o rei falou firme encarando o filho

—Mas já? eu não quero me unir a nenhuma femea agora – fala irritado

—Não se unirá agora. E nem a tocará até o casamento. – O rei determina

— Tá. Posso ir agora? – pergunta Paragus irritado

—Vai voltar para o laboratório, não é? – pergunta o rei irritado

—Vou –

—Sabe que não gosto dessas suas atividades extras. Não me agradam. Deveria estar treinando como seu irmão. Ou ao menos aprendo no palácio. – O rei fala – você será o próximo rei. Não posso permitir que continue dessa forma.

—Sim meu rei – fala irritado e desgostoso. – Posso me retirar?

O rei faz o gesto com a mão e o príncipe se retira.

Ele sai bufando.

Vegeta estava treinando mais uma vez até a total exaustão. Foram a atenção que tinha com os módulos militares com foco estratégico e comercial. Ele só tinha uma coisa em mente. Ser o mais forte. Com sorte sobre a sombra do irmão poderia ao menos se tornar o general do império que estava em ascensão. Já que começava a aumentar seus limites novamente.

Já na noite no salão real

Paragus estava ao lado do pai no trono. A rainha havia morrido na última campanha sayajin. ela era do tipo guerreira e nunca deixou de lutar pelo império. Morreu nos braços do rei e desde então o mesmo nunca mais se vinculou novamente. E isso já faz longos três anos.

As garotas estavam ali com seus responsáveis legais e Paragus pode olhar com tédio tudo aquilo. Ele desce junto a Konattsu e olha garota a garota analisando e ouvindo o assistente lhe falar de cada uma. Todas tinham a mesma coisa em comum. Poder de luta. Não importava se lutavam. Eram as femeas naquela idade mais fortes do planeta em poder de luta. Outro fato levado em questão era a idade e pureza em dois fatores. A idade deveria ser próxima da do príncipe. A linhagem deveria ser pura da raça e ela não poderia ter se relacionado com nenhum outro macho. Somente o príncipe a tocaria a vida toda.

—Já me decidi – anuncia o príncipe olhando frente a garota. – Quero essa.

Todas fazem reverencia perante os soberanos e todas se retiram menos a escolhida do príncipe. Paragus havia escolhido Bura. Uma femea um tanto tímida que não era guerreira. Ela era cientista tal como ele queria ser. O rei solta um longo suspiro pela decisão do filho. Ele não a escolheu por poder, já que era a mais fraca de todas. Não a escolheu pela beleza pois não era a mais bela dentre as apresentadas. Ele a escolheu apenas para ter alguém que mantenha suas pesquisas quando subir ao trono. Mas mesmo assim o rei achou que tiraria a maldita obsessão do filhote pelas ciências laboratoriais.

Os anos avançam e agora Bardock tinha oito anos e era um guerreiro forte tendo sido revisto sua classe de terceira para segunda sua amizade com Mika havia aumentado muito. Eles viviam juntos longe dos campos de treino. Sempre se divertiam e Mika adora flores e jardins, era uma femea muito dócil. Bardock ainda não entendia o fascínio que tinha por aquela garotinha sayajin. ela era muito diferente do que ele gostava. Mas mesmo ela se tornou na pratica sua confidente e sua amiga. Era com ela que dividia suas frustações pelos treinos e suas ambições. Sempre a defendia. Mika era de uma família até nobre tal como a dele. Mas a garota não tinha alto poder de luta. sua força era quase ridícula. Nem na caça ela tinha destreza e naquela tarde dos dois juntos eles deram grandes gargalhadas de Mika que era incapaz de capturar qualquer animal. Ela parecia não ter ímpeto sayajin.

No castelo o príncipe herdeiro agora com dezessete anos permaneceu com o mesmo poder de luta não o evoluindo, bem como passou a se dedicar de forma clandestina a sua paixão já que o rei lhe proibiu de mexer com coisas científicas. Ele juntou-se Bura e mantinham um laboratório em uma área a parte do planeta. E o pior de tudo foi que o fato de ficar tão próximo de Bura o fez perder o juízo, principalmente pela fase de transição de filhote para adultos. Ele a possuiu, e agora Bura dividia a cama as escondidas com o príncipe. Ele havia desenvolvido um forte sentimento pela femea sayajin e não conseguia deixar de pensar no que aconteceria na noite de núpcias em que a pureza da princesa deveria ser constatada. Ele iria achar uma forma de manter aquilo somente entre eles. Tinha que achar uma forma dela passar pelos exames pré-nupciais antes do casamento. Não queria ver a garota desonrada. Seria uma vergonha para ela e para a família.

O rei já estava desgostoso com a performance de Paragus. E agora diante da última ficha de Vegeta nas mãos. O rei havia tomando uma decisão. Ele chamou Vegeta em seu escritório.

Eles começam a conversar sobre as habilidades do garoto até que o rei finalmente fala

—Eu quero que desafia seu irmão pelo título de príncipe herdeiro – o rei fala sem rodeios

—Eu não posso fazer isso com ele – Vegeta fala chocado pelo pedido do pai

Vegeta tinha uma boa relação com o irmão apesar dos gostos diferentes no final só tinham um ao outro. Eles se confidenciavam. E Vegeta intendia a paixão do irmão. Porque ele mesmo tinha a sua

—Não só pode como vai é uma ordem do seu pai e do seu rei. É leal a mim ou não? Odiaria ter que mandar matar meu próprio filho, mas não hesitaria em faze-lo acredite. – O rei fala decidido e firme

Vegeta fecha os olhos. Seu pai o colocou entre a cruz e a espada. Aquilo não era certo e nem justo com seu irmão. mas morrer por isso também não seria muito bom. Ainda mais como traidor ao desacatar uma ordem direta do rei.

—Sim senhor – anuiu contrariado Vegeta

—ótimo. Não fale nada ao seu irmão. E após o casamento dele você o desafiará, tenho um acordo de honra com a família da moça e não posso quebra-lo diretamente. Mas indiretamente você usará do direito do trono do mais forte. Entendeu?

—Sim pai, entendi – Vegeta falou mais uma vez.

Então após a ordem de seu pai ele saiu dali indo direto ao seu quarto pensar na alta traição que iria fazer ao seu próprio irmão, mas entre o irmão e sua vida, sem dúvidas ele preferia viver, por mais que doesse ou parecesse cruel. Não era outra questão além da sobrevivência em jogo. E ainda sairia com o prêmio principal. Não precisaria mais se contentar como general...ele seria o rei! De repente seus olhos brilharam faiscantes com a ideia.

Finalmente o príncipe completou seus vinte e um anos e consigo trouxe o dever de se casar com a sayajin escolhida a 8 anos atrás para ele. Ela estaria na ala médica do castelo na manhã seguinte e ele estava preocupado. Claro que já havia dado o seu jeito. Subornou o médico alienígena que a examinaria com uma boa quantidade de ouro e joias. Bem como o responsável pelos laudos. Mas não deixava de preocupar-se.

No dia seguinte após todos os exames a garota agora se encontrava em um dos quartos reais a espera apreensiva dos laudos para iniciarem a preparação dela para o casamento real.

Sept. 13, 2018, 2:25 p.m. 0 Report Embed 1
Read next chapter A garota do jardim

Comment something

Post!
No comments yet. Be the first to say something!
~

Are you enjoying the reading?

Hey! There are still 26 chapters left on this story.
To continue reading, please sign up or log in. For free!